36 thoughts on “Acordo hortográfico”

  1. Prefiro canteiros sarapintados de encarnado verde e amarelo. É só seleccionar as espécies certas no horto, claro.

  2. Porque havemos de forçar uma coisa que evolui tão naturalmente como a língua? Os ingleses também se deitaram com os americanos e alteraram imediatamente a sua grafia? Não me parece… mas é assim, não protegemos o que é verdadeiramente valioso.

  3. Ola,

    Sou favoravel ao acordo (mas não à discussão, que ja cheira mal) e acho que o titulo deste post esta certo. E’ que nesta historia, ninguém pretende que existe apenas uma, ou que devia apenas existir uma, grafia “recta”.

    Muito pelo contrario, é mesmo como dizes Valupi, trata-se apenas de semear… por forma a que brotem flores mais viçosas do nosso horto.

    Horto que por acaso, mesmo dentro de Portugal continental, vai hoje buscar agua a fontes verdes e amarelas, e provavelmente também aos outros brasis para onde os nossos tristes lentes, cultores do latinorio (mesmo que seja francês ou inglês), têm mandado o nosso povo.

    Concordo portanto com o post.

  4. A causa do verde e amarelo dos campos são as azedas (flores amarelas dos trevos) o que dá uma perspectiva interessante ao teu post…

  5. (estou a tentar escrever um post sobre o dia da mulher mas não é para a tasca. depois digo-te para onde. ando cheia de preguiça para escrever e pregam-me partidas que não posso, nem quero, recusar)

  6. Tereza, verdade. Mas dei-me conta, neste domingo pela A8, que há outras plantas também a pintalgarem de amarelo a paisagem, não só as azedas.

  7. Há. Quase todas as novas flores, nesta altura do ano, são amarelas. Claro que como não podia deixar de ser a razão é sexo :)). Ainda há poucos insectos, elas precisam deles para se reproduzirem e os insectos são atreitos ao amarelo. Assim sendo flor que é gaija e sabida veste-se de amarelo no Inverno.

  8. Quer dizer que as flores brancas estão armadas em esquisitas? Ou vão para alguma estufa ainda virgens e ficarão em regime de clausura?

  9. Das duas três, ou as brancas resolvem os problemas sozinhas, ou são as amigas feias já que estão sempre juntinhas às amarelas ou então são assim como umas e outras, sei lá, eu por exemplo, que somos tão doces, tão cheirosas, tão lindas de morrer que qualquer trapinho nos fica bem. Irresistíveis, enfim…

  10. Felizmente, há sempre um abelhudo que não gosta do amarelo, senão as florzinhas brancas ficariam verdes de inveja ou vermelhas de raiva.

    Esta constatação não invalida o teu irresistível argumento, quero esclarecer.

  11. As florzinhas brancas que passam a vermelhas chamam-se papoilas e as que passam a verdes ainda estão para aparecer porque nunca vi uma que fosse. Quanto a abelhudos todos gostam de amarelo, está nos livros, não conseguem é resistir à flor branca.

    E esta constatação também não invalida o teu alvo argumento, quero esclarecer :)

  12. Eu só espero é que as florzinhas, sejam lá de que cor forem, saibam nadar. E mais não digo, não quero estragar o magnífico Inverno a ninguém. :)

  13. guida,

    como te entendo…isto está a precisar de mais uma edição de Radio TV Aspirina para animar os ânimos (que achas, Val?)…
    Flores por aqui, só as da florista. Tudo o resto está cinza :(

  14. Até por aqui, onde estávamos habituados a meter água mas não a que ela nos caísse do céu, este Inverno já cheira a mofo.

  15. As amarelas começam a despontar:
    ….azedas/aleluias…margaridas/malmequeres…camomilas….mimosas….é a alegria das abelhas!!!

    …e a delícia de ver os fofos e amorosos abelhões (quiça abelhudos) a beber néctar…:)

    Verdes são os campos…….já com rubras papoilas a espreitar….(brancas as inebriantes flores das laranjeiras/limoeiros)

    Já viram as 1ªs andorinhas?…eu já… :)

    … alegre antecipação da Primavera…

  16. que inveja, L. eu ainda não vi uma única este ano o que me está a deixar preocupada. as primeiras costumam chegar em Janeiro

  17. (Isto já parece o Snob de outros tempos onde um disco dos ABBA, e riscado, tocava horas seguidas sem que alguém desse conta. ‘atão na se muda a música, senhores?)

  18. isto é por anos, safra e contra-safra, este é safra, além de serem tiros, vai um carregador todo disparado, ainda faltam dois,

    cabrinha-mor et al: hoje fui ver os homens que coisam cabras, o Clooney saiu-me cá um cabro que até fiquei cabrão, místico e tudo!

  19. &, vejo que desceste da árvore :)

    (o que queres dizer que ainda faltam dois…carregadores??)
    Tu não me digas essas coisas com tanta ligeireza, que eu ando aqui numa azáfama a fazer a dança do sol…

  20. (dois tiros, para despachar um carregador; depois abre-se outro, quiça; deixa chover, ao menos não ouvimos falar do ‘flagelo da seca’ durante uns tempos; há duas noites voei que sei lá, mas era águia ou parecido não era dragão, só mexia as pontas dos dedos como as remiges e dava um resultadão; vim cá entre dois mon chéri’s, agora me voy …)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.