37 anos de contra-revolução, diz o PCP

Quatro partidos chumbam voto de saudação do PCP ao 25 de Abril no parlamento dos Açores

"A pátria portuguesa vive um dos mais graves e dolorosos períodos da sua longa história de mais de oito séculos, seguramente, o mais difícil desde o fim dos negros tempos do fascismo. Um período que entra claramente em conflito com o que Abril representou de conquista, transformação, realização e avanço", afirmou o deputado comunista Aníbal Pires.

Para o PCP, há hoje "uma inaceitável intervenção externa que agride a inalienável soberania" nacional, assim como um programa de ajustamento da troika, negociado por PS, PSD e CDS-PP, que é "um verdadeiro guião para uma nova ditadura, empenhada em aumentar a exploração dos trabalhadores e obliterar os seus direitos, ferindo as liberdades" dos portugueses e "empobrecendo o país de forma deliberada e criminosa".

"A crise nacional é determinada fundamentalmente pelas consequências das políticas de direita levadas a cabo ao longo de mais de 37 anos", considerou Aníbal Pires, apontando que a "contra-revolução" começou com o primeiro Governo de Mário Soares e foi depois continuada por todos os executivos que se seguiram.

__

O PCP acha que vivemos num regime de direita desde 1976. Talvez por cansaço ou adaptação, resolveram juntar-se à festa e tudo fizeram, a partir de Setembro de 2009, para que essa direita tivesse o poder absoluto. Quão mais à direita, disseram os deputados do PCP nos idos de Março de 2011, melhor. Tudo bem, o PCP é que tem os livros onde se ensina cientificamente o que é a História e por que ínvios caminhos ela deve ir em ordem a conseguirmos dar cabo do canastro à burguesia. Fica só por explicar o berreiro e o choradinho que o PCP faz sempre que se tenta alterar o que a direita foi alcançando para os trabalhadores e cidadãos portugueses ao longo de 37 anos.

O materialismo dialéctico é só para os carolas, daí ser tão difícil entrar nesse clube de iluminados – e ainda mais difícil sair.

11 thoughts on “37 anos de contra-revolução, diz o PCP”

  1. Os gnósticos made in pcp do materialismo dialéctico, o cientifismo social, que levaria necessária e inevitavelmente a História ao caminho da luz na sociedade ideal do socialimo e do comunismo tal como a transcendental dialéctica platónica pelo caminho do Bem levaria às Ideias e ao divino, não saiem nem podem sair desse clube por que atingiram o estado de iluminados tocados pela graça. A graça do trio de tios deuses Marx, Lenine e Álvaro.
    Mas com o jerónimo vão ainda para além dessa herança. Com o Álvaro ainda sabiam distinguir o relativismo do mal menor e até apoiaram, aflitos e à pressa, Soares a Presidente mas na actualidade jerónima(m-l) nada é relativo, nada é diferente, nada se distingue, nada é mais ou menos, tudo é igual, tudo é o mesmo, tudo é farinha do mesmo saco.
    Ó jerónimos, se se propuserem peneirar a farinha do tal mesmo saco obtereis diferentes farinhas e farelos da tal mesma farinha contida no tal mesmo saco que continha a tal mesma farinha do mesmo saco.

  2. Sou comunista e falo por mim. Acho que o Partido tem cometido muitos erros.Como negá-lo?
    Algum partido que tenha errado tantas ou menos vezes,que dê um passo em frente!
    Quem acredita em infalibilidades nunca soube o que é a Ciência.

  3. As palavras de Anibal Pires demonstram à saciedade o drama que ao longo da História sempre foi o da “esquerda”. A total e completa ausência do mais leve sinal de pragmatismo político manifestado na total impossibilidade de entendimento político com correntes de esquerda, menos cegas.

    O que isso tem representado de sofrimento para aqueles pelos quais diz lutar, está bem patente no drama que hoje se vive em Portugal em que, os verdadeiramente sacrificados são esses mesmos. A “direita” para assaltar o pote não olha para trás: une-se ao diabo se necessário for!

  4. @manuel pereira

    Realmente fui um pouco injusto, pois a Coreia do Norte é governada por norte-coreanos e não pelo PCP.

    No entanto, irrita-me bastante que o PCP tenha saído, recentemente, em defesa da Coreia do Norte; nem necessita disso, pois o vosso programa não contempla nem uma sociedade daquele tipo, nem uma evolução para uma sociedade daquele tipo. Além do mais, o que se passa na península coreana pouca relevância tem para o nosso país.

