Apotegmas da quinta

A divisão entre esquerda e direita é confusa sem essoutra, muito mais distintiva, entre conservadores e reformadores. Porque há conservadores à direita e à esquerda, reformadores de esquerda e de direita. O PCP é conservador, Sá Carneiro era reformador.

O centro é o lugar da união entre o que vale a pena conservar e o que precisamos de reformar.

Toda a governação é feita ao centro, gerando novas esquerdas e direitas sucessiva e inevitavelmente.

O Poder. Quem o tem quer conservá-lo, quem não o tem quer obtê-lo através de reformas. O Poder está sempre circunscrito. Não há poderes infinitos, nem sequer ilimitados – nem sequer na imaginação.

A direita é pessimista porque sabe a História quase toda. Quase.

Donde vem o culto da erudição balofa, maníaca, que se vê em tanto revolucionário pançudo e pinga-amor? Daqui: na origem, o marxismo é uma aristocracia sem aristocratas. Não tem títulos, mas abundam os titulares.

Isto é fundamental. Isto é simples.

12 thoughts on “Apotegmas da quinta”

  1. Brilhante, mais uma vez.
    Quando é que escreves um livro, Valupi ?
    Indepentemente das ideias, com as quais invariavelmente concordo, este talento a escrever merece ser conhecido também fora da blogosfera.

  2. Jerónimo:

    Não será que quem escreve assim já não tenha publicado livros? Julgo que sim. Se fosse eu tinha publicado. Julgo que as Editoras não deixavam passar assim um talento.

  3. acho que o culto da erudição vem de não saberem/terem medo de usar os punhos. fazem duelos de palavras , tipo como se estas fossem pilinhas. a ver se o alexandre , ou o átila , ou o julio perdiam tempo com isso. agiam e “prontos”.

  4. não conhecia apotegma, estou a escrever para ver se não esqueço de todo.

    Está bom, claro, mas não esquecer que esse centro de que falas impermanece, só é tendencialmente assim uma referência datendência central. Moda, média, mediana? Aliás no esquema aristotélico depois retomado por vários e por Marx tens lá a sucessão de estados do Estado em que sucede à aristocracia uma oligarquia instalada que conduz à tirania degenerada, e depois revolução. A democracia anda algures por aí.

    No entanto não é disso que eu vinha falar, vinha dar graças ao espírito santo!

  5. Já me tinham contado essa hoje, ⅀, e eu fiquei na dúvida. Portanto, o juíz considerou não a parte disciplinar, mas a pesquisa sore a etimologia da palavra…
    Ora, fazendo o acórdão jurisprudência, já se pode, a partir de hoje, mandar em tribunal o juíz p’ró caralho.

  6. foi a Relação, melhor ainda, desembargaram a voz, já não podia um homem desabafar!

    hum, também cá mais de 400 anos depois e a história ‘oficial’ de Sebastião anda mal contada. A História é clandestina, li noutro dia.

  7. Não posso concordar mais: uns acreditam na Humanidade e por isso estão sempre dispostos a correr riscos para melhorar a sociedade. Os outros, muitas vezes, também não.

  8. pois é, a Alemanha engorda e cria uma polaridade de difícil memória. A sra Merkel ganhou entretanto fissuras verticais nos cantos da boca que dantes não tinha. Foi do multiculturalismo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.