Στρατηγός

A imoralidade de pretender duplicar o tempo de antena da coligação com a participação simultânea de Passos e Portas nos debates é tão evidente que o assunto se esgota assim que se coloca. Nem seria preciso estar a ir buscar o exemplo das europeias ou as declarações de Telmo Correia. Pelo que a questão que realmente importa não pode ser essa, a dimensão deontológica, mas sim a questão política.

Ao se reconhecer que a coligação tem interesse em se confrontar o menos possível com os líderes da oposição, recorrendo à manha de tentar incluir Portas só para boicotar esse confronto, que faria um general na posse dessa certeza ou intuição? Não cairia na armadilha e aceitaria a presença de Portas.

Tal como Fernando Medina verbalizou – «Se o ridículo matasse, vocês estavam arrasados antes das eleições» – a situação de ver Passos e Portas lado a lado seria fatalmente ridícula. O flanco ficaria todo aberto para serem causticados durante o debate, do princípio ao fim – onde a audiência seria lembrada de que aqueles dois até para aceitarem debater a sua responsabilidade nos problemas do País tiveram de voltar a violar as regras da decência e do respeito democrático. Seria um sem fim de achincalhos possíveis e cristalinamente justos, sem hipótese de fuga nem de defesa.

Claro, para tal ter ocorrido seria preciso existir um general a comandar a campanha do PS.

35 thoughts on “Στρατηγός”

  1. Seria aceitável se PPC e PP tivessem metade do tempo do interlocutor, ou dito de outra maneira, que o interlocutor tivesse o dobro do tempo de PPC e PP. Assim haveria critério de equidade de tempo de debate já que são candidaturas em confronto e não personagens.

  2. “Claro, para tal ter ocorrido seria preciso existir um general a comandar a campanha do PS.”

    este sonha com militares a comandar partidos políticos.

  3. o pcp já veio em auxílio da coligação, manda lá a sta. apolónia contraberrar com a paulette. só espero que o quimjongas se entenda com o avô jeropinga e não comece a disparar.

  4. VALUPI!
    Um general?!!!
    A maioria das guerras, na história, foram perdidas por generais!

  5. “A maioria das guerras, na história, foram perdidas por generais!”

    Pois foram e os gajos que as ganharam foram promovidos a generais.

  6. “concordo que não mobiliza ver um sargento ajudante a comandar tropas numa batalha decisiva.”

    ò campónious, o que é que isso te interessa se votas no outro lado. até deverias estar satisfeito, mas se te coças é porque tens comichão.

  7. O que eu queria dizer, Valupi, é que nas guerras sempre que há um general que ganhe há um general que perde.
    Se eu fosse o general do PS enviaria à refrega com a coligação um subalterno, um major ou um capitão. Isso determinaria o estado de espírito do inimigo. E reservar-me-ia para o grande combate com os indecisos.
    Mas a verdade é que a diferença entre os generais e os políticos é que os generais não comentam a estratégia nem com os soldados nem com o inimigo.
    Porque para os generais a estratégia não é um fim. Embora sejam políticos, à sua maneira.
    Para os políticos a estratégia parece ser o fim e o meio.

  8. Os políticos começaram a estragar tudo quando começaram a comentar publicamente Clausewitz e deixaram de o ler em segredo.

  9. Leio o Louçã no Publico, depois o Valupi no Aspirina, e percebo que ambos têm uma prática desportiva comum: tiro ao PS !
    Afinal há muitas formas de chumbar PEC’s.

  10. O que fica em “alta patente” é a extraodinária apetência por fazer do PS o alvo de todas as criticas. Aposto qq coisinha que se o PS tivesse aceite que Portas tb participasse no debate, hoje estariam a levar nas orelhas por isso.
    De resto, esta predilecção por atirar ao PS fica ainda em mais “alta patente” quando se verifica que os franco atiradores de serviço se esquecem ( ? ) que tb o BE não aceitou debater com Portas.

  11. Cautela, não se começe, encapotadamente, a diabolizar António Costa, como alguns trates, insidiosamente, diabolizam, José Sócrates.

  12. Claro jrodrigues.
    E o Valupi tão inamovível, purista e absolutista nos princípios propõe agora aqui, neste manhoso texto, uma táctica tão ultrapragmática que vai ao ponto de ser ilegal, dado que a lei só considera cndidaturas e não coligações.
    Aqui, hoje, para maldizer do Costa, ultrapassa o mais elementar princípio democrático e quando precisa defender-se do modo como vota contra Costa recorre sistematicamente de suas idealizações absolutistas sobre liberdade em democracia.
    Exibicionismo, oportunismo, pachequismo, maluquismo, alzhaimerismo?

