A corrupção dos xuxas é bué pelintra: 147,72 euros por mês

Esta capa é um exemplo de puro sensacionalismo cujo objectivo é continuar a difamar políticos, e personalidades, ligados a Sócrates e ao PS do ciclo Sócrates. Na sequência, Santos Silva esclareceu que os seus gastos com o cartão correspondem a uma média de 147,72 euros por mês, para um total de 2.954,39 euros em 20 meses. Ficamos agora à espera que os honestíssimos jornalistas do Correio da Manhã venham anunciar terem recebido informações de uma fonte credível não identificada que garante saber terem sido esses 147,72 euros mensais gastados em putas e vinho verde. Futuras investigações deste Avante dos ranhosos tentarão descobrir ao cêntimo qual o custo das putas e qual o custo do vinho verde de modo a melhor se poder avaliar o desempenho de Santos Silva à frente do Ministério da Defesa. A questão não é despicienda, como qualquer representante da gente séria poderá sem esforço, e com manifesto gosto, explicar.

Entretanto, o Diário de Notícias fez uma notícia com o assunto. Porquê? Para poder escrever o seguinte:

Na nota publicada publicada hoje de manhã, Santos Silva recua na insinuação de que para a atual equipa ministerial da Defesa, liderada por José Pedro Aguiar-Branco, teria tido”útil” a manchete do Correio da Manhã.

Pelo contrário, agradece na pessoa dos “mais altos responsáveis” do ministério da Defesa, a “celeridade” com que lhe “facultaram a informação solicitada”, “compreendendo a sua relevância para a defesa” da sua “honra pessoal” e, na sua “modesta opinião”, “também para a defesa da dignidade institucional das funções” que teve “o privilégio de exercer”.

Donde, dupla vitória para Aguiar-Branco e Governo: da difamação já ninguém livra Santos Silva junto dos broncos e os actuais governantes ainda passam por bons da fita. É destes inestimáveis serviços que vive, e para que vive, o pasquim do laranjal.

10 thoughts on “A corrupção dos xuxas é bué pelintra: 147,72 euros por mês”

  1. Estes MANHOSOS mereciam era levar umas pingas nas trombas. Desde a trampa da morada da canalha que o camartelo já devia ter cumprido a lei desde o “recheio piolhoso” que empesta, tudo aquilo fede. Nunca comprei nem nunca vou comprar uma coisa que nem para embrulhar castanhas serve.
    A RTP-N que o “arrelvado rasteiro” tanto gaba é uma espécie de sucursal televisina “daquilo”.
    Há lá uma feduncia armada em vedeta mal-encrespada de apelido esteves (botas?) que é uma espantação- sobretudo de (falta) inteligência….

  2. alguém me ispilica por carga d´água os governantes citados tinham no bolso um cartão de crédito por conta da entidade patronal? seria pra comprar pensos higiénicos em momento de aflição?

  3. Por favor: alguém com paciência que ispilique à abécula atrás como é que funcionam, por exemplo, os ticket-restaurante.

  4. @anonimo – explica nada. A “carga d’água” que o labrego carece secou. Dava pelo nome de I N T E L I G Ê N C I A. Era pouca e….esacafedeu-se!

  5. Que o CM só com muito boa vontade pode ser chamado de jornal, ninguém discute. Que o título foi cuidadosamente trabalhado para ter impacto, também não (mas temos algum jornal, até os chamados “de referência”, que não o faça?).

    Agora… está correctíssimo. Os cartões de crédito são plafonados, e o plafond daquele era esse. O CM não diz (pelo menos, na capa) que essa gente gastou esse dinheiro.

    Que os portugueses em geral (e, em especial, os que lêem o CM) não tenham cérebro para interpretar um título… bem, também não discuto.

  6. O que é mais triste nesta merda toda é os gajos que são usados na volta nem receberem nada por isso, porque senão seriam corruptos :-D

    Enfim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.