isto é uma espécie de sudoku

LINDO CASAL AGORA

Siga o dollar. Anca
rosa na liga. Caldo
claro, sol, dia. Gana,
droga, a sina. Local
cor da lagoa. Sinal
anil, gado caro. Sal
lilás, dona agraço

Golo anal dás. Rica
lá largas naco. Dói
gasolina, dor. Cala
silo, lança. Dragão
ladra, cai só. Longa
glosa lá rói. Dança
loira cona salgada


Nota: Acentos, cedilhas e pontuação são extras. Na última linha há um A a mais no anagrama. Só dei por isso tarde de mais e assim ficou.

24 thoughts on “isto é uma espécie de sudoku”

  1. achaste, afixe? eu gosto muito do «dona agraço» e do «ladra, cai só». nisto de anagramas sabe-se lá. os resultados mais giros são os que aparecem com uma surpresa. o golo era evidente, até pelo contexto. no golo, eu comecei por aí e procurei as outras palavras encaixáveis nas sobras… ;)

  2. vamp, o teu comentário foi apagado, mas não por mim. aqui fica, para que seja claro que além de ser desprovida de auto-censura, também não pratico a censura, tout court. quem sabe serei destituída de sentido crítico…

    vamp

    «É preciso ser muito perversa, ie ter uma total ausência de auto-censura, para publicar tal merdinha. Ridículo.»

    ui, ui, muito perversa. tu sabes lá. e então ridícula… e sem vergonha, é do pior.

  3. sem-se-ver, sabe-se lá. deve ser um gosto particular por criaturas míticas, só pode.

    mana, cada linha é um anagrama, sempre das mesmas duas palavras, título incluído. daí a relação com o sudoku.

  4. Susana,

    Há um caso famoso, holandês, que não tenho aqui à mão (e só dou com ele quando não interessa), duma frase de cerca de vinte e cinco letras, que permite centenas (centenas!) de combinações com sentido.

    Ou com piada, como as tuas. A melhor maneira de fazer sentido.

  5. Susana,
    Fazes o exercício com três vogais apenas: «a» (4x), «i» e «o» (2x). É um exercício exigente.
    Um só «e», e abrem-se-te insuspeitados horizontes.

  6. fernando, essa daria muitas combinações. demais?, arrisco, para as minhas unhas. quanto ao sentido, tento escolher as possibilidades e combinações que melhor se adequem ao contexto, isto é: o nome escolhido (escolha casual, aleatória).
    o que se lhe seguiu (outra dama nacional) tem as vogais quase todas, mas as consoantes são mais complicadas. ainda assim permite coisas lindas como estas: «máfia, tigre, lusa fé», ou «filei a star em fuga» que, verás, estão bem à medida da figura…

    rui almeida, vejo que também embarcas no jogo. nos exemplos que dás deparas com o mesmo problema que eu: a conexão entre as palavras. foi por isso que decidi estabelecer continuidade de uma linha para a seguinte, para maior plasticidade.

    rvn, este blog é gasoso, isso sem dúvida alguma. se etílico ou não, isso já vai depender dos apetites.

  7. hahaha, boa, rui. ildo existe, esse nome? é que senão troca-se: lido a cagar no sal/ ali no saldo cagar. condiz, esse lado escatológico, com este tipo de leitura e actividade…

    ainda tinha outras que pus de lado, muitas. exemplo:
    «ai ganda sol, coral»
    «cona lisa, dar algo»
    «grasna, dá colo. Lai»,
    mas eram muito (demasiado!) forçadas.
    e ainda havia com «colina», «agrado», «glória», «sacana» «gorda», enfim, um manancial de coisas boas, o que o nome da senhora permite.

  8. estou como a catarina, também não percebi nada!, mas mesmo sem perceber nada fiquei com uma ligeira erecção o que, com o sudoku, para ser franco, ainda não me tinha acontecido.

  9. Eu concordo com a Vamp na questão da perversão por causa das palavras feias que encontrei neste post que para mim é escrito em aramaico e do mais arcaico.
    Palavras feias como dollar, droga e salgada servem apenas para chocar os leitores mais susceptíveis, um artifício.
    (Salgada é feio no contexto de ser um convite descarado à hipertensão arterial globalizada).

    Por outro lado gostei de constatar que esta caixa de comentários possui um detector. (Mas qual detector?)

  10. shark, é descorçoante: ninguém percebeu. o ponto de partida era o nome de uma portuguesa notabilíssima, cujo nome não pode ser pronunciado, não vá eu ter dragões à perna. na próxima explico melhor – e deixo mais pistas.

    com essa do detector é que me tramaste: um detector? mas onde?

  11. aahhh!
    mas olha que na Weblog também assumia e não detectava IPs…
    e aliás, comigo, varia. sem que faça algo nesse sentido, tanto assume susana azul como susana a preto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.