No fundo, marcelices

Quanto ao que ontem se passou com Mário Centeno, António Costa e, “who else?”, Marcelo, a análise do Anselmo Crespo (ver abaixo) é a que, para mim, faz mais sentido e a que defendi cá por casa. Centeno esteve bem sempre, excepto quando e se não lembrou a Costa a tranche para o Novo Banco antes do debate no Parlamento; Costa não esteve, em bom rigor, bem, mas isso foi muito antes da resposta a Catarina Martins no Parlamento agravada com o pedido de desculpas (política “oblige”), pois sabia bem o que está no contrato de venda do NB (mas enfim, os tempos são complicados e exigentes e compreende-se a distracção); e Marcelo esteve mal, como quase sempre quando não controla a vontade de intervenção nem pensa nas consequências. Neste caso também porque se sentiu vaidoso com o apoio inesperado do Costa.

É ler:

Como Marcelo ia provocando a demissão de Centeno mas depois ligou a falar num “equívoco”

27 thoughts on “No fundo, marcelices”

  1. O “comandante supremo” é uma ventoinha de escramalhar merda. Mas qt mais merda faz mais endeusado é . Não fossem as cavaladas que cometeu no inicio da pandemia e provavelmente não teriamos metade dos problemas de “desconfinamento” que estão aí. Na vertigem da omnipresença e na incontinência verbal que tantos adeptos tem, o gajo nunca faz parte da solução. E como prémio, tem o apoio do Costa à recandidatura. Sinceramente nunca esperei ter de engolir tantos sapos à conta do Costinha !

  2. a análise do Anselmo Crespo é a que, para mim, faz mais sentido e a que defendi cá por casa

    (1) A Penélope em casa dela destila análise política aos outros membros da família? Acho isso algo estranho para uma pessoa fazer em casa.

    (2) A análise de Crespo contém algumas afirmações não comprovadas, como por exemplo que Centeno tencionava pedir a demissão a Costa, e que Marcelo acompanhou a reunião entre Centeno e Costa a par e passo (de que forma o fez?). Duvido se essas afirmações não comprovadas são meros palpites de Crespo, ou se ele tem mesmo a certeza daquilo que afirma.

  3. MRocha: Apesar das precipitações e da incontinência de Marcelo, acho que, tudo pesado, incluindo a sua atitude cruel na altura dos incêndios, tem sido dos presidentes com mais qualidade da democracia portuguesa e o que mais tem garantido a calma e a estabilidade política.

    Luís Lavoura: Sim, eu especulo e toda a gente nesta espécie de crise não fez outra coisa se não especular. O Anselmo Crespo pode estar a especular também, embora esteja em posição de ter mais algumas informações do que o comum cidadão. Acontece que a sua (dele) especulação não anda muito longe da minha. Mas sinta-se à vontade para especular aqui também.

  4. “Apesar das precipitações e da incontinência de Marcelo, acho que, tudo pesado, incluindo a sua atitude cruel na altura dos incêndios, tem sido dos presidentes com mais qualidade da democracia portuguesa e o que mais tem garantido a calma e a estabilidade política.”

    o que ele quer garantir são os votos da esquerda para ser reeleito e depois vais ver quantas semanas dura o governo até ser substituído por um de iniciativa presidencial com o salgado a ministro das finanças.

  5. Penélope, eu não especulo.
    O que me faz confusão na especulação do Crespo é ele apresentá-la como se estivesse a narrar uma verdade factual. Ele não diz “eu julgo que foi isto que aconteceu” e, ao elidir essa frase, induz o leitor em erro. Quando ele escreve que Centeno foi à reunião com Costa com a intenção de lhe pedir a demissão, um leitor incauto pode pensar que isso é algo que Crespo sabe de fonte certa, eventualmente porque o próprio Centeno (ou, quiçá, a mulher dele…) lho terá confidenciado. Mas não é isso que se passa, Crespo nada sabe, Crespo está somente a apresentar a sua especulação como se de factos se tratara. Num jornal, considero isso inadmissível. Isso é iludir o leitor. Isso é vender análise política como se notícia fosse. Eu, se comprasse um jornal, seria para ler notícias, não para ler relatos inventados por analistas políticos disfarçados de jornalistas.

  6. ( Marcelo ) «tem sido dos presidentes com mais qualidade da democracia portuguesa e o que mais tem garantido a calma e a estabilidade política.»

