Vitorino e os 37%

Numa entrevista à TSF, na qual foi questionado sobre a aparente incapacidade de o principal partido da oposição descolar nas sondagens, Vitorino considerou “surpreendentes” algumas das críticas feitas à liderança socialista. “Porque, se olhar para o panorama europeu, o único Partido Socialista que está na oposição e que tem uma indicação de voto na ordem dos 37% é o PS português. O que se aproxima mais deste número é o Partido Trabalhista inglês, que tem 33%. Se olhar aqui para a vizinha Espanha, o PSOE tem 28% de indicações de voto. E o próprio SPD alemão, que acabou de disputar eleições, teve um resultado bastante medíocre de 26%, isto é, três pontos acima do que tinha tido nas anteriores eleições”, sustentou. O reparo do antigo responsável político surgiu um dia depois de o ex-Presidente ter dito, no lançamento de um livro que, “se o PS fosse um bocadinho mais activo, tinha 90%, com certeza”. Ainda assim, o ex-comissário europeu reconheceu que “o PS, neste momento, não é ainda a alternativa que pudesse motivar uma alteração radical do panorama político português”.

[…] E deixa um aviso que é dirigido também (e muito) aos que no PS têm levantado a voz para usar como bandeira os falhanços do Governo: “Para a credibilidade do país, é necessário que não se suscite qualquer dúvida sobre a capacidade que temos de pagar a dívida.”

Fonte: Público

Ressalvando a defesa da independência do Tribunal Constitucional, as declarações de António Vitorino (AV) são um bocado estranhas, mormente no que respeita à dívida. Achará AV que, por este caminho, teremos capacidade para a pagar integralmente? Mistério. Sobre a crise, parece não ter nada a dizer sobre a (defeituosa) arquitetura do euro nem sobre o peso que ela exerceu na violência do embate e o que continua a exercer na nossa capacidade individual para a ultrapassarmos. Parece alinhar pelo discurso dos impotentes ou conformados que entendem que é “comer e calar”, como se estivesse tudo bem com o BCE e com a arrogância alemã, que entretanto não quer abandonar o clube do qual somos sócios. Também parece não lhe ocorrer nada de crítico sobre o agravamento de uma crise nacional já de si agravada pela irresponsabilidade de quem deitou borda fora o apoio europeu negociado por Sócrates, agravamento provocado pelas experimentações do Gaspar, como se a continuação do saque aos salários e pensões nada tivesse que ver com, nem fosse a correção de, estrondosos falhanços de quem ambicionou ir além do que lhe era pedido. Parece, enfim, nada ter a contestar às políticas punitivas de quem manda na Europa, como se fosse aceitável que as decisões tomadas face aos erros, trafulhices e abusos cometidos pela Grécia (onde a irracionalidade europeia começou) pudessem ser generalizadas a todo e qualquer país e como se fosse desadequado reclamar outro tratamento. De joelhos, portanto.

Mas vamos à sua afirmação de que, e nas minhas palavras, “muita sorte têm os socialistas portugueses de ainda terem 37% nas sondagens, porque noutros países europeus, etc., etc.». Contextualizando estas afirmações, ou seja, atentando a que foram proferidas na sequência das afirmações de Mário Soares a exigir mais ao PS, dir-se-ia que AV vê não só no atual Governo português um conjunto de pessoas perfeitamente respeitáveis, competentes, sinceras e patrióticas, enfim normais (como os outros governos de direita europeus a que indiretamente se refere), como também em António José Seguro um líder à altura das circunstâncias, ou, pelo menos, possuidor de muitos méritos. Mas será que vê mesmo isso, ou que quer que outros o vejam (a AJS) assim? Cada um que especule.

E, a propósito, convém perguntar o seguinte: os 37 % serão por causa do Seguro ou apesar do Seguro? Ou serão independentes do Seguro? Bom, é evidente que, quem acha que são por causa do Seguro pode ter duas apreciações subjacentes: (1) que é uma belíssima percentagem de intenções de voto ou, pelo contrário, (2) que se trata de uma percentagem muito baixa relativamente ao que poderia e deveria ser, tendo em conta o tipo de governo que temos. Vitorino parece comentar a situação com base na primeira apreciação. Assim sendo, revela, entre outras coisas, pouca ambição e, pior do que isso, pouca convicção quanto às virtudes da social-democracia ou sequer de uma alternativa ao atual governo. De passagem, lá reconhece que o PS não é ainda uma alternativa verdadeira. Pois não. Voltamos, então, ao princípio: se fosse, teria com certeza mais intenções de voto. Não podia deixar de ter. E o líder não tem nada a ver com isso?

