Merkel a basar e o Bloco a vazar

Os minutos que ainda vou gastar com o Bloco apenas se devem ao facto de o PS ter como líder o Seguro e de isso lhes dar alguma esperança de serem chamados a um futuro governo. Seguro tem por enquanto o bom senso de não querer eleições. E, quando as quiser, pode já não liderar o partido. A cada qual o seu drama.
Quanto à Convenção, vamos lá a ser objetivos. A proposta de rasgar o Memorando é de tal maneira disparatada e radical que só pode inserir-se num joguinho político muito mal concebido que visa entalar o PS (como sempre), nada tendo a ver com a defesa dos interesses dos portugueses. Está à vista: basta a direção do PS dizer, como se esperava, espera e esperará, que não rasga memorando nenhum (muito menos o declara; é a política, estúpidos) nem envereda por soluções extremas e irresponsáveis, para logo vir a resposta pronta da malta bloquista “Afinal estão pelo Memorando ou contra ele? Isto não pode ser, estar com um pé fora e outro dentro”. Pensam assim cumprir a fase “soundbyte” da estratégia e angariar alegres e contentes carradas de apoiantes graças à sua “genuinidade” e coerência e às “contradições” do seu adversário. Mas que idiotas, como se o mundo fosse assim tão bicolor e as pessoas não soubessem que o não é. Como se quem governa não tivesse de lidar com políticos eleitos de outros países, banqueiros, empresários, bolsistas, presidentes de eurogrupos e outros “capitalistas” deste mundo. E com acordos internacionais, já agora. Como se os farsantes que nos governam neste momento não tivessem uma agenda neoliberal própria e não tivessem aproveitado a Troika e o Memorando para a pôr em prática! Como se não houvesse maneiras de gerir politicamente o cumprimento do Memorando.
O engraçado é que a estratégia é tão furiosa e desvairada que estas almas nem temem ser apelidadas do que são e nunca deixaram de ser, extremistas e radicais. Sê-lo-ão. Ao contrário do que imaginam, não ganham credibilidade alguma. A proposta é objetivamente extremista e impraticável. Com propostas destas, apenas reforçam a ideia que 90% dos eleitores (votantes do PCP incluídos) fazem deles e continuarão a ser considerados tontos e imaturos. Oferecem, nomeadamente, o flanco ao PS, que, pela voz de distintas figuras, não perdeu tempo a ridicularizá-los, descrevendo-os a queimarem o memorando no Terreiro do Paço. Presumivelmente em grande festim azteca ou de bruxas shakespeareanas em volta da pira, acrescento eu.

Louçã foi-se embora, mas legou à nova direção o grande desígnio de salvar o partido emulando o Syriza. Outro erro. Portugal não é a Grécia, nem o espetro partidário e história política têm qualquer comparação. O novo par de líderes que é suposto executar a estratégia é composto por João Semedo, um médico ex-PCP que debita serenamente no Mário Crespo, no café e provavelmente nas comissões parlamentares, já tinha idade para ter juízo, mas que na tribuna não entusiasma nem arrebata, e Catarina Martins, basicamente uma atriz que gosta de protagonismo e palco. Impressiona a forma como não pestaneja enquanto fala, como no teatro declamado. Grego? Não vão longe. Se o Louçã vier a cada momento dar uma ajudinha, vamos divertir-nos imenso. Se não vier, ai Jesus que lá vão eles.

15 thoughts on “Merkel a basar e o Bloco a vazar”

  1. Bloco, com estes arraza-brasas? Amanhã, se o PS for, eventualmente, para o Governo, aí os veremos de novo na primeira linha a tentar deitar abaixo esse governo, tendo perfeita consciência de que o que vier a seguir será bem pior. Se necessário e como recentemente aconteceu, ligando-se descarada e vergonhosamente à direita mais retrógada e fascistoide, para conseguir tal intento. Quanto ao Povo?… que se lixe o povo!
    Não! Nunca mais irei cair na esparrela de dar o meu voto a tais cretinóides, embora conheça muitos que por lá andam que respeito e por quem tenho admiração. Só que,… esses, lá dentro, pesam muito, muito pouco. A maioria daqueles que por lá pululam do que francamente gostam é de orgasmos de esquerdite aguda e irresponsável.

  2. Conclusão: só o PS e PSD têm credibilidade e responsabilidade para governar (directa ou indirectamente). Como, de facto, temos assistido nas últimas décadas. Tudo o resto é, digamos, desprezível.

  3. oh zé! em democracia é assim, só têm credibilidade os que cumprem as regras e são responsáveis os que respeitam os compromissos, o que não acontece com a esquerda ranhosa do semedo & gerómino. esqueceste o cds que tamém cumpre os requesitos, embora te custe a engolir.

