34 thoughts on “Tânia prova que cheira muito bem”

  1. O caso Vale e Azevedo também foi interessante. Este outro também é. A fuga de informação não deve preocupar-vos. O que vos deve preocupar é o que alegadamente está já documentado. A provar-se, a pena é grande e efetiva. Que tal se ele mudasse de advogado, procurasse um ligado a causas honestas e mudasse a atitude?

  2. Numbejonada é um excelente especialista em spin. Nem precisa de se esforçar muito para que os ingénuos baralhem ainda mais justiça, direito e moral. Que não gosta de Sócrates já todos entendemos. O que preocupa é a facilidade com que faz passar por coisa irrelevante o civilizado principio da presunção de inocência, para falar apenas deste. Numbejonada tem obviamente uma agenda. Ao serviço de quem, não sei.

    MRocha

  3. pois, o “alegadamente” e o “a provar-se” é que faz toda a diferença, num é ó cegueta?!…
    salazarento, até parece que és assistente e mexes no processo… e depois vendes informação à cloaca máxima.

  4. Um obcecado do Estado Novo ou um bufo da PIDE não escreveria melhor parágrafo ó cegueta. És uma caricatura de ti próprio e nem percebes a figurinha que fazes de tão fundo que tens a cabeça enfiada na peida da Ténia Laranja.

    Se quisermos ler o Esgoto da Manha, procuramos no Google, não precisamos que venhas aqui papaguear esse argumentário anti-democrático.

  5. ora o que eu leio é: acusação avança novos indícios contra Sócrates – sobre crimes praticados durante onze anos. mas é mentira a existência de tão fortes indícios que caso sejam provados mostram uma inteligência de crime organizado de categoria internacional? mentira de indícios não há. e a verdade é que não há advogado que lhe valha perante tanta suposta mentira – advogado que já começa a dar sinais de frustração e irritabilidade… esta é que é a verdade. para já.

  6. Mandar alguém tomar banho é crime? E se cheirar mesmo mal?
    Isto faz-me lembrar a história do palhaço; não o palhaço rico, nem o palhaço pobre, mas o outro, o reformado.
    Acho que pelo menos, a esta jornalista, se fez justiça, e tão cedo não se vai livrar da fama de ir para a rua sem tomar banho.

  7. “Crimes confirmados, não há nada mais a julgar. Ainda bem que o homem já está preso. Ele e o amigo”.
    Só falta acrescentar “só peca pela demora, já deveriam estar presos há mais tempo”.

  8. Olinda, nem mais. Por isso, insisto sempre em algo que os IGNORANTEZES de serviço não compreendem: PROCESSO. Este devia ter sido cirurgicamente analisado no primeiro momento em que o advogado do preso PREVENTIVO foi aos autos. Primeira coisa a fazer: buscar irregularidades processuais, designadamente nulidades, depois argui-las DEVIDAMENTE, e, perante o indeferimento, recorrer do mesmo. O que alegadamente acontece é que o advogado em causa tem investido SÓ em procedimentos de habeas corpus, sendo que aparentemente nos requerimentos que fez em sede daqueles, alegou o que devia ter alegado noutra instância. Mais: o Ministério Público é titular da ação penal, mas não deixa formalmente de ser uma «parte» que terá de provar o que alega.
    Nesta fase, o advogado devia simplesmente esperar a compilação de toda a prova, trabalhar na contra prova, e apresentá-la mais tarde ( preferencialmente em sede de julgamento, e não a desperdiçar em instrução criminal, pois nesta arrisca-se à confirmação da acusação, o que é MAU). O que acontece é que assistimos a um advogado com comportamentos desadequados, que lhe trazem o nome nos media, mas prejudicam o seu constituinte, preso PREVENTIVO. Para o pôr fora, ele devia ter trabalhado o regresso daquele ao país, de outra forma, em vez de simplesmente invocar que o homem até regressou. Isso não basta, se se considerar o circunstancialismo que o rodeia.
    Acresce que as tiradas do detido, vindas a público, as visitas que lhe foram feitas de forma tão espalhafatosa, as entrevistas na TV, etce, etc, NÃO AGRADAM à magistratura. O que interessa é que o enfoque devia ser a libertação do homem, e não o achincalhamento da magistratura. Goste-se ao não: é a magistratura que o JULGA, e fá-lo-á ao abrigo de um poder que legitimamente lhe foi conferido por lei.
    Mais: o preso devia ter-se feito assessorar por um causídico ( ou causídica) associado a causas honestas e que tenha dado provas públicas que só pega em situações que lhe ofereçam confiança e não se distrai com as notícias dos jornais. Como existe no país e o PS MUITO BEM SABE ( e refiro-me aos históricos).
    A defesa deste homem está cheia de erros de estratégia. Quanto às fugas de informação, estas existirão sempre numa sociedade qualquer, quantas vezes propiciadas pela defesa para posteriormente o fazer reverter a seu favor. O Sr. causídico devia simplesmente pronunciar-se q. b. sobre as fugas, e não entrar em «deslindes» de injúrias, porque o ÚNICO prejudicado é o cliente dele. Devia fazer reverter de forma inteligente junto do JULGADOR tais fugas, em vez de alimentar a indignação pela publicação de informações e de exibir na TV o que soube de certo blogue de magistrados. Mas é preciso ensinar o BÁSICO a esta GENTE?