Não me esqueci da hipótese de o PS obter 37% independentemente do Seguro. Esta hipótese remete para a séria possibilidade de a alternância entre os dois maiores partidos poder estar enraizada nos eleitores portugueses ao ponto de, na sua maioria, confiarem ora num ora noutro para a gestão do país. Nesse caso, tanto faria lá estar Seguro como Juvenal Nabiça. A mudar, os eleitores não optam pelos partidos radicais da extrema-esquerda. Mas é legítimo perguntar: não seria melhor ambicionar uma maioria clara? Não faria diferença outro tipo de liderança? É evidente que faria. Mas Vitorino lá terá as suas razões para consolar o Seguro.

19 thoughts on “Vitorino e os 37%”

  1. Também fiquei com vontade de escrever sobre esse sofisma tão manhoso do Vitorino, falando dos partidos socialistas na Europa estarem piores nas sondagens do que o português, mas ainda bem que te antecipaste, Penélope.

  2. Penélope,

    Os “irmãos” encontram-se sempre na defesa dos seus interesses: a manutenção do “status-quo” (leia-se, regime actual).
    O nome “maçonaria”, diz-te alguma coisa?

  3. Por favor,façam-me um desenho do minorca.O encolhidinho(videirinho?)que fez carreira politica nas fileiras do PS,como,à semelhança de muitos outros,podia ter acontecido nas ditas do ppd ou afins,se tivesse um pingo de decoro e auto-respeito, já tinha recolhido ao seu monte Alentejano á muito tempo.
    Qual é o rendimento anual que o Orçamento de Estado lhe paga resultado de Pareceres Jurídicos solicitados?
    Na minha Cidade,diz-se:”VAI DAR BANHO AO CÃO.O QUE TU QUERES É QUE A TETA CONTINUE A DAR LEITE”.

  4. Bom, não transformando isto numa peleja pró e contra Ant.º Vitorino, parece-me que ele não quis consolar o atual líder do PS, mas sim a generalidade dos socialistas portugueses.

    Aliás, foi bem claro ao dizer que o PS em princípio ganharia Legislativas antecipadas e que estas são, a seu ver, inevitáveis…

    Já quanto à (ruidosa) ausência das suas doutas opiniões sobre outros factos e personalidades marcantes da Política portuguesa nos últimos dois anos e meio, pois isso é coisa que intriga muita boa gente – e que Ant.º Vitorino dificilmente conseguirá, no futuro, fazer esquecer.

    Mas penso que ele, como pessoa inteligente que é, deverá estar bem consciente deste facto, para não alimentar sonhos ilusórios quanto ao seu Futuro político, pois a vez de ele ser candidato a Belém já passou, quanto a mim, em 2006 e em 2011. Se nessa altura não avançou, pois agora que fique quietinho para sempre..

  5. Partir do “mula” do Vitorino tantos “apesar de”, implícitos na sua linguagem artificializada, é algo que só surpreende que está com forte de aderir a mais um embuste. Quem não encontra melhor explicação para o que está em jogo na política internacional? Pois bem, os sempre prontos para “gamelar”, aqueles que tudo estão dispostos a sacrificar em defesa dos seus mais que suspeitos interesses. O PS, mais que outros partidos ditos sociais-democratas, tem Socialista na sua designação, já reparou? É escolha não só dos seus dirigentes, também dos seus militantes. Podia ou pode ser outra coisa, como por Socialista se podem entender muitas coisas, menos o seu contrário, não é? Ainda me lembro de esperar ansioso pelo dia da cronica semanal de um rapaz de menos de vinte anos, no saudoso Diário de Lisboa, para consolar um ego pelejante, o qual vejo de ha anos um tipo gordo e bem estimado que fala à velocidade de uma pretensão. Como disse o António G. é a vida! Acerca deste post, apetecia-me dizer: é a ideologia, cara penélope! Mas adiante se verá! Com que olhos? Quem sabe se inchados! Mas descanse, que não para todos.
    José Luís Moreira dos Santos

  6. penople ,estou de acordo, com o seu post só queria ascrescentar um pormenor ou pormaior é só escolher. os 37% não podem ser comparados com sondagens de partidos com uma situaçao bastante diferente da nossa.(menos grave e menos contestaçao).os 37% antes de eleiçoes,acho que não é uma má percentagem,só que em eleiçoes,com outro lider mais carismatico e combativo,podia chegar-se a uma maioria absoluta ,com seguro estou convicto que se vai ser o inverso.desejo sinceramente enganar-me! termino com uma pergunta: quem quer ir para secretario geral! vitorino em temos não quiz liderar o partido,mas já queria ser comissario europeu.lixou-se.é um peseteiro da treta.

