Se todos os países nomearem os Moedas lá do sítio

Não sei se Olli Rehn, o inefável e repetitivo futuro ex-comissário finlandês da «fiscal consolidation» (era o responsável pelos Assuntos Económicos e grande defensor do castigo redentor para os calaceiros do sul), fará parte da nova Comissão. Com sorte nossa, não. Mas a presença de Moedas no novo Executivo comunitário é sinal de mais do mesmo. É sinal de que as populações continuarão a pagar os desvarios da finança internacional (e nacional), que se mantêm, como se vê. Só atribuindo-lhe uma pasta irrelevante em termos políticos ou subordinada, Juncker mostrará algum grau de diferenciação em relação aos últimos anos. Mas é evidente que Moedas e Portugal não têm grande importância, nem será Moedas a definir a orientação da nova Comissão. Aliás, será talvez por isso que Moedas será bem acolhido. Para português, já bastou o pesado Barroso. Este é literalmente mais leve. De qualquer maneira, ou Moedas será mais um a reforçar a estratégia da punição, ou não contará nada e estará lá porque fala bem línguas.

8 thoughts on “Se todos os países nomearem os Moedas lá do sítio”

  1. penélope,era bom,que no seu fluente inglês, cumprimentasse a dona branca,desculpe a dona merkel,pela excelente aquisiçao para o lugar de defesa direito à austeridade!

  2. “Juncker saúda quem nomeou “candidatas competentes” para a Comissão, mas quer mais ” no Dinheiro Vivo”

    Lá vai o Medas ter que se apresentar vestido de ceifeira, …

  3. Lamentável decisão, reveladora da total dependência dos tenebrosos interesses da alta finança, leia-se G S.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.