As melhoras, Dr. Ventura

Desejo que o Dr. Ventura recupere o mais rápido possível da covid-19 e que não tenha qualquer sequela.

Também desejo que aproveite este tempo de paragem, ou recolhimento espacial, para ver um programa muito giro da Netflix. Chama-se Como ser um tirano e aquilo é um festival de ensinamentos para quem escolheu o caminho político que o Dr. Ventura livremente decidiu trilhar – apoiado pelo “homem invulgar”, o qual sabia tão bem o que a casa gastava que, entre 308 opções, o lançou precisamente em Loures; assim dando azo a termos visto, pela primeira vez em democracia, o endosso de um partido com representação na Assembleia da República à promoção e defesa de um discurso xenófobo e racista. Nesse tempo, os ovos que o Dr. Ventura levou para a campanha das autárquicas eram de lagartixa. Agora, crescido, homem feito, líder carismático cuja missão de mandar nesta merda toda foi validada pela Nossa Senhora de Fátima e por Deus (não necessariamente por esta ordem), os ovinhos são quase à descarada da famosa serpente.

Claro, o Dr. Ventura poderá alegar que não precisa de lições de ninguém, que conhece aquelas histórias de ginjeira, que já tem essa matéria toda estudada e decorada. Mas, olhe, Dr. Ventura, tenha paciência, seja humilde, pois só tem a ganhar em recordar o que essa rapaziada fez, e como fez. Inspire-se. E tente fazer ainda melhor, como o Dr. sabe que é capaz.

8 thoughts on “As melhoras, Dr. Ventura”

  1. “O nosso amigo e líder André está doente. Uma doença que apanhou por nós para nos andar a acompanhar pelo país e para espalhar a mensagem do CHEGA. Podia ter ficado em casa e nada disto tinha acontecido. Mas arriscou a vida e a saúde pelos portugueses de bem.
    Agora temos de lhes passar as nossas forças e as nossas orações para que ele volte bem e ainda mais forte. Muitos querem que ele morra, mas nós somos mais fortes e ele vai vencer a doença e provar que ela não consegue vencer o CHEGA. A Nossa Senhora de Fátima está com ele e não vai permitir que um dos seus escolhidos sucumba a uma doença criada na China para destruir o CHEGA.
    Dizem que ele não tomou a vacina. Não o podemos criticar. Duvidam que se o André chegasse ao centro de vacinação cheio de funcionários do governo socialista do António Costa não lhe iam tentar injectar veneno mal percebessem que era ele? Todo o cuidado é pouco e recomendo aos militantes do CHEGA que não se identifiquem como tal quando vão tomar a vacina. Incomodamos muita gente e vão fazer de tudo para nos parar. Tomem cautela.
    O André já nos enviou uma mensagem de whatsapp a garantir que está tudo bem e que tem passado o dia a rezar pelo bem do país e a ler textos na internet.”

    https://www.facebook.com/chegavilareal/

  2. “Pandré pequeno politico português, pintava politicas parvas para portugueses.
    Porém pediu para parar porque preferiu, posteriormente para Pucariça porém pouco praticou porque Paulo pediu para parar.
    Pálido, porém personalizado, preferiu partir pedindo permissão Pedro Passos, para progredir para poder propor permissão para poder penetrar pela porta principal……..”

    Pronto Parei! PORRRRRRRRRRRRRRRRRRRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Para um absurdo como o de Vila Real só outro absurdo………………….

  3. 1o desejo as rápidas melhoras a AV. Julgo que os sintomas são ligeiros. AV entre outras singularidades do programa que defende o Chega pede penas pesadas para portadores de doença que propaguem a mesma. Será que durante o período em que tem de estar confinado vai lembrar-me dessa singularidade.? É que ele não tendo sido vacinado, é na minha opinião um perigo para a saúde pública. Ele e todos os negacionistas mais ou menos desmiolado que por aí andam. O texto que divulga um comunicado do Chega de Vila Real deixou-me a pensar que está gente é perigosa, mais do que eu pensava, e que utiliza a manipulação e aproveitamento da forma mais reles. AV tem dentro de si um tumulto que está a ser aproveitado pelo gabinete sombra do Chega. O seu percurso de diz isso. Salta de uma família de pequena burguesia trabalhadora para líder de um partido de extrema direita subsidiado por endinheirados, conservadores. Passa pelo seminário, apaixona-se saí e descobre que intelectualmente consegue tirar o curso de direito , fazer um mestrado subsidiado numa universidade de 2a categoria na Irlanda e arranja um subsidio. Deslumbra, vão buscá-lo, percebe que se querem servir dele no PSD , aparecem outros que precisam dele para voos mais altos por si sonhados. Não passa de um jovem, que nega a sua origem social, que reza segundo ele diz, a pedir o quê pergunto eu? Este indivíduo como pessoa já é controverso, como político é um susto.

  4. qual é a parte desta propaganda gartuita que não te agrada? talvez esta passagem:

    “Duvidam que se o André chegasse ao centro de vacinação cheio de funcionários do governo socialista do António Costa não lhe iam tentar injectar veneno mal percebessem que era ele?”

    foi desta que o gajo arrumou a ana cavaca e ordem dos enfermeiros. estou à espera dos comunicados dos sindicatos das enfermeiras e das freiras quem andam a injectar veneno na ventrulhada.

  5. O Dr. ventura é um traste e, como é um traste de um pequeno país é, inevitavelmente, um trastezinho.
    Porque adoeceu e não “devia”; quem quer estar acima de todos e de tudo não pode adoecer; tem de ser mais forte que tudo e também de qualquer dor, mal ou doença; só um verdadeiro pequenino traste candidato a totalitário vem anunciar ao povo que adoeceu e, para mais, porque não tomou a vacina mas que, agora, em tempo oportuno a tomará; actitude miserável de fraqueza dum homem que fala alto, grita e gesticula alardeando fortaleza de quem quer derrubar o “sistema” para impor o seu sistema de prender e eliminar quem quiser arbitrariamente.
    Até o pequeno camponês manhoso ditador Salazar nunca esteve doente e quando quase ficou morto na queda da cadeira podre de velha nunca anunciou o seu mal e mesmo parvinho e sem juízo ainda foi Presidente do Conselho, até morrer de facto. Mas alguma vez Hitler, Estalin, Mao, Xi Jinping ou o pequenote Kim Jong-un da Coreia do Norte estiveram doentes ou anunciaram tal?
    Ora o Dr. ventura deveria saber que quem quer ser um querido chefe de “massa” nunca deve adoecer para que a respectiva massa mais acredite no seu ser de superhomem acima de todos ou o “eleito” enviado.
    Alguém que é negacionista de um mal e depois se anuncia doente atacado desse mal afirmando que se vai tratar como os demais mortais jamais adquirirá qualquer espécie de carisma ou qualidades para comandar um movimento de “massas”: estas esperam encontrar o herói infalível e invencível contra seja o que for; caso contrário aconteçe que os crentes vão socorrer-se de Fátima, como em Vila Real, imitando os velhos tempos dos “homens de bem”.
    Verdadeiramente o Ventura não tem grandeza nem jeito para o papel de chefe totalitário que quer representar, quanto muito, apenas ser um pequeno títere de outrem mais poderoso.

  6. O gajo faz-me lembrar a personagem Attila Mellanchini, representada por Donald Sutherland no filme “1900”, de Bernardo Bertolucci.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *