Uma grave contradição + quem quer sair da NATO?

  1. Vladimir Putin apoia, por princípio e com tropas, a maioria russa na bacia do Don que quer autonomia e independência em relação à Ucrânia. Em contraste, a maioria ucraniana que quer independência em relação à Rússia é brindada com uma invasão, mortes e ameaça de extinção. Isto é muito lindo.
  2. Com tanto país a querer aderir à NATO, desde a Finlândia até à Geórgia, prolongando-se ao Azerbaijão e ao Cazaquistão, um dia destes quem quererá sair serão os Estados Unidos. É uma responsabilidade com a qual não estariam a contar. Digo eu. É mentira, espero que não, pois seria sinal de que um chalupa como o Trump voltou, mas a ideia é divertida.

14 thoughts on “Uma grave contradição + quem quer sair da NATO?”

  1. Se, em oposição ao cidadanismo de Roma da NATO… a Russia apoiar a elaboração do Mais Elementar dos Tratados de Paz…
    —-> A RUSSIA PODERÁ VIR A SER A LÍDER DO MUNDO LIVRE!
    .
    .
    Os boys e girls unidos no ”’saque das riquezas da Russia”’ pretendem comer- nos por parvos!
    .
    Sim: os boys e girls unidos no ”’saque das riquezas da Russia”’ recusam o Mais Elementar dos Tratados de Paz:
    —> um tratado de paz que recuse o MAIS VELHO DISCURSO DE ÓDIO DA HISTÓRIA -> o ódio tiques-dos-impérios: o ódio a povos autóctones dotados da Liberdade de ter o seu espaço e prosperar ao seu ritmo.
    .
    .
    O cidadão de Roma da NATO ambiciona fazer na Russia (um território imenso no planeta, com apenas 140 milhões de habitantes)… aquilo que já foi feito a povos autóctones da América do Norte, do Sul, etc
    .
    Os autóctones Identitários são alvo de ódio por parte dos cidadãos de Roma da NATO… porque… os Identitários autóctones não estão interessados em:
    1- negociatas de índole esclavagista: isto é, negociatas que pressupõem a existência de outros como fornecedores de abundância de mão-de-obra servil.
    2- negociatas de índole colonialista: isto é, negociatas que pressupõem a substituição populacional de povos autóctones considerados economicamente pouco rentáveis.
    .
    -> Para o cidadão de Roma da NATO roubar/saquear territórios (em conjunto com sabotagens sociológicas: substituições populacionais, holocaustos massivos, etc) a povos autóctones…
    … é uma herança universalista/multiculturalista!?!
    [veja-se: América do Norte, Sul, etc]
    .
    Mais:
    – quando se fala na devolução de territórios a povos autóctones (que foram impedidos de ter tempo de prosperar ao seu ritmo)… o cidadão de Roma da NATO quer que essa devolução seja considerada ‘racismo’!?!
    .
    Mais:
    – o cidadão de Roma da NATO instiga o cerco a Vladimir Putin por países da NATO: boys e girls a aguçar o dente às riquezas da Russia.
    .
    .
    Putin deveria ter feito uma ofensiva diplomática:
    -> os líderes do europeu-do-sistema XX-XXI (Merkel, Sarkozy, etc) deveriam ser JULGADOS POR CRIMES CONTRA A HUMANIDADE.
    [estiveram em conluio, quer com a destruição de economias, quer com o massacre de milhões de pessoas]
    .
    .
    Um exemplo:
    – Merkel (etc) bloqueiam a investigação à forma como chegam armas a ‘grupos rebeldes’ que… não possuem fábricas de armamento!
    .
    Merkel (etc) estão preocupados é em acusar de ”’RACISTAS”’/xenófobos os Identitários separatistas que dizem o óbvio:
    – «a recepção de refugiados faź parte do negócio… os países aonde são produzidas as armas utilizadas pelos ‘grupos rebeldes’ é que têm de pagar a ajuda aos refugiados».
    .
    [É isso: a máfia do armamento fornece armas a ‘grupos rebeldes’ (sim: os ‘grupos rebeldes’ não possuem fábricas de armamento!) para lucrar, não apenas com a venda de armas, mas também com o acesso a recursos naturais de baixo custo (petróleo, etc)… e mais, são deslocados para locais aonde existem investimentos interessados em negócios de abundância de mão-de-obra servil].
    .
    .
    .
    .
    .
    SEPARATISMO IDENTITÁRIO; sim, óbvio!!!
    .
    Os IDENTITÁRIOS SEPARATISTAS vão querer estar em coligação com a Russia
    … e…
    vão querer LIBERDADE/DISTÂNCIA/SEPARATISMO do cidadão de Roma da NATO.
    .
    Sim:
    – NA ORIGEM DA NACIONALIDADE ESTEVE O IDEAL DE LIBERDADE IDENTITÁRIO (“ter o seu espaço, prosperar ao seu ritmo”)… não foi… o ódio do cidadanismo de Roma.
    .
    .
    SEPARATISMO 50-50:
    -> os globalization-lovers, UE-lovers, etc, que fiquem na sua… desde que respeitem os Direitos dos outros… e vice-versa.

