13 thoughts on “Santa Madre Igreja – canonizar deve ser bom”

  1. claro, a indústria da caridade vive da produção de miséria em escala, quanto mais pobres houver, maior mercado e mais sucesso, eliminar a pobreza é dar cabo dum negócio não auditado, financiado pela comunidade e gerido pela igreja em proveito próprio. é como o missionarismo das madraças amarelas escolares, querem ser privados? paguem impostos, zero subsídios e revelem as contas.

  2. Foi com a Madre Tereza que se criou o hábito de construir supermercados para pôr crianças e vicentinas à porta de sacos na mão a pedir esmola para os pobres e os cachorros e gatos.

    Madre Tereza criou a ideia dos supermercados para fazer concorrência ao que ficavam à porta das igrejas.

  3. A frase destacada tem a sua piada tendo em conta que o falecido Cristopher Hitchens é, parece-me, a definição acabada de um fanático e de um fundamentalista. Se ele é uma fraude, saberemos todos na altura certa :)

  4. Bem, JPT. O ateísmo fundamentalista fanático encontrou em Hitchens um dos seus maiores exemplos. Foi um dos beneficiários da cultura de insulto e ódio que a internet descobriu. Dá ideia que a proximidade com a morte o fez descobrir o equívoco nas linguagens que utilizou para lidar com ela ao longo da sua vida.

  5. ora bem…eu canonizava… o ex 44. pronto está dito! Coitadinho tão mal tratado que esta.
    (é uma afronta à coitada da madre Teresa de Calcutá, mas paciência)

  6. vá, deixem-se de mundanices e foquem-se no essencial: revejam a fotografia do texto e digam-se se ela, afinal, não era ele – as mãos brutas e o rosto recortado são de homem e isso o rapaz colunista não viu. :-)

  7. Esta caixa de comentários anda muito frequentada por espíritos confusos que fazem má pontaria. E por cretinos, os habituais!

  8. Sobre a ” luta contra a pobreza ” em geral, a reler esta notável peça escrita pelo saudoso Manuel António Pina, ao tempo publicada no Jornal de Noticias Magazine, e da qual, à laia de atractivo, destaco :

    ” Nos meus velhos e pouco saudosos tempos de instrução primária, ensinava-se que das vacas se aproveita tudo ”

    ” Dos pobres também se aproveita hoje tudo:
    as parcas reformas e o RSI para financiar o défice; o desemprego para oferecer à economia mão-de-obra submissa e ao preço da uva mijona; e a própria miséria para se praticarem boas acções ” .

    A reler aqui :

    http://www.dn.pt/revistas/nm/interior/dos-pobres-aproveitase-tudo-2418200.html

  9. penélope, ridícula, mais uma vez, insurge-se contra a beatificação da teresa, mas bajula o radicalismo e o fundamentalismo islâmico.

    “For decades left leaning liberal progressives have been fighting for women’s rights but now concurrently are throwing the doors open to a culture that treats women like shit.”

    É com esta escumalha penelopiniana que temos de conviver, mas é a vida e não deixa de ser estimulante escachar pessegueiros nas trombas destas penélopes.

  10. enapa: Já experimentaste inscrever-te numas aulas de box para controlares a agressividade? Faz bem, desenvolve os músculos, ficas mais bonito. E já agora muda de óculos, porque parece que não lês bem o que se escreve por aqui.

  11. (há o chamado sempre em pé que dispensa aulas: cabe na sala ou na cozinha e está sempre disponível a receber as ganas das entranhas. recomendo) :-)

  12. penélope a agressividade faz bem, torna.nos menos mansos e ajudou muita gente a tornar esta merda bem melhor, a lutar com sucesso contra muitas tiranias e fundamentalismos que julgávamos estarem enterrados mas que escumalha traidora a como tu pretendem importar em botes meditteranicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.