  13. para os mais espantados com as posições da gerência pergunto: já viram algum independente que não seja exibicionista, oportunisma, pachequista, maluco, alzhaimeriano e que não defenda asneiras com o argumento do penso pela minha cabeça?

  14. «viram algum independente que não seja exibicionista, oportunisma, pachequista, maluco, alzhaimeriano e que não defenda asneiras com o argumento do penso pela minha cabeça?»

    O problema da mentalidade portuguesa é esse mesmo, aquele que o VENERÁVEL linqueiro sumariza ( e que se lhe aplica): são partidário dependentes e focam-se no voto útil em vez de na ANÁLISE CONCRETA dos assuntos e na recuperação do país. Os XUXAS e COMUNAS que tanto aplaudiram TSIPRAS deviam tirar do impulso do mesmo ALGUM SABER. Porém, perdem tempo a discutir quem se senta e não senta para debater, apesar de «defenderem » a liberdade de expressão numa DEMOCRACIA PARTICIPATIVA ( yeah, right).
    Admite-se, então, que por estarem dois de Direita, há, também, políticas ou pontos de vista diferentes, carreando ao debate mais esforço XUXA para contraditar. E se o XUXA fosse esperto, até CHAMARIA Paulo Portas ao debate e o conduziria para onde entendesse. O que é que esta malta não entende?
    Portanto, lá vai o povaréu cantando e rindo com o Tratado de Lisboa debaixo do braço. Alguém sabe o que é, o Tratado de Lisboa? Hum? Já o leram? Leiam em simultâneo Fernando Pessoa. Não é preciso em nenhuma das leituras qualquer exercício de hermenêutica.
    ( Texto não revisto).

  15. O que é um independente, Inácio?
    É um sujeito que se arreliou com a família e vai viver sozinho?
    O Manuel Alegre, por exemplo, era um independente em 2010?
    E o Nobre?

    Bagão Félix?
    Manuela Ferreira Leite?
    O Neto?

  16. Ó NUNES acho que é o cegueta. que independentemente do tema, debita aqui a cassete armado em inteligente.

  17. E, depois, na esteira de alguns adágios populares – porém VERDADEIROS «cancioneiros» das verdades do povaréu -, eis este que se aplica ao caso em apreço: Quem não deve, não teme.
    Evidentemente que tudo isso revela mais da impreparação de Tony para governar. Sendo governo ( que não vai ser), afastará ele também os que lhe fazem frente?
    Ora, bem pode ele induzir os seus xuxas na sua política, porém, nem estes se mostram preparados para compreendê-la e até falam em voto útil.

  18. FERRA, FERRA, havia um INTELIGENTE que bendizia os que semeavam LIVROS à mão cheia e mandavam o POVO pensar. Começa com Confúcio, que ele dissertou sobre ti, no caminho passa por Maquiavel ( que se diverte com o Povo) e termina com Staline,( que educa o Povo – também és focado neste). Bem, mas isto é só para começares…

  19. Vossas excelências argumentem, contra-argumentem, até à exaustão.
    Defendam tácticas, esboçem planos, exaltem o pragmatismo, e outro ismos.
    O Costa é o que me/nos resta mas, até agora, não presta. A actuação do governo e dos seus ministros, perdõem a metáfora desportiva, devia ser marcada em cima. E isso não tem sido feito pelo Costa.
    O Valupi apenas sublinhou uma evidência. Eu não sei se aqui o responsável pelo estabelecimento vai votar. Não sei se, a ir votar, ele votará PS. Eu perante as opções que perfilam à esquerda, e perante a direita que tenho pela frente,……lá terá que ser. Como já dizia o outro: É a vida!
    Agora, desculpem lá, quando é que em defesa dos pragmatismos e outros ismos não se pode criticar. Ou é da minha vista ou vocês andam todos com tiques norte-coreanos. É PROIBIDO CRITICAR O QUERIDO LÍDER!

  20. “O problema da mentalidade portuguesa é esse mesmo, aquele que o VENERÁVEL linqueiro sumariza ( e que se lhe aplica): são partidário dependentes e focam-se no voto útil em vez de na ANÁLISE CONCRETA dos assuntos e na recuperação do país.”

    o termo correcto não é venerável, mas sim talentoso. a recuperação do país passa por correr com a garotada que tem governado com os resultados que todos conhecemos apesar dos esforços de maquilhação da produção e pela eleição dum governo competente e que defenda um programa sério de recuperação como o que o partido socialista apresentou. votar na coligação significa mais destruição da economia com negociatas das privatizações e distribuição de subsídios a privados para substituir o social por caridade.

