À la recherche du PS perdu

O Álvaro Cluster dos Pastéis de Nata, ao lado do Zé Manel Pasteleiro de Belém e da Helena Mato-te Sócrates, pediu ao PS para chegar a acordo com o PSD numas cenas bué importantes, diz ele. Diz ele que Cavaco é que tem razão, que os tempos estão maduros para um pacto. Antes, lá para 2011, 2010 e 2009, nem pensar, cruzes! Mas agora, com tudo e todos postos na ordem, é que sim, é que faz falta o tal consenso para limar as arestas.

Este Álvaro é o mesmo que há uns tempos revelou com toda a franqueza o que pensava do PS: “Tempo perdido foram 6 anos de governação socialista.” Um período de passividade, inutilidade, tonteira? Não, porque se assim fosse não se justificaria querer qualquer tipo de comércio com esse tipo de gente antiprogressista e contra-revolucionária. Da imagem do tempo perdido, se vista à luz do desejo de um amplexo selado em pacto, evola-se um aroma proustiano embriagante. O que o Álvaro nos está a querer mostrar é o caminho para recuperarmos esse passado se o revisitarmos com os olhos do presente. E não será outra a intenção de Cavaco, sabemo-lo, o qual tem sido incansável nos apelos ao PS para que se deixe de fitas e aceite abandonar-se nos braços da paixão redentora.

Creio estarem reunidas as condições para que Seguro alinhe nesta proposta de Sodoma e Gomorra belenense. Afinal, ele até foi um dos primeiros, in illo tempore, a exibir os seus notáveis dotes para o ciúme, estando nós hoje a pagar por esses amores não correspondidos ou traições de alcova e alguidar. Faz lá a vontade à gente séria, Seguro, e come os pastelinhos que esperam por ti já cheios de açúcar e canela antes que arrefeçam.

8 thoughts on “À la recherche du PS perdu”

  1. Caríssimo Val,desculpa-me a perguntinha?O meu amigo,anda a reler a Obra de Eça?É que,sinceramente,a forma como subliminarmente esboça um retrato orientado do Barinho,me parece inspirado no Boneco Queirosiano então chamado de Conselheiro Acácio.Frio ou quente?

    Devaneios à parte,chegamos a um ponto,em que a única conclusão com algum sentido de racionalidade,é a de que os célebres cabeçudos das Romarias Minhotas,são muito mais interessantes do que toda esta bonecada de plástico chinês que arrasta as patas pelos corredores do poder sanguinário que tomou conta disto.

    Parece que algo se está a mexer.Vamos ver.

  2. Seguro ? Mas o Seguro ainda é leader do PS ? Confesso que depois de uma semana com comunicações limitadas, tenho tentado aperceber-me do que se passa e , do Seguro, népia. Pensei que já tinha desaparecido….

  3. .. manifestamente exagerada. Pelo menos anunciada desde a eleição em 2011, resistiu com determinação àquela cena macaca do 1º acólito de JS a empurrar o Costa. 2013 foi desse ponto de vista exemplar. De novo o 1º acólito se lixou e finalmente desde outubro hibernaram. Claro que a hibernação não dura sempre e cá estaremos para assistir. Quanto aos BE e 3D o que lhes aconteceu? Cadê aquela candidatura muito de esquerda, unitária, tão unida que não vemos nada.

  4. Ai que bom que era se Seguro comesse os pastelinhos, talvez os socialistas-sócios marcassem uma AG, ou lá o que é, para correr com ele do clube, ou lá o que é.

  5. Seguro não gosta de pastelinhos, nem com açúcar e canela. Entretenham-se a fazer prognósticos, mais facilmente outros do passado que tanto admiram comiam os pastelinhos. Até aqui, confessem estão cheios de fome..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.