2.ª volta das presidenciais

Se José Sócrates ganhar as eleições eu só vejo uma consequência: a demissão do Presidente. Está claro que o Presidente e o Primeiro-Ministro não podem coabitar.

Santana Lopes

__

Este tem de ser o argumento supremo, imbatível, decisivo para os indecisos ao centro, a quem se junta todo o povo de esquerda e os arrependidos de direita que neste momento sentem vergonha do que se passa em Belém: votar PS para nos livrarmos de Cavaco. É ultra-genial. E cria um novo tipo de voto, superando o conceito de voto útil: o voto higiénico. Vota-se nas legislativas para limpar a Presidência de quem a conspurca, recebendo-se como bónus uma sólida maioria que leve esta terra a ser governável. Coelho e Coelha esturricados numa eleição só, brilhante vingança do Menino Guerreiro.

Calhando o eleitorado dar ouvidos às proféticas palavras de Santana, o PS arrisca-se a ter 75% dos votos.

25 thoughts on “2.ª volta das presidenciais”

  1. Exactamente. Vi o Santana. Todos pensamos isso, mas ele veio dar uma preciosa ajuda, sem o saber. Porque, de facto, Cavaco não tem um AMPLO apoio do eleitorado.
    Se houvesse justiça neste mundo, este homem deveria ser assim apeado. Para além de conspirador, que é o mais grave, e rancoroso por lhe lembrarem que está muito longe de ser uma prima donna e que tem bastantes telhados de vidro, é um presidente que tem dificuldade em esquecer que já não é primeiro-ministro. Dá para perceber que tentará usar a imaturidade do Passos, se este ganhar, para ser ele a dar as orientações políticas (via Catroga? Ferreira Leite?). Isto apesar do ar ensaiadamente “sério” e “isento” com que fala. Portugal ficaria menos bafiento sem este homem na política.

  2. Não deixa de ser interessante que o PSD tenha descido de tal maneira baixo que até Santana Lopes já parece um sábio. Deve estar a saber bem a vingançazinha.
    Quanto à demissão de Cavaco, era bom, mas não vai acontecer. Esta direita nisso é perfeitamente transparente: as acusações que fazem a Sócrates são uma imagem fiel do espelho a que se olham.
    Ora uma das que lhe fazem é precisamente a de estar agarrado ao poder…

  3. No 1º péque qualquer um cai,

    No 2º péque cai quem quer

    No 3º só cai quem é burro

    Passos foi Burro

    Quem quer o 4º mais burro é!

  4. Eu só quero ver a verdade ser apurada
    no BPN, das escutas

    agora

    tambem DAS AGENDAS “PRESIDENCIAIS” dos tempos recentes,

    em particular
    após discursos noite da vitoria derrota das “presidenciais”
    ate ao misero DISCURSO da POSSE a 9 março
    e dos dias seguintes, em particular envolvendo o Bagãozinhu…

    que se passou realmente
    e porquê tanto enfado quando é disso questionado?

    creio que ninguem terá nascido 2 vezes
    logo não haverá o risco e perigo que alguns temem….

    abraço

  5. Continua muita gente ressabiada com o PS. Não gostaram quando a alteracções na Administração pública atingiram as corporações. Temo que vamos ter uma grande dispersão de votos que irá benificiar partidos como a CDU e BE. Hipoteticamente até seria interessante ver o país governo por esta dupla. Por vezes penso que o povo merece.

  6. grrrrrzuiuiuirzzztptptp…joão viegas chama comando… stop… joão viegas chama comando… wvvvzzxiii… URGENTE : Valupi, Penélope e Vega 9000 encontram-se neste momento reunidos na caixa de comentarios… stop… xxxxxrrrpppptzzz… tudo a postos ?… stop …wzzzziiiiirrrrrggghhh…… wrrrdtttpptt… Proceder à operação… dsliiiiiuyquyzzzxriiiiiiiihhh… Preparar…FOGO :

    Então é assim, meus amigos. O que vos parece : mencionar que o ministro decidiu hoje (DN dixit) proibir o uso de taser nos estabelecimentos prisionais por forma a evitar incidentes semelhantes àquele de ha umas semanas, tão falado por aqui

    é

    ou não é

    uma sanção legalmente admissivel ?

    ehehehehehehe !

