Não ir à guerra não dá e leva

Depois de ler este post, no qual há matéria com que concordar, é de facto altura de falar da estratégia de António Costa face à campanha do governo e à base em que a mesma assenta, a saber – que havia um bandido que levou o país à falência; vieram o Pedro e o Paulo para tratar do Portugal moribundo, dar-lhe um remédio violento mas necessário, levá-lo a mudar de vida, cortar com o passado. Qual crise internacional? Qual especulação? Qual euro? Qual acordo com as instituições europeias? Não houve nada. Estes dois puros, estes heróis merecem, pois,  ganhar as eleições e continuar o trabalho de regeneração. Tanto mais que, olhem, ó gentes, Évora lá está para provar o que mereceu quem nos conduziu à tragédia!

 

Sócrates está detido há seis meses. Para a opinião pública, que apenas farejo, e que presumo orientada pela leitura dos títulos do Correio da Manhã, que o governo agradece e aproveita, tudo entretanto se confunde no que respeita aos motivos da sua estadia em Évora. Está lá, porque ganhou milhões com negócios que promoveu e porque escondeu esses milhões na conta de outro para mais tarde desfrutar; está lá, porque levou o país à bancarrota; está lá, porque foi ele que mandou vir a tróica; está lá, porque roubou os contribuintes com extravagâncias; está lá, porque cá fora é um perigo; enfim, está lá porque muita coisa de mau e criminoso deve ter feito. Como político, foi o que se viu; como pessoa, um vigarista. Assim, tudo junto. Não dois em um; mas mil em um. Um bolo de razões. Nenhuma obviamente boa.

 

Com esta amálgama, Costa tem vários problemas que não está a conseguir resolver: se, receoso do peso da dita opinião pública, opta pelo mais fácil e por ignorar o preso 44, que é o que parece fazer, dá um crédito à Justiça que nenhum jurista minimamente isento lhe pode dar, nem dá, neste momento. E isso começa por estar errado. Mostra-se fraco, refém das parangonas do pasquim e das mentiras da direita, e conivente com os responsáveis pelas fugas de informação e com a respetiva estratégia. O que não augura nada de bom quanto às futuras melhorias do sistema de justiça como alicerce de um Estado de direito. Se defende o preso 44 (e já não digo defender, pode ser apenas mencionar o assunto como, pelo menos, mandaria a decência), receia que o governo o venha identificar em campanha com o «vigarista», o esbanjador e, pior, o corrupto e o criminoso, coisa que já quase descaradamente os apoiantes e delegados do PSD e CDS fazem, ao acusá-lo de querer «voltar ao mesmo». E a prisão ali tão perto.

 

Estes receios impedem Costa de desmontar eficazmente a base da campanha da dupla Passos/Portas, acima referida, o que permite assemelhá-lo a Seguro. Valerá a pena recordar como o governo endrominava o então secretário-geral, dado o silêncio sobre Sócrates e a aparente vergonha (e ainda o homem não estava fechado em Évora)? Pois é, ó Costa. Foi confrangedor que nem uma só vez na convenção se tenha referido o nome do ex-secretário-geral, que, recorde-se, governou o país durante seis anos. E bem.

 

Sócrates está na prisão, diz-se inocente e não foi ainda acusado fundamentadamente de nada e muito menos julgado e condenado por quem de direito. Enquanto primeiro-ministro, o PS só tem de que se orgulhar. Não vale a pena aqui repetir tudo o que de progressista, necessário e certo foi feito nos dois governos anteriores. A vinda da tróica foi da responsabilidade da oposição e desejada pela atual maioria, que decidiu e anunciou ir ainda mais longe do que ela na dureza das medidas. É facílimo desmontar, caso se queira, a narrativa da direita (a da esquerda comunista é desmontável há, pelo menos, 70 anos). Porque não se faz? Com medo de uma identificação com Sócrates e da consequente perda de votos? Ocorre-me a palavra cobardia.

