Último destino: PASOK

Quatro meses. O que vai fazer Seguro para conseguir ser eleito «candidato a primeiro-ministro»?

Já a contar com as vossas respostas, porquê a trabalheira e a baixeza, se, a ser candidato eleito, vai perder as legislativas?

32 thoughts on “Último destino: PASOK”

  1. Um dia havemos de ver o Seguro aderir ao PSD. Antes disso, no imediato, destrói o PS e deixa o país sem alternativa democrática. Tudo a bem do seu pequeno ego. Nunca menosprezar o poder destruidor dos medíocres! Já devíamos ter percebido isso com PPC, o gémeo.

  2. Kautsky,Kerensky,Miterrand,Major,Hollande,Seguro, tirem vocês as conclusões. Quem não conhece a História vai repeti-la. Como uma farsa.

  3. Seguro, prefere destruir o país a perder o poder.
    Mais grave, acredita mesmo que será primeiro-ministro. Ainda não percebeu que depois de Costa ter avançado ele NUNCA mais recolherá votos suficientes, a sua manutenção apenas significará a vitória do PSD/CDS.
    Sou socialista, mas antes este governo mediocre que um governo do fofinho, agarrado à cadeira.
    Imaginem, se ele faz isto como líder de um partido o que fará como primeiro-ministro – a ideia é assustadora.

  4. Seguro será muito bem recompensado pelo que está a fazer ao PS e ao país. É um mero agente. Este homem foi imediatamente convocado para mamar os piretes dos chefes de bilderberg assim que tomou posse como secretário-geral do PS. É tão óbvio que até chateia.

  5. Vai perder, porque os “socialistas” como a Penélope tem sempre o Marinho Pinho ou outro qualquer em quem votar. Não foi isso que fizeram nas europeias? O ataque abutre dos Costistas e Socristas foi tão rápido que não enganam ninguém…

  6. A Ariane disse tudo, por mim reafirmo o que sempre disse e fiz nas europeias, não voto PS, 1ºx em 24 anos, com um Seguro como secretario geral.

  7. Cheira a pote, o Costa sabe disso, por isso é que se vê este espectáculo degradante entre socialistas. É incrível serem mais fanáticos e contundentes com o seu secretário geral do que com essa matilha da direita. E há quem diga que até é melhor estes continuarem lá…meu Deus…os socialistas estão perdidos.

  8. Algarvio, faço meu o teu escrito, timtim por timtim.
    Pedro Costa, com quem aprendeste a pôr entre aspas os socialistas que não votam em Seguro? Foste ensinado assim ou é só uma fezada tua?
    Já quanto ao ataque Costista e Socrista, tens toda a razão, foi mesmo muito rápido.
    Tudo normal, tu é que estás habituado e admiras a pasmaceira, a sonsice , o planeamento ressabiado , à espreita de uma nesga para entrar na sala.
    Olha, habitua-te porque isto mudou.

  9. O PS ainda respira muito o ambiente guerrilheiro de Mário Soares, a sua falta de planeamento, de conhecimento, de competência, de rigor, de eficácia e de meritocracia.

    É tudo muito instintivo, feito em cima do joelho.

    E como o País tem sido, e é administrado por muita gente do PS e PSD com as mesmas maleitas, conivências e imediatismos, é fácil encontrarmos o País desorganizado, saltitante, indeciso, sem a meritocracia implantada.

    José Seguro foi mais uma expressão e vítima da escola de Mário Soares.

    E o País lá vai pagando as ‘favas’, sempre na cauda da Europa.

  10. lá está a puta da comunada a mandar bitaites, como se não tivesse a sua quota parte da responsabilidade pela atmosfera nauseabunda que se respira…

  11. O mais engraçado nisto tudo, é que há uma série de blogs ditos de esquerda socialista que fazem ataques destes constantes dia após dia, declaração após declaração do secretário-geral do PS e acham que fazendo isso estão a salvar o partido socialista e o país…vejam lá a arrogância desta gente. Estão tão enganados. Há tanta gente que mais desiludida do que com o resultado das eleições, que não foi muito diferente de outras europeias- o povo nunca teve respeito por estas eleições- ficou átonito com este circo socialista. Sendo eu um socialista desde que existo, tendo votado sempre nessa família, mas não militante, ou filiado em quer que seja nem pertencendo a nenhuma lista ou desejo de pote e/ou tacho, fiquei sinceramente com dúvidas se voltarei a votar, depois de assistir a esta luta de galos inacreditável. Os blogs com o seu fanatismo por certas pessoas, e não pelo socialismo só reforçou a minha ideia de que vão perder mais do que ganhar com este espectáculo.

