A higienização do PS

A entrevista dada por Seguro ao Público caiu rapidamente no esquecimento por causa da hecatombe da família Espírito Santo e desaparecimento súbito dos seus bens materiais. Porém, todavia, contudo, o que Seguro ali despeja é de uma enormidade equiparável ao poder destruidor do caso BES no que concerne ao futuro do PS.

Comecemos por um rasgado elogio ao actual Secretário-geral. Disse que não quer Costa num seu eventual Governo. Esta declaração compara com a de Costa que disse ver com bons olhos a hipótese de Seguro pertencer à sua lista de deputados. Costa, filho, aqui foste ao tapete. E é bem feita, pois todo o cinismo deve ser castigado e a hipocrisia, ou a sobranceria, merece tolerância zero.

O elogio seguinte é para São José Almeida e Nuno Sá Lourenço. Tendo em conta que dias antes, na entrevista à Visão, Seguro tinha falado da existência de um “partido invisível” que actuava só para fazer negócios corruptos e que apoiava Costa, estes jornalistas tentaram até ao limite das suas possibilidades levar Seguro a passar do plano da insinuação, da difamação e da calúnia para o da explicitação e responsabilidade. Sem qualquer sucesso.

Eis como Seguro, o messias da transparência, justifica lançar no espaço público acusações que não pretende provar:

"A política não é uma sala de audiências de um tribunal. Quando digo isso, é porque considero que há uma mistura entre política e interesses. E não sou obrigado a ser mais claro do que isto. Há milhares de portugueses que me escrevem e que me felicitam pela coragem que tenho tido por insistir nessa separação."


"Se houve dúvidas em relação às minhas declarações, pelas centenas de mensagens que recebi, isso ficou resolvido. Os leitores do PÚBLICO quando lerem esta entrevista,* vão compreender muito bem o que estou a dizer."

[* A puta da vírgula vai ficar ali para vergonha de quem se lembrou de ali a colocar.]

Seguro, o Octávio Machado da “nova forma de fazer política”, anuncia que não responde perante a cidade nem perante a imprensa. Não responde perante a moral republicana nem perante a ética da cidadania. Não responde perante a razão nem perante a decência. Só responde à multidão. Ou melhor, nem à multidão responde. Limita-se a deixar-se ser aclamado por esses “milhares de portugueses que lhe escrevem” e que vêem nele a espada implacável da sua pulsão justiceira. Isto tem um nome. E uma longa história de desgraças no seu currículo.

Chegados a este ponto sem retorno, que terão a dizer Francisco Assis e Alberto Martins, por exemplo, de repente denunciados como operacionais destacados do tal “partido invisível” dos negócios ilícitos que Seguro jurou destruir? Será que já assumiram o seu estatuto de arrependidos e nós ainda não fomos avisados?

Outra via para compreendermos a demência deste discurso encontra-se naqueles que vocalizam abertamente o seu apoio à purga em curso. E talvez não haja melhor espécime do que Ana Gomes:

Aqui a vemos a alimentar o gozo debochado de Nuno Melo e Carlos Abreu Amorim. O seu fanatismo é tal, a sua estupidez é tanta, que valida entusiasmada a ideia de que o PS é um partido corrupto e de corruptos. Os dois excelentes moços nem queriam acreditar no que lhes estava a acontecer, Ana Gomes sozinha mostrava-se capaz de enterrar o PS. E nem quando o Amorim esticou a corda toda e falou em “higienização” a senhora teve um lampejo de módico respeito pelo seu partido, pelos seus camaradas ou por si própria, antes confirmou exaltada que o programa de Seguro consistia precisamente nessa higienização e que mais valia começar tarde do que nunca.

Não interessa perder muito mais tempo com o disparate em figura de gente chamado Ana Gomes apoiante de Seguro, mas há que não deixar passar sem análise as consequências da sua postura e declarações. O aspecto fulcral é este de não se estar a definir em que consiste essa alegada mistura entre política e negócios. Seguro não a explica, Ana Gomes idem. Aliás, a feérica segurista chega a perdoar ao seu herói aquela cena de Cascais, com o tal das farmácias, só por acaso grande amigo da mulher de Seguro. Uma vez não são vezes, afiança esta santa de uma ladeira onde manifestamente ninguém se segura em pé. Até porque os outros é que não prestam, como ela sempre disse mas sem conseguir identificar um único nome para um único caso.

