A filha de Relvas já pode voltar a sorrir

Foi o momento mais bonito do congresso. E não só deste. Passos anunciou o regresso de Relvas. Aliás, correcção: Passos lembrou que Relvas nunca se foi embora, mas como estava a lidar com congressistas, uma malta dada à distracção e à amnésia, fez um desenho. E apontou para a sua lista ao Conselho Nacional -“Vêem? Aqui está ele. Mesmo no topo que é para ninguém se fazer de parvo. Pronto. Vamos lá a despachar o resto desta merda.”

Relvas merece a distinção e o estatuto. É preciso ter em conta que apesar de ter mentido sob juramento numa comissão de inquérito no Parlamento e logo em matérias relativas à segurança nacional, ter tentado chantagear um jornal e alguns jornalistas, ser uma das maiores autoridades nacionais em folclore e ter conseguido dar uma lição de moral a toda a família de Sócrates, este probo teve invariavelmente o apoio de Passos, o silêncio de Cavaco, a anuência de Seguro e até a defesa galharda de António Costa. Que dizer? É um dos nossos melhores.

Acabou a travessia frenética do Atlântico, sempre mas sempre à procura do conhecimento permanente, essa pedra filosofal que transforma cargos no Estado em ouro. Ou não acabou, porque ele continua no Brasil. A fazer o quê? A defender a língua portuguesa com toda a sua sapiência e experiência académica. E que melhor referência para essa subida missão existirá do que o próprio Passos, o seu companheiro de tantas aventuras e alguém que tem inovado forte e feio na sintaxe e estilística da língua de Camões? Pelo que tudo está bem quando recomeça bem. E a miúda, coitada, também regressa sorridente e aliviada ao orgulho filial.

19 thoughts on “A filha de Relvas já pode voltar a sorrir”

  1. Haverá sempre o país sonhado e o país real.

    O país sonhado é ganhar mais do que se produz, ter férias a crédito fácil, ter o que se julga merecido.

    O país real é a factura de pagamento onde o merecer depende do ter.

    O país sonhado é a imaginação vendida pelo Clube de Vampiros e lacaios ao seu serviço; neste país sonhado só o Clube de Vampiros enche os bolsos.

    O país real “não deve existir” porque os lacaios e patrões Clube de Vampiros deixam de poder ROUBAR os sonhadores…que aspiram pertencer ao clube dos patrões. Circulo vicioso…

    Esta luta do “querer ser” a qualquer custo e não olhar a realidade levou-nos por seis vezes a depender do estrangeiro. Ainda não se aprendeu que quem ganha 100 não pode gastar 110! Em Junho de 2011 o país tinha dinheiro para 40 dias…!

    Passos Coelho é o país real, é a merda da factura desagradável. Servida pelo a preceito pelo Pinóquio disfarçado de Palhaço, com aquele sorriso snob, montado no seu alazão de Incompetência Arrogante.

    Alvos e actividades do Clube de Vampiros, de que voçês se orgulham fazer parte, que é adorado por chulos, cravas, sonhadores, lacaios e comentadores comissionistas a pataco…

    Há que ter presente que Portugal AINDA gasta 7.000 milhões a mais todos os anos!

    Estar acordado é uma chatice! sobretudo se tivermos de dar de caras com a Cavaca, o Relvas, o Inseguro, a Coelhada ou algum Palhaço disfarçado de Pinóquio sem vergonha.

    Só me apeteçe puxar o autoclismo e lançar aspirina b caustica para empurrar os troços de merda … dás uma ajuda Valerico, uma vez que é a tua especialidade e obsessão religiosa ????

    Merdas … pouco sorridentes.

  2. Como poderia o Relvas não estar no concelho nacional.Vejam só:

    “1. A Tecnoforma, uma empresa de que Pedro Passos Coelho foi consultor e administrador, ficou com a parte de leão, na região Centro, de um programa de formação profissional — financiado por fundos europeus (programa Foral) — destinado a funcionários das autarquias, o qual era tutelado pelo Dr. Relvas, então secretário de Estado da Administração Local do Governo Barroso/Portas. 