    “Os XUXAS e COMUNAS que tanto aplaudiram TSIPRAS deviam tirar do impulso do mesmo ALGUM SABER. Porém, perdem tempo a discutir quem se senta e não senta para debater, apesar de «defenderem » a liberdade de expressão numa DEMOCRACIA PARTICIPATIVA ( yeah, right).”

    quem aplaudiu o tsipras foi o bloco e quem o apoiou foi a direita grega. quanto a debates, idem, foi a direita que criou as regras para de seguida as furar, fazer campanha disso e alegar falta de liberdade de expressão por não conseguirem abafar a oposição.

    “Admite-se, então, que por estarem dois de Direita, há, também, políticas ou pontos de vista diferentes, carreando ao debate mais esforço XUXA para contraditar. E se o XUXA fosse esperto, até CHAMARIA Paulo Portas ao debate e o conduziria para onde entendesse. O que é que esta malta não entende?”

    o que a malta não entende é paulette dizer de manhã que vai a debate com a heloísa e à tarde dizer que já não vai porque causa dos assentos. os socialistas inteligentes estão-se fodendo para a xico-espertice e
    paneleirices do portas, o massamólas que o ature e o tio jeropinga que lhe apare os golpes.

    “Portanto, lá vai o povaréu cantando e rindo com o Tratado de Lisboa debaixo do braço. Alguém sabe o que é, o Tratado de Lisboa? Hum? Já o leram? Leiam em simultâneo Fernando Pessoa. Não é preciso em nenhuma das leituras qualquer exercício de hermenêutica.”

    já li, foi em diagonal, mas deu para perceber que o fernando pessoa morreu de cirrose e foi tratado em lisboa, no hospital s. luís.

    resumo: palha do costume e tangas usadas a ver se cola com integralismo lusitano.

    http://www.actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/viewFile/2389/1804

  21. IGNORANTEZES, o termo «talentoso» não é da minha autoria. A ti reconheço-te um talento, qual seja, o de produzir à saciedade porcaria que buscas aparentemente em linques de duvidosa proveniência. Eu não os abro. Quanto ao que dedilhas, mas ó IGNATEZES, mas tu achas que és ponto para discussão? Admiti-lo-ei quando vieres aqui com senso e lógica. Não tens. Aqueles a quem tu chamas GAROTADA são o FUTURO do teu País. Se não sabem, que haja ADULTOS que os ENSINEM. Tu, por certo, não os ensinas com o teu discurso inflamado de palavrões e heréticos, por isso, que legitimidade tens tu para lhes chamares GAROTADA se não fazes melhor que eles e não lhes dás um exemplo?
    Se o Tony te seguisse, vê-lo-iamos no debate a dizer « fdp, bimbos, votem no kamasutra, no car…que o pugrama dos assumptos são do con…alzhaimeriano quimjongas, vice-pantomineiro avô jeropinga ».
    E pimba, tomem lá um linque cujo conteúdo se advinha cheio de trampa.
    E claro, nem te davas ao trabalho de contratares um macaco para te fazer um cartaz. Farias uma montagem cigana, com o Pm a passear com o «duarte lima».
    Portanto, pá, quando falares na GAROTADA, pá, tira o baton da Avon da boca. Capisce?

  22. Se o debate contar com o Sócrates e o Silva Pereira prometo vê-lo. As barrigadas de riso com a cara do Portas, do Coelho,dos demais artistas desse grupo,quando,municiado pelos documentos que Silva Pereira lhe passava,Sócrates os derretia nas contradições,aldrabices e mentiras que diziam ou tinham dito… não me digam que não se lembram!!! Que agora os amesquinhados de então tentem a sua vingança era de esperar e as pessoas dignas tinham que estar preparadas para tal: nem fugas,nem pulseiras nem inversão de marcha. Espanta? Em terra de medrosos e eunucos qualquer acto mais viril espanta.

  23. Dei pela tua falta na reunião dos anónimos, pá. Como queres que te ajude? Andas a beber outra vez, pá.

  24. «E reservar-me-ia para o grande combate com os indecisos.» Disse ele.

    Mas, mas, mas, os indecisos não combatem. Os gajos quedam-se na indecisão. Não sabem para onde tombar. É preciso soprar-lhes. Logo, combatê-los para quê? Não seria o caso de os angariar, como fazem as agências imobiliárias? hum? Não seria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.