O que há de estupendamente alarmante é ver uma profissional da política com a tarimba de Ana Gomes a entregar-se a um culto irracional. Imaginando que este grupo de taralhoucos chega ao poder, como é que eles iriam separar a “política” dos “negócios”? Onde, em que parte do mundo democrático, é que alguma vez se separou a política dos negócios? E como fazê-lo num sistema capitalista? E já agora, estas luminárias consideram que deixámos de viver num Estado de direito, pelo que passaram a acusar sem provas tudo e todos só para conseguir sacar o voto dos otários e dos velhinhos? É tudo absurdo, e é tudo violento. O que esta demagogia rasteira e soez esconde é uma completa incapacidade para governar de acordo com o interesse da comunidade.

O angelismo celebrado por Seguro e Ana Gomes é uma das mais insidiosas formas de populismo que já se manifestaram em Portugal. Vir esta ameaça do seio do PS diz bem do estado de fragilidade institucional a que chegou um regime espoliado pela direita e bloqueado pela esquerda.

15 thoughts on “A higienização do PS”

  1. a peixeira gomes já cá anda à bués para saber separar discussão política interna da externa, quem discute assuntos internos do ps com a concorrência sai sempre a perder. mesmo assim pouparam-lhe os exemplos da assessoria choruda da lolita belem no bes saúde e do recente emprego do proença no aicep comulativamente com os cargos dirigentes no ps. o fanatismo palonço desta histérica desacredita todas as causas que defende e ao fim destes anos todos continua a insistir na receita, dass ké burra.

  2. “milhares de portugueses que me escrevem”
    “centenas de mensagens que recebi”

    Foda-se que o Seguro recebe mais correspondência dos fans do que o Tony Carreira. Agora se percebe porque não faz oposição: está ocupado a ler cartas e mensagens.

  3. Um dia virão à tona os negócios que Seguro tinha com o seu grande amigo, o Dr. Relvas… e mais não digo porque isto não é uma sala de audiências de um tribunal.
    E não sou obrigado a ser mais claro do que isto!

  4. seguro, é como o eucalipto seca tudo à sua volta!por isso temos que cortar o mal pela raiz no dia 26 de setembro.não entendo é a posiçao do perdido alberto martins.ana gomes anda nervosa por que não lhe vem a menstruaçao há 4 anos!

  5. Eu pressagio (maldito agouro) que o PS vai implodir. Seguro e a sua gente apostaram tudo contra um PS que não seja o deles. Por isso fazem coro com Amorim, Melo e o diabo se for preciso. Mesmo perdendo, o que se afigura quase impossivel nas actuais circunstâncias em que conta com o apoio total da direita, Seguro permanecerá como SG do PS e toda a gente se vai rir de um PS com dois “chefes”. E todos vão ver o PS implodir. Digo com sinceridade, depois do qxom

  6. “eu vim rir-me com a putice da vírgula…”
    experimenta vir-te a rir com pontos de exclamação a pilhas, vais ver que não queres outra coisa.

  7. Dizia eu, com sinceridade, que já pouco importa ao país um PS no ponto a que chegou. E veja-se a ironia das ironias: quando se esperava ver o PSD cair com fragor depois daquilo que os seus homens fizeram no BPN e, agora, no BES/GES , quem está prestes a desaparecer é o PS. Tanta incompetência do PS tinha de ser castigada, já que o não foi a esperteza trafulha da direita. O PS merece o Seguro; o de há três anos e o de hoje!

  8. É confrangedor olhar para Seguro…ouvir Seguro …..levar Seguro a sério…..e não pensar naquilo que ele sempre foi !!! Foi sempre um “abcesso” cheio de inveja e despeito , que vem de longe . A “traição” dos militantes que preferiram Sócrates à sua “virginal! pessoa !!!! O comportamento de raivas e ódios vem também dai, consubstanciado nas posições mesquinhas que teve como deputado, com as votações de que todos se lembram !!!

