A pseudo-direita não se enxerga

Mal lhe pergunte, mas o Senhor Deputado pensa que está em que Regime?

Isabel Moreira

*

Pedro Duarte, o deputado visado, não terá respondido. Mas Pedro Duarte, o deputado visor, revela pela sua acção e declarações que o Regime por si preferido é aquele onde se fazem escutas ilegais, onde se abrem processos judiciais sem fundamento contra o Primeiro-Ministro num ano triplamente eleitoral, onde as escutas chegam a jornalistas seleccionados violando o segredo de Justiça, onde a devassa da privacidade é arma de combate político e ataque pessoal, onde magistrados entram ressabiados na arena política ao arrepio da Constituição.

Veja-se o episódio com o SMS que Vara enviou em Setembro. O facto de o Sol noticiar agora, e só agora, esse acontecimento liga-se com uma das perguntas que foi feita a Sócrates na CPI. Pergunta-se algo ao Primeiro-Ministro, ataca-se o cidadão. Não há travão nem remorso, Sócrates é um alvo a abater por todos os meios. E eis o supremo desencanto da merenda: pessoas que representam papéis de superioridade moral – como Ana Margarida Craveiro, primeira subscritora da petição TODOS PELA LIBERDADE e porta-voz do grupo dos 30 castiços que almoçaram mais tarde num certo dia de Fevereiro – não percebem, sequer entendem, e muito menos compreendem, a perversão para a nossa liberdade que resulta da utilização da intimidade para calúnias e baixa política. Falência da liberdade seja de quem for, miserável ou poderoso, quando se recorre à captação, e exposição, da privacidade fora do âmbito judicial mais restrito e justificado. Vara até podia ter por hábito só conseguir adormecer depois de enviar mensagens a Sócrates em que descrevia a fantasia de matar o Papa com uma colher de pau, isso continuaria a ser algo que a mais ninguém dizia respeito.

Este tipo de violência atinge toda a comunidade. Vindo de quem reclama que se respeite e cumpra o Estado de direito, o aproveitamento do mal que outros fazem – para obter desforço e amplificar o seu efeito destrutivo – é bem o retrato de uma pseudo-direita que se reduz à ganância.

__

O Miguel apresenta o lado cronológico do episódio. De referir que a edição digital do Expresso publicou a notícia às 12h55.
__
Entretanto, o João acrescentou outros exemplos: já vai nas 12h43 a publicação da 1ª notícia. O que significa que os jornalistas souberam ainda mais cedo.

18 thoughts on “A pseudo-direita não se enxerga”

  1. E a lolita FLeite andou dois anos a gritar que andávamos todos a ser escutados. Seria prenúncio de incontinência ou será que ela era uma baril que só queria avisar o Sócrates? E a CPI ter perguntado ao Primeiro Ministro quando é que ele tinha tido conhecimento do afastamento da MGuedes antes de conhecer as escutas, também é do caraguinho. Se há bruxas? Pelas perguntas, claro que há.

    Nojo maior a juntar é constatar que há muito deputado e jornalistas a granel que não querem perceber que as escutas são só indícios. Mesmo em processo judicial. Apetece dizer, vão trabalhar malandros. Mostrem factos. Decisões do governo e directivas para as executar.

  2. A inquisição não morreu, encontra-se bem viva e recomenda-se. No entanto os inquisidores, bramindo a liberdade de expressão como arma, e sob a forma de comissões de inquérito e jornalistas sádico-dependentes, apenas pretendem, também na praça pública, queimar lentamente Sócrates e não de uma vez só, característica dos sádicos.

  3. Nesse tempo havia um método corrente para descobrir se determinada pessoa era bruxa ou não: Enfiava-se dentro de um saco, amarrava-se, e atirava-se ao rio, se o saco viesse à tona era culpado, e morria, se pelo contrário afundasse, era inocente, mas morria na mesma, como está bom de ver.

    Nada se provou acerca da “heresia” de Sócrates, nem é necessário:
    – A ser julgado nos tribunais, seriam necessárias provas, que não existem, logo não pode aí ser julgado.
    – Na CPI, mesmo antes do seu início, foi considerado culpado, à boa maneira inquisitorial.