    Os números são, de facto, esmagadores: só em 2003, 82% do valor das candidaturas aprovadas a empresas privadas na região Centro, no quadro do deste programa de formação profissional, coube à Tecnoforma. E entre 2002 e 2004, 63% do número de projectos aprovados a privados pelos responsáveis desse programa pertenciam à mesma empresa. 

    A história regista, entre outras, uma ideia de génio da Tecnoforma: a concepção de um programa de formação no valor de 1,2 milhões de euros para funcionários de aeródromos que estavam fechados, que eram pistas perdidas ou que tinham um ou mesmo nenhum funcionário. 

    Miguel Relvas era então o responsável político pelo programa, na qualidade de secretário de Estado da Administração Local de Durão Barroso, Paulo Pereira Coelho era o seu gestor na região Centro, Pedro Passos Coelho era consultor da Tecnoforma, João Luís Gonçalves era sócio e administrador da empresa, António Silva era seu director comercial e vereador da Câmara de Mangualde. Em comum todos tinham o facto de terem sido destacados dirigentes da JSD e, parte deles, deputados do PSD. 

    2. Entretanto, o mesmo Pedro Passos Coelho criou oCentro Português para a Cooperação, uma organização não-governamental (ONG) concebida para obter financiamentos destinados a projectos de cooperação que interessassem à Tecnoforma. Entre os seus membros figuravam Marques Mendes, Ângelo Correia, Vasco Rato, Júlio Castro Caldas e outras destacadas figuras do PSD. 

    3. Hoje, soube-se algo mais sobre o desgraçado programa Foral, então tutelado pelo Dr. Relvas. Quando apenas uma circular teria sido suficiente para que autarquias locais ávidas de dinheiro pudessem ficar informadas dos objectivos do programa, descobre-se que houve uma campanha de comunicação, no valor de quase 450 mil euros, adjudicada em 2002 a uma empresa de publicidade detida exclusivamente por Agostinho Branquinho (a NTM), antigo deputado do PSD e actual secretário de Estado da Segurança Social. José Pedro Aguiar-Branco, agora ministro da Defesa, tornou-se presidente da assembleia geral pouco depois da adjudicação. 

    A história vem descrita no Público (e reproduzida aqui). Entre outras peripécias do concurso, sabe-se agora que:

    • Entre as cinco concorrentes excluídas por insuficiência financeira se encontrava a subsidiária de um gigante internacional que ocupava o terceiro lugar na lista das 30 maiores empresas de publicidade do mercado português, a McCann Erickson Portugal (52 milhões de euros facturados em 2001) e a Caixa Alta então em 16º lugar no mesmo ranking da Associação Portuguesa de Agências de Publicidade e Comunicação (13,6 milhões nesse ano), com volume de vendas muito superior ao da NTM (3,7 milhões), que nem constava do mencionado ranking;

     

    • Após a selecção prévia das propostas, restaram três concorrentes, sendo que a NTM foi a que apresentou o preço mais alto e era a que, na avaliação do júri, tinha a mais baixa capacidade técnica.

    Segundo o Público apurou, este processo foi conduzido pelo então chefe de gabinete, Paulo Nunes Coelho, e por uma adjunta, Susana Viseu, do Dr. Relvas. Enquanto Paulo Nunes Coelho continua a cirandar pelos gabinetes governamentais, Susana Viseu foi nomeada administradora da Fomentinvest, precisamente a holding onde o terrível Ângelo tinha acolhido Pedro Passos Coelho.

    Já tivemos dois PSD: o do cavaquismo que desaguou na foz do BPN; e o do pós-cavaquismo que apodrece placidamente
    imenso delta. Afinal, o que é o PSD?” 

  3. Irra! Em Penamacor faz um frio do “Caldas”.
    “O país real é a factura de pagamento onde o merecer depende do ter.” Esta tirada filosófica é digna da universidade “Tecnoforma”….