 

Caro António Costa: Sócrates, repito, não está acusado de nada nem condenado. Esta verdade é uma resposta clara contra ataques soezes. Está, para já, a ser vítima da arbitrariedade dos agentes da Justiça. Podia até estar a ser investigado. Não podia era estar onde está e sujeito aos atropelos das regras básicas do processo judicial. Por isso, parece-me igualmente fácil, caso se queira, denunciar a falta de celeridade e mesmo de legalidade da Justiça no caso do anterior líder do PS. Porque ele está presente na campanha. Dá trabalho pegar o boi pelos cornos? Imagino que sim. Mas perguntem ao preso 44, que entende não ter feito nada de condenável. Ele sabe como se faz. O silêncio é que não compensa. Além de não ser decente nem justo nem solidário. Nem de boa política.

 

35 thoughts on “Não ir à guerra não dá e leva”

  1. Costa é um vassalo de bilderberg, tal como portas, passos o são, e, em tempos idos, até se aperceber do lodo em que estava metido e se rebelar, sócrates o foi. Remam todos para o mesmo lado e Costa vai preparando de forma habilidosa a sua candidatura a Belém, sem colocar em causa a colaboração do PS na farsa institucional que serão as próximas legislativa e que lhe granjeará o apoio tácito e a oposição colaborante do PSD nas presidenciais. Espantoso seria se assim não fosse e se realmente vivessemos em democracia. O 44, a verdade histórica e o estado de direito ficarão confinados a uma cela.

  2. Penélope, a estratégia do PS desde que se entregou nas mãos de políticos menores é um desastre. Quando a direita ensaiou a narrativa da falência poucos, muito poucos, foram os que a combateram, preferiram dizer que a culpa não tinha sido deles. Um até já foi condecorado! O Costa, com a mania da pacificação do saco de gatos em que o partido se tornou, é arrastado pelas correntes internas. Uma vitória por K.O. está a transformar-se numa vitória aos pontos ou se calhar mal, a um empate técnico com sabor a derrota descomunal.
    Ainda tem tempo, mas não o vejo com coragem suficiente para inverter a situação. E a direita tem a faca e o queijo nas mãos. Se virem o assunto mal parado há sempre hipótese de abrir uma nova linha na investigação do Marquês…

  3. A questão que a Penélope hoje muito bem aborda está, de facto, a ter contornos incompreensíveis. Sem cairmos na tentação do “tiro ao Costa”, também entendo que devemos exigir-lhe que deixe a comodidade das meias tintas e que se assuma como o líder que herdou no PS um passado que não envergonha nem compromete ninguém, antes pelo contrário. Este taticismo vai acabar por o prejudicar a ele, ao partido e ao país. Para começar deverá deixar de recorrer à expressão “à politica o que é da politica e à justiça o que é da justiça”, nada mais falacioso, sobretudo no Processo Marquês, onde as duas estão propositadamente emaranhadas.

  4. A Penelope e os comentadores até podem estar podres de razão. Mas convinha que deixassem algumas ideias sobre que “suporte” o Costa deveria usar para passar a sua mensagem.
    Façamos um exercicio: imaginem que o homem assume posição pública sobre a matéria. Por que lado é que acham mesmo que o jornalismo que temos lhe vai pegar ?

  5. Penélope,

    Acompanho a sua frustração. Confesso que também gostava muito de um Costa menos tactico. Mas, com a comunicação social que temos, com a propensão instalada para reduzir tudo a simplismos falaciosos, também não estou certo de quais seriam os resultados. Pense no discurso aos chineses e no que transpirou das propostas sobre a sustentabilidade da segurança social . O que poderia ele dizer sobre o caso Sócrates que não municiasse a pesporrência instalada ? Confesso que não sei.

  6. costa está a fazer o mesmo do que seguro,depois de o derrotar nas eleiçoes.podiamos ter poupado tempo e dinheiro e ficava tudo na mesma.como o ps não faz oposiçao,faço eu e para isso transcrevo as palavras do Pm passos coelho em 2008: na area financeira,acho que devemos gradualmente criar condiçoes,para que o estado se retire da area financeira e por isso defendo a privatização da caixa geral de depositos. imaginem como estariamos agora se tal tivesse acontecido.

  7. m.rocha,a proposta da sustentabilidade da segurança social,foi um enorme tiro no pé.pode ter muitas virtudes se… se…mas os portugueses quando já se fala em reduzir o valor das reformas,ao ouvir propostas aventureiras para reduzir as contribuiçoes da tsu, ficaram com os cabelos em pé.

