A que horas fala?

A que horas irá Manuel Alegre deixar clara a sua inequívoca oposição a este Governo de extrema-direita que está a espoliar os trabalhadores, fazendo cortes e mais cortes nas ajudas sociais, mas não tocando nos bancos que nos chupam o sangue e os ossos? Ou espera por um telefonema de Louçã a autorizar essa declaração conforme ao sonho da grande esquerda bloqueada?

41 thoughts on “A que horas fala?”

  1. Não se percebe, quando era deputado nunca se atrasava nas críticas ao Governo. Até o Cavaco já veio dizer de sua justiça em relação ao investimento público. Está à espera de quê? Os seus apoiantes devem estar para lá de inquietos, quem sabe começam a dividir-se… Mais ou menos o que estava previsto acontecer ao PS como consequência da sua candidatura. Mas não vai deixar que tal aconteça, já deve ter uma jantarada marcada para malhar a sério no bandido do Sócrates.

  2. A mim o que causa confusão é o Alegre estar à espera do apoio de um primeiro-ministro deste calibre, edie. Não sei o que pensam os seus companheiros de luta. :)

  3. Valupi

    A si, o que o incomoda mais?
    É o facto de Manuel Alegre considerar que este é um “(…) Governo de extrema-direita que está a espoliar os trabalhadores, fazendo cortes e mais cortes nas ajudas sociais, mas não tocando nos bancos que nos chupam o sangue e os ossos” ou o esperar o “telefonema de Louça” ou será que uma premissa implica a outra?

    Entretanto José Sócrates já veio sossegar as consciências socialistas, justificando a redução do subsídio de desemprego por esta ser uma “medida justa”!
    É verdade que foi decidida num momento de crise.
    Não é menos verdade que ela surgiu após um encontro com Passo Coelho.
    Também não é mentira que não há estudo algum que sustente a bondade desta medida.
    Mas foi necessária esta crise para se descobrir a quão injusta era a atribuição do subsídio de desemprego! Por isso esta crise merece ser abençoada, uma vez que permitiu tornar Portugal um país mais justo!
    …e os desempregados – esses malandros que não querem trabalhar! – que procurem trabalho, nem que seja a ganhar 2 euros por hora…
    O governo vai poupar uns milhares/milhões de euros? Vai sim, mas nunca um governo socialista poria em prática medidas puramente economicistas, sem dúvida!
    Espero bem que José Sócrates aplique mais “medidas justas”, tal como o aumento das reformas e a redução de impostos, por exemplo…

    Por falar em Passos Coelho, reparem que já anda de braço dado com José Sócrates.
    Benditas sejam as empresas de rating, que juntaram dois irmãos desavindos que comungam das mesmas ideias, ainda que jurem o contrário.
    O que pensam disso aqueles que aqui escreveram “cobras e lagartos” sobre ele?
    Já esqueceram? É natural…

  4. Mário Pinto, o que me incomoda mais é a hipocrisia, a demagogia e o populismo. Especialmente quando vêm com bandeira da esquerda.

  5. Val:
    Mas as declarações de Alegre ao longo do percurso da sua pré-candidatura são demagógicas e populistas? A sua declaração em Portimão? O discurso de Coimbra ou o de Beja, ou o de Bragança são populistas?
    Mas porquê tantas preocupações com Alegre? Porque recebeu o apoio do Bloco de Esquerda? Não foi o BE que “agendou” os casamentos homo? E não foi o PS atrás do BE? Servindo-se de puro tacticismo parolo entre o antes e o depois das eleições de Setembro? O que foi fazer Vale de Almeida para o PS?
    Que falta de pudor!
    Não compreendo tanta comichão. Porque não falam do candidato Nobre, o amigo de Soares?
    Alegre pode perder! O que acontece é que estais muito mais preocupados com Alegre do que com Cavaco!
    Neste momento, Val, acredite que Sócrates precisa mais de Alegre do que o inverso! Você sabe que Sócrates está cercado e já iniciou a fuga para a frente!

  6. AlfredoGomes, explica lá melhor essa de Sócrates estar cercado e a fugir para a frente. Não sei a que te referes e gostava de entender.

