Ao cuidado do Plúvio

PROPOSITIO LIV. Poenitentia virtus non est, sive ex ratione non oritur, sed is, quem facti poenitet, bis miser seu impotens est.

Espinosa, ETHICA, PARS QUARTA

Que é como quem diz: o arrependimento não é uma virtude, nem tem origem na razão; antes, aquele que se arrepende duplica a sua miséria e a sua impotência. E esta está longe de ser uma originalidade do nosso Bento, sendo já uma lição estóica. Eis o meu singelo contributo para a investigação.

Mas, estando com a mão na massa, há que multiplicar os benefícios da viagem:

PROPOSITIO LVII. Superbus parasitorum seu adulatorum praesentiam amat, generosorum autem odit.

3 thoughts on “Ao cuidado do Plúvio”

  1. (isto é para o Plúvio ler mas apenas se tiver sentido de humor ou se tiver a sinceridade em alta conta: cá para mim foste refazer esse post de Outubro com este acrescentinho bem esperto de november rain do Val) :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.