Afinal, os socráticos estão onde menos se espera

“Nunca vi reformas a favor de palmas e de aplausos. As boas reformas são feitas com determinação, com realismo e contra a adversidade”, disse Miguel Relvas.

Fonte

35 thoughts on “Afinal, os socráticos estão onde menos se espera”

  1. E a propósito de Socrates já sei qual vai ser o titulo do Correio da Manhã de amanhã: Morreu Sócrates, depois em letras muito pequenas jogador brasileiro de futebol. É assim que se fazem noticias naquele pasquim.

  2. não sei quem serão esses socráticos, ajuda-me valupi.

    sócrates não foi aquele que se celebrizou por dizer que só sabia nada saber?

    estes das reformas marteladas e impostas parecem antes saber que sabem tudo, uma gente com quem nem vale a pena falar.

  3. Se nunca viu reformas a favor de palmas e de aplausos, é porque nunca foi à Madeira.
    Por falar em Madeira, onde é que está o tal plano de austeridade que iriamos ficar a saber em Setembro passado?

  4. O Valupetas continua a ser o mesmo um inocente (ou cínico) de sempre…
    Enquanto alguns ex-socretinos já se começam a demarcar do ex-grande líder (ainda que timidamente e de uma forma envergonhada) e andam a assinar manifestos onde se lamentam pelo rumo ideológico (neoliberal e de terceira-via)que os ditos partidos social-democratas seguiram nos últimos anos, o Valupetas não cede e permanece fiel e hipnotizado com o discurso vazio de substância das «reformas».
    Agora, o que é surpreendente é o centrista e situacionista Valupetas achar estranho encontrar socretinos no seio dos PSDs. Este estranhamento do Valupetas lembra-nos aquelas crianças que ficam confusas por verem o Pai Natal no centro comercial, confusão essa que só desaparece quando a fantasia e ilusão do Pai Natal deixar de convencer aquelas mesmas crianças. Portanto, quando a aldrabice das «reformas» deixar de convencer os «inocentes», o que primeiro se estranha depois entranha-se facilmente, pá!
    A socretinice dos PSDs não tem nada de estranho, ó Valupetas inocente! É apenas uma expressão daquilo que disse um certo tipo da «esquerda imbecil»: a História repete-se, primeiro como tragédia (Pinto de Sousa e socretinos) e depois como farsa (Passos Coelho e socretinos 2.0).

  5. As criancinhas inocentes, para além de imaginarem e fantasiarem muito, ainda não dominam plenamente a fala e a linguagem (estão no início da fase pré-operatória, como diz o outro). Daí que se limitem a repetir (quais papagaios) o que o papá costuma dizer, ou a balbuciar coisas infantis (como é próprio da idade). Mas vá lá, já se reconhecem no retrato, e por isso já têm consciência do seu eu socretino…

  6. os “ex”-socretinos andam tanto a demarcar-se do ex-lider que até aquela amostra de gente que é o Marques Mendes e a direita pinochetada que nos des-governa, andam preocupados por Seguro não ter mão neles, ou melhor, em nós !

  7. O Partido Socialista está em mau estado político, em mau estado moral, em mau estado mental. Não está bem, não está nada bem. diz:

    era bom ouvirem outras vozes e opiniões sobre a merda que fizeram ao país – assim talvez um dia acordem desse estado de estupidificação socrática em que cristalizaram. mas levem o tempo que for preciso, porque sabemos que a vossa contagiosa doença é grave e profunda.

    A conclusão que retirei foi que aquele grupo de pessoas, e outras, certamente, estão muito preocupadas com o estado actual do PS, que está muito desorganizado, muito desordenado, que saiu de um longuíssimo período de Governo e saiu em más condições. E os socialistas sabem o que o PS fez no governo durante dez anos. Eles não o dizem, mas a maior parte dos socialistas sabe o amontoado de disparates e de erros cometidos e sabe da responsabilidade dos governos socialistas na situação em que nós vivemos”.