  9. Caro numbejonada!

    A sua argumentação é muito interessante. Basicamente, deixa-nos a tese de incompetência da defesa. Quem sou eu para o contestar! O meu problema é outro. É que com defesas incompetentes eu até convivo bem ! Com uma instituição da justiça corporativa é que lido mal. E o que vc nos diz é que uma defesa que se queira bem sucedida não pode “desagradar” à corporação. Não nos diz que não se prende para investigar, que a justiça se deve preocupar com o primado da liberdade, com a preservação do direito ao bom nome dos arguidos, que não pode alimentar julgamentos na praça publica, etc. Ou seja, vexa quase me soa a adepto da inversão do ónus da prova: não compete à acusação fundamentar o crime, mas à defesa ter uma atitude táctica e estratégica que lhe permita defender os interesses do seu cliente.
    O problema, caro numbejonada, mesmo que outros não houvesse, é que este cliente não é um cliente qualquer. É um ex PM do PS sufragado duas vezes que, para ter sido corrupto, não podia te-lo sido sozinho. É por isto que a ideia de normalidade processual que vc tanto advoga não faz aqui qualquer sentido, pois das duas uma: ou é o PS é uma Mafia ou é-o a Magistratura ! Eu, cidadão e eleitor, preciso que quem de direito me esclareça sem subterfugios qual destas instituições está podre. E sobre isso vc nada diz. Naturalmente tb não o saberá! O que eu espero é que não esteja à espera de data mais próxima das eleições para “descobrir” que afinal um PM nunca poderia ter sido corrupto sózinho, se é que me faço entender …

    MRocha

  10. numbejonada,venha a acusação para vermos justificada a prisaõ preventiva.o resto até agora e já vão 4 meses, só temos desejos da direita trauliteira e dos social fascistas do pcp!

  11. … ensinar o básico a gente que tem como referência básica, tomado como modelo básico de coragem e esclarecimento , o Santo Básico Marocas ???

    Não te queria desiludir e frustrar na tua meritória tarefa de trazer alguma luz a este pardieiro, mas acho que andas a dar pérolas a gajos e gajas que não tomam banho de sensatez, lucidez e realismo há muito, muito tempo. Mas isso já a gente sabe … será que foi banho a mais que deu cabo do 44 ?

    De qualquer modo, obrigado pelos generosos esclarecimentos e lucidos pontos de vista!

  12. O «santo Básico Marocas» meteu-se um dia num processo mediático, comeu na cara do tribunal, por se meter em algo que não conhecia mas, ainda assim, defendia a inocência de um dos arguidos.
    O 44 pensou-se mais esperto que o sistema, pois pensava que o dominava, e ainda pensa que o domina. Só que os ratos abandonam o navio.

  13. Caro comentador Rocha,

    Eu não argumentei nem argumento no que desconheço. Eu não conheço o processo, limito-me a comentar o que vou lendo, de forma muito longíqua do que seria, de facto, uma argumentação no caso.

