Baldaia’s effect

Costa acabou de perder os dois debates com Seguro, mesmo que a ansiedade de uma parte significativa dos comentadores não lhes tenha permitido ver nem a vitória de Seguro no primeiro debate nem a contradição de Costa no segundo, quando atacou as banalidades do seu próprio PS "copiado" pelo PS de Seguro. Tivesse Seguro a comunicação social e a opinião publicada que tem Costa e eu não apostava um cêntimo sobre quem vai ganhar as primárias socialistas.

Paulo Baldaia

__

O Baldaia é um incansável defensor de Cavaco e de Passos. Nada contra isso, obviamente. O Baldaia é igualmente uma máquina de fabricar platitudes, o que pelos vistos compensa pois suponho que esteja a ser pago pelo trabalho. Essa dupla condição não retira o interesse, imprevisto, ao contacto com o seu pensamento. No exemplo acima, ficamos com o retrato mental do direitolas típico a olhar para o actual PS.

Começa com a declaração de que Costa perdeu os dois primeiros debates com Seguro. Que significa o verbo “perder” neste texto? Apenas que o Baldaia, independentemente do que viu ou lhe terá atravessado a cognição em relação aos debates, não gosta da possibilidade de ser Costa o próximo secretário-geral do PS. Vai daí, dizer que Costa perdeu é o seu contributo para a desvalorização desse candidato. É o equivalente exacto do apupo.

Sabemos que entrámos dentro da cabeça do Baldaia através da sua retórica simplista porque o homem não gasta um caracter a explicar como é que alguém, que até podia ser a minha vizinha do 4º andar, pode perder debate algum com um ser que quase se desfez em lágrimas na fúria de anular a discussão política e de emporcalhar o seu adversário, e que depois foi reduzido à sua fétida inanidade do princípio ao fim dos segundos 30 minutos. O Baldaia não explica esse mistério, talvez porque os mistérios não têm explicação, mas desencantou um enigma de arrebimbomalho: Costa tem a comunicação social e a opinião publicada na mão. Exemplos? Népias. Está a falar do quê e de quem? Acaso sabe o que se tem dito de Costa nos jornais e televisões? Estará a falar da sua TSF? A declaração é tão fantástica que até duvido que o Baldaia tenha ouvido ou lido algum comentário aos debates.

Eis aqui um jornalista a dar a sua opinião política, e muito bem, mas a deixar igualmente um convite a que se opine sobre a sua pessoa política. E é nessa junção, a partir da qual intervém na discussão pública, que o jornalista saí conspurcado pelo sectarismo político manifestado. Por exemplo, o Baldaia acha que Costa denunciou “banalidades” do PS quando este estava era a desmontar a fraude que Seguro é. Baldaia não quis perder tempo a pensar e aproveitou logo para carimbar como “contradição” a maravilhosa descoberta. Mais tarde, olhando à sua volta, constatando que mais ninguém estava a reclamar esse tesouro, começou a desconfiar que havia algo de errado. Concluiu que o erro não era dele, era da conspiração costista que tinha tomado conta do comentário profissional.

Se o Baldaia é capaz de uma avaria destas perante uma situação à prova de estúpidos como aquela, do que não será capaz sem a ajuda do Costa?

4 thoughts on “Baldaia’s effect”

  1. O Baldaia foi um dos primeiros avençado0s deste governo. Por vezes os disparates são tantos que até admira ( ou talvez não) como é diretor de uma radio como a TSF.
    Os fóruns estão quase a começar e vamos lá ver os temas que vão sair….

  2. O Costa que se cuide…, inscrevi-me no site do Costa como “apoiante” e, até agora, nada. Nem um mail a agradecer….
    Inscrevi-me nas primárias do PS e, surpresa total, recebo um mail do Seguro, a agradecer muito e a prometer tudo o que já é conhecido! (quando vi como remetente “Seguro 2015” ainda pensei numa seguradora a vender os seus produtos, mas quando vi do que se tratava, nem queria acreditar…).

  3. De repente os “jornalistas” avençados deste país entraram em pânico, com a entrada em cena de António Costa. É vê-los a escrever editoriais a defender Seguro (como foi o caso do editorial de sábado no jornal i), é o Pedro Baldaia na TSF e nos milhares de debates políticos para os quais é convidado e que, valha a verdade, não acrescenta nada para além das banalidades que qualquer Henrique Monteiro (outro “jornalista” avençado) desta vida pode tecer. É seguro dizer-se que os avençados e os membros dos partidos deste “des”governo, se sentem claramente inseguros quanto à mais que provável derrota do Tozé Seguro e a consequente vitória de António Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.