Schäuble, exit, pá

A agência Bloomberg citou esta quarta-feira declarações de Wolfgang Schäuble que diziam que Portugal iria “pedir novo programa” e que iria tê-lo. Mas, minutos depois, o ministro alemão voltou atrás e esclareceu. Afinal, “Portugal não quer um novo programa e não vai precisar dele se cumprir as regras europeias que obrigam à consolidação orçamental e à redução do défice. Mas “Portugal tem de cumprir as regras ou corre o risco de entrar em dificuldades” e precisar de um novo programa de ajuda.

 

(acrescento aqui o link para a notícia da Reuters)

O Governo português não deve assobiar para o lado nem procurar disfarçar a indignação perante as declarações do ministro das Finanças alemão. Deve reagir ao mais alto nível e de preferência em “estrangeiro”, ou seja, na imprensa internacional através dos seus porta-vozes, para ele perceber, denunciando o seu jogo sujo, de que o aparente recuo também faz parte. O momento é mesmo o ideal para fazer disto um escândalo europeu: acrescentaria algo de importante ao Brexit e seria um pequeno conforto para os nossos velhos aliados, numa altura de confusão, dúvidas e angústias sobre a saída da União. A intromissão abusiva deste protagonista alemão, sem qualquer mandato nem salvo-conduto para tal, no destino de outros países prejudicando-os é uma das muitas razões para o descontentamento e o mal-estar com a atual União Europeia e um poderoso contributo para a sua dinamitização. Se o embaixador alemão em Lisboa levasse uma guia de marcha para Berlim seria justíssimo.

13 thoughts on “Schäuble, exit, pá”

  1. Se a comunicação social que temos (privada e pública) em vez de ser
    caixa de ressonância das tiradas do ministro alemão logo, à partida
    tomasse uma posição patriótica, mostrava desagrado pela leveza
    das opiniões do ministro em causa e, as possíveis consequências fu-
    nestas para os portugueses! A UE não pode estar nas mãos de pes-
    soas pouco responsáveis … depois admiram-se dos referendos, para
    saída de um “barco” sem capitão e pilotos à altura!!!

  2. o novo resgate é para ajudar a pagar a falência do deutsche e do commerzbank.
    alguém sabe o número de telefone do gajo que lhe empurra a cadeira de rodas? tenho uma proposta interessante para lhe fazer.

  3. o marcelo já devia ter chamado o ulrich a belém e ter-lhe dito: põe-te a andar, só voltas quando a merkla pedir desculpa e paga o custo dos juros a mais com a brincadeirinha do handicapado. pelos vistos assobia para o lado.

  4. aguardo, comentário da direita portuguesa.a alemã já falou através do schauble. este caralho, devia andar num carrinho de rolamentos!

  5. Pode o governo português assobiar para o lado, se quiser, mas a jogada do schwein com rodinhas é subtileza de elefante. O porco arrogante e sem vergonha quer derrubar o governo legítimo de outro país, porque esse governo não lhe agrada e porque a criadagem obediente que no governo anterior lhe lambia o rabo demonstra total incompetência para, pelos seus próprios meios, derrubar e substituir sem auxílio externo o governo de que o porco com rodinhas não gosta. A criadagem obediente e reverente que o rodinhas do IV Reich tem no pavão de Massamá e na substituta do salta-pocinhas irrevogável, em boa hora desalojados da beira do pote, vegeta numa apagada e vil tristeza, desorientada, castrada e sem rumo, incapaz de uma oposição minimamente eficaz, o que deixa zangado e impaciente o javardo.

    Trata-se assim, muito simplesmente, de dar uma mãozinha à criadagem indígena. A subtileza de elefante do javardo arrogante tem o objectivo claro de, do nada, criar e alimentar artificialmente incertezas, desestabilizar os sacrossantos mercados, sugerir caminhos às agências de rating, aumentar taxas de juro da dívida, desencorajar investidores externos e internos, ajudar a dar cabo da já frágil economia portuguesa, desmoralizar os indígenas cujos destinos quer moldar por delegação de poderes na criadagem e, finalmente, contribuir para o falhanço dos objectivos do governo de que não gosta, para depois lhe poder apontar descaradamente esse falhanço. O porco sem vergonha sabe que a intenção da manobra é transparente, mas o descaramento e arrogância vão ao ponto de não se importar ponta de corno com isso: “Não gosto daqueles gajos e não descansarei enquanto não forem para o olho da rua e estiverem de novo no poleiro os meus sipaios de estimação. E quero que toda a gente saiba disso.”

    Longe vá o agoiro, mas a bojarda do javardo descarado ambiciona tornar-se numa das já famosas e desgraçadas self-fulfilling prophecies que, nas últimas décadas, vêm desgraçando países e povos. Bardamerda para o schwein com rodinhas!

  6. Pois, parece que não existe na tal de europa uma CMVM. O que ele fez foi manipulação de mercado logo e como tal, talvez valesse a pena pô-lo em tribunal com um pedido de indemnização assin tipo 20 b€.

  7. é importante o contexto das declarações: a questão da solvabilidade do deutsch bank (e do commerzbank, já agora). é já a segunda vez que o rodinhas abre fogo sobre portugal para fugir à questão. o que devia fazer o governo português (mas não o vai fazer) era comunicar à imprensa económica internacional que estava confiante relativamente ao deutsch bank.

  8. como se fosse o problema fosse schauble, sugere insidiosamente a penélope. este sinistro personagem representa e simboloza os asquerosos interesses que governam a ue neste momento. saindo o schauble entra qualquer outro para o seu lugar. uma árvore numa floresta doente. a sorte é que esta ue vai dar o peido mestre antes que estes imperiais passarões filhos da puta instituam um iv reich neoliberal e globalizante na europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.