    Abraços

  7. Penélope, se Cavaco ganhou as eleições sem necessidade de segunda volta, tendo vencido em todos os distritos, mesmo no Alentejo, como pode não ter um amplo apoio do eleitorado? As eleições servem afinal para quê?

  8. “As eleições servem afinal para quê?”. Eu também faço essa pergunta a mim mesma. Afinal , não foi há ano e meio que fomos a votos , o PS ganhou e Sócrates mandatado por maioria( não absoluta mas por maioria) para nos governar durante 4 anos? Para esta direita ‘esquisita’ só quando eles vencem é que as eleições valem! Enfim, resquícios de outros tempos, outras mentalidades.

  9. joão viegas, a Lei tem por base a política. Neste caso, e se leste a notícia, o ministro opta por dar a sua posição política mas salvaguarda que o inquérito ainda está a decorrer. Por isso, não sei do que te ris, pois nada do que discutimos altera o seu sentido com este desenvolvimento. Em causa estava um procedimento polémico, fazendo uso de um certo tipo de violência física para lidar com um caso de comportamento violento de um recluso a pedir medidas urgentes e eficazes na sua resolução ou contenção. A bondade da decisão policial, mesmo que venha a ser considerada incorrecta e tal faça jurisprudência, afere-se pela filmagem do acto pela própria polícia afim de o sujeitar às autoridade superiores. Portanto, repito a pergunta: ris do quê?

  10. AP Santos, quando leio alguém de esquerda afirmar que Cavaco “não tem um AMPLO apoio do eleitorado” e que “se houvesse justiça neste mundo, este homem deveria ser assim apeado”, escassos meses depois de ser eleito à 1ª volta, estou em crer que não será só de apontar à tal direita “esquisita” (esquisita??) esse defeito de aceitar mal certos resultados eleitorais.

  11. Rio disto :

    http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1822326

    Tenho também um filme gravado em que se vê o joão viegas a irromper no Aspirina B, a disparar com um artigo de jornal nas costas do Valupi e, em seguida, mantendo-o pela força imobilizado no chão, gritar-lhe “E agora, vai limpar o seu post em que explicava que o comportamento da força da intervenção era completamente profissional e que era escandaloso sugerir que houvesse um atentado aos direitos fundamentais ? Vai ?!!!?”.

    Cito o fim do artigo :

    “Além da investigação que corre, esclarece o ministro Alberto Martins no documento publicado hoje em Diário da República, o caso “levou à abertura de processos disciplinares ainda em curso” e foi também “dada ao Ministério Público notícia dos factos apurados”.

    No entanto, e enquanto decorrem as investigações, o ministro considera importante “não deixar de tomar medidas que inequivocamente reforcem a tutela de direitos fundamentais e previnam situações como a ocorrida”.”

    Do que me rio ?

    Aaaah, je ris, de me voir si belle, en ce miroir.

    Réponds-moi, Marguerite !!!

    Réponds, réponds, réponds vite !

    ehehehehehe

    Abraço valente !

  12. até me esqueci de comentar o post.
    o pior é que, a não ser que as palavras de santana lopes tenham natureza profética, ainda podemos acabar a ficar com os dois…

  13. HG: Cavaco não é o governo. O governo ganhou as eleições, mas, sem maioria absoluta, as condições para a aplicação do seu programa e das suas políticas são difíceis.
    Agora, Cavaco poderia ter ganho com uma maioria franca e não ganhou. Com uma abstenção superior a 60% e uma vitória por 52% do que resta, tens de concordar que o apoio do eleitorado não foi amplo. Por outro lado, as notícias que vieram a público durante a campanha eleitoral, que até eram documentadas, e que não foram nem esclarecidas nem desmentidas, deitaram de vez por terra a imagem de «impoluto» e de inatacável do senhor, assim como o seu discurso de apelo à «verdade». As suas várias tentativas de levar o seu partido ao poder valendo-se do lugar que ocupa não abonam nada em favor da sua integridade e imparcialidade no exercício do poder. A sua não intervenção na última crise política em nada beneficiou a situação financeira do país. Pelo contrário.
    Por tudo isto me parece que, se Sócrates ganhar as eleições, o convívio lhe vai custar e muito. Demitir-se talvez não se demita, como diz o Vega, mas ficará numa posição algo desconfortável.

