Alguém está a mais nessa casa, organizem-se

Eu sei, como militantes do PS sabem, como os senhores jornalistas, nomeadamente em Lisboa, sabem, que há uma estratégia clara e definida com uma promessa em destruir António José Seguro e não deixá-lo chegar a primeiro-ministro. E sabe porquê, senhor Manuel Acácio? Porque António José Seguro não vai em jogos de interesses, não representa nenhum lóbi social, não é influenciável nem é corruptível. E o medo é acabarem-se com muitos lóbis poderosíssimos neste país que têm levado à destruição clara em detrimento de todos os interesses dos portugueses.

António José Seguro tem feito uma oposição com sentido de responsabilidade, com sentido de Estado, que eu não me lembro de ter visto no passado; em defesa dos interesses nacionais, no local certo, nomeadamente no Parlamento. Tudo o resto, o que temos visto ao domingo à noite, ao sábado, à sexta, à quinta-feira nas televisões são representações e jogadas táctico-políticas para saber como destruir esta liderança e este António José Seguro.

João Martinho, militante do PS, Braga

Uma das vantagens em não ser militante nem simpatizante do PS é a de, por exemplo e neste momento, não fazer a mínima ideia de quem seja o propalado João Martinho que assina a intervenção no Fórum da TSF acima reproduzida. Aliás, passou a ser concebível que este tipo de manifestações de apoio apaixonadas aos secretários-gerais do PS sejam todas, ou na sua enorme maioria, obra do Fernando Moreira de Sá e pandilha blogueira. Lembremo-nos que essa força ctónica do laranjal revelou detalhadamente como conseguiu meter Sócrates num chinelo e elevar Passos às alturas, e isto sempre a rir à gargalhada, sempre a desopilar. Portanto, quem sabe, vai na volta o “João Martinho” um dia aparecerá como nota de rodapé de uma tese de doutoramento a entregar brevemente num qualquer instituto académico galego.

Mas vamos admitir que estamos perante a genuína exposição livre de uma genuína opinião política. A ser verdade, a primeira impressão será a do reconhecimento. Este tipo de defesa de Seguro corresponde ao padrão corrente tanto por parte dos militantes comuns como por parte dos tenentes do secretário-geral. Aquando da maior crise para a liderança de Seguro, o movimento no início deste ano para que Costa aceitasse ir ao congresso disputar o poder, o argumentário era igual sem tirar nem pôr: Seguro é um ser moralmente superior, Seguro é um exemplo de responsabilidade como não se vê igual, Seguro está fartinho de apresentar propostas daquelas mesmo boas, Seguro faz o seu trabalho no Parlamento que é onde deve ser feito, Seguro tem sondagens excelentes e cada vez melhores, Seguro é alvo de conspirações externas e internas (especialmente, por parte dos terríveis e monstruosos socráticos, os quais devassaram o país que Seguro irá resgatar e refundar).

O caso deste João Martinho interessa sobremaneira a quem se interessa por ciência política porque ele aparenta ser alguém com enraizada experiência do aparelho partidário, exibindo uma fluência e retórica de qualidade muito acima da média para o registo popular. É alguém com uma cassete oleada. E alguém que não tem consciência do que está a dizer, característica dos registos alienados de fundo emocional. É por isso que chega a falar no “domingo à noite”, com isso querendo nomear Sócrates como um dos cabecilhas contra Seguro. Contudo, se há coisa que Sócrates (ainda) nunca fez, e ao arrepio daquilo que os seus detractores garantiram que vinha para fazer, foi dar o mínimo sinal de deslealdade para com a actual liderança do PS. O Martinho, embalado na paranóia, junta o sábado, a sexta e a quinta na logística televisiva conspirativa, ficando nós agora sem saber se a quarta, a terça e a segunda se safam ou se não foram notificadas apenas por falta de tempo. Também fascinante é o culto de personalidade que se faz com Seguro, aqui sim uma novidade absoluta no partido. Por isto: Seguro só tem espalhado provas de ser uma figura opaca, sonsa e burra, e tais predicados têm sido exibidos desde o tempo em que era o grande opositor de Sócrates, contudo é pintado de forma hagiográfica e messiânica pelos seus apoiantes. O ponto fundamental a registar nisso é o de Seguro não se opor a este populismo que também se alimenta da mesma decadência anti-políticos onde a direita partidária montou a sua estrutura de apoio eleitoral para o ataque aos socialistas. Pelo contrário, Seguro, logo na campanha para as eleições no PS, assumidamente vestiu a camisola do cavaleiro impoluto que vinha matar o dragão e inaugurar uma era de paz, prosperidade e felicidade.