    Quanto a Alegre, não o considero política e moralmente capaz para o cargo de Presidente da República. Os seus discursos são torturas, onde repete clichés datados e se exalta a si próprio. Ele não conhece o povo que o rodeia, só aquele que cristalizou na imaginação onde se sonha rei.

  7. É evidente que está cercado, desde logo pelo próprio PS que está sacrificar-se por uma total falta de acção política por parte da sua direcção. Acho que Sócrates foi portador de um projecto reformista que não foi capaz de levar até ao fim! Cedeu. Exemplos? Maria de Lurdes Rodrigues. Escolheu Alçada. Em breve claudicou e deu o ouro ao bandido! Defendo Sócrates quando é atacado com o Freeport e com a TVI (um cano de esgoto com MMG). A questão das escutas foi e é um coisa miserável. Mas infelizmente ocorreu o caso Figo que, francamente, acho que foi letal para a imagem de Sócrates.
    Fuga para a frente? É evidente. Sócrates já na age, reage! Só não entende isto quem não quer! A crise mundial atenua a responsabilidade de Sócrates. Fez o que a generalidade da Europa fez! Porém, não soube travar a despesa pública! O outsorcing na advocacia é um verdadeiro escândalo. O Governo já não quer nem usa os auditores jurídicos! Pede pareceres a advogados!
    Quanto a Alegre: Val não o considera política e moralmente capaz para o cargo de Presidente da República. É por ter sido “desertor” (que não foi) como dizem nos “online”? Não é integro? Diga, Val, diga! Porque acumula duas reformas que somam cinco mil euros aproxidamente? Porque é um “mau” poeta e pior “escritor”? Porque não tem perfil? Diga-nos, Val, qual é o perfil exigível. O de Cavaco? O de Nobre?
    Torturas, os discursos de Alegre? Porquê? Exalta-se a si próprio? Parece que está a falar de Sócrates, Val! “Ainda está para nascer um 1º ministro…”
    Mas, Val, não tendo o PS um outro candidato que queira dar a cara, porque não apoia Nobre ou Cavaco? Que seja verdeiro na sua declaração ou retirada de apoio!
    Sabe, Val, a indecisão da actual direcção do PS mostra bem que Sócrates está “cercado”. Mas não é por Alegre, não! É porque querendo e não querendo Cavaco, querendo e não querendo Nobre, quer e não quer Alegre!

  8. AlfredoGomes, trazes muito material para discussão, ainda bem. Vamos lá:

    – O facto de o projecto reformista não ter sido levado até ao fim não anula ter existido, e continuar a existir, um projecto reformista. Se Sócrates fosse um usurpador da fazenda pública, e apenas procurasse o poleiro pelo poleiro, não se metia nas alhadas em que se meteu, pois não? Ter afrontado o pior da esquerda e da direita não é para qualquer. Portanto, mérito inquestionável o seu e exemplo que fica para ser seguido.

    – Sócrates não deixou cair Lurdes Rodrigues e foi com ela até ao fim. Depois das eleições de Setembro, onde centenas de milhares de votos e muitos deputados se perderam por causa da reforma na Educação, não havia condições políticas num Governo minoritário, sem alianças possíveis, para continuar a luta contra toda a oposição unida, incluindo parte do PS – como é disso exemplo Alegre e sua ala. Alçada veio para salvar o possível e actuar numa situação extremamente fragilizada, mas a responsabilidade não é de Sócrates, é do eleitorado que foi votar no partido dos professores, o BE.

    – Alegre é incapaz para a função, na minha opinião, porque é alguém que vive fechado em si mesmo, julgando-se possuído por um mandato divino para ser o rei. É isso que ele quer ser, o monarca-poeta. A sua atitude contra o Governo e o PS durante a maioria foi legítima, mas por isso ele não devia estar agora a pedinchar o apoio daqueles que prejudicou. Quando chegou a ameaçar sair do PS e fundar um movimento político que pegasse no milhão de votos recebidos nas Presidenciais e os transformasse em votos para as Legislativas, ficou claro que Alegre não tem a noção da realidade e está possuído por uma soberba delirante.

