18 mil milhões de Poiares Maduro

A RTP, da última vez que consultei a Wikipedia, ainda era uma rede de televisão pública. Então, veja-se como João Adelino Faria abriu um espaço de comentário para discutir o despacho de pronúncia de Ivo Rosa, no dia 11 de Abril – A análise dos temas que marcaram a semana. As suas afirmações “cresce a indignação e a revolta na sociedade portuguesa” e “a sociedade portuguesa já fez o seu próprio julgamento” não são matéria informativa mas de opinião e de agitprop. E opinião sectária e manipuladora, posto que molda as declarações dos comentadores dirigindo-as para uma posição já estabelecida à partida. Qual a relação entre este editorialismo com agenda política e a noção de serviço público? Nenhuma de nenhuma, é a sua perversão mesma.

14 minutos depois, após ter mentido sobre os factos da Operação Marquês e de ter achincalhado Ivo Rosa, o nosso Maduro saiu-se com uma avaria de efeito sonoro: “Há estudos que indicam que 18 mil milhões de euros é quanto Portugal perde anualmente pela corrupção. É mais do que vamos receber em 15 anos com o programa de Recuperação e Resiliência da União Europeia.” Face a esta revelação, o extraordinário jornalista altifalante dos justiceiros carimbou com “Serve de reflexão“. E serve, olá se serve.

Por exemplo, podíamos reflectir sobre o silêncio do Pedro Adão e Silva perante a bojarda dos 18 mil milhões, só que tal não seria justo pois ele foi apanhado já com a declaração final engatilhada e não teve condições cognitivas para ripostar (é a minha hipótese benigna). Pelo que o mais proveitoso será levar a reflexão para a origem desse número, primeiro, e para o que ele significa quando utilizado pelo Poiares Maduro, na conclusão.

Quanto à origem, creio podermos afirmar ser este o único blogue no universo e arredores onde o assunto foi analisado. Graças ao Júlio + Júlio (e seguintes), ficamos a saber donde dizem vir o número. Quanto ao que significa quando esse número aparece na boca de um passarão do PSD, e fazendo o esforço de imaginar que ele acredita no que está a dizer, eis um pequeno exercício de reflexão:

– Significa que, a 18 mil milhões por ano, desde que começou a Operação Marquês (2013) o Estado deixou fugir 126 mil milhões de euros (144 no final de 2021).

– Significa que, caso o País passasse a recuperar 18 mil milhões de euros ano por cima das suas receitas, a pobreza seria erradicada e o Serviço Nacional de Saúde poderia ser o melhor do Mundo e totalmente gratuito, para começo de conversa sobre o que fazer ao carcanhol.

– Significa que, a ser verdade o que o Poiares Maduro disse na nossa querida RTP, fazia algum sentido ir buscar esse dinheiro, ou que fosse metade, ou que fosse um décimo, ou um centésimo que fosse.

– Significa que, graças ao Poiares Maduro conhecedor de “estudos” a respeito, ficamos a saber que o Ministério Público conduzido pela implacável Joana Marques Vidal foi confrontado com o seguinte dilema: vamos combater a corrupção dos 18 mil milhões de euros garantidamente roubados pela malandragem a cada 12 meses, e recuperar o que pudermos em nome do Estado e para benefício da população, ou bute montar a mãe de todas as equipas de investigação, gastar milhões de euros e de horas, para ir atrás do que não fazemos puto ideia se é corrupção e que no máximo vai dar a uma historieta sobre uns 20 milhões que não há forma de provar que sejam de um certo Sócrates. A santa do “fim da impunidade” considerou mais interessante, quiçá mais giro, deixar os 18 mil milhões vezes X continuarem a ser gamados e optou pela caçada ao animal feroz.

Pelo que nem 18 mil milhões de Poiares Maduro conseguiriam esconder esta evidência: há fortes indícios de que os entusiastas do auto-de-fé a Sócrates não são os mesmos que nos poderão ajudar a ir buscar o que está a ser desviado do nosso presente e do nosso futuro.

9 thoughts on “18 mil milhões de Poiares Maduro”

  1. 18 megas para corrupção devem corresponder a uma percentagem da evasão fiscal, no máximo uns 15%*, o que permite calcular um valor para a evasão de 120 megas o equivalente a metade do pib nacional 239 megas. os tribunais ressonam, os poiares sonham e o fisco anda a dormir ou recebe comissão.