    No entanto, será que o amigo CÍCERO tem razão, quando alude à falta de flexibilidade táctica da esquerda? É que a situação é muito complicada; pois, neste ano, perspectivam-se acontecimentos de enorme alcance e impacto. Se a Rússia e a China se aliarem para derrubar financeiramente os Estados Unidos, pode acontecer um colapso do dólar. O que acontecerá, então, ao ultra-dependente Portugal (de capitais ocidentais e comércio externo)? Será que o povo português, vítima da desinformação e não treinado no método científico, vai perceber o que se passa? Ou ficará, mais que nunca, susceptível ao populismo de extrema-direita, posto em campo para esconder as culpas das nossas elites? Não seria melhor mostrar alguma flexibilidade táctica, procurando algum tipo de acção comum à esquerda?

    Assim não vamos a lado nenhum.

  5. O PCP, (Álvaro Cunhal), gozou e ainda goza com a maralha toda, desde um Freitas do Amaral a um Soares e Sá Carneiro passando pelo espertalhão do Durão Barroso
    De maneira semelhante como antes fizera Salazar, a quem ainda hoje anda tudo a mordiscar-lhe nas canelas.
    Aquelas brincadeiras das ocupações das herdades, onde se faziam calos nas mãos, até à nacionalização dos Bancos que depois se devolveram com juros, foi um faz-me rir do caraças.
    Salazar e Álvaro Cunhal trataram-nos como aquilo que somos, uns «deixa andar»!

  6. manuel pereira, quem não comete erros? só que os erros que o pcp tenta encobrir, saõ simplesmente dramaticos.a nivel interno,alia-se à direita, e quando vem “tomar a bica ao café da esquina” critica-a,para cumprir o ritual! em loures,vermos lado a lado o coreano bernardino soares a passear com o palhaço dos comicios do psd de apelido costa,dá vontade de vomitar. no ensino está tudo bem,e por isso as manifestaçoes que se levavam a cabo no tempo de socrates, hoje não fazem sentido. para a cgtp era mais grave uma avaliaçao dos professores, do que hoje,termos milhares no desemprego,e os que trabalham a fazerem-no em piores condiçoes ,e com mais indisciplina, por terem mais alunos por turma.mario nogueira deve estar hospedado nas termas de vidago e pedras salgadas,para ganhar forças para um proximo governo ps!. dos derrubes dos governos ps não vale a pena falar,as consequencias falam por si.a nivel externo é vergonhoso o silencio do pcp.face ao desastre do socialismo na coreia do norte(regime macabro) e em cuba, onde só a miseria está a caminho do socialismo!por ultimo afirmo com conviçao : o pcp em portugal, não quer o poder. quer uns “nichos de mercado”,para sustentar a sua tribo,composta por uma grande percentagem de dirigentes e funcionarios a nivel central que vivem tambem à custa dos dinheiros vindos desta europa que detestam mas de quem aceitam de bom grado para formaçoes profissionais, a serio e outras ficticias mas que dão muito jeito para pagamento de salarios e despesas correntes. o poder não o querem repartir, e por isso dizem: “coligaçoes com o ps só com uma aproximaçao efectiva em termos eleitorais”.pergunto este desejo tão longinquo,é ou não uma maneira de rejeitar a partilha do poder por muitos e bons anos? e os trabalhadores pá! vão esperar essses esses anos todos? termino com uma pergunta: o que seria da cgtp com a sua entidade patronal governo partilhado? eu respondo: era o fim. por tudo isto o pcp funciona como uma empresa,e por isso não deseja ter prejuizos. nota: nos despedimentos muitas das vezes não cumprem a legislaçao que exigem aos privados e ao estado!

  7. polititicamente a presidente da assembleia é um desastre.agora compreendo porque motivo josé lamego se foi embora! a resposta que deu às condiçoes sugeridas por vasco lourenço,foi simplesmente desastrosa. perdeu a razaõ.com o 25 abril, os militares entregaram o poder ao povo ao qual pertençem, e com muita galhardia regressaram aos quarteis.os herdeiros da revoluçao (o povo) em eleiçoes livres o escolheu os seus representantes, e saõ estes que têm a palavra na assembleia da republica. pôr militares a falar na assembleia da republica ,era certamente um caso inedito na europa ocidental . deixem isso para os regimes cubano, e coreano,para alegria do pcp!

  8. gato vadio,está atento,por que em termos de linguagem a direita e o pcp usam os mesmos argumentos para criticar josé socrates.repara nisto: era ponto assente que o benfica o porto e sporting iam fazer um novo estadio. a maior parte do seu custo está a ser suportado por esses clubes. imagina como estaria agora o futebol portugues em termos de assistencias com os velhinhos estadios das antas luz e alvalade.o engraçado há que há pulhas a criticar, mas com lugarzinho cativo nesses novos estadios. o roubo do bpn dava para construir todos os estadios da 1. 2. e 3. divisões nacionais e ainda restava a maior parte do rombo.puta que pariu estes criticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.