  4. Estranho sabor este que devem sentir de vitória, VM. Demonstram que o PM soube por sms 15 minutos antes da comunicação social ter dado a notícia. Entretanto a Telefónica hostiliza a sócia PT, a CEuropeia manda umas bojardas, o PRepública está, agora, calado enquanto a Comunicação Social e o Belmiro se masturbam com a desgraça. Os malandros? São o Granadeiro, o Bava e uma porrada de gente que tenta fazer alguma coisa. Badamecos.

  5. Um SMS ?! Será que levava o telemóvel ? Será que abriu a mensagem ? Se abriu, leu-a ? Mas será que interessa mesmo responder a estas perguntas ?
    – Em nome de quê me querem agora ler as minhas mensagens privadas ?
    Em nome de um crime ? Concordo. Está perfeitamente definido no código penal.
    Em qualquer outro caso ? Não concordo, concordar com isso implicaria o seu uso em situações cujos limites não se encontram perfeitamente definidos, o que equivale a dizer que se poderia usar quando desse jeito, ao atropelo da constituição.

  6. Será que agora não posso mandar um SMS a alguém a dizer “M. quero foder-te” (e depois de receber como resposta “vais demorar muito ?”) aparecer num jornal a noticia: VM quer foder MFL” ? Nunca mais me conseguiria levantar após uma notícia destas.
    Mas a questão é: Cometi um crime ? Se calhar depende do contexto. Mas para estas dúvidas existem os tribunais, mas a prova desse crime NUNCA se poderia basear apenas na intercepção dessa mensagem. O que a CPI e os restantes calhordas querem, é pegar nestes retalhos de escutas, fazer copy-paste, e partir de todas as combinações possíveis “queimar” quem ousou dizer que a terra é redonda.

  7. Eles sabem bem que a maior parte das pessoas têm noção disso. Por isso é que a maior parte daqueles baldes continua a engonhar. Estão à espera que lhes caia o céu no colo. Um espectáculo vergonhoso que começou com o actual PR muito preocupado com negócios privados e nunca mais acaba.

  8. É traquinas, a realidade superou a ficção, agora em apenas 15 min é possível conspirar e usufruir dos respectivos resultados.

  9. Agora, estes malandros todos deviam ser obrigados a apresentar propostas para evitar a perda da Vivo para a Telefónica. Caso contrário, língua fora, eheh : ).
    Para promover a gestual.

  10. VM, puderes mandar, podes. Parece é que estamos sujeitos a ser interceptados porque o nosso vizinho é suspeito. Depois já sabemos, os juízes lidam com muitos papéis e, de repente, podemos estar num qualquer jornal lado a lado com um abusador, ladrão de ourivesaria ou o raio que os parta. Tudo coisas fantásticas para a comunicação social vender publicidade.

  11. Se esta é a pseudo-direita, quem será a verdadeira direita?
    Não me digam que é o PS…
    Sim, que nas actuais circunstâncias o CDS será de extrema-direita.
    Eu já calculava que a transferência de José Sócrates do PSD para o PS só podia resultar nisto:
    Esvaziou o PSD, despromovido a “pseudo-direita”, e tornou o PS num pujante partido de direita.
    O facto de manter o nome de “socialista” não deve fazer admirar ninguém porque, e tendo em conta as devidas distâncias, na Alemanha também houve um “nacional-socialismo” e decerto que já todos nós ouvimos dizer que “o que é nacional é bom”…
    …e se o PM mentiu? E depois? Não será mais interessante procurar as suas verdades?
    Essas sim, é que são raras!

  12. «José Sócrates não comenta o «suposto SMS» de Vara, por este estar relacionado com escutas, de acordo com a mesma fonte. Contudo, adianta que à hora em que a mensagem teria sido enviada, José Sócrates estava incontactável, a bordo do avião Falcon, numa viagem do Porto para Lisboa após ter participado numa cerimónia da Ryanair.»

