Procexo Sócrates

Os advogados de José Sócrates deram hoje uma conferência de imprensa. Não ouvi na íntegra, mas do que ouvi, a ver se entendi: magistrados do Ministério Público andaram a escutar Sócrates enquanto era primeiro-ministro, por suspeitas de corrupção, sem autorização do Supremo, como manda a lei, nem sequer com o conhecimento do Procurador-Geral, escutas essas que agora usam no processo atual, não se sabe se para justificar a prisão preventiva, mas de qualquer modo para algum fim. Tudo isso enquanto decorria a polémica sobre a destruição das escutas em que Sócrates fora apanhado (indiretamente) no âmbito do processo Face Oculta. Os magistrados responsáveis pelo atual processo não  revelaram de início aos advogados de defesa a que período se reportavam os indícios de crime, levando-os a acreditar que seria a um período anterior a 2005. Lindo.

Num zapping, de passagem pelo canal CMTV, de imediato me deparei com Eduardo Dâmaso a dizer que Sócrates queria vencer na secretaria o que jamais venceria em tribunal. Este homem ajeita o esquema com precisão suíça.

11 thoughts on “Procexo Sócrates”

  1. O que os advogados dizem do seu constituinte é lei. Eles só pleiteiam porque lhes apetece. A conferência de imprensa é apenas uma saudação de Ilustres no cumprimento do Estatuto da Ordem dos Advogados. Há quem goste de aparecer noutras paragens. O que interessa é esclarecer os portugueses.

  2. algo me diz que os direitolos ficaram felizes com o habeas corpus, a coisa vai servir para cobrir os casos que ainda não prescreveram e para o que se vier a descobrir da fúria privatizadora deste governo. o problema é se o calex canta em cativeiro, mas já devem ter contratado um ornitólogo para estudar o assumpto.

  3. Cara Maria,

    Oiça, naturalmente que não esclareço o que você não tem recurso interno para entender, não concorda?

    Fique nas trevas, assim não a vêm e poupa-se a si própria.

  4. Como é que desta figura sabe que o preso nao pode ganhar em tribunal.?Quem afirma deve deve demonstrar minimamente porque o diz. Tem informação detalhada do processo.? E mesmo assim nao é preciso contraditório ? Já foi feito o julgamento em alguma catacumba iluminada por tochas em que o dito escriba esteve presente ? Como é que há 25 anos atras eu gostava desta figura quando ele escrevia uns artigos no expresso? Será que eu sabia ler ? Ou é outro ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.