  8. “o preso 44”, é uma pessoa e tem um nome. Ou a austeridade já chegou aos caracteres?
    Quem fala como a direita anti-democrática acabará a pensar como ela.

  9. Quase tudo errado. Assumir a defesa de Sócrates enquanto o processo não avançar é proporcionar antecipadamente o pretexto para uma avalanche de acusações, por parte não só dos media especializados na mentira descarada, mas até dos menos irresponsáveis e seus opinadores. E as acusações vão ser as de cumplicidade criminosa de tudo o que é ou foi PS, à excepção dos heróis nacionais Neto e Seguro, e não vai sequer ser preciso explicar em que alegados crimes socráticos, se alguns forem descobertos ou fabricados de encomenda. E no caso oposto a acusação vai ser de o PS ter forçado a justiça a ilibar um culpado, e o que menos vai interessar é de que possíveis culpas se pode ter tratado.

    O caso Sócrates é uma batata quente nas mãos de uma justiça inepta ou corrupta. É uma situação por enquanto muito aborrecida para a vítima principal, mas basta ler a imprensa anti-socrática e ouvir os trastes do costume para se perceber qual é neste momento o seu mais ardente desejo: poder dissolver o caso pessoal de Sócrates, que se está a transformar num osso comunicacional duro de roer, com a ajuda do seu excelente advogado, transformando-o num processo do colectivo PS, mais uma vez, é claro, através de acusações na praça publica, sem recurso a tribunais a sério ou acusações precisas.

    Sócrates, que pode ter muitos defeitos, mas não é parvo nenhum , está farto de perceber isto, sabe defender-se, e já percebeu que neste momento as inicitiavas em sua defesa não podem partir do PS. Dêem tempo ao tempo, não isolem o processo Sócrates da porcaria de justiça que temos, não esqueçam o processo Casa Pia, nem a noção de que as vítimas (à excepção de Ferro, Pedroso, Gama e alguns outros acusados pelas «crianças» pagas antes de quaisquer factos ou pseudo-factos investigados e julgados) ainda estão presas e continuam a declarar-se inocentes.

    Não caiam na armadilha que vos está a ser estendida. Deixem a batata quente nas mãos dos merítissimos e seus capangas.

  10. A estratégia correcta para fazer frente à tenebrosa politização da justiça que temos não é a da confrontação em matérias judiciais. É a do ataque aos escandalosos aspectos políticos de que ela publicamente se reveste, a começar pela corrupção patente nos seus tentáculos mediáticos e políticos, como sejam as suas relações perversas com a imprensa tablóide, a hiper-politização dos «sindicatos» de magistrados etc..

  11. Correcção a: «poder dissolver o caso pessoal de Sócrates, que se está a transformar num osso comunicacional duro de roer, com a ajuda do seu excelente advogado, transformando-o num processo do colectivo PS»

    Leia-se, é claro, e para evitar confusões: «poder dissolver o caso pessoal de Sócrates, que se está a transformar com a ajuda do seu excelente advogado num osso comunicacional duro de roer, transformando-o num processo do colectivo PS»

  12. O que era preciso neste momento era uma investigação a sério capaz de pôr a careca à mostra aos autores das «fugas» e suas ligações aos media. Recordem-se, por exemplo, de como foi desmascarada a conspiração cavaquista das pseudo-escutas socráticas a Belém. E essa investigação não pode ser deixada ao coio de corruptos, ingénuos e cobardes acolhido pela triste magistratura que temos. Tem de ser alguém ligado aos meios de informação a dar o sinal de partida, como no caso da inventona das escutas. Muito difícil, porque lhe sairia muito caro, mas não impossível de todo. Sem isso, por enquanto nada feito. Há que esperar.

  13. Sim Meirelles, penso que o seu raciocinio é cheio de bom senso…coisa que falta cruelmente a todos nesta lama em que nos afundamos…

  14. EHEHEHEEH. Ó pa eles, todos juntos a defenderem o gajo do outdoor, com a asnosabedoria dos que se apresentam como DOUTOS ( incultos).

    Cara Penélope,

    A paixão só muda o mundo, quando a razão a apoia. E o estudo.

  15. ó nhanha, achas mesmo que as acusações e insinuações não vão chegar, se baixarmos a cabeça??
    Ainda não vimos nada, mas eu sei de fonte segura que as redacções e a central de propaganda estão prontas!
    Tudo o que sejam dados do processo, escutas a membros do PS, etc já circula na mão dos jornaleiros…

    A única questão é se é a direita a escolher a data para abertura de hostilidades ou se é o PS a ditar o calendário.
    Adivinha qual é a opção que mais lhes convém?

  16. A razão ? Pois, a razão ! Mas como vc sabe se tivesse feito o que recomenda aos outros, i.é, estudado os minimos de filosofia, a razão é uma inferência logica . Dito de outro modo para quem não estudou os minimos: a validade de um argumento depende da validade das premissas que o apoiam. Se as permissas forem falsas, não há lógica que nos salve ! O que sucede é que os demagogos e a gente de má-fé, que se apoia em permissas falsas para desenvolver reciocinios lógicos, transporta para as suas conclusões uma aparência de evidência cuja refutação automática nem sempre está ao alcance dos simples. E dessa forma lá vão conseguindo levar o barco ao seu porto, como vai sendo o caso de certos Magistrados VIP !

  17. Como disse o ex PGR Pinto Monteiro, se o processo avançar para
    acusação deixará de haver segredo de justiça assim, será altura de
    verificar desde o princípio toda a tramitação e, se os magistrados
    titulares do processo respeitaram os preceitos legais e quais os
    indícios tão fortes que convenceu a Relação a manter a prisão pre-
    ventiva do ex. P. Ministro!
    Não cabe ao PS, neste momento, a defesa do seu ex líder José Só-
    crates mas, não pode ignorar que a Justiça não está a funcionar bem!
    Deve ser incluído no seu programa um capítulo sobre medidas para
    melhorar a qualidade, eficácia e celeridade, onde estarão sob escru-
    tínio os juízes e os procuradores que, como alguém dizia num blog
    parecem possuir uma cultura de tasca com as certezas dos taxistas!!!

  18. J.Madeira disse

    (…)
    Concordo. Tem o meu apoio total – e o apoio restrito também .

    Estaria por acaso a pensar em juízes ingleses e investigadores americanos ?
    É que isso fica caro, e nós não temos dinheiro para mandar cantar um cego.

    Já agora, caso fiquemos com a prata da casa, a cargo de quem ficaria, e de que modo, se faria, o escrutínio dos juízes e magistrados do Ministério do Públicos ?

    Grato pelo momento divertido.

  19. o sócras desta vez está tramado, tou para ver como é que escapa disto quando o rotex investigar e o calex instruir. já tou para aí a ver bué de fans socráticos que o gajo nunca foi eurodeputado, assessor do barroso, nunca tinha ido à colombina e pirú só no natal. dá-lhe forte teixeira, desta é agraciado com a ordem patilhas & ventoínha.

    http://www.las2orillas.co/quien-esta-detras-del-fiasco-de-los-negocios-de-los-portugues-en-colombia/
    fui lá parar através do terrorista

  20. há aí uma cena que não consigo entender. Se houver por aí quem a entenda e me possa ajudar, desde já o meu agradecimento. Ora cá vai.

    1. Ninguém pode ser preso sem uma decisão judicial nesse sentido, certo ?
    2. Se o preso entender que está preso ilegalmente, recorre, certo ?
    3. Se o recurso fôr indiferido, para que raios serve o “habeas corpus” se «O habeas corpus não é o meio próprio de impugnar as decisões judiciais ou de arguir nulidades e irregularidades eventualmente cometidas no processo (…) o meio adequado é o recurso ordinário”, consideram os juízes do Supremo»
    ?!

    Alguém sabe ?