  12. Ó cheira a pote, não és tu, que tens uma mãezinha de 80 anos que nunca mais vai votar nesta cambada????

    É que pela merda que escreves parece mesmo que tens…

  13. A minha familia tem 5 membros todos votavam PS. nas ultimas 1 votou livre 3 abstiveram-se e eu pela ultima vez Votei PS, se o secretário geral for AJS.

  14. «A pergunta que interessa fazer é sobre o que está no cerne do conflito entre António Costa e António José Seguro, para lá das ambições pessoais e dos jogos mais ou menos táticos que são indissociáveis da vida política de ambos, e de que Paulo Pena fez um interessante retrato na Pública do último domingo.»

    «Neste confronto há, a meu ver, duas questões centrais: a da oportunidade e a das ideias. Quanto à da oportunidade, ela não podia ser pior para um partido que, num contexto nacional e internacional dificílimo, tem agora – depois de ter ganho claramente as duas últimas eleições, autárquicas e europeia – um ano para se apresentar como uma alternativa consistente à direita que tem governado nos últimos anos.

    Estas últimas, de resto, com um dos melhores resultados que os socialistas tiveram em toda a União Europeia. Mas eram muitos os que, nas hostes costistas e socráticas, dificilmente deixariam A.J. Seguro chegar tranquilamente às legislativas, de cujas listas temiam desaparecer.»

    «O que se tem passado com António Costa, cujas qualidades conheci bem ao trabalhar com ele no Governo e no Parlamento, lembra-me muitas vezes o que se passou nos finais da década de noventa com Durão Barroso. Ele também era, face ao domínio socialista de então, o líder predestinado do PSD, com mundo, culto, rodado, etc., um político perante o qual todos os rivais empalideciam mal se pronunciava o seu nome, divinizado pelos media até à idiotice mais absurda, ouvido como um oráculo por uma comunicação social que transformava cada banalidade sussurrada na expressão de uma qualquer genialidade.

    Essa aura chegou a assustar o então primeiro-ministro António Guterres. Lembro-me bem de ter sido convocado – como foram, individualmente, todos os ministros – para reuniões de emergência em São Bento, porque agora a coisa “ia ser a sério”. Pois bem, entronizado como líder do PSD, viu-se: desde o primeiro debate parlamentar até à sua astuciosa fuga para Bruxelas, foi o contínuo desmoronar do mito.

    Ainda agora, vendo a entrevista da passada segunda-feira de António Costa à TVI, o que me pergunto é o que há para lá de uma espécie de aura sebástica que, com inegável talento comunicacional e de relações-públicas, se construiu à sua volta. Há um tom de voz mais grave, é certo, e isso conta. Mas quanto a ideias, não ouvi a Costa nada que o Seguro não ande a dizer há muito tempo: pugnar por outro modelo de desenvolvimento, apostar na qualificação, combater o retrocesso social, etc., etc. Como se sobrasse em protagonismo sebástico-mediático o que falta em diferença propositiva, ou ideológica.

    Penso pois que Costa fez mal em abrir uma guerra de poder no Partido Socialista, cujas consequências fratricidas podem abrir caminho à perpetuação da direita no poder» Carrilho

  15. Costa tem para muita gente problemas piores com quem o vai cercando, gente que tem andado mais que ligada às oportunidades no carreirismo, nos negócios. Nomes? Por exemplo, Amado, Vitorino, Coelho são gente com quem o país e o partido nunca nada ganharam e que empestam qualquer candidatura.

    Por seu lado, Costa vale o quê? De esquerda não é, nem nunca foi. Foi um ministro da Justiça e da Administração Interna autoritário (veja-se com as arbitrárias notificações postais ou mandados de busca e captura executados madrugada dentro). É também um presidente da Câmara medíocre, que só faz figura por suceder a quem sucedeu. No mais tem privatizado serviços e espaços públicos, cedendo a interesses como os do rock in rio ou do continente. E clandestinamente não tem parado de minar a actual direcção – o que aliás nem squer será hábito recente – Ferro Rodrigues, um sg sério e decente, bem se pode queixar.