  4. Ó ” …DAS CALDAS”:
    Com menos conversa já podias ter dito que és mais um eleitor do PSD que foi enrabado. Ainda assim, em negação, lanças as farpas do costume ao Sócras como se não tivesses percebido que foste comido por umas campanhas pindéricas mas bem concertadas.
    Bem, também podes ser estúpido como um das Caldas…., por isso, fecha a cloaca e vai mas é trabalhar!
    Ooops!…Se calhar estás desempregado, acabou a mama e não consegues tachinho à semelhança do Shôtor Relvas.
    É natural que estejas fodido,…compreendo-te.

  5. Acabou a travessia frenética do Atlântico? Quem? , o Relvas? ou o Tordo?

    Ai o Brasil e&colónias novamente há 500 anos!!!

  6. O caldas hermafrodita está todo atravessado … não diz coisa com
    coisa! Até parece que não gosta de palhaços, e foi visto pelos cor-
    redores do Coliseu dos Recreios a distribuir abraços e beijos e,
    noutras posições que não vem ao caso! Convém lavar de quando
    em vez a cloaca!!!

  7. Atenção! o sotôr Relvas chegou, viva o sotôr Relvas…
    Um partido (PSD) que eleva o sotôr Relvas a líder do conselho nacional é um partido mesmo sério, é um partido que se bate pela integridade dos seus valores democráticos… Em suma, é um partido sem equivalências.

  8. Afinal o matemático ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, anulou ou não a “licenciatura” do Miguel Relvas — o “doutor da mula ruça”? Ou terá o algébrico ministro Crato perdoado ao “doutor da mula ruça”, o descalibrado Miguel Relvas? É a bandalheira total.

  9. E já que um chico esperto no desemprego, de Penamacor( tão chico esperto mas tão chico esperto que foi enrabado) se arvora em conhecedor de vampiros, vá lá se faz favor lêr o comentário do caro adelinoferreira45 para perceber que , na sua incompetente arrogancia, rotulou de salvador do país um dos maiores vampiros que por aí andam.
    Se se trata de um chico esperto , tenha vergonha na cara. Já se nasceu estúpido , lamento, mas contra isso, olhe…batatas.

  10. Relvas, é o verdadeiro pm de portugal,passos faz o papel de papagaio.nunca vi um governo com tanta falta de competencia e vergonha!

  11. # Gatinho Xuxa Amestrado

    O meu conterrâneo de Penamacor, o ToZéro Inseguro, vosso mestre e líder espiritual e moral, confessou-me, em tom emocionado e veemente, a propósito das negociatas que refere – verdadeiras nojeiras relvianas – que, assim que for indigitado primeiro ministro, vai tratar de pôr ordem essas trafulhices todas e tb pagar todas as contas, gamanços e calotes deixados pelo filósofo de paris.

    Fiquei tão entusiasmado que já decidi que vou votar nesse estadista de génio.

    E tu?

  12. Afinal, depois de três dias de bem produzido show mediático, nem assim Passos conseguiu evitar meter a pata na poça. A lista Passos-Relvas obtém 20% dos votos dos congressistas, quando Passos sozinho limpou todas as outras votações.

    Afinal, o congresso terminou com um fiasco monumental para Passos Coelho. E não foi por culpa da qualidade da produção — de um espectáculo digno do Coliseu — nem da sua cobertura mediática…

  13. A pedido de numerosa meia dúzia de fãs, o nobelizado realizador Peacock Von Massamá anunciou no passado fim-de-semana a sequela do mais engraçado filme dos últimos dois anos, que divertiu a cinefilia lusa com as aventuras do seu “doer” de estimação, o afamado Relvas canastrão.

    Terá como título “O Regresso do Doer”, em americano “The Regressation of the Fazeiter”, em americano erudito “The Fazeiteiro Straiques Agueine”.

    Brevemente num bordel… perdão, num cinema perto de si.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.