    A edição digital do Expresso publicou a notícia às 12h55, mas o SOL parece que diz que «as primeiras notícias sobre a suspensão do Jornal Nacional surgiram nesse dia, mas apenas às 13h11» não por estar a mentir (valha-nos deus ou o diabo) ou mal informado… (gosto do pormenor dos 11 minutos) … é só porque não considera a concorrência digna de atenção ou credibilidade…

    Fonte não anónima: http://diario.iol.pt/politica/socrates-jornal-de-sexta-sol-pttvi-sms-tvi24/1166228-4072.html

    Já começa a faltar paciência…

  13. Hoje li uma notícia de um jornal qualquer que Passos Coelho nomeou como assessores os funcionários do partido para não lhes ter de pagar e ser o Estado a ter essas despesas. Se fosse José Sócrates já tinha caído o Carmo e a Trindade. Um deles, Rui Batista, que aos fins-de-semana comentava na RTP, canal 1, e descascava forte e feio no PS e 1º. Ministro. Acontece que não conhecia a sua cor partidária, os comentadores e jornalistas, antes não fazem uma declaração de interesses, e pensava eu que Rui Batista era uma pessoa isenta. Engano meu. Quando a esmola é grande o pobre desconfia mas, longe de mim tal desconfiança. Por isso digo que é raro ver-se pessoas isentas. Todas estão interessadas na sua promoção seja a que preço for. Ontem ao ver e ouvir o Pedro Pinto no jornal da TVI a referir-se à manifestação dos polícias e dizer que ali estavam milhares e milhares de milhares e de seguida passou para o directo da manifestação e a sua colega disse que não passava de um milhar, notei nele uma reacção facial. Julgo que o serviço que prestam, é um serviço nobre, se for desempenhado com isenção, se não for assim tornam-se nuns vendidos e infelizmente é o que mais abunda neste nosso Portugal.

  14. Rui Batista pediu suspensão de funções de redactor da Lusa e passou a ser assessor de imprensa de Passos Coelho. Rudolfo Rebelo, jornalista do DN passou a adjunto para questões económicas. Carlos Sá Carneiro, primo de Francisco Sá Carneiro, assumiu a responsabilidade das deslocações e da imagem do querido líder. Esses e mais Bruno Vitorino e Marta Sousa foram todos nomeados assessores do grupo parlamentar do PSD e passaram a ser remunerados pela Assembleia da República.

    Até parece que é tudo nascido e criado lá. Mas não, nem é necessário remexer muito porque saltam logo ovelhas ranhosas como o Durão ou o PPereira que se amamentaram na esquerda radical.

  15. Ouvi falar em verdade ? Volta Manela estão a chamar por ti . A politiqueira da verdade suprema. A única que capaz de afirmar que o verbo rasgar de ontem significa o mesmo que o verbo colar de hoje. Só ela consegue transmutar um ligeiro abalo de terra na maior crise vivida por Portugal.

  16. O problema desta gentuça do ppd/cds nunca, mas nunca, tiveram colhões para mudar um regime. Jamais. Os seus interesses são o único que os interessa, e na sua pacóvia sabedoria, antes querem um pássaro na mão, que arriscar o que quer que seja. Assim, servem 2, 3 ou 10 senhores, pouco interessa, mas nada de fazer virar o barco. E, enquanto o regime for este, os votos contam mais que a sua peçonha; a velha e o goering de bolso da marmeleira sabem bem o que os Portugueses pensam da aleivosia disfarçada de virtude… assim, que quanto mais esta “inteligência” de cú mal lavado se atiça contra quem seja, mais o povo os mira de lado e muda de passeio para não ter de respirar o mesmo ar que esta fauna latrineira.

  17. VM disse:

    “O que a CPI e os restantes calhordas querem, é pegar nestes retalhos de escutas, fazer copy-paste, e partir de todas as combinações possíveis “queimar” quem ousou dizer que a terra é redonda.”

    Os retalhos foram mandados cirurgicamente para não se apurar a verdade. Quem não deve não teme. Não investiguem apenas os retalhos, investiguem tudo.

    Gostam muito de dar como exemplo o RU, lá o ministro das finanças não esperou por nenhum inquérito, fez merda, demitiu-se, cá, fazem merda e são aplaudidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.