    – Eu não sou do PS, e estou a marimbar-me para o que o PS faça. Pura e simplesmente, nunca votarei Alegre, pois tal vai contra o meu sentido de responsabilidade. Caso não haja mais candidatos para além destes 3 de que se fala, votarei Nobre. Mas, podendo escolher, preferia votar na Maria de Belém, Garcia Pereira, Freitas do Amaral ou Marinho Pinto. Ou outros, há tanta gente.

    – Temos de esperar para ver o que vai sair do PS, embora todos antecipem que irá apoiar Alegre. Seja como for, o que eu não vejo é desespero em Sócrates, bem pelo contrário.

  9. Val

    Responderei não obstante ter ficado no tinteiro o que disse no 1º comentário: o acordo do BE e PS para o casamaentos homo (o tacticismo que referi entre o antes e depois das eleições de Setembro e o recrutamento de Vale de Almeida, a que acrescentarei Inês de Medeiros).

    “Eu não sou do PS , estou-me nas tintas para o que o PS faça”, esta é mesmo de antologia, Val.

    Declaração de interesses: votei sempre PS e não estou filiado em qualquer partido.

    Alegre jamais pedinchou o apoio do PS. Está escrito e falado. Não pé preciso demonstrar. Gostaria Alegre de ter o apoio do PS? Claro que gostaria. Mas não o pedincha. Indique-me um texto ou dê-me a ouvir uma fala dele neste sentido.

    Nada teria contra Marinho Pinto. Também seria um bom candidato. Mais “arrebatador”, não sei se teria a contenção necessária de que Alegre é capaz. Freitas do Amaral: direi que não, não porque lhe falte capacidade para o cargo. Mas Val foi precisamento chamar à liça o nome de um “inconstante” político, pano para toda a obra: PR seja por quem for, não.

    O Val vota Nobre e vota bem. Já que falou em alas, Val cumpre a vontade de Soares e talvez a de Sócrates. Vota no verdadeiro populismo reaccionário. Ainda por cima é monárquico. Para presidir a uma República, também está bem…

    Segundo li, Soares não foi ao jantar de hoje, com Nobre, evidentemente. Terá ido a Senhora sua Filha Isabel.

    Mas sabe, Val, Portugal deve muito a Soares. Votei nele nas duas primeiras eleições a que se candidatou para a PR. Mas o seu ódio de estimação, impede-o de discernir. Aliás, de há muito que se lhe notam sinais claros de senilidade. Deixo-lhe este link e depois dê-me a sua opinião, sff.

    .

  10. Não sei se fiz bem os cortes, mas tens bom remédio: enviar de novo como achares que fica bem. Também falas num link que não foi incluído.

  11. Cavaco é um pulha. Apoiado pelas forças senhoriais que fazem deste país uma bela estrumeira, desperdiçou fundos para alimentar uma clientela criando uma geração de politica que se vê todos os dias na televisão (outro golpe) a glorificar métodos económicos e sociais que eu conheci (porque vivi) nos tempos da outra senhora. Depois é um cobarde como se viu no ultimo “ataque” contra as obras publicas um pouco respaldado nos tenues indicios de uma sondagem. Comparar este pulha com Alegre só por brincadeira. Alegre errou , portou-se mal, pode ser mau poeta ou esteticamente o que se quiser agora não tem da dimensão de filha da putice do Cavaco. Mas reconheço que é uma boa desculpa para aqueles que querem que Cavaco ganhe. Numa encruzilhada escolhem-se caminhos, não existe a nowhere land, ou se existir é em lado nenhum.

  12. AlfredoGomes, continuando:

    – O casamento entre pessoas do mesmo sexo foi recusado pelo PS antes das eleições de Setembro sob o argumento de que tal não estava incluído no Programa eleitoral em 2005. Pode ver-se nesta decisão o que se quiser, desde cinismo a responsabilidade. Contudo, se optarmos pelo cinismo, teremos um problema: é que teria sido vantajoso para o PS, que ia perdendo votos para o Bloco e PCP durante o último ano da maioria, ter acolhido essa bandeira, mas não o fez. Isso deu ainda mais força ao Bloco, que capitalizou no adiamento da aprovação. Quando ao Miguel de Almeida, o convite para deputado ultrapassa a bandeira gay; mas, lá está, cada um vê o que quiser ou conseguir.

