Quando o desnível também ofende

Ontem, ao ver estas cenas, pensei que alguém se ia levantar e ir embora do estúdio. Tal não aconteceu. Mas foi uma oportunidade para Mário Crespo usar e abusar do tom seboso, pretensamente conciliador (tantas vezes bajulador), com que dirige aqueles debates e que nos faz desejar que aqueles minutos de serpenteio viscoso passem depressinha (isto quando o entrevistado merece a nossa paragem naquela estação).

Se Alfredo Barroso, apesar da argumentação certeira e pertinente, se deixou exaltar demasiado sem necessidade, Teresa Caeiro mostrou-se em todo o seu esplendor: de uma vacuidade confrangedora, “tia” até dizer chega, incapaz de se olhar politicamente ao espelho e, no geral, mal-criada e com observações despropositadas, como a do “chafurdar na lama” (!).

25 thoughts on “Quando o desnível também ofende”

  1. A Barnie em todo o seu explendor.
    Burra, burra, burra!!
    Como não tinha argumentos, um só, fugiu-lhe o pé para o chinelo.
    Foi uma actuação notável, a melhor da sua carreira.
    Os treinos intensivos a que o seu novo treinador a tem submetido estão a dar resultado.

  2. quem vai ao circo do crespo sabe ao que vai, um pugrama para idiotas, feito por cretinos moderados por um cabotino. cá pra mim aquilo acaba à cachaporra, em directo e a cores.

  3. Desta vez o Mário Crespo acertou na mouche, nada mais adequado a um circo que convidar uma ex-secretária de estado das artes e espectáculos…

  4. Há muito, muito tempo que deixei de ver o jornal do Crespo, primeiro porque não lhe reconheço isenção nem competência bastantes para exercer a profissão de jornalista, depois porque o senhor não sabe moderar, antes pelo contrário, toma sempre como seu um dos pontos de vista de um dos convidados e através de trruques leva a que o tempo de antena a quem se opõe diminua drásticamente.
    A peixeirada aqui mostrada, para além de mostrar o arreganhar da dentuça da direita mais estúpida (ainda há direita inteligente, felizmente) fez com que o Barroso perdesse a tramontana o que não é de estranhar ao ver-se insultado em direto por uma miúda insolente e a quem a educação não deve ter sido ministrada convenientemente.
    Deprimente q.b.

  5. o barroso deveria ter abandonado o debate ou então arreado duas lambadas na calhordas, mas para isso era preciso cagar na sic e no crespo, o que parece não ser o caso.

  6. Pois, é desagradável mas necessário, e necessita de muito, mas muito mais preparação por parte da esquerda, para evitar fazer figuras como a que Alfredo Barroso fez. É regra nos debates televisivos: perdes a compostura, perdes o debate. A ideia será fazer o outro perder a compostura primeiro, fazê-los engasgar. Esta do Barroso do que “quem é que disse isto, quem foi” e depois esperar com ar vitorioso não lembra ao diabo. Estava mesmo a pedi-las, lamento. Tia ou não, educada ou não, mentindo ou… bom, mentindo como a grande maioria da direita, a Teresa Caeiro limpou o chão com o seu adversário.
    Mas são estes confrontos, duros, que são essenciais e que faltaram durante anos.

  7. O debate foi muito fraco, com muita falta de nível, no qual os dois interveniente ficaram muito mal na fotografia. Gostei muito das perguntas do dr. Alfredo Barroso, pois mostram bem como se faz politica em Portugal, e como se diz uma coisa na oposição e outra no governo, por outro lado a dr. Teresa Caeiro mostrou que se não tem pedalada para a coisa. Para além da falta de chá dos intervenientes em causa, achei estranho o dr Barroso se mostrar desiludido com o aumento dos imposto (impostos estes que o primeiro ministro disse que não aumentava – o que leva a que os seus eleitores se sintam desiludidos) uma vez que ainda há meia dúzia de meses se mostrava compreensivo com esta linha de orientação, que consistia em aumentar consecutivamente a carga fiscal (como era feita com outra cor de camisa, decerto que era mais justa). Também achei estranho o facto de ele não ser compreensivo com o dr. Paulo Portas no que diz respeito à diminuição da despesa, porque isso era uma missão quase impossível segundo o dr. Teixeira dos Santos há um ano atrás, e o antigo ministro das finanças decerto que é uma pessoa do qual o dr. Barroso tem muita estima.

  8. Vega, olha que não limpou o chão com o adversário (ainda que este se tenha deixado irritar). Então a mulher só conseguiu atirar como primeiro argumento que o sr. Alfredo devia era pagar direitos de autor por estar a citar as declarações do Portas (tem dó:))

  9. Também não vi a Teresa Caeiro, esse poço sem fundo de vacuidade, a sequer arranhar o Alfredo. O que vi foi o Alfredo já velhinho, ou egocêntrico, por isso deixando-se controlar pelas emoções.