    Relativamente à “qualidade”, não discuto, Penélope. É um conceito subjectivo, e depois de 10 anos da cavácuo sou levado a acreditar que até o meu primo Hermenegildo seria visto como de “qualidade”.
    Já quanto à “estabilidade politica”, farás o obséquio de não brincar com a inteligência deste modesto cidadão. A estabilidade só tem existido porque o Costa tem uma pachorra de Buda e uma coluna de plasticina, pois Marcelinho nunca perde uma oportunidade para vestir a farda de Tullius Detritus e armar confusão, disputando os pontos ao ventura no campeonato do populismo.

  7. E afinal o que lhes sobrou foi mesmo a quinta perna do boi. Que gargarejem à vontade e se engasguem nela são os meus desejos. Ámen.

  8. Camacho:
    -Não tens uma receita fria, gaspacho, vichyssoise, onde se utilize a quinta pata do boi, mas só para gourmets ?
    Clientes de gostos requintados não podem ser desiludidos ! Tem que chupar todo o boi, quinta pata incluída!
    Como diria o Abade de Jazente: todo o burro come boi,a questão é saber dar-lho !

  9. MRocha: O Marcelo faz tolices, adora meter o bedelho onde não é chamado e por vezes, sim, não reprime o seu velho gosto pelas rasteiras políticas. Mas, com o Costa, que o conhece de ginjeira, os danos têm sido mínimos. Penso até que ele o ouve (ao Costa). Por isso digo que, no cômputo geral, tendo em conta que o PS não tem a maioria, e tratando-se de um presidente não pertencente ao mesmo campo político do primeiro-ministro, o seu mandato não se tem caracterizado por conflitualidade de maior e tem havido uma preocupação com a estabilidade. É verdade que também ajuda ter uma oposição (o PSD de Rio) mais ou menos responsável mas também sem argumentos e que não representa uma melhor alternativa. Por enquanto é assim. É evidente que, se as circunstâncias mudarem, o Marcelo pode mudar. Mas penso que nunca será como o Cavaco.

  10. Então, lá está : acabas por me dar razão: a “estabilidade” é mérito do Costinha, a quem o “afectuoso” não hesitará a puxar o tapete assim pressinta que daí resultam ganhos para si ( prioridade! ) ou para a sua cor politica ( secundário!).

  11. Luís Lavoura: Mas quem é que ainda lê os jornais acreditando piamente no que os jornalistas dizem? Eu não. Eu gostaria sempre de saber em que se baseiam para dizerem o que dizem e fico à espera de outras versões. Por exemplo, o Correio da Manhã diz que o Marcelo pediu desculpa ao Centeno. De facto, pode ter pedido. Na tese que eu própria construí, seria o mínimo.
    Como parece ser impossível nós sabermos de fonte segura o que realmente se passou, trata-se de pensarmos o que de facto parece encaixar melhor na cronologia e na substância dos acontecimentos e nos actores em jogo. Mas, já agora, o Crespo não estava bem a dar uma notícia pura e dura. Era, claramente, uma mistura de informação com opinião. Dito isto, eu nem nas notícias puras acredito.

  12. MRocha: Não, não é só obra do Costa. O Marcelo não é má pessoa. Pode ser intriguista, já o tem sido, mas má pessoa, no sentido de rancoroso, vingativo, frio, não é.

  13. Penélope, deixa-te de imaginações próprias do género feminino e de paranóias .

    Certo certo, é que em bom rigor, nenhum dos três esteve bem, e, em mau rigor, nenhum deles esteve mal .

    Ainda nao entendeste ???

    Costa e Centeno, almejam altos voos em novos aéropagos internacionais .
    Tanto mais, que após os tempos fáceis do “ êxito económico “ explicado pelo fenómeno/boom turístico e as cativações, tempos bem duros virão, com quase todos os actores ( ou players, como se diz em patois bancário ) a perfilarem-se já no horizonte ( veja-se as corporações mais agerridas tradicionais, os professores – que engendraram os obstáculos que puderam, ao arranque da telescola, e outros, que fizeram questão de marcar presença, melhor dizendo, fazer prova de vida, a este títalo, ver os sindicalistas do 1° de Maio, que são todos eles profissionais do negocio sindical, os bombeiros, e os policiais – estes três ultimos, com uma ajudinha da infeliz telenovela, “ os heróis da linha da frente, que não podem confinar “, da Sic .
    Pessoalmente, lamento a desconsideração feita aos profissionais da saúde ( médicos e enfermeiros ) que não viram os seus vencimentos acrescidos do aumento salarial decretado para os funcionarios do Estado .
    A culpa disso, já foi assumida pela Direcção-geral do paga o que deves, e o culpado, apontado a dedo . O do costume, o programa informático.