    – Eu não sou do PS, não votei no PS para as Legislativas (mas votei nas Europeias e nas Autárquicas) e não votarei caso não concorde com o programa. Se esta posição te causa dificuldades, problema teu.

    – Alegre não tem feito outra coisa senão pedinchar o apoio do PS, como é óbvio e inevitável. Sem o PS, a candidatura vai ser um fiasco ainda maior do que aquele que se está a desenhar. As suas declarações de suposta independência, à mistura com os zigue-zags onde tenta agradar a gregos e troianos da esquerda, são ridículas. E os seus apoiantes no PS, como o Vera Jardim, António Seguro, Paulo Pedroso, Ana Gomes e Carlos César, por exemplo, são muito audíveis nessa pressão a Sócrates para avançar com o apoio.

    – Não entendo esse acusação de reaccionarismo populista a Nobre. Referes-te a quê? Quanto a ser monárquico, não sei em que é que isso colide com a democracia.

    – Quanto ao vídeo com Soares, a explicação pode ser variada, desde perturbações pessoais a medicamentação. Seja como, na sua idade as perturbações cognitivas são frequentes, não há espanto algum. Aliás, pessoas mais novas, e bem mais novas, também as podem ter.
    __

    K, a lógica da chantagem, de fundo pragmático, onde os que não forem votar Alegre querem a vitória de Cavaco, só me reforça o desejo de que Alegre perca. Porque essa lógica é exactamente oposta à que valoriza a democracia, pervertendo a sua racionalidade. Esse é também o argumento monárquico, onde ter um príncipe incompetente ainda assim seria melhor do que entregar o poder à populaça.

    Para mim, é simples: sou responsável pelo meu voto, seria irresponsável se votasse Alegre quando o considero incapaz para a função.

  13. Chantagem? nenhuma, estas-me a ler ao contrario, é só a minha opinião, e que tem um fundo de verdade, basta ver a tua reacção.O facto de seres responsavel pelo teu voto e eu pelo meu é a pré-condição de qualquer comentário meu ou resposta da tua parte, a discussão entre homens livres está para alem desse facto que não deve sequer ser mencionado.O argumento não te merece. O que é estranho, se queres que te diga, é ver comparado Alegre e Cavaco, que apesar de, serem contendores tiveram responsabilidades totalmente diferentes no dominio da coisa publica e no percurso politico. Que não gostes de Alegre acho normal, já disse e repito que tambem não morro de amores ela personagem agora é branqueador para Cavaco essa comparação nos termos em que é feita. São planos totalmente diferentes.Mas o estereotipo funciona.

  14. K, não sei a que comparação te referes, posto que não a fiz nem faria nesses termos que referiste, mas sei que o teu argumento é tecnicamente chantagista. Também não me oponho a que haja argumentos chantagistas, apenas o fiz notar.

  15. K, agradeço o teu cuidado com os argumentos que não me merecem, mas não sei do que estás a falar. Vou dar uma ajuda:

    “Mas reconheço que é uma boa desculpa para aqueles que querem que Cavaco ganhe. Numa encruzilhada escolhem-se caminhos, não existe a nowhere land, ou se existir é em lado nenhum.”

    Foi esta passagem que identifiquei como chantagista, posto que bipolariza o voto: ou Alegre ou Cavaco. Ora, não é por eu não votar Alegre que me transformo em apoiante de Cavaco. Qual é a parte que não me merece?

  16. Essa passagem não te era dirigida, a ti pessoalmente (sei bem, porque comento com memoria, que não és do PS), mas sim a tantos dentro do Ps e fora dele como simpatizantes e mais proximos emocionalmente. A unica parte desse comentario que te foi dirigida é a nowhere land, porque acho que te situas (e bem, repare-se, nada contra) numa zona ética da politica que não encontra uma definição politica definida (chamemos-lhe cidadania exigente por exemplo) e que face à bipolarização existente eu acho que deve votar útil, à esquerda claro.Qual o problema? Então qualquer discurso politico é chantagista, porque é basicamente “Ou eles ou nós” e vive da hiperbolização das diferenças, obviamente.Depois não tenho influencia nenhuma para que qualquer ideia ou opinião por mim expressa tenha a pressão inerente a uma chantagem, mesmo tecnica.