  7. lobbies em tudo e em todo o lado. mas às tantas o Joaquim Nabo era uma aposta melhor – pelo menos melhor do que Seguro.

    (no outro dia esqueci-me de te citar também para o novo partido, Penélope. foi uma falha, desculpa, que estou agora, não a detectar, a corrigir)

  8. Afinal Penélope é nada fiel a Ulisses de casa.
    Diz que AV “Parece alinhar pelo discurso dos impotentes ou conformados que entendem que é ‘comer e calar’, como se estivesse tudo bem …”.
    E,
    “Contextualizando estas afirmações, ou seja, atentando a que foram proferidas na sequência das afirmações de Mário Soares a exigir mais ao PS, dir-se-ia que AV vê não só no atual Governo português um conjunto de pessoas perfeitamente respeitáveis, competentes, sinceras e patrióticas, enfim normais (…) como também em António José Seguro um líder à altura das circunstâncias, ou, pelo menos, possuidor de muitos méritos.”
    Está percebido.

  9. Afinal no PS ainda subsistem algumas escassas vozes avisadas, cultas e informadas onde seriedade rima com rigor. Modernas. Como esta do Vitorino. Pena serem tão escassas. Raras. E que pensam foram da moléstia esquerdista do Paternalismo serôdio do Estado Social à borla e infindável, lenga-lenga saudosista de abris cantantes e outras histórias da carocinha do Estado Providência que a constituição garante. E pronto ! Senão levas umas pauladas e vamos pôr esta merda na ordem JÁ. BACOCOS …

    Essa esclerosada esquerda, dos já idosos rapazecos Galambinhos, Isabelitas e Valupinhos, um dia vai acordar com uma colossal dor de cabeça e perceber que O PS do País das Maravilhas é uma INTRUJICE e uma FRAUDE que por mais que berrem e martelem os dogmas SOARISTAS, não mudam nada.

    Já agora podem também ler o vosso camarada Assis, outro dos pouquitos que parece arrepiar caminho e começar a perceber que estamos fartos de verborreia como a vossa. Não acham?

    http://www.publico.pt/politica/noticia/portugal-precisa-de-uma-alternativa-seria-e-rigorosa-1614226

  10. Só duas coisas:
    -A notícia do Público é uma pequena nota retirada da entrevista á TSF.
    – Aqui são todos uns ressabiados, uns esquerdalhos, outros irresponsáveis, outros ainda saudosos do chefe adorado, o que lhes tolda o raciocínio. Candidatem-se a SG daquele saco de gatos, e já agora recordem que o Dr Mário Soares NUNCA TEVE UMA MAIORIA EM LEGISLATIVAS. Quando juntou uma maioria na rua, tinha ao lado aqueles que hoje estão no poder. Para ganhar as eleições Presidenciais precisou que Álvaro Cunhal mandasse os comunistas engolir sapos e fechar os olhos. E mais, teve e bem o apoio da Social democracia Europeia , nessa altura influente.
    E só para acabar, Seguro ousou avançar para SG quando o PS estava de rastos, desmoralizado, sem pensamento nem organização. O que ficaram a fazer os grandes líderes possíveis? Á espera que os militantes trucidassem 1 ou 2 líderes até acharem oportuno, como após Soares. É isso? Não subestimem AJS e já agora experimentem encontrar uma resposta para uma pergunta.
    Porque é que acham que o POVO que vota e os militantes do PS está receptivo a aceitar que lhe impinjam o CLONE, VENTRÍLOQUO do Ex-líder que tanto adoram? O Sebastianismo é muito nosso, mas foi há pouco tempo. Vão se encher de moscas.

  11. Ó TSF: “Ousou”? Lembras-te da cena do elevador na noite da derrota do PS? Nos anais da história do partido como a mais caricata e sonsa que os portugueses puderam observar.

    O PS desorganizado na altura? Explica-nos lá melhor essa grande “capacidade organizativa” do atual líder.

  12. Porque é que os hipotéticos grandes possíveis líderes, não avançaram em 2011 para SG? Algum impedimento objectivo ou só oportunismo?
    Calo-me já se me responderem a esta questão. Também se não responderam é o mesmo, porque não há pachorra para tanta irracionalidade.