    Por conseguinte, os tempos que virão, serão muito duros para quem estiver a governar : terá que ser TUDO, PARA TODOS . E ao mesmo tempo .
    Porque vai ser assim que todos os grupos profissionais, ou corporações, irão actuar .
    Nada fácil para Costa, nem para Centeno . Nem para quem lá estiver .

    Quanto a Marcelo, esse, já tinha declarado que gostaria de acabar a sua vida, como monge, num mosteiro .
    A ser assim, não almeja mais, a longo termo, que a cartuxa de Évora .

    Quanto aos contratos são para cumprir, “ Pacta sunta servanta “, sim senhore, más também “Rebus sic stantibus “ .
    Infelizmente, nós não temos 10 porta-aviões, como os EUA, para accionar o Rebus sic stantibus, e assim fazer valer a “razão da força” . Para tornar as coisas ainda piores, o “partner” do Novo Banco-Velhas Cantigas, é americano .

    Cordiais .

  14. Mark, a pobre da quinta perna do boi, de tão sofregamente chupada, atingiu tal grau de desidratação que creio mesmo poder falar-se, com rigor científico, em liofilização. E, de tão fria que está já, a ciência autoriza-nos também, certamente, a falar em zero absoluto e criogenia, vichyssoise elevado a cem, 200 estrelas Michelin para gourmetalhos e outros paspalhos. No Jornal da Tarde de hoje da RTP-1, por exemplo, o pivotalho apresentadeiro, assessorado pelo Carvalho da newsletter da Sonae, ocupou os primeiros 18-dezoito-18 minutos a chupar tão sofregamente no glorioso membro que já tinha os lábios roxos, ou azuis, ou cor-de-burro-quando-foge, eu sei lá! Quando vejo e ouço esta fauna, além da urticária, também tenho ataques de daltonismo!

  15. Esqueci-me de referir no meu comentário das 19:08, que, para além dos que lá mencionei, até a igreja católica marcou presença/fez prova de vida, no perfilar das corporações que se afadigam para estar na linha da frente “da recuperação dos malefícios causados pela Covides”.

    Essa veneranda coisa, aproveitou o ensejo, para também atacar o sindicalismo, filho do comunismo, mais concretamente, do PCP, “ fructo do comunismo materialista e ateu “ .
    Oremos, e amen .

    Então, para dar um sinal de contraste, decidiu com “prudência e sentido de responsabilidade” abster-se de ajuntamentos, – não fosse o povo devoto da santa, por prudente cagaço, não comparecer, e a coisa resultar num fiasco, ou fosse, em caso de aglomeração, algum clérigo, virar infectado pela virose, pois que, de ciência certa, Deus e a santa, mandam recorrer à ciência, no caso à medicina, e não são adeptos do obscurantismo, do medo e da superstição.
    Amen .
    De fucturo, espera dividendos de tal responsável conducta, sob a forma/transfiguração, de mais beneficios, isenções, e outros fundos de maneio do Estado .
    Tenho dito .

  16. «O Marcelo não é má pessoa»

    Tá bem, Penélope! Portanto, responsabilizar uma Ministra pelo que sucedeu em Pedrogão e arredores, é cena típica de bom cristão. Ser CSFA e não se atravessar pelo que sucedeu em Tancos, tb é tipico de quem os tem no sitio. Afirmar publicamente que um Ministro das Finanças é incompetente ou vendido por andar a dar umas baldas de centenas de milhões a um banco sem dizer nada a ninguém nem controlar para onde vai o dinheiro, tb é normal. E isto para falar apenas do que é mais evidente. Resumindo, Penélope: estás como a minha mãezinha: foste apanhada pelos “afectos”. :)

  17. a questão central deste debate está logo plasmada no titulo: “marcelices”. traduzindo: cenas que independentemente da sua gravidade devem ser encaradas como “criancices”. bem, salvo melhor opinião, não se espera que um titular de um orgão de soberania se comporte como uma criança traquinas. nem isso é desculpável.

  18. Mas comportam.
    São como crianças de infantário.
    Tem solução simples : entram de quarentena 40 dias antes de abrir a boca . E fecham a boca – com a mosca lá dentro – após a gororoba, por um período parecido .

  19. Todos perdem, no meio desta pandemónia.

    É demasiado confrangedor perceber que o Presidente do Eurogrupo tem mais poder do que o Parlamento, o Primeiro-Ministro e o Presidente da República todos juntos.

    E que, afinal, as tramóias manhosas dos sérgios monteiros, passalhos coelhos, cavácuos, salgadeiros e catrogais anexos compensam.