  14. Sobre a as medidas tomadas no E. P. P. Ferreira:
    Os Estabelecimento Prisionais Centrais têm autonomia administrativa para fazer valer o seu Regulamento Interno. Os Regionais dependem da Direcção Geral dos Serviços Prisionais.
    Com o aumento da criminalidade e da criminalidade perigosa, com a vinda dos emigrantes, principalmente os dos Países de Leste, dali vieram ex-polícias, Forças Armadas, KGB e outros mais. Os E. Prisionais não estavam equipados para este tipo de criminosos, os portugueses, regra geral, são mais reivindicativos e não violentos. Por este motivo foi criado no E.P. Paços de Ferreira e Monsanto, um Pavilhão de Alta Segurança, para separar esses reclusos. Se prevaricaram e essa prevaricação foi bastante violenta, seja contra funcionários, reclusos ou outros agentes, são transferidos para um destes dois Pavilhões. Não é, por cá dá esta palha, que um recluso é ali colocado. O seu comportamento é avaliado de mês a mês.
    Um E.P. é composto por Pavilhões, Alas e Pisos. Nestes são colocados todo o recluso que à partida sabe dos afazeres que estão incumbidos: limpeza e asseio da sua pessoa e da sua cela, respeito para com todos os funcionários e seus colegas. Ora se um recluso que tem sanitários, o que não lutaram para acabar com o balde, o que acho justo, por que motivo faz as suas necessidades no chão da sua cela, borrata paredes e portas com os seus dejectos, não se importando com os cheiros que dali saiam para as celas dos seus companheiros. Aliás foram os seus companheiros que fizeram baixos assinados para a direcção e chefia do E.P. a protestarem com este tipo de comportamento. Um recluso tem que levar com a sua pena, agora levar com a pena dos outros isso é demais.
    Depois de várias recomendações ao recluso prevaricador para limpar a sua cela, o mesmo, ainda fazia pior, com este tipo de procedimento o que esperavam! Os Serviços Clínicos sabiam que era um recluso que não padecia do foro psiquiátrico. Quais os métodos a utilizar, depois de todos os avisos? Aliás, por vários E.P. por onde passou o seu comportamento foi sempre igual.
    A solução tomada foi a utilização do uso das armas eléctricas – Taser – para pôr cobro a esta situação. Mas, para que esta operação tenha sucesso, antes foram tomadas várias medidas como por exemplo: só usa as armas eléctricas, pessoal especializado, Gisp – Grupo de Intervenção de Segurança Prisional – acompanhados por um Médico e Enfermeiros e toda a operação é filmada para que um dia não surjam contradições.
    Não vejo nos outros países, tanta limpidez e humanidade, embora seja um acto violento, mas tem de se tomar medidas se não é uma anarquia. Os órgãos de informação sempre ávidos com estas notícias podiam, explana-la melhor mas, se o fizesse não vendiam tanto papel.
    Nenhuma pessoa toma procedimentos destes de ânimo leve. Não são nenhuns sádicos. Sei muito bem do humanismo que existe nos Serviços Prisionais e até por falar nisso vou pôr aqui parte dum texto que escrevi há algum tempo.
    “O Cilro – era assim apelidado – pela vida fora, julgo que tinha tantos anos de cadeia como de liberdade, foi um bom desportista, jogava na equipa de futebol de cinco e era um dos melhores da equipa de reclusos da cadeia, assim como de vez em quando era solicitado para arbitrar jogos e impunha a sua disciplina, não havendo ninguém que protestasse das suas decisões. Encontrei-o salvo erro por duas ou três vezes na cadeia, sempre com pena de prisão grande, mas com espírito de resignação e pronto a levar a sua condenação o melhor possível.
    Da última vez que deu entrada vinha em fase terminal de vida e foi alocado na Enfermaria do Estabelecimento Prisional. Era raro ter visitas, um dia um seu filho deslocou-se num dia de semana à cadeia com a finalidade de o visitar, fui incumbido de o acompanhar à Enfermaria – não se podia deslocar ao Parlatório – e quando ali cheguei e vi o seu estado, veio-me à memória o Cilro de outros tempos. Reconheceu-me, dizendo Sr. Subchefe Pacheco o que a vida nos reserva, por tudo que o tenha ofendido aceite as minhas desculpas. Aqui notei que ele pressentia o fim da sua vida, mas não me envergonho de dizer que tive de olhar para o lado para ele não presenciar uma lágrima que me corria pela face.
    Teve ao menos um consolo e o mérito reconhecido de ir morrer à sua residência, pelo motivo do Estabelecimento Prisional tudo fazer para que o Tribunal de Execução de Penas do Porto lhe facilitasse esta medida prevista na Lei.
    Estas situações devem ser tornadas públicas para que a sociedade civil delas tome conhecimento, para ver que os Serviços Prisionais Portugueses são dos mais humanos a nível mundial e não como às vezes referem os órgãos de comunicação social e os Direitos Humanos”.
    Por isso digo que a maioria das pessoas só gosta de fazer críticas de tudo e sobre tudo. Se deixassem as pessoas habilitadas fazer o seu trabalho e quando informassem se o fizessem com lisura não se davam tantas contradições.

