Perguntas embaraçosas

Primeira pergunta – A nossa direita não se coibiu de tecer loas a Barak Obama desde a sua eleição. Agora, o jogo dos republicanos em relação ao limite da dívida, que se arrisca a mergulhar de novo a América e o mundo numa crise, assemelha-se muitíssimo às rábulas por aqui também representadas por PSD e CDS no último ano. Em que campo estarão agora? Rejeitarão a imagem que vêem no espelho?

Segunda pergunta – A propósito do 93.º aniversário de Nelson Mandela, afirmou o nosso presidente da República, em tom enfático de veneração, que, apesar dos 27 anos de prisão, nunca o mais ligeiro grão de “ressentimento ou vingança” (fim de citação) aflorou à mente daquele ser superior. Não faz parte da moral cristã, que sua excelência pretensamente pratica, seguir os bons exemplos?

12 thoughts on “Perguntas embaraçosas”

  1. Boas perguntas, Penélope.
    Quanto à segunda : a moral cristã, e não só, é que impede Sua Excelência de o praticar.
    Nelson Mandela foi educado por Protestantes. Interessante ler a sua auto-biografia.
    Bom dia

  2. Realmente, o modo reverencial como se trata Cavaco impede até que um jornalista qualquer (e vamos supor que haja jornalistas de esquerda…) faça uma pergunta mais incómoda – como seria esta da sua relação com os valores cristãos – com medo de ficar queimado. A sumidade da hipocrisia e cinismo lá vai fazendo o seu caminho sem ter de responder pelas suas irresponsabilidades e vilanias.

    Tristeza colectiva.

  3. Entrando no jogo destas excelentes perguntas, que jamais serão feitas, eu diria quanto à
    primeira : essa colagem da nossa direita (deles) a Barack Obama foi completamente saloia e ‘mediática’. Eles nunca leram qq discurso de Obama do princípio ao fim !
    Quanto à segunda (que ninguém dirigiu a Cavaco Silva), retenho o comentário de António P. – Mandela foi educado por protestantes. De resto, é conhecida a ligação do catolicismo à hipocrisia…por muitas e variadas razões.

  4. Maria Ângela e António P. – Embora desconhecendo os pormenores do contexto religioso em que Mandela cresceu, o catolicismo não seria nunca a minha primeira suposição. Se a maior parte da sua vida tiver sido ateu, tanto melhor. Já seremos dois. Não sou má pessoa…
    Neste caso, interessou-me mais pôr a tónica em Cavaco, um personagem em tudo diferente daquele que elogia.

  5. Sinhã: eu também gosto de feiras, embora não gosto de comprar coisas, gosto de andar lá perdido e ganzado,

    mas isso do ouro e do lítio é para eu ficar mais ou menos descansado, embarco muito breve, deixei cair o meu amor por Portugal porque não quero confusões entre estado, país e nação, mas ficou o meu amor pelo povo português, esse é fatal, e estende-se pelo mundo afora…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *