A vitória das vitórias nestas primárias

As primárias nasceram tortas e por péssimas razões, permitindo a campanha negra de Seguro. No balanço final, o seu maior mérito não diz respeito aos números da participação, os quais não comparam com nada e que tenderão a ter a mesma dinâmica avulsa dos referendos. Ao se repetir o modelo, eventualmente, e sem a novidade e dramatismo das actuais, poderão ser um completo fracasso representativo. O seu maior mérito está é no chumbo do populismo básico e tosco de Seguro, juntamente com a sua estratégia de emporcalhamento do espaço público e de degradação insanável do partido. Isso recoloca o PS como baluarte da cultura democrática e republicana em Portugal depois da maior ameaça de sempre à sua identidade e função no regime.

Quando se fala do afastamento dos cidadãos face à política, a resposta dos populistas e dos broncos é invariavelmente a de tentarem destruir a política, naquilo que não passa de uma gula ditatorial ou de uma pulsão suicidária. Porém, também invariavelmente, os cidadãos mostram que respondem com o seu voto aos discursos que os tomam como seres inteligentes e decentes. É um fenómeno já com mais de dois mil e quinhentos anos.

8 thoughts on “A vitória das vitórias nestas primárias”

  1. Esperava uma vitória maior. Menos de 75% contra um morto-vivo, que dá tiros nos pés sempre que abre a boca, parece pouco.

  2. Agora, espera-se que aos poucos a decência vá regressando à sociedade portuguesa. Na comunicação social nas relações de trabalho, nos serviços públicos, em todos os sectores em que muitos foram mais papistas que os próprios Pedro & Paulo.
    Ainda é cedo para se saber a verdadeira dimensão política de António Costa, mas a esperança é a palavra chave, a palavra que é de novo possível soletrar.

  3. Pronto, mais uma campanha negra. E mais um impoluto arcanjo que nos salva dos torpes populistas, sem anunciar coisissima nenhuma nem articular uma so ideia politica que seja, não va manchar a auréola.

    Das duas uma, ou estas a precisar de ir ao oftalmologista, ou de ir à igreja.

    Eu, pelo Seguro, experimentava os dois.

  4. Claro que o Jeroipinga diz que foram uma farsa… porque no seu ( dele) partido é impensável ( vai-se logo prá Koreia do Norte , só de pensar).

  5. Belo titulo este “Baluarte da cultura democrática e republicana em Portugal” !!! Foi isso que aconteceu !!! Reforçado o protagonismo do PS na cena politica nacional….!!!!

    Anuncia-se uma vontade determinada de avançar, sem medo de abrir caminhos. Os eleitores estão sensibilizados para aceitar a ousadia dos jovens e a sensatez dos sábios !!!

    Vamos à luta, confiadamente !!!!!!!!!!!!!!!

  6. Pois, a corja que se insurge contra o “populismo básico e tosco” é a mesma que se alimenta dela e por isso tudo o os outros digam e façam para mudar , é “populismo”. Pois, sois todos a mesma merda, comendes da mesma panela. Por isso , é que sois um bando de corruptos, aldrabões e ainda há quem vos dê atenção. Falais bonito para manter sempre o mesmo estado de coisas e depois ainda tem a lata de vir com discursos moralistas.

    Ó pá, o povo está farto da politica e dos politicos por causa de gajos como vós. Pensais que enganais quem? Patéticos.

  7. “Ó pá, o povo está farto da politica e dos politicos por causa de gajos como vós.”

    yeah meu! tens toda a razão, é por isso que o costa foi eleito por 118.454 votos, o massamá afiambrou 17.521, a paulette abafou 892, o casal de esquerda somou a bela quantia de 359, o tio gerómino obrigou 152 a levantarem a mão e o campeonato terminou com um livre directo do tavares 3 – anas 2.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.