  16. jpferra, não a minha mãe não tem 80 anos, mas tem idade o suficiente para te dar duas lambadas por falta de educação, quem precisava de ter uma como ela eras tu, podia ser que tivesses mais educação e respeito. Deves ser um desses meninos caviar que também quer o pote, ou faz parte das Jotas, não? É que a velocidade com que insultas quem não se verga ao teu menino Costinha, um tipo de direita, tem a sua graça. Deves ser amigo do Passos Coelho, como era o Mário Soares quando o Passos ganhou as eleições.

    Matilde, aí está o socialismo em todo o seu esplendor. A sua família, Prefere a governação do Coelho/Portas com os resultados à vista, do que o AJS eleito democraticamete pelos socialistas e que ainda não teve tempo de ir ao pote. e depois os fanáticos são outros. Eu votaria em qualquer um que estivesse à frente do PS contra estes tipos que lá estão. Mas voces pelos vistos só se interessam por certos nomes, sabe-se os interesses escondidos, os tachos prometidos.Esta gente politiqueira , estas guerras politiqueiras enojam-me. Ver os socialistas neste estado deixa-me estarrecido

  17. Há muita gente que naturalmente ainda não percebeu quem é e quanto vale António Costa mas todos, mesmo os inimigos, sabem que não é nenhum Seguro.
    Por outro lado, naturalmente todos já perceberam quem é e quanto vale Seguro mas todos , mesmo os amigos, sabem que não é nenhum Costa.
    O que, ainda naturalmente, alegra uns, enraivece outros e amedronta muitos.

  18. Resolvam esta treta em tempo útil. Vejam o exemplo dos ingleses; em qualquer um dos dois partidos políticos do arco do poder, os ingleses resolvem sempre em tempo útil — e de forma relativamente elegante — este tipo de crises de liderança.

  19. O problema é que não existe diferença. PPC e AJS não têm discurso politico, não são homens de estado, não têm coerencia e ambos pouca competência. Para que conste não sou militante de partido nenhum, nunca fui funcionária publica nem recebi nada seja de ninguém, por isso não vale a pena caluniar!!! Sou apenas uma cidadã que quer o melhor para o meu país!

  20. Pois, o azar do AJSeguro, direção e apoiantes (como o “cheira a pote” – e que nome, céus!) é que muitos socialistas ainda pensam pela sua cabeça e decidiram não dar o seu voto ao Querido Líder (para o levar de carrinho à destruição do PS e do socialismo, e, de caminho, a direita novamente ao poder). De modo que, caro apoiante de AJSeguro, por mais manigâncias com estatutos e golpes de secretaria e etc., sem campos de reeducação ou a mais ibérica inquisição temo que vá ser difícil meter na ordem a ralé…

  21. Ou de como o camelo que foi cinicamente convidado a atravessar o deserto, depois se revoltou, a chegar ao oásis…

    Ou de como o clan Soares deixou de ter influência no partido que criou.

    Ou de como o PS vai perder as próximas legislativas se não disser já, com clareza, o que pretende fazer quando chegar ao poder (com primárias ou sem elas).

  22. ontém, o tózero teve mais uma vitória retumbante, conseguiu marcar eleições para setembro. prá semana vai ter que marcar um congresso até ao fim do mês a pedido das federações, concelhias, ex e actuais presidentes de câmara, grumetes e restante tripulação. é desta que o gajo vai a ganir para belém e pedir ao cavacoiso para fazer eleições já que ele assina todos os acordos em branco.

  23. Alguma desta gente que por aí comenta, mesmo socialistas, como dizem, ainda não percebeu, nem viu, que o PS, com o Seguro, NÃO TEM FEITO QUALQUER OPOSIÇÃO a este (des)governo? E porquê? Porque o Seguro NADA VALE, ele é apenas mais um tachista, agarrado à função importante que desempenha – só não sei é como é que um fulano destes é “eleito” para essas funções. Então não é democrático que, face a esta situação caótica, para o PS e para o país, e com os fracos resultados eleitorais do PS, depois de 3 anos de um governo ilegítimo(compare-se a campanha eleitoral com a acção governativa), apoiado pelo cínico e pidesco PR, que se apresente uma candidatura à sua substituição? Ao que chegámos!? Viva um “novo” PS, abaixo o actual, (in)Seguro!