  21. não é para rir, quer dizer :-), mas Costa só está a jogar pelo seguro. de resto, o costume: considerar que Sócrates nada fez de errado na sua vida pessoal para que as pontes se erguessem de tal forma que a vida do PS ficasse ameaçada é que não. e depois só com um grande jeitinho é que se acredita piamente que não, que não se dá o benefício à dúvida, que é tudo, absolutamente tudo no âmbito das suspeitas da investigação em curso, teatro de guerra. pensando melhor nisso de haver guerra, há mesmo – uma guerra de trincheiras de todas as partes envolvidas com muito arame farpado pelo meio. a verdade, quero e preciso da verdade.

  22. Como estou consciente do calvário do Ex-Primeiro Ministro desde o jornal da manela que, o correio da mãnha herdou e implementou, não percebo nada deste-faz-de-conta-que-não-é-nada-porque-agora-não-pode-ser-e-o-melhor-é-não-saltar-para-a-arena-onde-as-feras-tudo-abocanham.
    Vai-daí-deixa-passar-que-amahã-já-dá!!!
    Dará?

    Falo com coração, mas muito bom instinto!
    Isto vai sobrar da pior maneira para o PS.

    Não é pela direita que se percebe, é pela esquerda:
    – velha-nova-tonta-xixolina-desaparecida-agitada….

    De novo a Aliança Negra no seu melhor com tribunas ao dispor para todos os gostos.
    Nas corridas de fundo os que se julgam na frente estão a cortar o vento.
    Se a coisa é de tática não estou a ver quem está a aproveitar o túnel de menor esforço. Alguém estará.
    Talvez o Marinho e Pinto…para já.

    Se o PS tem um gabinete para falar de economia e, pensa que isso lhe dá tudo que se cuide.
    Uma task-force de gente que saiba dizer-nos tudo sobre este belo disfarce da direita que se apresenta como virgem impoluta e, naturalmente, sempre que fala mal do PS lá está José Sócrates.

    E pior, não é José Sócrates hoje :
    – é José Sócrates o político competente do último Governo que deixou trabalho feito que está a ser destruído e mal defendido.

    Se José Sócrates o Governante não continuar escondido pelos seus e o PS amordaçado, complicará muito mais as campanhas mentirosas e falsas da direita e todos os que parasitam o voto PS.

    O PS está há 3 anos a dar tempo e todas as ajudas para consolidar a k7 contra si.

    José Sócrates confirmou o desafogo de um amigo de há 40 anos, empresário rico, que lhe permitiu estudar em Paris.
    Quem não aceita sem problema o que um amigo nos pode proporcionar de bom sem sacrifício para esse amigo ou família?

    Clara Ferreira Alves fala disto duma maneira muito descontrolada. Que será que lhe vai na alma para tanta puritanice em directo?

    O Homem não arranjou tachos pós governo como todos arranjam…
    Principalmente em Bancos e, glória a Deus até o Banco Central Europeu os acolhe!
    Estou convicta que a sua popularidade como Primeiro Ministro de Portugal na Europa lhe teria dado muitas oportunidades de ganhar muito dinheiro.
    Bem caro lhe está a sair o curso que só o enriqueceu de bons conhecimentos.

    A condecoração do teixeira deveria deixar o PS em alerta total.
    Aí está o último retoque de cavaco :
    – a condecoração de teixeira, o patriota, que chamou a troika.

    Ainda não ouvi o que o Dr. António Costa pensa deste agravo.
    Cabeças seguramente de bom raciocínio dizem que assim está bem que José Sócrates vai resolver a sua situação e nada de misturar o PS.
    Outras dizem que a tática de insistir em passar pelos pingos da chuva não está a resultar.

    Se os sábios Senhores da Política e da Justiça falam sem medo pois que venham eles explicar já sem engulhos que não seja a clareza da verdade e da confirmada experiência promover fóruns sobre a pouca vergonha de enxovalhar o maior partido da oposição como está a ser enxovalhado atingindo no coração o sistema democrático convertido em tribunal de má língua e assassínios de caracter.

    José Sócrates está a sair-se muito bem :
    – o PS não.

