Bacoradas 2011 – Vencedores


Abstenção do PS vai ser violenta mas construtiva
SEGURO 11.79% (54 votos)

Rejeitar o PEC IV é o princípio da saída da crise
LOUÇÃ 10.48% (48 votos)

Eu já ouvi o primeiro-ministro dizer, infelizmente, que o PSD quer acabar com muitas coisas e também com o 13.º mês, mas nós nunca falámos disso e isso é um disparate
PASSOS 8.08% (37 votos)

*

Este foi o inquérito com a maior participação de sempre – 458 votos no total, o que deve corresponder, pelas minhas contas, a cerca de 40 bravos que votaram 10 ou 11 vezes cada – e continuará aberto à votação até que o Sporting seja campeão ou que Relvas decida vender a Internet a uns compadres, o que acontecer primeiro. Todavia, estes são os resultados que a História irá registar e debater profusamente. Da minha parte, quero enaltecer a sageza, a justiça, de tais escolhas. Repare-se:

– No pódio, mas remetido ao desprezo possível, temos Passos Coelho e sua citrina honestidade intelectual. Presidente de um partido cujo programa político, de 2008 a 2011, consistiu essencialmente em repetir que o primeiro-ministro era mentiroso, irresponsável, corrupto e criminoso – igualmente o sendo qualquer outro indivíduo que com esse patife tivesse alguma ligação, fosse no Governo, no partido ou na sociedade, no presente, no passado ou no futuro; e nem sequer os filhos de Sócrates escapando às ofensas odiosas pela boca suja do braço-direito de Passos e actual Ministro dos Assuntos – fez a campanha eleitoral mais desvairadamente tratante de que há memória. Contudo, e pelos vistos, grande parte dos portugueses está a gostar do achincalho recebido, o que fica como uma aprendizagem inestimável para aqueles que não estejam de malas feitas para emigrar.

– Encafuado no segundo lugar, encontramos uma imbecilidade de Louçã. Este frase diz tudo acerca do estado de alucinação que rege as suas decisões políticas. Não admira, pois, que este seja o mesmo crânio que levou o BE para a triste figura de ser gozado pelo PCP aquando da moção de censura, e para o trágico desfecho de querer atacar o PS manipulando as fragilidades de Alegre, o que acabou por ser um decisivo factor para a reeleição de Cavaco e de tudo o que se lhe seguiu. Louçã, de resto, rivaliza com Jardim e Cavaco quanto à duração da sua liderança política, a qual está indelevelmente marcada pelo completo desperdício dos resultados obtidos em 2009, altura em que ultrapassou o PCP em mandatos parlamentares. O facto de, ao longo dos anos, ter perdido a alegria que prometia ser o tal pauzinho na engrenagem e se ter reduzido aos discursos moralistas, e às ambições megalómanas de vir a chefiar uma esquizóide esquerda grande, não é um acaso, pois não?

– E o grande vencedor é Seguro, com uma expressão que lhe assenta que nem uma luva. Porque ele não é outra coisa a não ser essa patareca abstenção violenta. Foi assim o seu percurso até chegar a Secretário-Geral, onde toda a eloquência estava concentrada nos seus silêncios e cada ambiguidade era uma explosão de violência. A sua relação disfuncional com o PS, vendo na instituição apenas o veículo da sua carreira, é o que explica as extraordinárias cenas protagonizadas no aplauso a Cavaco aquando do comício da tomada de posse, o frenesim da cobiça no sobe e desce do elevador do Altis em cima do anúncio da demissão de Sócrates, a perseguição aos seus camaradas por suspeitas de corrupção e o inominável apagamento de qualquer referência ao anterior ciclo governativo e ao modo como foi interrompido. É irónico, e fatal, que quem anda maniacamente a exigir transparência a tudo e a todos seja o político mais opaco que já passou pela liderança do PS. Eis um sarilho que diz respeito, em primeiro lugar, aos militantes e simpatizantes socialistas, mas que para o cidadão apaixonado pela política – e dado o PS ser o principal esteio do regime democrático – é fonte de graves inquietações.

5 thoughts on “Bacoradas 2011 – Vencedores”

  1. Val, bonita interpretação dos votos conseguidos nese inquérito interessante.
    Estão lá três, mas faltam mais responsáveis pelo descalabro a que isto chegou.

  2. Aqui em casa exigem uma ilustração para este post. Não precisa de ser uma foto do bácoro premiado. Arranja aí uma coisa gira, Val.

  3. Para um eventual inquérito sobre o “chorrilho de bacoradas 2012”, eu voto já neste:

    Antonio Barreto – Há países onde se discute se se deve pagar a hemodiálise a pessoas com mais de 70 anos.
    Ana Lourenço – Mas não é abominável discutir se alguém com 70 anos tem direito à hemodiálise?
    Manuela Ferreira Leite – Têm sempre direito, desde que paguem.
    António Vitorino – De certeza que a senhora doutora Manuela Ferreira Leite não quis dizer o que disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.