Tribunal de Contas, Nuno Crato: embrulhem

Segundo o jornal Público de hoje, «a actual administração da empresa pública Parque Escolar (PE), nomeada em Março pelo ministro da Educação, Nuno Crato, apoiou as decisões tomadas pelos anteriores administradores referentes às obras de modernização em duas escolas do Porto, as quais, segundo o Tribunal de Contas (TC), se traduziram em despesas e pagamentos ilegais que ascendem a 18 milhões de euros.
Em Março, Crato exortou a anterior administração a demitir-se, depois de ter conhecido os resultados das auditorias à actividade da empresa realizadas pela Inspecção-Geral de Finanças e pelo TC. Os relatórios das auditorias às obras de modernização das escolas secundarias Sá de Miranda, em Braga, Rodrigues de Freitas e do Cerco, no Porto, foram divulgados pelo TC, ontem, e completam a auditoria à empresa iniciada em 2010.
» […]

[…]«Na sua resposta ao TC, o actual presidente da Parque Escolar, Pedro Marques, defende os procedimentos adoptados pela anterior administração, sustentando, no que respeita ao fraccionamento da despesa, que “do ponto de vista operacional era praticamente inviável a adopção de um único procedimento”. Quanto aos trabalhos a mais realizados argumenta que se tratou de “uma obra complexa, cujo edifício estava em vias de classificação pelo Igespar, de que resultaram diversos imponderáveis”

Sabemos que o relatório da IGF, ao contrário do que muitos pretendiam e os jornais alardearam, não «demolia» a Parque Escolar, muito pelo contrário, elogiava a seriedade da sua gestão (o que disse na altura Crato, em triste figura na Assembleia? Uma derrapagem de 400%?). Quanto ao Tribunal de Contas, lembramo-nos dos pinotes, rebolões e gargalhadas de vingativo prazer que o seu relatório provocou em tudo o que era deputado, ministro e comentador desta desgraçada maioria. Os jornalistas do costume ajudaram à orgia. Pois bem. Quem está agora no terreno não pode deixar de concordar com as decisões e opções da Parque Escolar.

10 thoughts on “Tribunal de Contas, Nuno Crato: embrulhem”

  1. Antiabrantes: se não quer parecer ainda mais grunho do que o seu nickname, fazia bem em pelo menos apoiar os seus insultos com dados (de preferência, de fonte fidedigna).

  2. Os “400%” não são citação das palavras do ministro nem poderiam ser. A Penélope sabe perfeitamente que Crato nunca afirmou esse número. Quem viu a intervenção na Comissão de Educação Ciência e Cultura sabe disso. Posso colocar o link com o vídeo se for preciso.

    Mas o mais interessante é o vosso spin para desviar da despesa ilegal efectuada pela Parque Escolar. Esse é que é o assunto.

  3. ou será que estes elogiaram porque querem continuar a fazer o mesmo?

    no mínimo deviam propor a recondução da administração anterior!

  4. AntiAbrantes: Onde estou não consigo ouvir a gravação da TSF. Mas consigo ler a notícia que a acompanha e que em nada difere do que eu disse e documentei. A «despesa ilegal» está por provar. Já muito se falou disso. O aumento dos anos de escolaridade obrigatória obrigou ao aumento da volumetria das obras, logo encareceu-as. Por outro lado, houve a preocupação de manter a traça original e os materiais nobres originais de muitas das escolas para não ficar, desculpe o termo, uma «pimpineira» de obra (que mereceria depois as maiores críticas dos contribuintes, estou certa). Noutros casos, os materiais de raiz revelaram-se não ser suficientemente resistentes, pelo que houve que os substituir ou reforçar. Também a legislação ambiental entretanto adotada obrigou à instalação de tecnologias de cimatização, por exemplo, mais caras do que o previsto. Mas tudo isto foi também uma maneira de dinamizar a atividade de arquitetos, engenheiros, artistas, etc. em tempo de crise, aplicando na prática as diretrizes de então da União Europeia, que participou chorudamente no empreendimento ou através do BEI concedeu condições de empréstimo ultrafavoráveis. Claro que, acima de tudo, se tratou de valorizar e dignificar a escola pública agora e para o futuro, tudo crimes imperdoáveis.

  5. anti abrantes ,onde foi a Tsf buscar os 400% que estão plasmados na peça que ouvimos.Não tenho duvidas que o mentiroso é voçe,pois noutros palcos ouvi crato citar os 400%.ou no plenario ou na comissaõ parlamentar,para gaudio da mediocridade parlamentar do PPD/PSD.

  6. Penople, isto tudo com arquitetos militantes do Psd tambem nas obras pois ganharam projectos nas escolas secundarias,que estavam fora da alçada das camara municipais.a ventoinha está a mandar a devolver a porcaria a quem a andou a espalhar diariamente. Passos coelhos e seus ministros estão a precisar de uma barrela….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.