  15. Caro Manuel Pacheco,

    Os meus comentarios acima referem-se a uma longa discussão que houve aqui ha umas semanas atras, cujo ponto de partida era um debate televisivo (que não vi) em que interveio, nomeadamente o Daniel de Oliveira.

    Sugiro que la va ver o que se debateu. Encontrara a minha posição, que as (por vezes curiosas) considerações do seu longo comentario não me levam a alterar minimamente.

    Boas

  16. Daniel Oliveira,

    irra que estou sempre a pôr-lhe o “de”. Ele é Daniel Oliveira simplesmente tal como eu não sou joão de viegas. Não compreendo porque é que isso não me entra na cachimonia.

  17. joão viegas, pelos teus imaginativos comentários, começo a entender de onde vem esse trauma com os choques eléctricos…;)

    No que diz respeito à notícia, terás que esperar pelo fim do inquérito para poderes cantar vitória. Só nessa altura é que apago as luzes e ligo os regadores. Em relação à atitude tomada pelo ministro em relação aos tasers, vejo-o apenas como uma decisão politica em reacção a imagens que chocam a opinião pública, não ao procedimento em si. Até se pode dar o caso de esta decisão, como afirma o porta-voz dos guardas prisionais, e em certa medida o amigo Manuel Pacheco, pôr em risco os guardas prisionais e a segurança existente nas prisões.

    Mas vá, um ministro não ia tomar uma decisão sem a devida ponderação dos factos apenas por motivos políticos e de opinião pública. Ou ia?

  18. Caro Vega 9000,

    O que diz o Ministro, tanto quanto percebo, é que o que se vê no video é problematico do ponto de vista da protecção dos direitos fundamentais.

    Dito isto, é claro que os inquéritos (vejo pelo menos três em andamento : o penal, o disciplinar, o administrativo) vão com certeza ajudar-nos a compreender melhor a situação, e também a saber como devemos esperar que a policia actue de futuro em casos semelhantes…

    E também tens razão noutro aspecto : se ha coisa ainda mais preocupante para a protecção dos direitos fundamentais do que aquilo que se vê no video, é a perspectiva de que o ministro possa ter feito as declarações em causa apenas porque “as imagens chocaram a opinião publica”.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.