    Pois que aconteceria, seguindo a sua tese, aos governantes que foram já repetidamente sufragados em outros países, ditos defensores do socialismo? A não ser, evidentemente, que queira alargar a culpabilidade a quem os elegeu.
    Meu caro, a inversão do ónus da prova sendo formalmente um ónus, não deixa de ser materialmente um recurso daquele que a TODO O TEMPO tem de provar a sua inocência, pois pode dar-se o caso de o acusador ter feito uma acusação ou indiciação bem fundamentada. Esse ónus traduz-se então, na prática, e como a designação o indica, numa verdadeira vantagem para aquele que pretende a abolvição. Demais a mais quando não se confia na Justiça, não acha?

    Não interessa no CASO, se há corporativismo ou não! Existindo, então, albarda-se o burro à vontade do dono! No CASO, assiste-se ao contrario! Um causídico com o constituinte preso, atiça, achincalha aqueles que o vão CERTAMENTE julgar. Não se esqueça que um magistrado é um humano, e como isso pesa na livre convição que faz do que lhe é trazido à mesa. O que interessa é o arguido PRESO.
    A normalidade processual FAZ SEMPRE SENTIDO, pois essa deve integrar a DEFESA de alguém, sobretudo quando se trata de processos urgentes, com arguidos presos. E sobretudo quando estão em causa tipos de crime GRAVES.

  14. Comentador FIFI, a prisão preventiva está legalmente justificada, repetidamente justificada, ainda que no final opere o in dubio pro reo, e não haja condenação. Deverá rever o seu qualificativo «trauliteira». É que tentativas de traulitada, mas tudo expresso por escrito, têm sido verbareradas pelos IGNORANTEZES de serviço.

  15. Finalmente a Olinda encontrou uma alma gémea. Sintonia perfeita. Isto ainda vai dar “casório” com o cegueta.

  16. Pode-se dizer, sem prejuízo da presunção da inocência de Sócrates, que o Procurador do Ministério Público alega a existência de indícios fortes de crimes vários, o Juiz de Instrução valida esse entendimento e o Juiz do Tribunal da Relação (todos conhecedores do que consta do processo, que nós não conhecemos) também? Ou isso é julgar Sócrates na praça pública?

  17. Caro comentador numbejonada,
    Não deixa de ser interessante que admita implicitamente que a “humanidade” dos magistrados interfere nas suas convicções e logo nas decisões que tomam. Levando este raciocinio um pouco mais longe, até poderiamos supor que a “humanidade “ dos magistrados já vinha beliscada desde o tempo em que alguém mexeu nas fárias judicias e noutras mordomias adjacentes. Ou seja, seguindo ainda o seu raciocinio, é “natural” que a instituição Justiça fulanize processos. E perante esta eventualidade todos devemos estar precavidos, nomeadamente pedindo certidões prévias de honestidade, não vá um dia alguém lembrar-se de me acusar de ser o proprietário do dinheiro que vc tem nas suas contas, certo ?
    Não é por ser coerente e fazer sentido que uma história é verdadeira. As provas materiais e primárias têm de lá estar. No caso em concreto, para que um cidadão vulgar não desacredite irremediavelmente nesta merda toda, o minimo que se pedia à justiça era que tivesse sido cuidadosa em dobro. A corrupção de que JS é acusado teria de estar documentada em betão no dia em que o prenderam. Sou daqueles que considera que indicios não chegam para acusar de corrupção um ex PM ou um Ministro da Defesa. Não por ser amiguinho dos gajos. Mas porque considero que instituições crediveis são essenciais ao progresso social.

    MRocha

  18. Ao Anónimo das 16.30:
    “Isso” é muito mais do que julgar Sócrates na praça pública ! “Isso” é colocar e manter sob suspeita toda a governação socialista, pela simples razão de se saber que um PM não adjudica empreitadas. Logo, nunca poderia ter praticado corrupção sózinho, como já bem assinalaram outros comentários. Portanto, a pergunta impõe-se : a quem interessa a manutenção desse ambiente de suspeição ?

