6 thoughts on “A vulnerabilidade é que é forte”

  1. isto tem tudo a ver com vulnerabilidade:

    podia bem ser o título de um livro – mas é apenas uma saga. Escrever é Triste é um dos meus blogues de eleição. diariamente leio e comento quase tudo o que por lá se escreve e hoje não foi excepção. depois de ler e comentar este texto, Genitálias Mirradas, da Maria do Céu Brojo, fui-me a outro da Eugénia de Vasconcellos, E se todo o sexo virtual for real?, no qual critiquei a autora com o seguinte comentário: ó Eugénia, estás a desconversar o post da Maria do Céu que não fala de romance. já se sabe que até um post-it pode acrescentar valor a uma relação. o post da Maria do Céu fala de substituição e não de acrescento. e depois, em excurso e seguido de uma valente gargalhada, disse isto: quando te convidarem para te fazerem sexo oral pela internet não te esqueças de ter ao lado o cão.

    ora o meu comentário não só foi censurado como comentado da seguinte forma:
    Olinda,
    os comen­tá­rios não são mode­ra­dos. Este é um espaço lúdico. Mesmo Triste gos­ta­mos dele feliz. Par­ti­mos do prin­cí­pio que os nos­sos lei­to­res não fula­ni­zam ou agridem.
    Apa­guei o seu comen­tá­rio por­que ele não res­peita o espí­rito que aqui man­te­mos. Mais: a minha vida sexual não lhe diz res­peito, e é pri­vada, com a sua vida fará como enten­der, mas não aqui.
    de imediato acedi novamente à caixa de comentários para solicitar uma breve explicação sobre a causa de tamanha difamação a meu respeito: a Eugénia de Vasconcellos não mo permitiu, ou seja, manteve a sua hipócrita resposta à sua censura dando a ideia de que eu a teria agredido e fulanizado e desrespeitado igualmente o blogue.
    tenho a dizer que triste e ridícula e, com toda a certeza, porque habituada a ser elogiada sem sinceridade, é a autora Eugénia porque identificou-se tão plenamente com o meu comentário que se sentiu tentada a castrá-lo e a castrar-me de outros para reposição da verdade. a minha questão é a seguinte: estará a Eugénia de Vasconcellos a acusar-me de acusá-la de zoofilia depois de, supostamente, sem conhecê-la de parte alguma, lhe entrar pela privacidade adentro e ter descoberto que goza e dá guinchos de prazer frente ao monitor do computador?
    bom, esta atitude frustrada e desesperada pode bem ter sido causada por vergonha. mas isso é e será problema da Eugénia de Vasconcellos. a mim só interessa repor a verdade, sequer das intenções, dos factos: a Eugénia de Vasconcellos difamou-me. lailailai.

  2. oh bimba! se tivesses vergonha das figuras que fazes nesse e neste blogue, távas mazé caladinha. foste corrida e ainda não percebeste porquê, a ignorância tem destes atrevimentos que razões humanitárias toleram. era bom que meditasses nisso e se quiseres fazer queixa da violloncellos, pede o livro de reclamações lá no sítio ou vai mesmo para o caralho, mas dispensa-nos os teus amargos de bocas e broches malfeitos. caso não tenhas percebido: É MUITA FALTA DE CHÁ VIRES PARA AQUI FAZER QUEIXA DUMA MENINA QUE DOBRA CONSOANTES NUM BLOGUE DE PRETENCIOSOS QUE SE FARTARAM DAS TUAS PRETENSÕES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.