    * número inventado para não matar o negócio. há uns anos um importador de bacalhau na zona de torres vedras foi à falência porque a fiscalização recebia acima da margem de lucro.

  2. Quanto ao que se passa na RTP há muitos anos a coutada de uns quantos que em vez de fornecer informação, servem-nos opinião em doses industriais.
    A RTP como serviço público, pago por todos devia ser independente. Aqui chegados pergunto, para que serve o Conselho Geral Independente -julgo que é esta a designação- que em representação de todos os telespectadores devia zelar pela qualidade da programação, da isenção dos serviços de informação, e do que chamam jornalismo de investigação, que os seus ditos jornalistas nos servem????????

  3. Os pais chegaram à manjedoura, acotovelam-se para caberem os filhos e os enteados…
    Que a verdadeira esquerda, quando chegar o 25 de Abril que acabará com a rataria, não trema ! A misericórdia que teve com os míseros e réprobos derrotados da ultra direita, Pides, Legionários, Chibos , gerou esta pandilha de funambulistas, sem pejo, sem honra ou caracter.
    Há espécies daninhas ; se suportam mudança no seu ADN alguma indulgência terão.

  4. O exercício do jornalismo oferece-nos a quotidiana demonstração do quão elástica ou relativa pode ser a observância dos princípios da objetividade, da neutralidade e da imparcialidade, constitutivas da sua ética profissional. Devemos aos jornalistas que presumem factual o que é opinativo e extrapolativo a disseminação de perceções da realidade enviesadas por uma singular forma de sinédoque, que toma a parte pelo todo, seja com a candura do ingénuo ou a malícia do cínico.
    Em Portugal, o mais explícito nos seus vícios e grosseiro na caricatura de si próprio é o jornalismo desportivo.

  5. Acho que seria muito importante alguém discutir em detalhe aquilo que o Ivo classificou como fantasia. Os comentadores pegaram pelo mais fácil e que dá para enrolar, as prescrições, no resto não tocaram.
    Gostava que alguém explicasse porque é absolutamente ridículo o Salgado ter pago milhões para o Sócrates mandar a CGD abster-se na desblindagem para a OPA da PT, e que ainda por cima o pagamento foi feito 4 anos depois.
    Também devia ser discutido o facto do Grupo Lena ter diminuído a sua percentagem nas obras públicas durante o governo do Sócrates e que a maioria delas foram feitas para municípios.
    Convinha discutir em pormenor o disparate do Vale do Lobo.
    Ao mesmo tempo, também deveria ser explicada a razão da transferência em vários passos dos milhões de Salgado para Carlos Santos Silva.
    Poderia ser feito aqui no blogue em vários posts.

  6. A RTP/RDP continuam a ser redes públicas de televisão e rádio só que, nos
    tempos do governo de “salvação” nacional PSD/CDS-PP houve um ministro
    que remodelou essas redes públicas no sentido de garantir a sua independên-
    cia, criando o tal conselho, etc. e tal, nomeou o Gonçalinho originário do CDS,
    para presidente e, claro o trabalho foi muito bem feito … tudo o que possa ser
    de esquerda não entra salvo se, alinhar pelas propostas dos pivotes!
    O ministro em questão, se bem se lembram, foi o actual comentador Maduro
    que, só cresceu, nas basófias que lança nos seus comentários feitos de cor!!!

  7. Evolução da taxa de vacinação contra a covid-19, por país, de 5 Dezembro 2020 a 7 Março 2021, quase ao minuto. Entre vários dados espalhados pelo ecrã, os principais: na coluna da esquerda, vacinados por país, em números absolutos; na da direita topo, percentagem de vacinados, por país; no canto inferior direito, dia e mês.

    https://youtu.be/Sw6rZsiyNhM

  8. se o estado perde é porque não recebe, paga demais ou ambas e os 18 mil milhões serão evasão fiscal, pagamentos indevidos ou mix de ambas modalidades desportivas. para esclarecimentos adicionais é perguntar ao maduro na próxima ida à tv do estado vender a coelha acácia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.