  2. Custa muito não tergiversar e encarar a situação de frente?!
    – a Ucrânia foi invadida ilegalmente pela Rússia e a desproporção de meios militares é brutal;
    – há milhares de refugiados e a destruição de vidas e infraestruturas naquele país está à vista de todos;
    – a guerra só é virtual “fora da Ucrânia”; lá dentro morre-se;
    – para lá das bravatas de quem está fora de perigo e acha “espectacular” a guerra vista e narrada nas televisões, há uma realidade cada vez mais negra e perigosa.
    – as redes sociais são um sítio confortável para dizer barbaridades e espalhar ódios, mas a Ucrânia, amanhã pode ser em todo o planeta;
    – colocando-me fora da perspectiva de estarmos em qualquer “guerra santa”, como não acredito que a subjugação de um povo seja possível, não vislumbro que a Rússia tenha qualquer veleidade de anexar a Ucrânia ou qualquer outro Estado;
    – não é uma questão de fé, é a História que o indica (e os dirigentes russos também estudam História, julgo eu) como se prova, nomeadamente, pelo Vietname, Afeganistão, Angola, Moçambique, todas as ex-colónias africanas, etc, etc.
    – se assim for, não adianta alimentar um conflito que no curto/médio prazo só pode potenciar a miséria do povo ucraniano e de todos os povos do mundo que, de uma forma ou outra, irão padecer com a continuação da guerra;
    – o correspectivo é o lucro daqueles que fazem do negócio da guerra um modo de vida;
    – e de todos os que cobrarão a factura da reconstrução do país;
    – pressionar as partes a chegar a uma paz justa é a única alternativa razoável;
    – neste contexto, não não faz qualquer sentido procurar tirar partido unilateral da situação;
    – por mais que se queira, não é possível dar cobertura aos apelos sistemáticos do Presidente Zelensky para que a Nato intervenha no conflito;
    – se assim fosse, e não é, como os próprios dirigentes da Nato já explicaram, era o começo da 3ª guerra mundial;
    – nestas condições, começa a não ter qualquer sentido que o Presidente continue a reiterar tal exigência;
    – o destino que o mundo teria nesse caso julgo que nem os mais fanáticos desejarão;
    – Ou então, o que é ainda mais perigoso, tais pessoas nem se põem essa hipótese;
    – dando azo a que os mandantes se possam julgar legitimados, pelo conforto da opinião pública, da legitimidade de uma qualquer intervenção militar;
    – é que, há-de considerar-se, mesmo que como mera hipótese, que entre as potências ocidentais nucleares possa haver quem, com poder, pense que pode ter qualquer vantagem sobre a Rússia e precipite os acontecimentos.

    TODA A AJUDA HUMANITÁRIA E ECONÓMICA À UCRÂNIA!
    NÃO À GUERRA!

  3. Há p’raí enxurradas de oportunistas que não se conformam com a postura do “comediante”. Queriam que ele tivesse aceitado a boleia oferecida pelos states. O Homem acusa a nato e a ue e com razão. Quem se vai f…. é a Europa/ue. Ou passa pela cabeça de alguém que os biden/trump vão envolver-se a sério nesta m….? Já não faltam vozes a suplicar pelo XaiJai

  4. “TODA A AJUDA HUMANITÁRIA E ECONÓMICA À UCRÂNIA!
    NÃO À GUERRA!”

    falta aí ajuda militar, sem aviões vai ser impossível parar a guerra. o putin só recua quando as baixas forem muito elevadas e o botão do nuclear só estará seguro com uma revolta dos militares russos. não há solução para isto e para o que se seguirá enquanto a nato andar com cenas pacifistas, cumprimento de tratados, estatutos e demais porras para as quais o putin se está cagando. medidas a tomar já: zona de exclusão aérea, intervenção aérea descaracterizada exterior à ucrania, fornecimento contínuo de material de guerra e munições à resistência ucraniana. se nada disto for feito de imediato é a destruição e genocídio total da ucrania e do seu povo. pacifismo só quando cortarem a cabeça ao pudin, agora é aguentar à bronca e responder-lhe pelo dobro.

