17 thoughts on “A novíssima Troika”

  1. Pelos vistos as coisas complicam-se.
    O PR tenta afastar-se do buraco monumental em que meteu o País, tentando agora dar a ideia de que está noutro lado da barricada que não a do governo.
    O PS, infelizmente, presta-se a colaborar na chachada governamental na esperança de arranjar espaço de manobra que não quis ou não soube criar.
    O PM vendo-se orfão da Merkel, que pelos vistos vai mudar de ideias pois a água já lhe dá pela cintura, tenta abandonar o pugilismo, farto de levar murros no estômago e dedicar-se ao ensaio do canto da sereia pois sempre teve vocação para as cantiguinhas.
    Entretanto os banqueiros ameaçam com cortes na corte que os rodeia, os ululantes protestantes contra as PPP’s começam a vir a terreiro reclamar a favor das mesmas pois não querem pagar portagens, o Duque vai dizendo que só ensina porque ninguém o quis para trabalhar, os magistrados jubilados fogem aos cortes impostos aos desgraçados graças às diminutas” (cerca de 7 000 € mensais segundo dizem) retribuições que auferem, graças a uma proposta do PCP sufragada por todos os outros partidos da AR, o Álvaro descobriu as virtudes da concertação social, o Gaspar anda a pensar no novo número negativo para o crescimento, a Cristas diverte-se com o novo navio oceanográfico como se fosse ela a responsável pela sua aquisição, o Branco vê-se negro a arranjar mais dinheiro aos militares, o Macedo vai dando dinheiro às chefias da PSP, a Paula leva a sua cruz com a ajuda do cunhado e afins no ministério num rocambolesco processo de nepotismo encapuzado, o Pedro largou a mota e anda de carro cogitando em como dar mais esmolas e benefícios às IPSS’s, o Relvas da propaganda lá vai levando a água ao seu moinho, o ex-banqueiro Macedo anda a contar os médicos a mais no SNS e como sacar mais uns cobres aos que recorrem a ele, o Crato educador distribui pelos privados os dinheiros públicos, enquanto o Paulo das feiras faz jus ao cargo, pois anda sempre por fora, se calhar a visitar as feiras que ainda lhe faltavam visitar e lá vai vendendo Magalhães que tanto criticava.
    E assim vai o país anedótico e destrambelhado, sem rota nem rumo, ao sabor dos ventos do acaso e pilotado por três pategos que foram buscar à estranja, mas que não possuem carta de marinheiro.

  2. E assim vai este país anedótico:
    com uma oposição e um PS agarrado ao seu triste passado de trambiqueirisse e permanente auto comiseração/irresponsabilização, pela governação criminosa que legaram a este país e sem qualquer solução para o lago de patranhas e trafulhices em que nos submergiram.

    Teófilo, tu fazes parte da mesma seita de trambiqueiros mentirosos e mereces o Seguro e o PS CHACHADA.

    Não sentes a merda socrática a entrar-te pelas narinas?

  3. Se Seguro entra em cambalachos para ajudar o Governo nesta fase, destroi-se e consequentemente destroi o PS, aniquilando assim uma salvaguarda de oposição, absolutamente necessária quando for óbvio que estes fulanos estão a afundar o país numa catástrofe. O PR tenta a todo o custo manter-se à tona, uma vez que JÁ PERCEBEU (finalmente), o desastre que se aproxima e no fim, quer ficar de bem com Deus e com o diabo. Quando o povo, em desespero, invadir as ruas, e o Governo claudicar, não haverá igualmente oposição e a consequente alternativa que sirva de “almofada” social, como agora se diz. Então a anarquia reinará e dias muito negros este país irá viver.

  4. Caro José Crispim,
    é uma pena que tão culta personagem como a sua, se entretenha a desfiar a cassette, que antes era do PC, mas que ainda não evoluiu para suportes mais modernos.
    A seita a que pertenço certamente não será a mesma obviamente a que pertence, pois não costuma responder com alarvidades aos comentários de ninguém, para além de não ter por hábito meter-se com quem não utiliza o insulto mentecapto como arma de arremesso.
    O cheiro que emana da sua pequena diatribe, que certamente escorreu da cloaca pútrida em que tenta chocar uma ideia (mesmo que seja pequenina e amorfa) levou-o talvez a esforçar-se em demasia, e como deve estar de cócoras perante os poderes que idolatra, naturalmente, deverá ter dado origem a alguma convulsão intestinal que deve ter saído pelo seu orifício natural, o que o levou a acreditar que o cheiro que o rodeia é omnipresente e afeta os seus semelhantes em espécie, mas que, felizmente, de si diferem em discernimento.
    Respondo-lhe com uma frase célebre de um político muito conhecido, mas teimoso q.b.
    – Olhe que não! Olhe que não!

  5. Teófilo Pinto de Sousa da seita PINOCRÁTICA

    tanta prosa para nenhuma eficácia, redondilhas de merda, eloquência panfletária made in aspirina, tal e qual o processo e método que o teu AMO ideológico utilizava há uns tempos atrás: conversa pra entreter parolos como tu e os demais lambe-socrates que por aqui pululam, como cagalhões órfãos.