  17. Certo, mas o facto de não teres tido 1 milhão de votos nas Presidenciais, nem te sonhares o novo Camões, não impede que um mija na escada como eu considere o teu argumento chantagista. Para contextualizar melhor, dizer que qualquer lógica de voto útil é chantagista em si mesma; isto é, moralmente chantagista.

    Seja como for, fazes muito bem em seguir a tua consciência, é exactamente o que eu conto fazer também.

  18. Eu não tive nem tenho nadanem votos nem milhões de coisa nenhuma,mais uma vez não estou aqui para cumprir qualquer esteorotipo Alegrista. E claro que qualquer logica de apelo ao voto util é moralmente chantagista nem há como fugir a isso dento da actual (só actual?acho que é velho como a humanidade )cultura politica.
    E repara o candidato em quem pensas votar vai usar o argumento “chantagista” milhões de vezes, independentemente do seu valor ético, porque é proprio do discurso e opinião politica.Então o que farás?

    A ultima frase é desnecessaria.

  19. A última frase é desnecessária?!… Qual frase, minha ou tua? Se for uma que tenha escrito, foi-me necessária.

    Dizeres que toda o apelo ao voto é chantagista não faz qualquer sentido. Só é chantagista aquilo que penaliza a liberdade, como nessa lógica do voto útil. Agora, cá está, aceitar uma chantagem pode ser a melhor opção para alguém, essa já é outra conversa. Acrescento outro exemplo, o do referendo ao aborto. Votei Não, mas não defendia a prisão, ou castigo, das mulheres que abortavam. Pura e simplesmente, a pergunta em referendo só me podia levar à sua recusa face ao meu entendimento da questão. Se tivesse cedido a uma lógica chantagista, onde o Sim fosse a única forma de evitar o castigo acrescido para as mulheres que abortavam, então teria cedido a uma chantagem, na qual teria abdicado da minha posição de princípio.

  20. Chantagista no sentido de votar não naquilo que se quer mas p/somente evitar aquilo que não se quer. Como o PCP votou em Soares p/exemplo. Isto no sentido de quem vota. Se se aceita ou se recusa uma chantagem é porque ela existe. A liberdade é sempre dizer não, como acho que tu fizeste, mas isso tambem tem a ver com a perspectiva que temos de cada questão e o peso que damos a cada um dos argumentos. Não te será muito dificil imaginar que alguem que como tu tenha tido o mesmo posicionamento em termos genericos sobre o aborto e que a questão da prisão das mulheres o tenha feito votar sim .
    Achas que esse alguem cedeu à chantagem? ou achas que numa escalas de valores essa pessoa valoriza de forma diferente o valor relativo de cada um deles?

    Agora e para variar foi a tua primeira frase que foi desnecessaria. Para a proxima inclui uma a meio:))

  21. Tens de enviar o currículo para a brigada anti-frases desnecessárias e argumentos que desmerecem. Acho que o Abrupto está a recrutar.

    Quanto à questão da chantagem, ela é tomada nesta conversa como uma metáfora. Por aí, a tua preferência pela relativização esgota o assunto, pois dilui a semântica na subjectividade – ou seja, é impossível saber se alguém cedeu a uma chantagem eleitoral, a menos que o próprio o assuma (e isso não seria feito, por vergonha moral).

  22. Respondendo, Val (15:11)

    Nada tenho contra os casamentos homo. Não me aquecem nem me arrefecem. O teu argumento, que é também o do PS (não estavam previstos no programa da anterior legislatura) é demasiado formal para ser credível. Não qualifico a atitude do PS como relevando de “cinismo” ou de “responsabilidade”. A questão sempre foi posta em cima da mesa pelo BE; a bandeira é deste mas o PS colou-se-lhe. E, acrescentaria, de forma ínvia, ao não contemplar a adopção por casais homo, sabendo que isso, mais cedo que tarde, aprovados os casamentos, o TC consideraria a omissão como inconstitucional.

    Não ponho em causa a qualidade intelectual de Vale de Almeida muito menos a sua “bandeira gay”. O que quís dizer é que a raiz política do Miguel está no BE, o que não impediu o seu recrutamento para as listas do PS.