  5. O vitor diz que a Hungria fecha portas ao envio de armas da Nato para a Ucrânia.
    O Olaf, da Alemanha, diz que a importação de energia russa é essencial à Europa.
    O Macron faz dos telefonemas com o ditador um instrumento de campanha eleitoral.
    Nós por cá, através do Dr. Costa, anunciamos ao mundo que a Finlândia e a Suécia querem aderir
    à Nato (anúncio que só a estes diz respeito).
    Todo o mundo diz que o putin está apoiado nos oligarcas. Eu, que falava com alguma frequência com os 7 inquilinos de um prédio de 3 andares onde habitei alguns anos, mas para cuja vida me estava cagando, estou com o Evgany Moravitch, o da RTP, o seu grande apoio são 60 milhões de funcionários públicos numa população de 141 milhões. Vai daí, estou a recuperar as velhas palavras de ordem do prec: nem fascismo, nem social-fascismo! Nem imperialismo nem social-imperialismo.

  6. Em questões complexas, é de evitar tiradas simplórias.
    Mas às vezes, quando a paciência se esgota, não há como simplificar.
    Assim,
    quando havia o muro de Berlim, era o povo da RDA que queria fugir para o Ocidente; e não o contrário;
    quando um país é atingido por um terramoto, tsunami ou outras catástrofes, é à porta dos EUA (e, não da Rússia e da China) que pede socorro – como muito bem Obama lembrou um dia;
    sem os media independentes, está o povo russo condenado à informação alarve do regime Putin; nós por cá já conhecemos a negra noite de censura.
    Sim, toda a ajuda à Ucrânia. Sim, à Europa. Sim, à NATO. Sim a Biden e aos dirigentes europeus que mantêm a cabeça fria e avançam evitando confronto.

  7. Hoje estou com a corda toda.
    Uma notícia de encantar, que parece merecer o aplauso da UE e da Nato, de jornalistas e intelectuais – e até das redes sociais. A notícia de que a Alemanha (a Alemanha!, notaram bem?!) vai investir 100 bilhões nas suas forças armadas.

  8. “Sim, toda a ajuda à Ucrânia. Sim, à Europa. Sim, à NATO. Sim a Biden e aos dirigentes europeus que mantêm a cabeça fria e avançam evitando confronto.”

    ora nem mais, o resto são geoestrafegas de bancada e pacifistas a favor da rendição.

  9. A cabeça do Putin não é um desígnio do ocidente. Se os russos querem lá o Putin pois que se lixem mais ele. Se a NATO entrasse a defender a Ucrânia íamos todos pelo ou para o buraco. O que muitos querem é que Zelensky desista. A esses eu pergunto e porque é que o invasor não tem de desistir? Quem entrou pela Ucrânia dentro é que sai em beleza? Só me falta ver isto acabar numa açorda temperada com os condimentos de Putin. Olhem que se for assim acontece como com a I Guerra que só teve o seu fim na II. Por muito que me queiram convencer que as razões de tudo isto são económicas, ele é o gaz daqui o petróleo dali, não me parece. As razões são as de Putin que quer espaço para viver a vontade o seu capitalismo autocrata e se serve de um povo que ficou órfão em 1989 e que julgava viver num país que era o sal e o sol da terra, para além de poderoso, e de um momento para o outro constatou que era pobre e assente em pés de barro. Depois chegou Putin a explorar o seu luto e a distribuir benesses aos mafiosos que lá o puseram. Foi um enlace que deu nisto e quem ficou pior foram os ucranianos.

  10. “A notícia de que a Alemanha (a Alemanha!, notaram bem?!) vai investir 100 bilhões nas suas forças armadas.”

    tudo o que seja feito para acabar com a extrema-direita, racistas e supremacistas, ditadores e pacifistas pró socialfacho, peca por ser pouco.

  11. Adolf Putin, para alem de ser uma besta humana, é um son of a bitch, sonha ser um novo czar para voltar a formar uma nova União Soviética, mesmo que isso cause uma desgraça tambem para o seu povo, está-se nas tintas!
    Para alem disso, ele odeia as democracias, adora o eu quero, posso, e mando, sinónimo das ditaduras, é tão idiota que não se apercebe que a Ucrania é enorme, e vai sair-lhe um novo Afeganistão!
    Para isso é necessário que a UE e a Nato não desistam de armar a Ucrania, esperam todos os democratas deste mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.