    É que, sob o respaldo da comunicação çussial estouvada e deliberadamente acéfala, a massa bruta e despolitizada papa tudo o que lhe espetarem à frente dos queixos.

    Como, mesmo sem ler jornais, papou a brutidade do joão franco, mesmo sem rádio engoliu a aventura pífia do sidónio, mesmo ainda antes da televisão embutiu o botas até ao pescoço e, antes da interneta, chupou o cavaco y sus muchachos dez anos seguidos sem dó nem piedade. E nem precisou do tuíta para se derreter com um burroso, ou votar sem culpa na garotagem safardana que nos meteu na alhada com que agora teremos de comparar os tempos que aí vêm.

    Por um lado, ainda bem, para que NUNCA os esqueçamos.

  20. ricardo: Sim, o Marcelo tem muito de infantil. E não, o que ele fez ao Centeno, não é aceitável. Foi péssimo. Diferença em relação a pulhas conhecidos? Nada indica que tenha sido deliberado o ataque e ele apercebeu-se da asneira. E depois de ter percebido o que fez, telefonou ao Centeno a pedir desculpa. Esta é a versão em que acredito, com base nos vários relatos que já li. E também não me custa nada acreditar que tenha ficado furioso quando esse pedido de desculpas foi tornado público, embora na maior parte dos órgãos de comunicação social tenha sido apresentado como “esclarecimento de um equívoco”. A fúria resultou no comunicado patético a reafirmar a história da auditoria, como se não tivesse havido auditoria. Penso que toda a gente já percebeu que o senhor se precipitou mais uma vez, e por isso também penso que o Centeno levou a melhor. Não é burro, não é?

    Quanto à “marcelice” no título tem razão. Eu acho mesmo que o Marcelo faz asneiras infantis. Mas atenção, também sei que é capaz de golpes mais sérios (embora seja sensível às críticas).

  21. Cantinflas: Mas qual poder, homem? O ministro das Finanças, de acordo com as suas competências legais, limitou-se a cumprir os termos do contrato de venda do NB à Lone Star. Não é o PR nem o \Parlamento que têm essa incumbência. Todos os partidos sabem disso e todos sabem que, exceptuando em caso de revolução comunista e de tomada de poder pelo “proletariado”, o que está estabelecido tem que se cumprir. E parece que ainda há mais uma tranche a conceder, caso o banco a solicite. Por isso, o Bloco que pare de fazer demagogia barata de cada vez que o Estado cumpre o acordado em relação ao Novo Banco, por muito discutível que possa ser o acordado. Os bancos são os depositários do dinheiro das pessoas e das empresas. E milhares de pessoas têm lá as suas poupanças e investimentos. Não é que se possa deixar falir um banco só porque o Bloco acha que os banqueiros são todos uns ladrões. O Costa deixou-se ir na conversa da Catarina Martins por razões políticas ou porque ficou confuso com as auditorias, que são distintas. Possivelmente fruto da azáfama com a pandemia.

  22. “Eu acho mesmo que o Marcelo faz asneiras infantis. Mas atenção, também sei que é capaz de golpes mais sérios (embora seja sensível às críticas).”

    ele é sensível mazé às sondagens e sabe que precisa dos votos da esquerda para ser reeleito. o apoio precipitado do costa foi o preço desta marcelada bem sucedida, agora só falta retomar posse e despedir o costa para ser o novo dom sebastião dos direitólas & arcanjólas gabriel da padralhada.

  23. Ó Penelope …
    Pareces o defuncto, a defender o finado .
    Nota do autor :
    Finado = conjunto de finórios, que habitam no Principado do Finado, orbitando em redor do $ do Estado; corja de vampiros e mamões [ também soe dizer-se, que mamam na quinta pata do boi ; sujeito ou grupo, que suga o Estado até ao 5° caralh … ] fina-flor financeira .

    Sabes o que é um contrato ?
    Não dá para desenvolver aqui, mas, no mínimo, para ser um contrato, tem que ser vantajoso para ambas as partes .
    Que vantagem tira o Estado português, a servir de teta a um grupo privado, que só mama ???

    “ Os bancos são os depositários do dinheiro das pessoas e das empresas. “

    E pessoas de bem, também.
    Todos eles.
    Como amplamente se viu.
    Com relação ao citado, assim é, na verdade .
    Pese embora alguns se comportem como se o dinheiro fosse deles ( dos administradores e dos accionistas ) .
    Preciso de dar exemplos ?
    Há muitos accionistas, que devem mais dinheiro ao banco, do que o capital que lá colocaram .
    Tiraram o que lá puseram, e ainda o dos outros .
    É assim que agem, habitualmente, os finórios.
    É o modo de vida deles .
    Fascinante fauna, né ?

