O Moedas ainda está no Governo?

Em 2010, com a dívida pública em pouco mais de 90% do PIB, Carlos Moedas escreveu o seguinte:

No caso da dívida pública e segundo as conclusões do Bank for International Settlements, se Portugal quisesse voltar aos níveis de dívida pública de 2007 (63.6% do PIB directa vs. 89% do PIB indirecta) teria que apresentar um superavit primário das contas públicas (antes de juros) de 6% ao ano durante 5 anos ou de 3% ao ano durante 10 anos. Alguém acredita que estes cenários são possíveis no curto ou mesmo no médio prazo? Eu tenho muitas dúvidas e por isso só nos resta (a nós e a outros) o possível caminho da reestruturação da dívida. Ou seja, ir falar com os nossos credores e dizer-lhes que dos 100 que nos emprestaram já só vão receber 70 ou 80. Este é um caminho árduo e complicado, a tal parede que tanto se fala, mas que nos permitiria começar de novo. A austeridade é necessária e urgente, mas se mantivermos os níveis actuais de dívida, dificilmente conseguiremos crescer a níveis aceitáveis … e se não crescermos morremos.”

Agora, com a dívida em 130%, está calado. A fingir de morto. Ah, e aposto que não vai ser exonerado.

12 thoughts on “O Moedas ainda está no Governo?”

  1. Penélope, o Moedas é apenas +1 do monte de vira-ventos que nos tocaram quando o Zé Povo se deixou enrolar pela coelheira.
    Nessa época tudo era diferente, desde a insuportável dívida aos exagerados cortes, passando pelas enxúndias do estado que o famigerado governo com poucos ministérios (para poupar, claro!), prometia às massas ir cortar, mantendo-lhes todos os subsídios, e ter devidamente estudada uma solução onde as PPP’s seriam corrigidas, os Institutos seriam racionalmente disciplinados, a reestruturação do estado seria ultimada, a justiça correria célere e acessível, a saúde seria melhor e mais barata, e só não prometeram dois sóis e um par de luas porque não se lembraram.

  2. Eu não sei se o Moedas ainda está no governo…
    O que eu sei é que o Gaspar era um dos capangas da Cruela, e foi responsável pelo rapto dos dálmatas.
    Agora se o Moedas é filho do Pongo e da Prenda provavelmente agora é um twít.

  3. Ó Lisboa, meu sem vergonha…, então agora andas a fazer comentários no teu próprio….. nessa porcaria a que chamas blog?
    Ou seja, como ninguém te passa cartucho e vai lá comentar, comentas tú e depois vens para aqui fazer publicidade àquela bodega.
    E o Val que não te dá uma corrida em osso…..

  4. os portugueses,já admitem tudo vindo destes “fcp”.a falta de debate nas tvs,e o silencio cúmplice dos jornais (os anuncios do estado e não só) são um mercado que não se pode perder.a direta sabe trabalhar no meio do lôdo!

  5. o joão lisboa,de noite anda no bordeis.como tem insonias,acorda mal disposto e aproveita o tempo para chatear quem defende um regime democratico de matriz social democrata. imaginem o que este gajo não diria se o pais fosse comunista!

  6. o moedinha dizia que o rating da república era reflexo da credibilidade dos governantes e quando os mercados soubessem que ele mais a cambada que nos governa chegasse ao poder, os juros vinham por aí abaixo, foi a avalanche que se viu. vergonha & decoro é coisa desconhecida desta garotada eleita pela maior fraude eleitoral da democracia portuguesa patrocinada pelo palhaço das inventonas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.