    JRodrigues

  19. Caro comentador Rocha,

    Mas já há acusação? Não. Há apenas investigação e tudo o que eu dissesse daqui para a frente seria repetir-me. Se a «fulanização» do processo é uma evidência, como parece que certos comentadores entendem, então isso é excelente para a defesa. Quanto mais asneiras melhor, quando a matéria não ajuda ao arguido, este que lance mão de outros mecanismos, designadamente a alegada fulanização e outras tiradas que eventualmente denunciem o animus do titular da ação penal. Porém, que não se desgaste a «fulanização» na praça pública, pois assim acontecendo perde o vigor e o impacto que úteis seriam em julgamento.

  20. Ó fartinho,

    Óbe aie pá, como dizia o Albert, «Grandes almas sempre encontraram forte oposição de mentes medíocres», num é? Hum? tás abere porque táse fartinho, hum? oqueie.

  21. Caro JRodrigues,

    Não respondeu à minha pergunta. Pode-se dizer que o colectivo de juízes do Tribunal da Relação decidiu, por unanimidade, reconhecer que existem fortes indícios da prática de crimes por parte de José Sócrates? Algo que o Procurador encarregue da investigação já tinha alegado e o Juiz de Instrução já tinha confirmado?
    Ou seja. Que, com excepção da defesa de José Sócrates, e independentemente do que é publicado na comunicação social, os intervenientes no processo (os únicos que o conhecem) alegam que existem fortes indícios da prática de crimes por parte de José Sócrates?

    Ou acha que é melhor não falar disso porque “Isso” é colocar e manter sob suspeita toda a governação socialista?

  22. É penoso ver como os comentadores do Aspirina elevaram ao patamar máximo de atenção o “feijoada” ou cegueta, ou lá que raio de coisa asquerosa é esta trampa reaccionária. Deixem de o ler, amigos; deixem-no a falar sozinho! Cada vez escreve mais, porque sabe que vocês estão a lê-lo religiosamente. Mas se gostam da companhia do bosta continuem a dar-lhe trela. Pela vossa higiene!

  23. Caro Anónimo das 17.01,

    Se esses fortes inicios existem, pois eu gostava muito de ter sabido quais são logo na horita em que foi preso preventivamente um ex PM em cujo programa de governo votei duas vezes. Sem isso sinto a minha liberdade condicionada. Não posso exercer em pleno o meu direito de cidadania sem confiar nas instituições. Se Sócrates foi corrompido enquanto PM não o pode ter sido sozinho. Ou se sabe exatamente o que se passou em concreto ou anda alguém a procurar tirar dividendos com o clima de suspeição que assim se instala. E nesse caso, conta com a colaboração activa da justiça.É isso que está em causa! Não me venham com detalhes técnicos do processo e apelos à normalidade . Como escreveu outro comentador, isto é tudo menos um processo normal.

    Rodrigues

  24. Cara Maria Abril,

    Não se trata de “elevar” o que quer que seja! Importa, parece-me, desmontar um certo tipo de spin que pretende levar toda a gente a encarar a Operação Marquês como um caso banal de policia ! Está em causa a confiança dos cidadãos em instituições básicas do nosso modelo social e isso não pode ser banalizado nem resolvido com recurso a actos de fé, seja ela na inocência do arguido ou na bondade da acusação.

    MRocha

  25. Entretanto, Sócrates continua preso, com o era de esperar, desde que ~cada vez há menos dúvidas de que tudo está programado ao pormenor. Os tempos de apreciação vão sendo esgotados. Todos nos lembramos do episódio da escolha do juiz relator do recurso. Sócrates e o amigo que se preparem para a pena a rondar o máximo legal, como, por muito menos graves acusações, aconteceu aos condenados da Face Oculta. Neste caso, presumo que Sócrates nem vai ter a possibilidade de mais um dia de liberdade, transitando da preventiva para a efectiva . Porque isto é um processo kafkiano levado a cabo por quem detém todo o poder sobre a justiça deste país. Os magistrados têm as costas bem protegidas e então fazem uso de todo o seu poder de vida e de morte sobre os que desejam abater. Se ninguém der um estrondoso murro na mesa, Sócrates vai apodrecer na prisão. O ódio da direita não vai fazer a coisa por menos. Não se diga que isto é uma “Republica de Juízes”. Nada disso! O poder que têm vem-lhes da direita que os acarinha e incentiva ao deboche justiceiro para com tudo o que cheire a esquerda. A esquerda radical tem escapado porque tem sido de grande utilidade para destruir a esquerda.