    “E milhares de pessoas têm lá as suas poupanças e investimentos.”

    Claro, porque se fosse só com o dinheiro dos accionistas, não era um banco, era um tripó (banco portatil de fechar) .
    São bem burros!
    Privam-se de coisas no presente, e são remunerados abaixo de cão.
    O dinheiro com que se compra hoje um dado item, um bem ou um serviço, seja, a 1 euro, daquí a 10 ou 15 anos, custa 15 ou mais .
    À taxa de juro que o banco paga (mutissimo abaixo da inflação) significa que o dinheiro do aforrador/depositante, está não só a perder valor, como aquele, está, na realidade, a transferir riqueza para o banco.
    Esta transferência de riqueza, é outra característica peculiar, dos finórios. Again, fascinante fauna, isn’t it ?
    Mais valia que investissem na gastança.
    E depois quando se tornassem devedores e caloteiros, se veria !

    Parafraseando, o titulo do post, “No fundo”, no fundo, … há gente aqui que não perdoa ao Costa, não ter agido para safar Sócrates, e não ter actuado ou não se ter empenhado para apoiar as candidaturas de Centeno ao FMI, ao BCE, ao Banco de Portugal e o mais que seja .

    E quanto ao cumprimento do que está estabelecido, e, ao Princípio da Continuidade do Estado, então por esse prisma, podemos mandar as eleições e o Princípio da Alternância Democrática, às malvas, porque já está tudo decidido, e amarrado, ao passado, e só mudam as moscas !

  24. Fazer o favor de ver aqui as ligações entre Mexia e Ramalho e os dados biográficos das consortes, é só titalos monárquicos, bem tempo perdeu o Dr. Sampaio, ao relembrar, que por força de legislação em vigor, os titalos monárquicos estão proibidos, foi mais ou menos aquando a GNR emprestou charrete, equinos e escolta para as bodas de não-sei-quê do Snr. D. Dududu..arte !

    https://pt.wikipedia.org/wiki/António_Mexia

    https://pt.wikipedia.org/wiki/António_Manuel_Palma_Ramalho

  25. da última crise resultou a cena dos agiotas pencudos cobrarem juros do caneco pelo que emprestam ( depois de generalizarem o cartão de caloteiro , vulgo cartão de crédito ) dando zero pelas poupanças -grande jogada , filhos de Mamon , sacanas ; desta , d a crise do gambuzino covid resultará o esmagar das micro e pequenas empresas , tornando toda a gente em assalariados dos esclavagistas. e ninguém topa. somos assim tão poucos com ciência infusa?
    não vejo a hora de os expulsarem para Marte , aos ofidios.

  26. Cara Penélope, muito obrigado pelo seu inestimável esclarecimento.

    Pelos vistos, a cara acha normal ter um Primeiro-Ministro que se deixa “ir na conversa da Catarina Martins por razões políticas, ou porque ficou confuso com as auditorias (sic)”. Caramba. O mais parecido que isto me faz lembrar é o famoso episódio do irrevogável.

    Lamento ter de ficar a saber que António Costa, se não for um refinado aldrabão, então é um ignorante chapado, ao ponto de não conhecer sequer estas evidentes vulgaridades: «Todos os Partidos sabem disso e todos sabem que, exceptuando em caso de revolução comunista e de tomada de poder pelo “proletariado”, o que está estabelecido tem de se cumprir. E parece que ainda há mais uma tranche a conceder, caso o banco a solicite». E o Primeiro-Ministro não sabe disto (?), coitadito, mas responde com os dentes todos às perguntas que lhe fazem os Deputados em plena Assembleia da República! Fantástica “pedagogia” democrática e republicana, não haja dúvida…

    Pois muito bem. Até este triste episódio, eu ainda acreditava, ingenuamente, que o Ant.º Costa tinha palavra e vergonha, sobretudo quando falava para os representantes eleitos do Povo português. Agora, já não acredito. E muito menos depois da vergonhosa entrevista que deu à TSF, em que cobardemente optou por fugir às perguntas difíceis sobre este assunto. Por mim, fiquei definitivamente esclarecido sobre o seu carácter. Tenho pena, mas seja ele um ignorante, ou apenas um aldrabão, já nunca mais poderá retomar a minha confiança. E, se calhar, tal como eu…

    E metam todos no cu a ideia de que esta minha opinião tenha alguma coisa a ver com José Sócrates, que obviamente não tem nada a ver com esta triste epifania.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.