A agenda do Presidente Marcelo foi eleita pelos portugueses?

Ontem, saiu este título: Nem Marcelo foi confortar ciganos vítimas do temporal de Faro. Hoje, no mesmo jornal, saiu este: Marcelo visita sábado as famílias ciganas desalojadas em Faro. Em 24 horas, ou talvez duas, uma “fonte de Belém” contou aos órgãos de comunicação que Marcelo já tinha decidido fazer a visita “há alguns dias, mas a agenda impediu a realização da visita mais cedo“.

Existindo imprensa em Portugal, algum jornalista estaria agora a comparar os tempos de resposta e de visita de Marcelo noutros acontecimentos congéneres e a listar em que ocupou e vai ocupar o tempo entretanto. Assim de memória, a imagem é de excepcionalidade para este desastre que atingiu um acampamento de ciganos em Faro. Não só está a demorar uma semana para se deslocar ao local como não houve nenhuma declaração da Presidência da República a respeito de tal intenção antes da posição pública tomada por diversas associações e activistas de etnia cigana saída na terça-feira. A referência à “agenda” tresanda a mentira. Ou será que foi a agenda que também impediu uma qualquer mensagem “das fontes de Belém” em cima da ocorrência?

Marcelo sabe que a malta se está a cagar para os ciganos. Que os ciganos não prestam, só causam problemas. Ciganos, pretos e imigrantes. Passos Coelho, apoiante entusiasmado de André Ventura, e Octávio Ribeiro, campeão de vendas na indústria da calúnia, estão disponíveis para explicar do que é que o povinho gosta se ainda restarem dúvidas. O actual Chefe de Estado não perderá um ponto nos índices de popularidade, não perderá um voto, por estar a precisar de uma manchete negativa para se pôr a caminho até ao distante Reino dos Algarves. Ainda se fosse um acampamento de escuteiros, cheio de crianças loirinhas, frágeis e tão católicas a perder as suas tendas no vendaval, aí valia a pena sacrificar um bocadinho a tal agenda e aproveitar para tirar umas fotos giríssimas. Porque são seres que precisam muito do amparo do “presidente dos afectos” dado não estarem habituados a lidar com o mau tempo e as noitadas ao relento. A ciganada, sim. Aliás, é o que eles preferem, esses selvagens.

4 thoughts on “A agenda do Presidente Marcelo foi eleita pelos portugueses?”

  1. se é o que preferem ,não sei , não faço ideia. devem gostar pois vai para 500 anos que vivem assim . é eles e os tuareges , os berberes e tal. alguém tem pena dos tuareges? não pois não ? nómadas e curtem. olha , e os meus antepassados viviam em cavernas , mas como não gostavam começaram a alinhavar casas..
    agora o que sei é que se eu precisar de ajuda os ciganos estão-se borrifando de alto. hei-de dar a outra face por ?

  2. Mas que conversa sem pés nem cabeça!
    Mas estes ciganos saíram do seu habitat natural? algum destes ciganos estão a passar alguma coisa que não faça parte do seu tradicional modo de vida?
    Mas eles queixaram-se ao aspirina B a pedir socorro ao Costa que este tenha negado?
    Morreu algum cigano para Marcelo ir consolar a família?
    Ai a porra!

  3. Nada tenho contra a comunidade cigana, a não ser um “barrete” que enfiei à largos anos,
    mas também ninguém me mandou ser urso. Posto isto, só uma perguntinha, que é o seguinte: Quando acontecem situações como a descrita acima, a comunicação social diz que as vítimas são ciganos ou comunidades ciganas.
    Quando se trata de roubos, agressões, tráfico, etc. etc., como por magia, a palavra cigano, ou ciganos, desaparece do léxico.
    Alguém que me explique, devagarinho, a ver se eu percebo porquê.
    Quanto ao vosso presidente, se calhar segue os procedimentos do MP, os jornais noticiam, e eles agem em conformidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.