    Quando o “abcesso” rebentou não ficou nada agradável ver o resultado. E agora, ei-lo a brandir a espada da ira, a apresentar-se como a vitima das ambições alheias e sentir-se espoliado do “direito divino” de não ser apeado durante o mandato. Como ele foi ágil e criativo quando blindou os estatutos. Afinal ele sabia que não tinha méritos, nem competência, nem lealdade para se manter como SG sem ser por “golpes de mão” ..!!!!

    Estou, ou talvez estejamos muitos, fartos de ver um trampolineiro a fazer de “calimero” e a levar consigo uma caterva de gente crédula , ou talvez não tão crédula assim, a gritar, num tom boçal, o seu amor ao grande líder !!!!

    É, na verdade, o tal abcesso que, além de não ter bom aspecto, ainda por cima cheira muito mal !!!!

    Espera-se que as primárias sejam um momento de discernimento e assunção de responsabilidades, porque influenciaram ,de certeza, o nosso futuro coletivo !!!!

  9. Neste tempo de vilegiatura é bom ver que nem toda a gente foi a banhos para Manta Rôta, e que alguns continuam a desmascarar a candura do Tozé Seguro, irmão gémeo do Relvas, do Passos, do Cavaco, do Portas, do apinocado Nuno Melo e do afiambrado Carlos Abreu Amorim. Todos gente aciganada, com interesses na politica de albarda, mas que não largam o “pote” nem se arredam dos negócios que promovem à custa do Estado.
    Boa malhação, Valupi. Larga denúncia da imbecilidade e do oportunismo desta gentalha que se alcandorou ao poder.
    Parabéns por este teu trabalho.

  10. Há pouco, ouvi o Seguro elogiar, na presença de dois membros do governo, o trabalho realizado pelo MAI na prevenção dos fogos. Fogos esses que o excesso de chuva acabou por prevenir ou apagar…Seguro diz que foi a actuação empenhada do governo. Vejam como ele se coloca ao lado do governo contra o “chefe da oposição” António Costa…Um dia destes temos uma coligaçâo para a Salvaçâo Nacional. Talvez sem Passos mas, de certeza, com Seguro. E o Costa? Se, entretanto, ganhar as primárias de candidato a PM, arrisca-se a ficar a ver navios por muitos e bons anos. Ainda dizem que a direita é burra…

  11. Maria Abril,

    apesar de teres um nome de esperança, és uma pessimista do camandro. ora esse pessimismo pode ser uma forma de defesa – vivência antecipada do desatre que pode vir ou não, mas em todo o caso, desilusões já não te apanham.

    Porém, contudo, apesar disso (esta foi à Val), deves ver que essa posição à menino guerreiro já falhou noutras ocasiões, que a última sondagem dava 59% de votos no Costa nas primárias, que o dito Costa se demarcou assertivamente da colagem à direita e ao governo do seguro e que o povo actualmente – finalmente – tem outras preocupações para além dos alinhamentos ou não alinhamentos com o Sócrates. Com isto não quero dizer que a vitória do Costa é certa. Mas se ele só contasse com apoiantes como tu, estava já condenado à partida.

  12. Apenas espero que o bom senso dos militantes e simpatisantes deem uma licao de cidadania e educacao a um Sr. que durante tres anos fez de anjinho e agora se transformou em diabo.
    Se ouvesse um minino de vergonha Jose Seguro o que teria de fazer era ter dado aos militantes a possibilidade democratica de se terem pronunciado num congresso para acabar com esta telenovela que s e so empobrece o ps.
    Louvo a atitude de Antonio Costa em nao se deixar envolver na lama que os apoiantes de seguro o querem arrastar.Deve manter esse registo pois o povo portugues está farto de politicos que so nos envergonham.
    Estou certo que no dia 28 será um dia historico e se fará justica e teremos a esperanca de ter à frente do ps alguem com provas dadas para poder ajudar a tirar do poder quem tanto mal tem feito a uma populacao desarmada dos seus direitos.Vamos ser claros Seguro tudo fará para que Passos Coelho se mantenha no poder pois é a unica maneira de sobreviver.
    Gostaria de entender quais as razões de Assis e Alberto Martins, homens inteligentes e com orovas dads de democracia estao ligados a ests gente que nao tem pudor em defamar quem tanto tem dado ao seu pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.