    Respondo-lhe com uma frase célebre de um político muito conhecido, mas muito mais marreta e demente, tipo psicose dissociativa esquizofrénica:

    – Porreiro pá! Porreiro pá! Porreiro pá! Porreiro pá! Porreiro pá! Porreiro pá! Porreiro pá!

  6. Sr. José Crispim,
    subjugado pela excelência da resposta presumo estar a lidar com académico de ilustre saber e de capacidade superior, o asneirão que lhe sai célere numa catadupa atrapalhada e desconexa é exemplificativo de educação esmerada e cortês.
    Mil perdões por tê-lo ofendido ao trocar consigo umas simples e analfabetas letras de orfão de pai e mãe conhecidos, que não conseguiu encontrar num semelhante igual qualidade.
    Aliás, como é costume, a brilhante argumentação contraditória é por demais evidenciadora de razões fundamentadas que estão à vista de todos.
    Essa talvez uma das razões de este governo ter chegado onde chegou, pois a massa fedentinosa que o apoia não é capaz de uma ideia peregrina, duma contraposição mais azougada, duma troca de ideias que saia da vulgaridade da sarjeta onde bebe as ideias e os ideais.
    A crispação que os seus escritos transmitem dão a entender trauma grave sofrido talvez numa infância alicerçada em valores supérfluos e de moralidade duvidosa.
    O insulto, por norma, substitui o argumento quando em desespero de causa o belicoso argumentador fica sem ideias, se é que algum dia teve alguma.
    Hoje, deu-me para isto!
    Acho que foi o nome que me entusiasmou, pois ao vê-lo pensei:
    – O triste Crispim veio a mim… não é mau, nem é bom… é apenas assim!

  7. Ver estes cretinos do governo e de Belém, armados em maquiavéis à moda do Minho, a “dialogar” magnanimamente com o PS mete-me simplesmente nojo. Mas mais nojo me mete ver este Seguro, armado em escoteiro da oposição responsável, a alinhar na manobra e a desarmar realmente a oposição.

  8. bem , a falta de vergonha na cara é duma pessoa ficar passada . falta de vergonha ou alzheimer em estado avançadíssimo : o senhor silva apela agora a incentivos para fixar pessoas no interior , assim a modos como ajudas a jovens agricultores e não sei quê mais. nem sei que diga.

  9. ó teófilozinho, deixa-te de masturbadelas pindéricas com ar de eloquência psicanalítica: para isso temos o doutor ValTretas, especialista em preservativos e branqueamento de sodomias socráticas – políticas, económicas e partidárias, se é que me faço entender. Para uma cabecinha formatada como a tua, deve ser um pouco complicado entender, mas tenta …

    Não venhas por isso, mais um, tu também, com essa prosápia de idolatria larilas, ao sr. inginheiro,, porque o vosso zelo penitente nunca conseguirá – por mais que o gritem e repitam até ao estertor – mesmo com as vossas manobras de camuflagem e ocultação,

    dizia eu, que nunca conseguirão a absolvição dos graves pecados cometidos nos últimos anos por uma camarilha de escroques. Sim, aquela que nos governou e aquela que a apoiou e defendeu.

    Quando tu e a restante boiada de socrateiros, for apenas levemente capaz, levemente capaz, de alguma capacidade de auto-crítica e lucidez em nome da verdade dos factos, talvez seja capaz de deixar de sentir um profundo asco e nojo por tudo o que o socratismo significou para veste país.

    Quanto ao resto, deixa-te de lérias e faz uns clisteres de desmistificação, que isso passa-te …

  10. AVISO `A NAVEGAÇÃO.

    Posts como os do “José Crispim” devem ser ignorados. São casos clínicos, que só os técnicos de saúde ligados a estas doenças especificas podem tratar. Aconsenha-se nestas situações que o tratamento seja prestado pelo Serviço Nacional de Saúde devido aos seus custos para o utente. No sector privado os custos seriam muito elevados porque estes tratamentos são caros e prolongados no tempo.

    Sem mais, aconselho à pessoa em causa que inicie o tratamento o mais breve que lhe for possível.

  11. poster: lá estás tu com as mesmas manias de que respiras saúde mental e de que sabes o que é melhor prós outros. Uma doença de sectarismo e penúria intelectual muito disseminada por estas bandas. vidé o Valtretas, por exemplo. Ou a recente isabelinha, já pedir meças de proselitismo bafiento ao chefe.

    confesso. realmente confesso: como isto tem ar e aspecto de vomitório, muitas vezes aproveito para largar aqui as toxinas que os 6 anos de socratinice me provocaram.

    espero que não se importem.

    Tretas: quando escreveres, tenta pelo menos levantar a cama em que estás no hospital, aquele dedicado aos dementes reincidentes. É porque assim dás muitos erros na escrita!

    As melhoras, pá …

  12. Eu acho que alguns “comentários”, que o não são, uma vez que não passam de insultos, absolutamente intoleráveis entre pessoas que, possivelmente nem sequer se conhecem, e que não acrescentam nada de informativo ou formativo, deveriam, pura e simplesmente, NÃO SER PUBLICADOS por quem gere o blog. Fica a sugestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.