Anti-histamínico precisa-se com urgência

Os eleitores portugueses, e por inerência todos os cidadãos maiores de idade tivessem ou não votado, escolheram livremente ter na Presidência da República e no Governo fulanos que os enganaram à doida desde 2008 no acto mesmo de reclamarem a posse da “verdade”. Manuela Ferreira Leite transformou a maior crise económica internacional dos últimos 80 anos num “abalozinho”, o PSD reduziu a política ao abate de um homem enquanto enchia a opinião pública com uma avalanche de difamações e calúnias e Cavaco Silva, autor moral de uma inaudita e filha-da-puta conspiração gizada na Casa Civil contra um Governo, até 5 de Junho de 2011 desconhecia oficialmente a existência de qualquer problema na Europa e apelava a que se satisfizessem as exigências dos sábios e justos mercados. O plano resultou em pleno, tendo sido a dupla Passos-Relvas a realizar o sonho de Sá Carneiro: um Presidente, um Governo e uma Maioria para o laranjal. Assim que tomou posse, o Coelho saltou da toca cheio de raiva e desatou a fazer literalmente o oposto do que prometeu em campanha e no programa eleitoral. Perante a crescente devastação causada pelas suas favolas sôfregas, o povo foi calando e o Presidente da República foi consentindo. Como é que este fenómeno colectivo de inércia, masoquismo e falta de amor-próprio se explica? Que leva a que os portugueses prefiram ser enganados desta forma tão básica e tão obscena?

Se nos recordarmos do que aconteceu com Sócrates e seu Governo desde meados de 2007, constatamos que existiu uma santa aliança entre os partidos da oposição à direita e à esquerda e o Presidente da República, a que se juntaram feéricas a imprensa e a oligarquia. Isso levou a uma partilha de estratégias, todas equivalentes na intenção de explorarem o moralismo populista e não assumirem o papel do contexto económico e financeiro internacional. Os processos emocionais agressivos assim promovidos e deixados ao abandono levaram a situações de permanente violência mental (constantes campanhas de suspeições e deturpações na comunicação social, golpadas político-judiciais, hostilidade aberta de jornalistas sem ligação assumida a forças partidárias, incontáveis pregações de incontáveis profetas apocalípticos) e até alguma violência física (agressões a governantes à porta de escolas e não só, perturbação e boicote de acções partidárias socialistas). A mobilização conseguida não tem paralelo na história da democracia, tendo resultado em gigantescas manifestações de rua e no ódio dirigido ao bode expiatório perfeito, fetiche favorito de impotentes e decadentes, a causa de todo e qualquer mal sobre a terra: Sócrates, o guerreiro sanguíneo que apavorava os seus inimigos.

Os factos são os factos são os factos. Vivemos em democracia. Todos temos Internet no telemóvel, no emprego, nas universidades ou na casa do vizinho. A informação abunda, circula, é grátis. Existe liberdade de expressão. O PCP pode distribuir milhões de panfletos à porta do Metro que ninguém se intromete. O BE pode convocar uma ranchada de jornalistas para dizer o que lhe der na veneta. Qualquer cidadão pode fundar um novo partido. Qualquer macaco pode encher o Twitter, o Facebook, o seu blogue ou a parede de uma casa de banho pública com aquelas verdades que vão mudar o mundo. Não é, pois, por qualquer limitação à nossa liberdade que gostamos de ser enganados. Que preferimos ser enganados e explorados e gozados. É mesmo porque somos alérgicos à inteligência.

13 thoughts on “Anti-histamínico precisa-se com urgência”

  1. Nem mais, meu caro, nem mais.
    O problema? O problema é que a única alternativa à pulhice actual – o PS – é a primeira a renegar a obra feita e dar a entender que ela mesmo não é alternativa a coisa alguma.
    Precisamos do PS, mas não *deste* PS, com esta liderança.
    Teremos alguém não-Seguro para disputar as próximas eleições?

  2. “Exactissimamente” Val. Valha-nos a indignação virtual já que os ‘indignados e deolindos’ do tempo de Sócrates devem estar, hoje, todos bem de vida !

  3. Caro Val,
    o pior é se isto não é uma alergia passageira, mas um vírus ébola… aí não funcionarão já os anti-histamínicos e nem os antibióticos serão úteis.
    Não estará na altura de começarmos a pensar numa vacina e arranjarmos técnico novo para o laboratório?

  4. É verdade Val, tenho-me interrogado sistematicamente do porquê de tanto silêncio com o atual governo, quando antes havia tanto ruído e contestação.
    A única coisa que me ocorre é o sentimento de culpa. Perceberam que andaram tanto tempo a serem enganados e manipulados, que agora têm dificuldade em admitir essa realidade relativamente à escolha que fizeram, sob pena de serem desacreditados por serem piegas…

  5. Val, o sonho de Sá Carneiro foi generosamente ultrapassado. A quadrilha do pote concretizou um feito notável, julgo mesmo que inédito à escala mundial: um Presidente, um Governo, uma Maioria e uma Oposição.

  6. alguém que perguntasse ao valupi o que é que lhe opõe a este governo.O governo é centrista como a valupi gosta até…

  7. O Seguro é um frouxo!

    Se ele continuar na liderança, o PS não constitui nenhuma esperança de alternativa.

    Quero acabar com estes FILHOS DA PUTA que nos desgovernam!!! Sei que só o poderei fazer através do voto. Mas não estou interessada em votar noutros que sejam também filhos da puta!

    Falaste com mestria Val, as usual. Considerando a excelente capacidade política amplamente demonstrada e reconhecida nos teus textos, que tal a hipótese de criares um movimento/partido que mobilize os milhares de portugueses sedentos de verdade, justiça e Dias Melhores?

  8. “Que preferimos ser enganados e explorados e gozados. É mesmo porque somos alérgicos à inteligência.”

    pois, face à pergunta do Gomes Ferreira ao gaspar, não teme que a rua se revolte, isto é, que passemos ao estado social da grécia?, o gaspar respondeu com toda a tranquilidade e segurança que temos de ter em conta a tradição do comportamento do povo português (traduzo eu: de corno manso). E prontos, é isso.

  9. Enquanto foi só o povo a levar no” lombo” andou tudo calado .agora chegou aos ricardos costa e aos do gomes ferreiras e belmiros e a bola de neve esta rolar. infelizmente sao os media e os patroes que mandam neste pais.prefiro comer um prato de sopa ao almoço e ao jantar a ter que aturar estes agiotas da troika,mais este governo de incompetentes. vamos em frente. o presidente da republica deve sofrer da doença de alzheimer! para não se recordar da boa, e da má moeda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.