    A grande preocupação dos anti-alegristas, como é o teu caso, é acantonar Alegre no Bloco. Mas, pergunto-te: não te sentes incomodado por apoiares para as presidenciais um antigo (não muito antigo,menos de um ano) mandatário nacional do Bloco de Esquerda? Isso não te faz impressão?

    Não tenho qualquer problema em que não tenhas votado no PS para as legislativas do ano passado. Nenhum! O que será difícil é fazeres alguém acreditar nisso…

    Quanto ao reaccionarismo populista de Nobre é por demais evidente! Não indo mais longe, recordo a sua intervenção no forum da TSF, salvo erro na 4ª feira da última semana: segundo ele, “no ano passado houve três eleições sucessivas!Podia ter sido tudo feito numa só”. Que me dizes? Se quiseres o link é só dizeres. Reconheces que o Senhor é monárquico e é claro que há monarquias constitucionais. Que me dizes da ideia de um referendo sobre a natureza do regime?

    Quanto a Mário Soares, de quem se diz para aí que é o principal fabricante da candidatura de Nobre (é curioso que ele também é Nobre), não sei se o que ouviste é resultado de perturbações pessoais, de medicamentação ou de perturbações cognitivas – frequentes na sua idade – como tu próprio referes. Seja como for, a verdade é que foi o candidato que o PS apoiou nas últimas presidenciais. Não quero ser mauzinho mas não te incomodou votar num candidato assim? Não me digas que não votaste em Soares!

  23. AlfredoGomes, não só não votei Soares como tenho escrito que essa foi a pior decisão de Sócrates desde que é Secretário-Geral do PS. Para mim, e para muita gente, foi simplesmente um absurdo. E votei Alegre.

    Creio que seria vantajoso referendar o regime, e resolver de vez essa questão da República versus Monarquia. Quanto ao link do Nobre onde ele se apresenta como reaccionário e populista, venha ele que não pagas mais por isso. Só posso discutir algo objectivo, não a tua interpretação do que desconheço.

    Qualquer cidadão, chame-se Nobre, Almeida ou Gomes, é livre, tenha apoiado seja quem for e o que for no passado. Cada um de nós pode mudar de ideias, de voto e de rumo, como não precisas que te expliquem, quero crer. Essa ideia de que há qualquer problema com Nobre por ter estado ligado ao BE é estrambólica ou, ela sim, reaccionária.

    O PS não levou ao eleitorado a adopção por casais do mesmo sexo, e por isso manteve-se fiel à mesma lógica anterior. Mas o casamento entre pessoas do mesmo sexo também era uma bandeira JS e de muitos militantes, senão a maioria. O facto de o BE ter a mesma intenção não lhe dava o exclusivo político. As ideias política não têm dono, têm decisores.

  24. Ora aí está Val. Esta tua ultima frase é de estalo e necessaria desde o inicio :))

    Já agora para que conste votei Soares nas ultimas presidenciais e tambem acho que foi a pior decisão de Socrates no seu ultimo mandato. Condicionou grande parte da vida politica de aí em diante e ajudou ao crescimento oportunista do BE pendurado no ressentimento do Alegre. Falta de visão politica? Não sei ao certo mas bastava-lhe ter mantido a palavra dada.Talvez quando forem publicadas algumas memorias politicas este assunto se esclareça.

  25. Sobre argumentos de chantagem moral (e não só) em campanhas politicas haveria muito a dizer e debater, nomeadamente na do referendo ao aborto…mas fica para outra altura, oportunidades não faltarão neste próximo ano.

  26. Val, votaste Alegre? É espantoso. Não posso criticar ninguém por mudar de voto! Mas andando cá há tanto tempo, como tu próprio já referiste, só agora descobriste que:

    “Alegre é incapaz para a função porque é alguém que vive fechado em si mesmo, julgando-se possuido por um mandato divino para ser o rei”.

    “É isso que ele quer ser, o monarca-poeta”.