  26. …pelos vistos ainda só estamos na fase dos “fortes indícios dos crimes imputados e o perigo de perturbação da recolha e da aquisição da prova”.

    Sendo tão fortes os indícios, isto é, tão consistentes e clarinhos como água de fonte cristalina, não são todavia ainda suficientes: haverá ainda muita recolha e muita aquisição de prova a fazer, talvez não cheguem uns dois ou três anos para tão diligente tarefa.

    E, evidentemente, que toda esta recolha e aquisição de prova é de uma sensibilidade extrema à perturbação, excluindo-se claro está, toda a perturbação fedorenta que jorra diariamente todas as manhãs.

  27. aie, ó maria abrile, óbe, percebes agorra purque a inbeja é um dos sete pecados mortaise, certo, hum? oqueie.
    Táze a bere o ejemplu de democracia que tu daze? hum? oqueie. num te amufines, pá, rebate, se éze capaze, rebate o que eue já diçe. Inbejosa, consome-te no féle, pá e respeita o Péricles, pá, respeita o grego, pá.

    òube, ataõe, os prazos tãoe a serre isgotados é? a sériio, num madigas, pá, quem sabe o detido é postu em liverdade por esgotamento dos prazos pra terminar a inbestigaçãoe, num é? óbe, lê o kafka a sério, tás a bere?o gajo taméie num ia atrás dos carneiros, pensaba por ele próprio e num se desperdiçaba cum a populaça, gajos como tue, eram postos na prateleira sem direito a lere os escritos dele, apostu cu inbocas porque fica beie dizer ca cousa é cumplicada, num é? bá dize lá, dize lá? oqueie. bai cunfessar-te, mas primeiro pede ótorizaçãoe ao partido, tá beie?

  28. o sectarismo de ideias que por aqui reina é incrível. parece que têm palas e têm medo da neutralidade e da dúvida que vai conduzir à descoberta da verdade. a verdade assusta. é fodido. :-)

  29. Vê-se à légua que a transportadora do microfone estava num número
    de provocação baixa pois, sabia o que escreveu no pasquim sobre os
    11 anos de crimes … tudo ainda no campo dos indícios !
    Sócrates está a sofrer por tabela há muito tempo, pela sua infeliz escolha
    para ministro da Justiça de alguém sem a devida qualidade e, com as
    nomeações para a PJ e, outras àreas da Justiça criou muitos inimigos para
    o PS, olhe-se para a revisão do Código do Processo Penal de 2007 que, dá
    toda a facilidade para o que se tem assistido, gerando um super juíz como
    o actual muito atento a todos os pormaiores!!!

  30. “Finalmente a Olinda encontrou uma alma gémea. Sintonia perfeita. Isto ainda vai dar “casório” com o cegueta.”

    uih… uih… a bernardette tem uma paixão forte pela paulette e depois um apreciador de arenque de cebolada não se embrulha com toucinho perfumado para degustar francesinhas ao som dos buraka sound system.

  31. ó ignorantezes, óbe, a tua pila já recuperoue, hum? meteste-a em água quente e iscaldaste a piquena, e agorra queres distraír o pissuale com as tuase peles nujentas e pardas, hum? bolta pró caminhãoe, baie a travalhare, seu cumuna xuxa, idólatra de pedófilos e ladrões, baie, caçar lêndeas, pá. oqueie. à bontade.

  32. oh bernardette, lamento desiludir-te, mas “idólatra de pedófilos e ladrões” sugere título de filme rodado no parque eduardo vii, com a catarina dos nove ao volante de um submarino descapotável alugado em regime de leasing numa produção do centro de sondagens da modernaça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.