  13. TSF: Muito simples. A campanha de diabolização de Sócrates por parte da direita e com o silêncio da extrema-esquerda tinha dado resultado. Tinha, aliás, dado tanto resultado que até dentro do PS muita gente aderiu aos seus pressupostos, passando a considerar Sócrates um homem eternamente suspeito de terríveis crimes e, paralelamente, o exclusivo responsável pela vinda da Troika. Foi em perfeita sintonia com essas pessoas que assim pensavam dentro do PS que Seguro se apresentou à liderança, mas não sem antes ter andado na sombra a preparar o terreno, jogando precisamente no engano a que muitos se deixaram induzir e que ele próprio alimentou. Veja-se, por exemplo, a história do código de conduta que se apressou a fazer aprovar no partido.
    Pois bem, neste contexto nacional e partidário, seria suicida no imediato, até porque nem teria hipóteses de ganhar a liderança, alguém com mais qualidade e inteligência candidatar-se contra o Seguro. O Assis foi um bravo.

    Mas já que Seguro tanto quis aqui chegar e com base numa argumentação pouco diferente da da direita no que às causas (e ao causador) da crise diz respeito, pois que levasse a bom porto a sua estratégia e se aguentasse. Só que, com o tempo, tudo se esclarece. Azar. Acontece que o tempo também tem provado a sua mediocridade.

    Pode ser que venha a ser primeiro-ministro (e com que equipa, senhores?). Esse facto acelerará felizmente o seu fim. Se não ganhar as próximas eleições, sairá mais depressa. Mas parece mesmo que temos, nós e o país, de esperar para ver.

  14. “Porque é que os hipotéticos grandes possíveis líderes, não avançaram em 2011 para SG?”

    porque falta de tempo, só a abécula do seguro, que tinha andado a fazer a sabotar a governação do sócras e oposição interna com arrebanhamento dos cola cartazes que sonham ser ministros, estava em condições de ganhar umas eleições internas numa candidatura pateticamente anunciada numa noite de eleições. agora vai provar daquilo que andou a fazer aos outros, qual é o problema? não faz oposição, não tem programa, não tem equipe e luta a todo o custo por se manter no lugar, é óbvio que o objectivo é fazê-lo saltar fora na primeira oportunidade. a direita vai ficar chateada e lá se vão os cintilantes dias do beleza.

  15. Ignatz espere sentado ou aos saltos e aos berros, tanto faz. Não precisavam de me responder para dizer o que disseram, porque era óbvio. Oportunismo, líder para queimar. Falta perceber que mesmo hoje os adoradores do Ex-líder+ os do clube de fans não têm hipóteses nem dentro do PS e menos ainda no povão que vota. JS foi muito atacado e vilipendiado, mas não foi ” DEUS NO CÉU E SÓCRATES NA TERRA” e o clone não passou ainda da memória de ser um CLONE.
    AJS já esteve mais cercado, tanto fora como dentro do PS tem mais determinação do que a imagem que oportunamente lhe foi colada. Cá estaremos para ver, já agora quanto à altíssima qualidade política dos possíveis aspirantes. É um prazer ouvirmos, a explicar bem as coisas. Já agora para tantos sabedores, segue mais uma pergunta a uma situação que me intriga desde 2011, e ressurgiu na entrevista a CFA. O que quer JS dizer com a frase “LACÃO VAMOS INCENDIAR AS NAUS, VOU DEMITIR-ME”?
    Nota de rodapé: Votei 3 vezes em JS. Uma cheia de convicção, outra com convicção e a última sem alternativa. A avaliação de caracter, feita das suas próprias palavras leva-me a concordar com ele. Melhor ” NÃO DEPENDER DO FAVOR POPULAR” e já agora também seria razoável deixar-se de patrocínios e de hipocrisias no fim da homílias dominical. Gato escondido com rabo de fora, para crentes e não crentes. INCENDIAR AS NAUS??

  16. “Oportunismo, líder para queimar.”

    oportunismo, mas foi do tózero. não pediu opinião a ninguém e amandou-se à fuçanga para a cadeira, ainda quente. claro que é para queimar, vamos lá ver é se pega fogo ou tem de ser co-incinerado. achas que alguém respeita um gajo pendurado em estatutos, formalismos e água de colónia? quando lhe chegarem o fósforo arde num instante.

  17. “Pode ser que venha a ser primeiro-ministro (e com que equipa, senhores?). Esse facto acelerará felizmente o seu fim. ”
    Não, Penélope, esse facto acelerará o nosso fim, com o dele. É urgente que vozes no PS se batam para o depor ante de esse desastre acontecer. Não percebo a insistência em querer manter o homem – os tempos mudaram desde a noite do elevador, não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.