    “O Partido Socialista está em mau estado político, em mau estado moral, em mau estado mental. Não está bem, não está nada bem.

    http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/antonio-barreto-o-ps-esta-em-mau-estado-politico-moral-e-mental-1523617

  8. Neste caso, parece-me que o Governo comprou uma guerra inútil. A extinção das freguesias, alegadamente proposta pelos tecnocratas do FMI, não vai diminuir em nada a despesa pública de Portugal. Por uma razão elementar: a generalidade dos autarcas das freguesias trabalha graciosamente pelas suas comunidades e as freguesias não têm dívidas, como sublinhou o líder da ANAFRE. Por isso, não sei onde é que o Governo vai poupar dinheiro com a extinção das freguesias mais pequenas, que são aqueles cujo presidente da Junta nem é remunerado.

  9. “… a generalidade dos autarcas das freguesias trabalha graciosamente pelas suas comunidades e as freguesias não têm dívidas, como sublinhou o líder da ANAFRE.”

    têm… têm e olha que não é pouco, foi o expediente que as câmaras utilizaram nos últimos anos para conterem a despesa.

  10. Caro Luís Paulo

    O melhor mesmo é a malta ficar não se mexer, não levantar ondas, deixar tudo como está, falar pianinho e pronto: ficamos todos consolados, porque deixou de haver guerras e umas vozes a criar sururu mediático.

    Só quem não conhece a realidade e lê bué da muita pouco sobre a matéria é que pode fazer afirmações naifs como a sua.

    É claro que existem freguesias a mais, divisão territorial a mais, fragmentação administrativa a mais, redundância a mais, repetição a mais, “presedentes de junta a mais”, eficácia a menos em muitos destes espaços administrativos, caciquismo a dar c’um pau, servilismo que mete nojo, etc. há! esquecia-me: desperdício de recursos a muitíssimo mais.

    Portanto, eu que sou um cidadão conhecedor destas realidades por dentro, não sendo político partidário eleito, nem membro de nenhuma dessas seitas – digo-lhe que se este governo não comprar esta e outras guerras, para mudar o seu tipo de mentalidade situacionista, obesa, esta merda nunca mais vai mudar. E, sendo assim, não foram eleitos pra nada de útil.

    Fazer as guerras com sensibilidade, inteligência/racionalidade e bom-senso é o que se pede aos governantes.

    Mas fazê-las … pôrra!

    Não temos saída, pôrra.

    Já perdemos demasiado tempo com mentiras, ilusões e vigarices colossais, como as dos últimos governos socialistas, esses trambiqueiros cobardes.

  11. Ó Jorge paulo pôrra perdemos tanto tempo com as mentiras pôrra que é hora das verdades pôrra.
    Atão e o Audi, pôrra, e os contratos de 14 meses para fugir aos cortes dos subsidios pôrra e o plano de austeridade para a Madeira pôrra.
    Não temos saída, pôrra.

  12. Ó Sousa, conheces aquela máxima: não leias apenas os títulos das notícias, lê o resto também. tá? E deixa de ser tão básico, que já não há pachorra. Volta prá escola …

  13. Ó Paulo agora parecias o Costa, mas olha que eu sei o que é o crowding out.
    Deixa-te é de teorias escatológicas e vê mas é para onde vai o dinheiro que te estão a roubar.

  14. Eu sei lá se sabes ou não. Mas isso é contigo. Podes sempre perguntar ao Galambosocras: a esta altura, o Teixeira já lhe deve ter explicado. Mas, não deve ter servido de muito.

    Pela ligeireza da tua prosa e superficialidade das observações, parece-me a mim que, tu, de teorias escatológicas, só entendes alcançar aquela que é modulada pela realidade noticiosa brejeira e populista, e que, pelos vistos, consegue emprenhar-te logo de banalidades na primeira cópula …

  15. Este relvas é uma miséria! Está no mais baixo escalão da inteligência.

    Vejamos o a argumentária do “bicho”, seria qualquer coisa do género: As pessoas nem sabem o que é bom para elas mão nós sabemos! Se não vão a bem vão à força. Acho que já alguém disse coisa parecida em tempos idos lá para os lados do leste, não foi?

    Ou seja, as boas reformas têm que ser feitas contra os interesses das pessoas. Os interesses da pessoas é uma coisa perversa. Eu julga que o governos tinham que governar de acordo com os interesses da sua população, pelos vistos estava enganado.

    O Relvas coitado não vê mais do que isso! que mal terão feito a maiorias do portugueses para merecer políticos deste calibre.