  10. Vega9000: também não acho que a Teresa Caeiro tenha limpado o chão com o adversário. Esteve muito mal até. O Alfredo Barroso não gostou de ser chamado “O sr. Alfredo” logo no início e, a partir daí, irritou-se demasiado. Mas ela continuou a meter as mãos pelos pés. Em geral, a coisa correu mal para os dois (os três, vá), sendo que a única coisa que ouvi Teresa Caeiro dizer com nexo foi que aquilo “não era um confessionário”, respondendo assim ao Mário Crespo, quando este lhes perguntou se sairiam dali zangados (preocupação algo infantil).

  11. pois , a loira devia ter dito ” licenciado barroso” ou “don barroso” . que ele ainda há categorias , xiça!!!

  12. “limpar o chão com o adversário” não é o mesmo que ter razão. Significa que ganhou o confronto mesmo não a tendo, e com argumentos risíveis. E nestas coisas, desculpem o cinismo, o que interessa é ganhar, não é necessariamente ter razão. Ajuda, mas não chega. É preciso usar essa razão, esses argumentos correctos, para derrotar o outro. Coisa que o Barroso não fez, deixando-se encurralar numa discussão sobre estatutos morais e intelectuais, e numa peixeirada onde é um amador comparado com gente daquela.
    E vamos lá ver, aquela abertura, com a leitura e a perguntinha cínica “quem é que disse isto” é tão irritante de superioridade moral e intelectual que até eu fiquei com vontade de lhe bater. O que é que ele estava à espera? Que a TC reconhecesse, capisbaixa, que tinha razão, são uns hipócritas? Se vais ser cínico, tens que estar preparado para levar até ao fim, e reconhecer que nesse aspecto, estás no território onde os comentadores de direita são campeões. Sorry.

  13. Mesmo assim, Vega, acho que não ganhou o debate porra nenhuma. Ficou como a tia malcriada e o Barroso como velhinho indignado com o baixo nível da outra. Ninquém ganhou, portanto.

  14. É mesmo, o que é mesmo muito difícil de entender é que gente de uma esquerda decente aceite participar num debate, qualquer que ele seja, moderado pelo nojento do Crespo. O dinheiro não é tudo nesta vida, porra!

  15. Pois é oh anonimo, tens razão, o que era preciso era cagar na sic e no crespo, mas falta-lhes o domínio do intestino. São apenas comparsas daquela bosta que o crespo anima e lambe quotidianamente. Sempre dá para pagar a mercearia…é a vida!

  16. @vegas9000

    lamento muito desiludir-te, mas nem a limpar o chão ganhou. fez uma triste figura e estava com voz tremida. mostrou o que ela é: uma peixeira.

    não sou de direita, mas aquilo não parecia uma deputada do CDS, ou até mesmo uma deputada de qualquer partido que esteja no parlamento, mas sim uma tia de cascais a brincar aos debates na sic e a fingir-se de importante, de forma irritante.

    e se achaste a pergunta do dr. alfredo irritante, (eu acho-a ousada e atrevida) é porque obviamente ele tinha razão no que estava a denunciar do incumprimento do paulo portas.

    ela até indirectamente disse que as declarações do paulo portas (o seu líder) que são lama.

  17. Gastar o tempo a ler o expresso e declarações de terceiros, para concluir “quem é que disse, quem é?”, marca a brilhante entrada de quem vai para um debate televisivo supostamente apresentar ideias. Teresa Caeiro recentrou sempre o debate em argumentos e ideias, contra Barroso e contra Mário Crespo, cuja história de 30 anos tresanda a reforma. O clã Soares e a malta do avental (esta desde a votação de Nobre), estão no estertor. Morrem com o epitáfio de terem sugado o país, construído e devorado a terceira república. Aplausos a Teresa Caeiro.

  18. a calhordas é tão burra que o crespo até parece inteligente ao pé dela. devia dar um bom pugrama de luta na lama com a odete santos.

  19. para o anónimo das 10H41:

    seriam necessários mais uns milhões de clãs da dinastia dos Soares para darem um prejuízo direto da envergadura do clã cavaquista: é que os números estão aí, nada de filosofias….BPN, SLN, BPN, SLN…gritem, porque é o partido do Cavaco…

  20. Oh jrrc,

    Tens a mínima noção do que era o Império? Sim, o Império que a malta do avental e o clã Soares abateram para saciar a fome de outros, e que no fim do repasto ainda foram abocanhar os restos da carcaça. Quais BPN´s, quais SLN’s, quais quê! Vai ler a história, mas leva um globo terrestre e comprimidos para o coração. (Já agora, a TC não é nem nunca foi do partido do Cavaco).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.