A chatice da espera

Devido a alterações técnicas que escapam à nossa intenção, há uns dias que alguns comentários passaram a ficar retidos para aprovação prévia. Tal acontece de forma aleatória e não traduz qualquer acção da nossa parte. O mesmo utilizador pode conseguir comentar imediatamente e logo depois ver o comentário seguinte a bater na trave. Da nossa parte fica a garantia de que eles poderão demorar alguns minutos ou horas a serem publicados mas não ficarão esquecidos no armazém.

14 thoughts on “A chatice da espera”

  1. eu achei outra falha, agora fiquei a pensar no que são falhas e sim, é uma falha, que diz respeito aos coisinhos onde se colocam o nome, mail e site – não gravam e obrigam a uma iteração. talvez os coisinhos queiram ser mimados, os coisinhos também são sensíveis e carentes de caracteres. assim, a falha deixa de ser falha para passar a ser uma mimalhice. :-)

    vou redizer: eu, além da carga e descarga do armazém, achei uma mimalhice. :-)

  2. já tinha topado e até pensei que era devido aos embutidos do poeta que a função comentadeira entupia, afinal o querido anda a mudar a casa.

  3. Mas não é uma expressão, é a verdade.
    Só quem está bêbado é que vai para a porta dos outros mandar bitaites.
    Porque é que na tua chafarica não deixas comentar, tens medo que apareça por lá alguma Ólinda com um orgão bocal melhor,é?

  4. a esta altura ainda não chegou o que me disseste, mas vai chegar – e se não chegar não faz mal, Carlos. olha, os meus bitaites são tão pertinentes quanto os teus mas tens razão: eu sou bêbeda de vontades. :-) queres comentar a douradinha que melhor do que a minha não há, é? está bem, vou abri-la para ti e analisar a tua oralidade. anda daí, magano. :-D

  5. cara olinda.
    Sei que es mais generosa do que exprimes no texto que abaixo colei e que é teu.
    Eis o galego. Eis o Catalão. Então a península ibérica rachou e a Galiza é a jangada de pedra que anda a vagar pelo mar adiante? E à Catalunha pasousse a outra banda dos Pirineus?.

    “A hestoria mal contada é uma mentira legal”. ( Vega à cita é minha)

    (isso aconteceu, por exemplo, com o latim falado na região onde agora é a frança – que, obviamente, deu origem ao francês – e com o latim falado na península ibérica – que originou o espanhol e o português.)

  6. muito, muitíssimo, mais, reis – tens razão, esqueci o galego e o catalão, razão que reforça ainda mais a minha teoria.

    (eles perdoam-me, que eu sei, por tanto prezarem a lingua deles como eu prezo a minha) :-)

    e ti, perdóame, porque me esquecín? :-)

  7. Ola,

    De facto ja experimentei essas dificuldades. O facto de vires aqui proclamar solenemente que vocês são alheios ao problema é mais uma prova de que, na realidade, se trata de um complô cripto-maçonico-imperialo-sionista dirigido contra mim.

    Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.