  24. Penélope, o PS está ligado à máquina. A única hipótese de salvação é desligá-lo. A máquina de mesquinhos interesses montada por muitos pequenos seguros serve-se a si mesma. Só os de dentro, os pequeninos é que poderiam alterar este estado de coisas, mas neste momento andam mais preocupados em manter os empregos, equilibrar o orçamento familiar, ajudar os familiares mais à rasca, enfim, manterem-se à tona no meio deste naufrágio colectivo.
    Manter este pântano até final de Setembro é a machadada quase final. Ainda tenho uma pequena esperança que as Federações possam fazer alguma coisa, mas pelo andar da carruagem parece que os dias do PS forte, coeso, presente, lutador, aberto à mudança ficarão para um futuro longínquo, isso se não morrer entretanto.
    Habituemo-nos.

  25. Mais do que discursos emotivos e calimericos , mais do que as palavras , o que contam são os actos.
    Um lider que reage como Seguro reagiu á ameaça de outro macho alpha em campo é sinal suficiente para percebermos que não está nem nunca esteve á altura do que a situação exige. O refugio nos estatutos e na secretaria não é sinal de coragem, caros defensores de Seguro. É sinal de cobardia. De medo. Não vai a votos porque têm medo. Porque sabe não estar garantida vitória da sua candidatura num congresso extraordinário.
    As revoltas esmagam-se quando o lider das mesmas é fraco e as vontades que o apoiam difusas. Não é o caso de António Costa. E nesta situação, um lider desafiado vai a jogo. Se não vai é cobarde. Têm medo. Ponto.
    Se nem dentro do partido consegue ser homem, dúvido que á frente dos destinos do país o seja.
    Seguro é o Hollande português. Digo-o com pena. Apesar de nunca ter confiado no tipo admiti no inicio , após as eleições de 2011 que poderia estar errado, que Seguro e sua entourage podiam significar uma mudança no partido e uma maior defesa dos principios de esquerda e do estado social. Com a eleição de Passos Coelho, sabia-se bem o que aí vinha e que não ia ser bonito.
    Mas não. Os actos contam mais do que as palavras. E os actos de Seguro desde que tomou o poder no PS não inspiram confiança nem aos anjinhos. Porque o discurso é muito bonito mas não se traduziu nem traduz em nada na pratica, especialmente com atitudes contraditórias como o voto favorável ao tratado orçamental , a aceitação da alteração selvagem ás leis laborais e a cereja no topo do bolo : recusar-se a apoiar a iniciativa de um grupo da bancada socialista no pedido de fiscalização constitucional de um
    orçamento .
    Já para não falar de discurso incoerente durante estes 3 anos, de proto- medidas como a “brilhante” ideia de criar um tribunal especial para grandes empresas e investidores, para lhes facilitar a vida na resolução de processos…mas isto vêm tudo da escola ( ou melhor, falta dela) de Passos Coelho?!
    A verdade é para ser dita, meus caros. Habituem-se. Seguro tem sido um péssimo lider na feitura de oposição ao governo mais patético dos ultimos 40 anos. E depois admiram-se que lhe queiram disputar a liderança?
    Tenham vergonha na cara, porra.

  26. Seguro não chegará às chamadas primárias. Vai demitir-se antes disso e vai haver congresso extraordinário ainda antes de Agosto. Nenhum idiota quererá passar pela humilhação que ele sofrerá se for a essas eleições, mesmo cozinhadas por ele. Os socialistas não o querem à fente do partido, ele vai acabar por perceber isso. As sondagens continuarão a dar uma vantagem esmagadora ao António Costa e todos nós sabemos, excepto um imbecil que aqui vem asnear, que a pessoa do secretário-geral pode fazer toda a diferença. Com Seguro, o PS vai a pique.

  27. se houver eleiçoes no porto,seguro perde-as “seguramente”.basta os militantes pegarem seu programa eleitoral,e ver o que lá diz . é preferivel esta contestação a levarmos com sec. gerais à moda do pcp e, ninguem os poder contestar.temos é que descançar de vez em quando,para não ficarmos exaustos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.