Um dia tinha que ser. Não demorou muito

O diretor do jornal i, que aqui destaco a título de exemplo, está com saudades de um primeiro-ministro digno desse nome. Não há outra maneira de interpretar a sua prosa de hoje. Em editorial, lamenta não saber de que vive José Sócrates. Lamenta tão só e apenas isso. De resto, era perfeito. O que não surpreende. Aos poucos lá vão chegando.

10 thoughts on “Um dia tinha que ser. Não demorou muito”

  1. tou mais preocupado com os rendimentos extra da família cavaco, do ex-conselheiro de estado lóreiro, dos negócios do relvas enquanto ministro e do ângelo correia enquanto padrinho do primeiro ministro, mas isto não preocupa o directores do i e da pasquinada em geral.

  2. Um bom exemplo do jornalismo que não há. Sendo o homem director dum jornal e achando que se trata dum assunto de interesse nacional, ponha os seus jornalistas a tentar saber, e depois fale.

  3. Estes canalhas querem a inversão do onus da prova.Se têm duvidas investiguem.preocupam-se com os homens honestos e os gatunos andam à solta a viver à grande e à francesa e à custa do nosso dinheiro.Socrates, efectivamente deve ser um homem extraordinario e por isso paga um bom preço.dos mediocres e ladrões que montaram banca na direita, ninguem fala.São gatunos ,mas mediocres e como tal não vendem jornais.

  4. Cara Penélope,
    não sei francamente o que aterroriza mais esta matilha, se a sua própria incompetência, se o medo que o homem regresse e os meta definitivamente nos eixos.
    Nunca assisti na minha vida a uma tão vil campanha contra alguém.
    Ele são insinuações veladas ou outras mais às escancaras, eles são rotundas mentiras repetidas até à exaustão, os mais espertos ainda pegam em erros e transformam-nos em crimes de lesa pátria, enfim…, é um vê se te avias numa campanha amoral e vergonhosa.
    No entanto, são na generalidade pessoas com telhados de vidro que o fazem sabendo que os sabujos estão por aí para morderem nas canelas dos que se atrevem a enfrentar-lhes a gosma.
    Servidos por uma multidão de escrevinhadores a soldo, mamando em tetas devidamente providas e sustentadas pelo povoléu laranja-turquesa que o vai sacando do zé pagode anónimo e pachorrento, esta cáfila odienta e mal formada anseia por um lugarzinho ao Sol numa oligarquia qualquer.
    A democracia ou quaisquer valores éticos são manjares que não se adequam à sua ementa e lhes causa uma azia que os leva ao desespero, pois o seu palato está mais habituado à intriga, ao compadrio, ao faz-de-conta, ao esbulho de quem não se pode defender ou apenas à bestialidade dos sentidos.
    Gente assim, não levará certamente este país a bom porto, mas que lhes interessa!

  5. Como diz a canção…Maria Rita, o seu raciocínio é do tipo, ele roubou mas comparado com outros até foi pouco? Ou acha que esse animal ( descanse que há muitos mais, alguns já mencionou) vive do quê exactamente? Dos dinheirinhos da mãe? E, não tem que os declarar no IRS? Está isento, é?

  6. Zé carioca,a si digo-lhe: voçê é um ladraõ, agora faça o favor de provar-me que não é.OK.Quanto a socrates,um ordenado de mais de 6mil euros mês mais ajudas de custo durante 8 anos,não dá para estar 2 anos em paris? sabe que mais a sua biblia é de social facista e portanto não não dá para perder tempo.Leu a sondagem do jornal economico? Socrates foi considerado o melhor primeiro ministro de portugal.Voçe nem o considero um animal pois ha-os muito mais simpaticos e inteligentes que o Zé carioca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.