O nosso militante bracarense do PS, anunciado como engenheiro, para além de carimbar por atacado as anteriores lideranças socialistas como cobardes ou traidoras, consegue terminar com o pedido para que todos os partidos peçam desculpa por tudo o que aconteceu nos últimos 40 anos. Eis, ó gentes, um socialista que engoliu por inteiro, e com gosto, a sanha odienta contra a democracia que serviu e serve de aparato ideológico à obra de empobrecimento e retrocesso social de Passos e Portas. Realmente, retrato mais nítido das aberrações que Seguro congrega à sua volta é difícil de encontrar.

25 thoughts on “Alguém está a mais nessa casa, organizem-se”

  1. O destino de Seguro está traçado desde o início: o “melhor” que lhe pode acontecer é ganhar eleições com os votos de quem já votou… no Passos Coelho!

    Quem quiser um novo Passos Coelho, pois já sabe em quem deve botar…

  2. Tá bem , tá, Val, que isto há que fazer pela vidinha.
    É que se o Seguro em 2015 chegar a Primeiro, também vai precisar de “assessores” e “especialistas”, logo há que nos irmos perfilando cantando umas loas, quanto mais inflamadas melhor, ao chefe, que pode ser que nos caia do céu um qualquer tachito, vá lá saber-se, não é?
    É que a verborreia do dito sr. “inginheiro” (onde é que já vi isto?) cheira mesmo a conversa de manteigueiro, ou não?

  3. Mais um aprendiz de “spin doctor” que, como já foi dito
    está a tratar do seu futuro, creio que o Tózé foi eleito
    por Braga é natural que exista conhecimento pessoal
    entre eles! Se existe uma estratégia montada é para
    que o Tózé se mantenha na liderança do PS porque
    com as suas violentas abstenções a direita pode muito
    bem assim como, os seus montes de proposta que
    usualmente vão para o lixo!!!

  4. ignatz,
    Se se ouvir com atenção nota-se que o aqui disfarçado de j. martinho tem precisamente a voz, a dicção, a entoação e também a mesmíssima conversa do mac (marco antónio costa) do psd.
    O moreira sá está a recrutar alto.

  5. O referido ingenheiro Martinho segue os conselhos dos gajos que andaram a manipular e intrujar nos “blogues da corda”. Trabalha para chegar ao “pote” do Tozé Seguro, esse insonso chefe do PS, que prometeu fazer oposição ao governo de Passos Coelho sim, mas com “cortesia e elegância”. Gente assim, sonsa e cinzenta, não augura nada para o futuro do PS. Vai ser uma etapa perdida.

  6. neves, não exageres, pá! um dia destes somos todos moreiras à sá. o narcotóino bosta tem mais que fazer, quando muito paga as contas dos avençados, mas acho que este caso trata-se de devoção de um idiota que o tózero seduziu num baile das concelhias.

  7. O azar do Seguro é Mário Soares.

    Este não quer morrer no esquecimento e está sempre de dedo no ar para falar.

    O protagonismo do Josesito assim foi-se.

  8. Ascensão e queda é mesmo coisa de lombas, até há um sinal de trânsito que explica isso visualmente.

  9. vamos todos cantar: zé martinho portugues de braga. seguro que não fuja ao debate interno a que se comprometeu nas eleiçoes do seu partido(está escrito no caderno eleitoral. ),se é socialista e nunca sonhou ser um dia pm,desça à terra, e marque novas eleiçoes,já num ambiente menos crispado e com os socialistas mais esclarecidso sobre as verdeiras razoes da crise.este desconhecimento deu muito jeito a seguro,mas agora,está e bem a crucifica-lo .tenha coragem, e seja um verdadeiro socialista!

