Agradece ao Varela, Bento

Aos 86 minutos do jogo com a Dinamarca, Paulo Bento e a sua equipa eram tudo aquilo que Manuel José, Queiroz e milhões de adeptos pensavam e diziam deles após os resultados com a Macedónia, Turquia e Alemanha. Ei-los agora prestes a irem para o último jogo do Grupo só com 1 ponto após estarem a vencer até aos 80 minutos. O melhor jogador do Mundo tinha falhado golos de baliza aberta, a equipa seria massacrada na comunicação social daí a um bocadinho e o desafio contra a Holanda ocorreria adentro de um clima de geral hostilidade entre jogadores, técnicos e dirigentes que só poderia agravar ainda mais a dificuldade da muito improvável passagem aos quartos-de-final.

Aos 87 minutos, vemos uma bola ser centrada para a grande-área da Dinamarca. Ronaldo não a consegue parar e Varela acerta um primeiro pontapé no ar, mas que foi suficiente para lhe travar o movimento, ficando perto para novo remate. Um defesa dinamarquês posiciona-se entre o atacante português e a baliza, mas teve tanto tempo para mentalizar a situação que se prepara como se estivesse na barreira de um livre, colocando as mãos atrás das costas e apertando os joelhos para proteger a genitália. A bola passa a direito exactamente nesse espaço de 10 centímetros que disponibilizou ao se encolher. Se Varela tivesse rematado 5 centímetros mais ao lado, para qualquer um dos lados, ou teria acertado no defesa ou no poste. A conjugação de factores aleatórios que permitiu o sucesso daquele pontapé de ressaca não voltaria a ser observada nem que ficassem ali cem anos a repetir a jogada.

Seguiu-se uma Holanda a quem Portugal invariavelmente ganha, desta vez apresentando-se derrotada e com um futebol medíocre. Depois veio a República Checa, sem discussão uma das equipas mais fracas no Euro 2012. E finalmente apareceu uma Espanha cansada nas pernas e cansada na alma, sem precisar de provar nada a ninguém e feliz da vida se ficasse pelas meias-finais. Perder nas grandes penalidades era um prémio que o nosso provincianismo aceitaria e a Selecção podia voltar a casa com a honra resgatada e com seleccionador para os próximos dois anos. O que não se seguiu foi a recolha do ensinamento que o golo de Varela ofereceu. Essa verdade redondinha de que o futebol é sorte, e que a sorte maior é ter um treinador que a saiba chamar e aproveitar.

11 thoughts on “Agradece ao Varela, Bento”

  1. Meu caro Val, aqui tem uma belíssima descrição daquilo que o jogo da bola é. Destes pequenos nadas, ainda agora o Balotelli acertou na bola demasiado por baixo e falhou, dessas bolas na trave, é que nasce a paixão, isto de as coisas poderem ser assim ou de outra forma qualquer é quee dá a magia à coisa, esse efeito dominó, o golo que se falha e que origina um contra-ataque que resulta em golo, olhe ainda agora aconteceu isso com o Jordi Alba, é isto a bola, não é?

  2. Esse mesmo Silvestre Varela que era juvenil no Sporting e jogou no Fundão com um dedo ligado, lesão da semana anterior em Óbidos. Marcou o golo decisivo… Agora foi o Thiago que se lesionou e fez o resultado com essa lesão. Mais centímetro menos centímetro é assim. Sempre.

  3. O futebol é mais que sorte, hoje em dia está viciado, minado e contaminado pelos média e casa de apostas. assim será o desporto no futuro. Quanto a varela, foi o momento da vida dele!

  4. falácia do efeito de selecção: seleccionaste o golo do Varela, podias ter feito o mesmo a qualquer dos golos da Dinamarca e ficavas sem tema para o post. ;-)

    a Espanha cansadinha acabou de aviar com quatro de avanço a Itália que tinha aviado a melhor Alemanha de sempre nas meias finais. explica-me lá isto e como é que a mediocridade da selecção nacional entra harmoniosamente na tua equação.

  5. Queoroz e Bento com a mesma trave

    A Espanha na África do Sul e Espanha nas terras do frio.

    São traves senhor são traves…espanholas.

    E de espanha nem bom Bento nem bom Queiroz

  6. Oh Val!, Oh Val! Oh Val!

    Tu e essa mania de que nunca chegam homens normais para fazer bem e que, com eles, é tudo uma questão de sorte (quando as coisas correm bem; se correm mal, a “culpa” é deles). É por essas e por outras (“culpas”), que andamos a ser toureados já lá vai mais de um ano.

    Foi, então, o Paulo Bento que nos trouxe a esta situação de quase bancarrota.

    Chamem a troika!

  7. Pipoco Mais Salgado, exactissimamente. A bola é aquela coisa que rebola, carambola e mariola.
    __

    Part Time, e por ter sido o momento da vida dele, e por ele ter reclamado estar no melhor momento da sua carreira, havia ali um potencial de sorte a ser explorado.
    __

    Miguel, a minha equação está exposta nas tuas palavras: a lógica é uma batata.
    __

    Francisco Araújo, larga a vinhaça.

  8. As voltas que a vida dá! Quando PBento chegou ao SCP para treinador da equipa principal,
    a primeira coisa que fez foi “despachar” o Varela (e também o Carlos Martins) por não lhe reconhecer valor para integral o plantel.

  9. OH VAL! OH VAL!!!
    Desta vez vou dizer-lhe, olhos nos olhos: “PORRA PARA TANTA MÁ FÉ”!

    Então a nossa selecção foi o tempo todo uma merda???

    Como pode ser tão “enviezado” nas sua análises sobre o desempenho dos jogadores – com excepção, claro está (!), dos que lhe “cairam no goto” ! Ah, porque na base de todo este seu ÓDIO ESTÁ O “TERRIVEL” – porque mentecapto – PAULO BENTO!

    Val, descontraia…É só futebol…E NÓS FOMOS MUITO BONS A SEGUIR AO JOGO COM A ALEMANHA ! E A ESPANHA TORCEU-SE TODA PARA CHEGAR AO FINAL DOS 90 MINUTOS SEM SOFRER UM GOLO NO CONFRONTO COM A NOSSA SELECÇÃO…!

  10. M.G.P.Mendes, quem parece precisar de descontrair és tu. E não achei, muito menos escrevi, que a nossa selecção fosse o tempo todo uma merda. Aliás, penso que não foi merda em tempo algum, sendo uma das melhores selecções de futebol desde há muitos e muitos anos. Só que não ganha nada, tal como o Bento nada ganhou no Sporting de relevo.

    Dito isto, nada impede que Portugal seja campeão mundial no Brasil, com o mesmo treinador e os mesmos jogadores. Até lá, o futebol existe também para isto: podermos dizer os nossos disparates a respeito de um assunto sem importância alguma.

  11. Ok, Val, esta sua resposta veio dar-me a aspirina necessária para eu me acalmar com o seu texto…

    E agora despeço-me por um mês e meio, porque vou passear para os lados das alegres montanhas suiças!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.