A realidade vista da Lapa

Zeinal Bava escolheu Rui Pedro Soares e deu-lhe ordens lícitas e lógicas. Por sua vez, Zeinal Bava obedece a Granadeiro, o qual pôs a sua palavra de honra em cima da Comissão de Ética quanto à probidade de todo o processo relativo ao negócio falhado para a entrada da PT na Media Capital.

Ou seja, o Governo tem um plano para controlar a comunicação social. Se nunca o teve, nem tem, nem quer ter, que o prove. Mas que o prove com provas que o Sol e o Correio da Manhã aceitem, não é cá com explicações no Parlamento e a honra das pessoas.

17 thoughts on “A realidade vista da Lapa”

  1. Tenho uma amiga que passou por uma experiência que considero abuso da Igreja Católica.
    Acontece que quis deixar de ser considerada católica, só porque os pais a baptizaram em criança. Dirigiu-se ao Patriarcado de Lisboa, onde lhe perguntaram para que religião queria mudar. Depois de ter esclarecido que não pretendia converter-se a nenhuma religião, já que é ateia, mas apenas deixar de constar da lista oficial de católicos, recebeu a encorajante resposta de que tal não é possível: só se pode deixar de ser católico se se pedir a transferência para outra religião…

    Mas a minha amiga é persistente e voltou a insistir que como ateia não podia ser católica nem de nenhuma outra religião…

    O clérigo até se compadeceu, pensou na situação e lembrou-se que haveria outra saída, embora bastante burocrática e que podia levar mais anos dos que lhe restavam (à minha amiga) de vida (ela tinha trinta e tal anos). A solução era então cometer um pecado de tal forma grave e prejudicial à santa instituição da igreja católica que justificasse um requerimento de excomunhão ao Papa.

    Mas isso não garantia que o Papa aprovasse…

  2. O que mais gostei de ouvir de Henrique Granadeiro tem a ver com os ditos populares. Esta sabedoria deixada pelos nossos avós e que serve como uma luva.
    “Não perguntes o que não deves. Se não ouves o que não queres”. E não é que os deputados não fizeram ouvidos de mercadores. Engoliram em seco, custou-lhes, mas lá se conformaram.
    Quando há homens com a coluna vertebral firme é difícil contrapor. Exemplo Pedro Duarte. Quando lhe foi dito que Manuel Ferreira Leite prestou um mau serviço ao denunciar o negócio e que Morais Sarmento queria demitir o director do JN, grande Reportagem e 24 horas, ficou sem fôlego. Depois quando o deputado do PS pediu uma interpelação à mesa para pedir a vinda de Morais Sarmento à Comissão de Ética o senhor deputado João Semedo frisou que era só para a exibição.
    Na audição a Moura Guedes quando foram referidos os jornalistas Júlio Magalhães e outros, o deputado Pedro Duarte também pediu uma interpelação à mesa, ninguém referiu que era para exibição. Aqui, todos se calaram incluindo o presidente da comissão. Questão de carácter.
    Sobre o deputado João Oliveira não me vou referir porque dá pena ver um deputado comunista, em quem votei por várias vezes, noutros tempos, ser um subserviente da direita. Mete dó. Se Cunhal ressuscitasse. Voltava a morrer ao ver no que o seu partido se transformou. Tanta luta, tanta prisão, para quê?

  3. É bem verdade, Manuel Pacheco! Como o compreendo! Também eu fiz quase toda a minha vida ao lado de gente desta. Dá uma tristeza e uma revolta difíceis de conter. Que a gentalha direita se comporte como se comporta, enfim! Está na sua natureza. Mas esta gente que nem ao menos sabe ser digna da sua história! Esta gente que desonra a sua história, não terá perdão no julgamento que a História dela fará!

  4. Estamos no país dos diplomados em “parlapiê” e nas conversas da treta. O problema é que somos obrigados, a sustentar estes burros a Pão-de-Ló.

  5. O nosso amigo NIK, mais uma vez, como sempre, mostra-nos no seu blog, na sua argúcia como vai acompanhando e desmascarando objectivamente as contradições da mediocridade em que se tornou actualmente a oposição no seu desejo do mais vil protagonismo.
    Eu lei-o sempre, atentamente e com muito agrado.
    Um abraço.

  6. Ontem na entrevista a Cavaco tivemos judite no seu melhor, do principio ao fim a entrevista teve um só tema, Socrates. Pouco depois no debate promovido pela RTPN J.Adelino Faria (aquele que começa sempre qualquer pergunta por “se porventura” ou “se alguma vez” ou qualquer outro “se…”) face à fraca e obsessiva entrevista da sua companheira, anunciava mais ou menos isto “vamos agora descodificar o que disse cavaco já que como é normal ele não pode dizer o que realmente pensa sobre certos assuntos”, ie, eh pá mintam inventem à vontade especulem que aquilo que o gajo disse não interessa o que interessa é o que ele poderia ter dito, fonix. O que interessa não é já a “realidade” ou a “verdade” (se algum destes jornalistas chocasse com a verdade de frente, fugia) o que interessa são os cenários virtuais onde jornalista é um actor ou melhor um agente provocador. Basta observar toda a linguagem corporal da judite perante o presidente o seu tom amigo,submisso e insinuante a querer com alguma astucia sacar alguma coisa contra o governo e a evitar mexer na ferida aquando do caso das escutas de Belem. Enfim o imenso psd em que se encontra mergulhado o jornalismo português.
    Quanto a Cavaco qualquer headhunter lhe diria que ele não tem qualidades para o lugar, não tem rasgo, é um agressivo-passivo que se dá bem sistemas hierarquicos fechados e rigidos onde a sua autoridade não possa ser questionada.

  7. acho bem, afinal,

    wiki: Na mitologia grega, Europa era filha do rei da Fenícia, Agenor, e irmã de Cadmo. Foi raptada por Zeus que disfarçou-se de touro para que sua ciumenta mulher, Hera, não percebecesse. Ele levou Europa para Creta, o que levou Cadmo a procurá-la e, na jornada, fundar a cidade de Tebas. Em Creta, Europa teve três filhos: Minos, Radamanto e Sarpédon.

  8. a tua amiga é que estava com o problema, ela é que vai ter de dispensar a ajuda da igreja, desvincula-se unilateralmente, dá-me idéia,

    a igreja católica é uma instituição, ainda por cima com uma crise de vocações, logo em crise, as instituições em crise tornam-se azedas, e não abrem mão das fichas,

  9. &, ao ler o teu comment lembrei-me do fausto (bordalo dias):
    “Europa nascida na Ásia profunda
    ó filha do rei fenício Agenor
    que Zeus entranhado no corpo de um touro
    levou-te p’ra Creta cativo de amor
    Europa é de Homero
    de helénicas formas
    do fórum romano e da cruz
    de tantas nações
    ariana e semita
    ventre das descobertas
    da luz
    do diverso sistema do modo diferente
    da era da guerra e agora da paz
    és assim querida Europa”

  10. Exactamente &.

    A opus dei ao assumir a prelatura do Vaticano tem propósitos claros e actua sempre de forma tenebrosa.

    Ainda hei-de ver o famoso eng. Jardim Gonçalves a ser canonizado, em lugar de ser julgados pelos crimes cometidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.