  16. Ó Paulo Jorge.

    Não sejas parvo julgando que nós somos!

    A questão das freguesias é uma mentira que não resolve nada pá!

    Conheces por caso o país? Quer parecer-me que não! Deves ser como o Vítor Gaspar e o Álvaro que acham que os país é aquilo que avistam da janela dos seus gabinetes.

    Pobre gente!

  17. “… que mal terão feito a maiorias do portugueses para merecer políticos deste calibre.”

    eheheh… elegeram o gajo ou já te esqueceste?

  18. Ó Paulo tenho pena que não emprenhes logo à primeira com a realidade noticiosa brejeira e populista. É por isso que o Gaspar já nos fecundou uma série de vezes, deve ser para ver se emprenhas.

  19. Ó Erriq do reino da Ibnarrogância socrática: já estamos fartos de gajos palradores e boqueiros como tu e destas hostes de maometanos órfãos.

    Se os interesses das pessoas são a média aritmética obtida depois de ouvir apenas uma pequenina parte dos interessados: “os presedentes de junta” ????

    Se só alcanças esse nível de superficialidade bacoca, na tua peixeirada adolescente, independentemente do Relvas cheirar a isto ou aquilo, estamos conversados sobre a tua cultura democrática e entendimento dos seus processos … pois, foi com raciocínios desses que a governança foi feita pelos teus amigos XUXAS durante os últimos 15 anos e vemos a merda que deu.

    De facto, só tu e mais os incontáveis iluminados do PS é que conhecem o país: os parvos somos nós!

  20. Ó rapazola, Jorge paulo, aconselho-te a leres qualquer coisa, para além do povo livre, antes de dizeres o quer que seja, a falta de cultura é quase tão grave como a burrisse!

    Ah, os XUXAS como tu lhes chamas, são talvez mais teus amigos do que meus.

    Mas antes de cuspir para o ar não te esqueças de um granjolas que dizia que éramos bons alunos.

    Uau, das duas uma ou és muito burro ou és muito burro. Onde está escrito por mim que me referia à contestação do presidentes da junta?

    Ó rapazola! A sanha levou-te a cortar etapas, foi? Azar o teu! Cultura democrática “Moi”? A tua retórica para além de primária é do tamanho da ervilhinha do Relvas!

  21. Ó Paulo por acaso lembras-te porque é que os XUXAS foram para o governo?
    E já agora…vocês não são parvos, são é burros.

  22. Ó sousa, por acaso lembro-me porque é que os XUXAS foram para o Governo: o mercado hiperinflacionado das promessas eleitorais mentirosas estava em alta nesses tempos e, apesar de nunca ter acreditado um minuto nos artistas de circo, XUXAS e LARANJAS, quem é que não gosta de paraísos logo ali ao lado? Eu não votei neles … e tu?

    Ó Ibnopetas, tu não tens remédio e devias fazer uma cura lá pra Paris, de cultura política claro está, tolerância não peço tanto para ti infante ressabiado, aquela que diz respeito à capacidade de perceberes que merecemos o Relvas porque foi eleito em eleições livres e democráticas (quer gostes ou espumes de raiva boçal) depois de um inferno socrático miserável, que atingiu o escalão mais infra de qualquer inteligência. Estou a referir-me à tua ervilha encefálica, claro está …

  23. Afinal o rapazola ainda é mais burro do que eu imaginada, qual foi a parte que não percebeste que eu me estou a lixar para o sócras?

    Gostas do relvas, ok! Cada um sabe de si! Eu espero continuar com sanidade metal, tal não acontece contigo ó paulinho, pelos vistos a tua está como o teu conhecimento, pelas ruas da amargura!

  24. Ó Paulo, não és XUXA nem LARANJA, não me digas que és daqueles que o ajudaram a ir para lá.
    Ou és daquele movimento 12 de Março no tempo do Sócras, que passou a plataforma 15 de Outubro, para não se confundirem as datas.

  25. (ah!, portanto anda tudo de saúde :), já estava um pouco preocupado, mas como aí é frio podiam andar debaixo do edredon que faz bem; eh pás, que vergonha, fiquei logo abaixo, haja alguém com coragem de dizer que não vai abrir mais nenhuma comissão Camarate, que doença meu zeus, lá vou eu)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.