Sou estrrangeirra e nao perrcebo

Please, alguém me informa quem é este Marcelo citado a torto e a direito a propósito dos temas mais quentes da política portuguesa? Se é um tal que se espalhou ao comprido ainda há oito dias e em todos os múltiplos retroativos de oito, este súbito sucesso mediático quer dizer o quê?

7 thoughts on “Sou estrrangeirra e nao perrcebo”

  1. Pode ser uma golpada pessoal de quem, ao ver-se criticado, quer fazer esquecer e dourar a imagem porque, todos o sabem, quer candidatar-se à Presidência da República.
    Ou pode ser, apenas, o facto de este governo, tão ordinário e reles, já não ter quem dê a cara (mesmo estanhada e sacana) em sua defesa.

  2. Cara estrangeira, esse tal de Marcelo é um artista português, humorista levado a sério, e que no seu currículo, para além de um célebre mergulho no Tejo para afirmar a despoluição do dito nos idos de 89, não tem pejo em contar patranhas a diretores de jornais tendo até afirmado e contado detalhadamente pelo menos um jantar em que nunca participou inventando tudo – até a ementa!
    É por demais conhecida a sua frase de 95, “não sou candidato nem que Cristo desça à Terra” dita numa entrevista uns meses antes de se candidatar à liderança do PSD que liderou (!). Não é conhecido o regresso à Terra do Cristo referido, para além de ter cometido um grave pecado ao invocar o nome do seu Deus em vão, ele que se gaba de ser um católico devoto e praticante.
    Intitulando-se político, mas sabendo-se que desde 89 não se submeteu a voto do povo português gosta de expressar-se como se fosse o detentor da sabedoria popular, dando o seu pontapézito na gramática de vez em quando e fazendo-se passar por comentador, gosta de manobrar como se fosse um Richelieu de pechisbeque.
    Atualmente é amparador político do governo mas faz de conta que é independente e tenta enfiar umas aldrabices de vez em quando para ver se a malta engole.
    A evitar em negócios ou amizade, pois em família já é mais difícil.

  3. “Atualmente é amparador político do governo mas faz de conta que é independente e tenta enfiar umas aldrabices de vez em quando para ver se a malta engole.” (Teofilo M
    Ago 28th, 2012 at 21:38)
    — Exactamente!… Até inventou o “perigo” da RTP ser comprada por “estrangeiros” para desviar as atenções do principal… O homem anda inspirado e desdobra-se em “opiniões independentes”…

  4. É uma espécie de ministro privado para toda as pastas e ainda faz uns ganchos na oposição.

    É o fantasma do ditador académico de Santa Comba ressuscitado com corrente elétrica de 500 volts, o que lhe provoca frenesim generalizado, alta loquacidade, flatulência, esgares alucinogénicos e sorrisos para-epilépticos.

    É um ex-comandante de bandeira da Mocidade Portuguesa reciclado por música pop dos anos 60, pelas encíclicas de João XXIII e algumas leituras de Marshall McLuhan.

    Como não há actualmente PR nem governo nem oposição, explora todas as lacunas e tenta ao mesmo tempo criar nos ecrãs de televisão uma imagem messiânica para se candidatar ao lugar do morto de Boliqueime.

  5. Ignatz, ECD, Tobias, LuisF, Sapo Cocas: É mesmo tudo isso.

    Teofilo M: Talvez fosse boa ideia alguém afixar esse aviso/esclarecimento nas chegadas do aeroporto. Este mediatismo é altamente estranho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.