  23. O caso Sócrates é uma batata quente nas mãos de uma justiça inepta e/ou corrupta. Há quem esteja ansioso por retirá-la de lá e passá-la para as mãos de Costa e do PS, sem perceber as consequências que isso terá para o próprio Sócrates. Mas a única atitude inteligente é manter o rumo que Costa tem mantido. Notem, aliás, que nos últimos tempos, das bandas do PS e perante a comédia que estamos a viver, já não se fala muito naquele tom postiço de «confiança na justiça», e sim na clássica posição de «não fazer comentários». E é assim mesmo que deve ser. Há tempo para comentários mais informados. Só não haveria se houvesse risco grave de a batata estar a esfriar, mas não me parece que seja o caso, continua mas é a aquecer…

  24. Li com muita a tenção o G Meireles. Penso que ele é bem capaz de ter razão: os magistrados agradeceriam aos céus se o processo fosse atirado para o plano político. Salvava-se, de vez, a sua face mais que comprometida no processo Marquês. A PGR, o Rosário e o Alexandre fizeram merda da grossa neste processo, a julgar pelo que nos foi dado a conhecer até ao momento. Juristas de todos os quadrantes afirmam-se atónitos com o que se passa na Operação Marquês. Costa pode estar a agir bem, se considerarmos a total hostilidade por parte de toda, toda¨, a comunicação social. Seja como for, Costa e o PS estão entalados por uma justiça completamente politizada. E Sócrates pode não se safar de uma longa pena de prisão por mera convicção de um juri de tratantes. Por ressonância de verdade, Carlos Cruz e outros estão condenados. Tudo é possivel com os magistrados que temos.

  25. Pimpampum, naturalmente, alguma da prata da casa teria que,
    mudar de vida por falta de condições para o desempenho destas
    importantes funções!
    Há muito tempo, mesmo antes de se descobrirem os copianços
    que defendo a extinção do CEJ nos moldes em que funciona e,
    não menos importante será uma correcta avaliação psicotécnica
    dos candidatos … perderam-se mais de trinta anos remendando
    algo que está mal, os sindicatos já deviam ter sido extintos ou
    passado a ordens profissionais! Basta haver vontade e faz-se!!!

  26. Ai, ó pa eles, em pleno processo de escatologia. E, então? Resultado? Cheirais a trampa seca, não é? Pois é? É a pior. Está incrustada, custa a tirar. Não há detergente que a remova. Por isso, o outro tinha razão quando falava nos encardidos, desde que os deixaram sentar à mesa, é vê-los cuspir enquanto comem do prato dos outros e não o reconhecem. É o povão, o que forma a democracia marreca.

    Como podeis, então, falar de razão? Vós que vos deixais governar por quem mente na construção dos casebres na Covilhã e nos estudos…por fax? E que se rege pela vaidade em Rodeo Dr. e se governa com o dinheiro dos amigos? Marranos, boue fazere a bianda, que estais com fome de qualquer coisa, ainda que seja farelo.

  27. Costa acredita que a grande maioria dos portugueses pensa que Sócrates é culpado, e defende-se ignorando o caso na medida do possível.
    Se defendesse a inocência de Sócrates, podia ainda perder mais votos, pensa. Está convencido que não consegue a maioria por causa deste caso.
    Aliás pode estar com medo de poder mesmo vir a perder as eleições, teme que os outros partidos quer à direita quer à esquerda utilizem mais diretamente o caso à medida que se aproximem as eleições.

  28. As Ordens, por exemplo, Ordem dos Médicos, etc., não podem tratar de assuntos sindicais, apenas de matéria de deontologia e ética.
    A minha convicção é a de que os magistrados, sejam juízes, sejam magistrados do Min. Público, têm formação muito elementar em matére economia, o que é fatal em tempos de crime económico altamente sofisticado. Podem
    recorrer a especialistas, mas sabe como é, cada
    cabeça, sua sentença, em matéria de
    especialistas, a maioria dos especialistas só
    parecem “concordar em discordar”.
    Isso que referiu do CEJ é um escândo.
    Não concordo com muitas das regalias e
    privilégios, por exemplo, atribuição de casa de
    habitação, ou de subsídio de renda.
    Isso é para os pobres, para quem não tem
    dinheiro.
    Para mais, pela razão invocada : para dignificação
    da função. Como assim, as investigações e os
    julgamentos são feitos em casa ?
    Em suma, defendo que cada um deve ganhar um ordenado justo e condigno, e governar a sua vida com isso, não simpatizo nada com remunerações acessórias e outras regalias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.