  10. Como è que tu te chamas mesmo, Valupi?

    Qual a agência de comunicaçao pela qual o sòcrates paga o teu ordenado?

  11. E tu, olinda? Passas os dias em pelota na praia da nazarè? Olha que està fresco. Pede um aumento ao ingenheiro para comprares um vison, và, tu mereces.

  12. (VAL)DRABÃO não é do PS nem tão pouco simpatizante ????!!!!!!: a tua Esquizofrenia é mesmo, felizmente, Pândega. Que capacidade de valmorfose. Que drama tão bem vivido e representado. Que actor de xuxonovela. Um sósia perfeito do Mestre Pinóquio. Pelo menos vai-nos oferecendo diariamente um estudo de caso de uma patologia dissociativa e paranóica em directo na blogosfera. Inovador e atrevido. Que Risada e que Performance. Vou votar em Ti para venceres esssa competição da Casa dos Socratinados. Um must!

    Aumenta a dose do tintol e não estejas sempre a beber a Zurrapa martelada que te rebenta a moleirinha toda e só te faz andar sempre de caganeira.

    As melhoras …

  13. Também não sou Seguro. Até sou mais Sócrates. Também não sou militante PS. Mas o que se vê aqui se todos olharem para dentro de si é o mesmo que disse o João Martinho mas ao contrário. Ele canta loas a Seguro e vocês atiram-se ao Seguro como gato a bofe. Como por exemplo J. Madeira: ” está a tratar do seu futuro, creio que o Tózé foi eleito por Braga é natural que exista conhecimento pessoal entre eles!” Isto faz algum sentido? Ele sabe o que diz ou está a esticar-se?
    E esta do José Neves: “Se se ouvir com atenção nota-se que o aqui disfarçado de j. martinho tem precisamente a voz, a dicção, a entoação e também a mesmíssima conversa do mac (marco antónio costa) do psd. O moreira sá está a recrutar alto.” Isto é verborreia sem qualquer nexo nem sentido de verdade. É falar por falar.
    E outros que não vale a pena citar porque também são bosta. Chorrilho de disparates começando pelo Val que só vê com um olho. Isto quando a gente é fanático não há nada a fazer.
    Foi por estas e por outras que eu militei no PS durante 9 anos, trabalhei de borla, aliás com custos meus até, dei o que tinha e vivia rodeado de chulos que queriam tacho e estavam ali por interesses particulares. Por isso, há 29 anos que sou independente, e verifico que as pessoas olham para os partidos e falam deles como quem fala de futebol. É por isso que as pessoas cada vez estão mais afastadas da política.

  14. Não tem a ver com roupa. Com decência, falta de vergonha e burrice.
    O tempo não volta para trás. Não gastem energia em batalhas perdidas. Já agora desde quando é que um ex-líder por melhor que seja, designa sucessor? Desde quando um aspirante a líder, deve antes da candidatura pedir licença ao EX? Eu sei que no princípio do Século XXI, houve um precedente, os anais da época não mentem, até há registos fotográficos, mas é um mau precedente, acho eu. O nosso regime não assenta na designação de sucessores, nem sequer dentro dos partidos. Um candidato diz aos militantes ao que vem, e depois de eleito (2011 com 70% ) é autónomo. Se os fans fanáticos do EX não gostam, votaram noutro/não arranjaram melhor e por azar o derrotado oferece lealdade a Seguro, o que fazemos? Afiar as facas, agarras as marretas, enfiar as luvas e ir à luta. Pois, mas o SG tem pele dura, osso duro de roer e não vos liga. Boxe só corpo a corpo e isso é demais para vós, que sois uns cobardolas, sem nível.

  15. Pele dura? Osso duro de roer? Não lhes liga?

    Ó roto: junta-te com o SG e vai esperando pela marretada. Depois falamos, tá?

    Um abração à prezidenta belenzeira…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.