21 thoughts on “40 anos depois”

  1. Estivemos todos a um passo, mas ainda não é desta.
    O PC não vai lá das canetas.
    O PS que aí está também não ajuda muito.
    O país, a tactear, troca os alhos pelos bugalhos, nem sabe do que se trata.
    E a pátria voltou ao bolso dumas dúzias.

  2. um estado de espírito colectivo ininterrupto de alegria nos pensamentos e palavras, no estômago, no bolso, no acesso à educação, conhecimento e saúde. e ao coração dos outros também – porque as privações e os assaltos à dignidade transformam as pessoas em portões grandes e trancados.

  3. um d sebastiao já é de certeza. mas é também um tema excelente para certos valericos darem o mote a glosas espúrias e destituídas de qualquer efeito prático. nao subamos a escadaria do parlamento! bom, bom é isto, esta verborreia de merda no blog do valerico.

  4. enapa,cheira a papel,com tal a tua principal utilidade é limpares o cu ao pessoal.um ano com muitos cus para limpares é o que te desejo.

  5. topa-se à légua é que n fazes ideia do que andas aqui a fazer e quanto a ti nunocm sempre cheiraste mal da boca e é por esse motivo e apenas por esse que és um merdas, o que dá para ter noção do resto acerca da tua pessoa.

  6. obrigado e que 2013 não te deixe saudade. o que estou para aqui a dizer… é clarividente que te vai deixar saudade, oh se vai.
    acham que vão vencê-los intelectualmente, pela razão – há qualquer de fundamentalista, de pensamento mágico e dissociado, nisto.
    estão é a morrer em lume branco e só vão perceber quando começar a cheirar a gás dentro do que achavam ser uma sauna, como os outros. os grandes valores, as grandes éticas democráticas, a força da razão, esses lirismos valem peva. neste momento isto não é democracia, não há nenhum 25 de abril, está tudo metastizado, é profundamente maligno. as guerras declaram-se, para estarmos certos da vitória, muito antes do tempo em que esses valericos desesperados dão um tiro nos cornos quando percebem que o seu eloquente plano fracassou.
    não subam a escadaria, não…

  7. “(…) a agitação social não é a doença, mas apenas um seu sintoma. Está para os problemas sociais como a febre para uma infeção.” – Rui Pereira, hoje no cm
    O que este valerico banana esquece ou tenta que os outros esqueçam usando a neutra palavra “sintoma” é que a febre é, antes de mais, um ataque, um poderoso ataque do sistema imunitário, à doença. não é uma cordata e ética negociação com um inimigo que já deu mais do que provas da canalhice a que vem. o sistema imunitário não se estriba na fé, na esperança nem no otimismo, como fizeram aqueles que confiaram durante anos num homemzinho de merda até este invadir a polónia.
    não subam a escadaria, não…

  8. continuem a achar que logo o primeiro degrau da escadaria é um limite intransponível pelas sacrossantas regras deste sistema e saibam viver, depois e acima de tudo o que já será mau de mais para suportar, principalmente com a culpa e o remorso de nada terem feito em devido tempo.

  9. ena pá 2014 e tu ainda não deste pela queda do muro. pega na gaja e desamparem a loja. se calhar poderiam ser felizes num centro de trabalho, a ohbimby na esfrega de escadas & tachos e tu a cagar tachos e sujar escadas.

  10. ainda me dás conversa? gostas mesmo de apanhar…
    inácio, bigorrilhas, vai limpar a casa, já viste bem a imundice em que vives? falta-te a sopeira n é?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.