A propósito do sucesso comercial do género “escutas a políticos, esses corruptos”

A PIDE foi criada há 70 anos e os seus métodos, espionagem e tortura, nos casos mais ameaçadores para o regime chegando mesmo ao assassinato, continuam actualíssimos na sociedade e cultura política de um certo Portugal fiel a uma certa tradição.

16 thoughts on “A propósito do sucesso comercial do género “escutas a políticos, esses corruptos””

  1. Certo !
    Mas há uma novidade, a saber: a Censura já não serve de desculpa para a conivência da comunicação social com a cultura pidesca que por aí grassa. E depois há um paradoxo: nunca, como nestes tempos de “liberdade” ,foi tão efectivo o “assassinato” público de cidadãos.

  2. Val, e a SIC acabou de fazer três-3-três peças seguidas sobre as escutas.
    Pareceu-me ser a voz off da sua editora de política, que lê sofregamente de manhã o lixo do CM
    que traduz para burrês o espírito da caneta do ditador nas suas notas oficiosas,

    E por falar em literatura burresa, perseguições, saudosistas e notas oficiosas… eis que surge se calhar o maior espécime do regime democrático.

    José Rodrigues dos Santos: “Houve uma campanha do PS contra mim” – fonte: Económico

    O pivô da RTP garante que polémica com Alexandre Quintanilha partiu do PS. Fala em instrumentalização partidária, de grupos que, criam perfis falsos no Facebook e no Twitter e “criam ondas”.

    http://economico.sapo.pt/noticias/jose-rodrigues-dos-santos-houve-uma-campanha-do-ps-contra-mim_232418.html

  3. andaram a escutar um primeiro ministro em exercício durante 6 anos e descobriram fortes indícios que o tornam suspeito de ter sido o primeiro primeiro ministro a exercer o cargo de primeiro ministro, logo assumpto de primeira página.

  4. Val,
    se o resto das acusações forem do mesmo género da referida pelo MRocha (13:54), é de lamentar que o MP se entretenha a delapidar os parcos recursos que diz dispor com brincadeiras destas.

  5. Com efeito, com a criação da PIDE, ex PVDE e posteriormente DGS o
    regime vigente centralizou a “gestão” da informação e contra , só que
    nesses tempos não haviam pasquins que se diziam de investigação
    “criminal” quem tivesse essa veleidade faria uma boa “dieta”, claro
    existia o “Avante” em papel de arroz e uma ou outra publicação de
    natureza regional que, dava a conhecer alguns inconvenientes para
    a situação!
    O que se passa hoje, nada tem a ver com tradição, no meu entender,
    as Leis não são cumpridas, a Justiça não funciona como devia, permi-
    te-se a existência de sindicatos do Juízes e dos Procuradores e, como
    cereja em cima do bolo, os políticos assobiam para o lado!
    Perdeu-se o sentido de responsabilidade e de desempenho profissio-
    nal, parece não ter uma eficaz supervisão para expulsar os incompe-
    tentes que proliferam nas diversas áreas dos serviços públicos!!!

  6. Wow!

    É só violação de direitos humanos. Haverá cúmplices pelo silêncio!

    para quando a estátua ao IMACULADO Sócrates, com peluches à volta…?

    Ainda «malembro» do dia em que perguntei ao IMACULado, se era verdade que um certa deputada dita socialista viajava em primeira todas as semanas de lisboa para paris…E sendo o caso, se era o erário público que o pagava. Claro, o assunto foi desconsiderado. Qual princípio da administração aberta, qual carapuça!

  7. Pelo rumo que as coisas levam, presumo que muito tudologo ainda vai ter que pedir muitas desculpas a muito jornalista e investigador; isto se forem gente séria , claro!!

  8. Uff, Nunes Liberato deu a certeza à Lusa e ao Expresso que os efeitos das doses de formol a que é sujeito o cadáver presidencial se esvaiam hoje à noite… Sem cheiro, aparente, mas eventualmente com as cores esverdeadas, numa TV perto de si.

    Presidente da República fala ao país depois das 20h

    22.10.2015 17h17 | Lusa e Expresso

    Comunicação de Cavaco Silva surge depois de ter ouvido todos os partidos com assento parlamentar. Tanto Passos Coelho como António Costa já manifestaram publicamente a intenção de serem indigitados primeiro-ministro

    http://expresso.sapo.pt/

  9. «MRocha
    22 DE OUTUBRO DE 2015 ÀS 17:26
    A CRistovão : está a falar do quê ?»

    Claro…assobia para o lado…com «não te percebo».

    Caramba. Que gente! Isto votou, perdeu e QUERIA GOVERNAR! Vocês já viram bem como é que definem?!

  10. Que haja quem faça negócio do instinto pidesco que ainda habita em muitos portugueses é mau. Mas pior é ver como seus colaboracionistas aqueles que julgávamos estarem prontos para defender a dignidade e a higiene da praça pública. A única arma que resta disponível é a segregação desse lixo. Quem escreve num monte de esterco é um monte de esterco.

  11. Lucas Galuxo
    23 DE OUTUBRO DE 2015 ÀS 4:35

    Quem escreve num monte de esterco é um monte de esterco.»

    ehehehhhheee. Hum. Pois assim é. Acabaste de o fazer. LOL.LOL.LOL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.