    “Não o considero política e moralmente capaz para o cargo de Presidente da República”

    “Os seu discursos são torturas, onde repete clichés datados e se exalta a si próprio”

    “Ele não conhece o povo que o rodeia, só aquele que cristalizou na imaginação onde se sonha rei”

    O que andaste a fazer durante tantos anos, Val? Alegre está na política há 36 anos de democracia e só agora descobriste quem ele é! O retrato que dele traçaste faz naturalmente supor um conhecimento adquirido ao longo da sua já prolongada actividade política. Não será assim?

    Referiste-te também ao que tu consideras ser os Zig-Zag de Alegre, mas não te incomoda a inconstância de Nobre que apoiou Soares nas últimas presidenciais, foi mandatário nacional do BE nas últimas europeias (nas quais tu dizes ter votado PS) e apoiou Durão Barroso nas legislativas de 2002!

    O que te fascinou em Nobre? Como já te disse, diz-se por aí que é apadrinhado por Soares…

    O lema de Nobre é “Acreditar em Portugal”. Mas o que é um pouco difícil é acreditar em Nobre (como candidato á Presidência, está bem de ver).

  27. pois é camaradas, isto não está fácil. Considero que o Cavaco ser reeleito é um desastre nacional, depois de ele ter mostrado quão sonso e traidor podia ser. No entanto acho que qualquer dos outros candidatos está muito longe de galvanizar os apoios necessários. O Alegre deve estar encostado no Lula, mas este era torneiro mecânico.

  28. K., tens toda a razão, a conversa não acaba nessa fascinante actividade dos humanos, e dos deuses do Olimpo, chamada política.
    __

    AlfredoGomes, antes de Alegre ter tido 1 milhão de votos, e ter derrotado Soares e PS, ninguém conhecia o Alegre que hoje existe, um balão de vaidade delirante e obsessiva. Repara: voltaria a votar Alegre em 2006, e creio que ele teria ganho caso fosse o candidato do PS, como deveria ter sido vendo a questão de fora do partido, mas isso não me impede de constatar a sua actual postura e decidir em conformidade, era só o que faltava.

    Eu não sou apoiante do Nobre coisa nenhuma, apenas te disse que votaria nele caso só tivesse as três actuais opções faladas. E acrescentei que preferia outros nomes, podes guardar essa viola.
    ___

    ⅀, sábias palavras.

  29. Val, estás a contradizer-te: então foi Alegre que derrotou Soares e o PS ou foi Sócrates (com a pior decisão que tomou desde que é Secretário-Geral do Partido Socialista, como referiste) ao apoiar Soares? Em qualquer dos casos tu contribuiste para a derrota do PS!

    Não és apoiante de Nobre! Está bem, vais votar nele e defende-lo com “unhas e dentes” no blog, a não ser que vás votar no putativo candidato do PCP.

    Mas deves estar seguro de que, votando em Nobre, se mais ninguém do teu agrado aparecer, podes contribuir para a reeleição de Cavaco! Não me venhas com a teoria da chantagem! Faço-te a pergunta de outro modo: se houver uma 2ª volta entre Cavaco e Alegre, votas em quem?

    Alegre sempre foi igual a si próprio. Não sei desde quanto o conheces…

    “Um balão de vaidade delirante e obsessiva”. A este teu “julgamento” respondo com as tuas próprias palavras, ou melhor, com as de Semedo, na CPI e que reproduziste no blog: “intuições” “impressões” e “sugestões”, a que eu acrescento: meros juizos de valores, palpites, conjecturas, despidas de qualquer factualidade!

    Ps: Não me recordo de ter veisto na campanha de Alegre nas presidenciais de 2006!

  30. Val, quando a conversa não te agradas lanças sempre mão deste teu cliché! Déjavu!
    Da última vez que o vi usares foi no Triunfo dos Silvas (21:03 do dia 2 de Maio).

    Aconselho-te a mudares de cliché. Este já está gasto.

    O candidato em que dizes ter votado em 2006 fala amanhã em Ponta Delgada às19H30 do Continente. E a pessoa que terá estado sob medicação, há cinco anos, ou sob perturbações pessoais e cognitivas – o tal erro clamoroso de José Sócrates- que não conseguiste evitar, apesar do teu peso político, é o convidado do Crespo no Jornal da noite da SIC N.

    Adivinho que o Crespo vai ser teu amigo desta vez! Mas ele é tão, tão, que até pode ser uma surpresa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.