  4. ” em democracia é assim, só têm credibilidade os que cumprem as regras e são responsáveis os que respeitam os compromissos”

    Exatamente. Neste regime democrático, os mais credíveis, responsáveis e astutos são PS, PSD e CDS. Sem dúvida. Os outros, os ranhosos, são apenas irresponsáveis e indignos e, acrescento eu, actores decisivos nas “maiores barracadas” políticas das últimas décadas. Recusam compromissos estatais e eleitorais, promovendo interesses sectários e inalienáveis das suas ideologias bacocas e infantilizantes que são têm lugar na Utopia do outro.

    Sobre o post, partilho uma opinião colhida na net:

    “Continua por provar a teoria de que o BE é um partido levado ao colo pela imprensa. Sobre nenhum outro partido se diz haver uma «luta fraticida» quando se observa um debate interno, ou se fala em cisão quando o que há é dissidência. A nenhum outro se pede que deixe de ser o que é para entrar na partilha do poder. E a nenhum outro se assina tantas e precipitadas vezes a certidão de óbito. O contraste é gritante com a falta de escrutínio em relação a um CDS que trocou o seu eleitor pelo poder, que se transformou no partido pessoal do seu líder, que termina conselhos nacionais ao estalo e que soma fundadores e dirigentes no exílio ou na prateleira – de Freitas do Amaral a Manuel Monteiro, passando por Basílio Horta, Ribeiro e Castro ou pela falecida Maria José Nogueira Pinto.
    Pedro Alves Guerreiro.

  5. O BE atingiu o seu apogeu nas eleições de 2009, beneficiando do descontentamento
    dos profes manipulados pelo comissário Nogueira a propósito da avaliação e, de mais
    alguns desorientados com as campanhas da asfixia democrática tão empoladas pela
    comunicação social, os casos “freeport” que não estava a resultar e a grande opera-
    ção “face oculta” e o atentado contra o Estado de Direito… do BPN e SLN pouco se
    falou ou melhor, falou-se para atacar o Governo e o Governador do BdP, por tudo
    isto alcançaram os 16 deputados na A.R. e 3 no P. Europeu!
    Eufóricos com estes resultados, Louçã que nunca se esqueceu como foi fácilmente ba-
    do por Sócrates no debate pré eleitoral, empenhou-se num combate quase irracional
    contra Sócrates e o PS daí até à aliança com a direita sedenta de chegar ao Pote foi
    um pequeno passo! Como paga, ficaram reduzidos a 8 deputados e, é natural que
    em próximas eleições a contração continue passando a partido táxi!
    O relator-mor Semedo que, ganhou alguma notoriedade na tal Comissão de Inquérito
    e a Pimpolha não vão conseguir manter uma linha de coerência política no BE na expe-
    rimental liderança bicéfala!
    Quanto ao PCP, temos a Festa do Avante e uma persistente luta pela manutenção do
    seu castelo, com os seus funcionários, um discurso dos anos 80 do século passado,
    até tenho dúvidas se eles já sabem que o muro de Berlim caíu… ficam muito satisfei-
    tos com os 10% dos eleitores, será uma grande vitória!!!

  6. uma pergunta ao bloco de esquerda. quando obrigaram Sócrates a pedir assistencia financeira não sabiam que ia haver memorando? ou só pensaram em eleger mais uns deputadositos que davam mais umas massitas para animar a malta, parece que a coisa não correu como previsto e ficaram entalados; agora querem entalar outros para não ficarem sós, que amores;mas não desanimem a vossa hora chegará

  7. “oh zé! em democracia é assim, só têm credibilidade os que cumprem as regras e são responsáveis os que respeitam os compromissos, o que não acontece com a esquerda ranhosa do semedo & gerómino. esqueceste o cds que tamém cumpre os requesitos, embora te custe a engolir.”

    É bom que se dêem os nomes aos bois. Foram precisamente esses três que arrebentaram com o país. Pelo vistos, porém, ainda querem que lhes sejam dados os parabéns.

  8. O nome da agremiação devia ser alterado para Blocuco. Tal como o cuco passaroco põe os ovos no ninho de outros pássaros e depois vai laurear a pevide, enquanto espera que eles os choquem, o Blocuco deu em pensar que o PS se tornou numa espécie de partido pronto-a-vestir, ou pronto-a-comer, ali mesmo a jeito para ser papado por uma OPA hostil. É claro que sonho tão estrambólico só é possível porque o PS do Totó Seguro e do Tsé-Tsé Zorrinho se tornou numa coisa a modos que nem assim nem assado, corpo descabeçado, rebanho castrado, sem rumo e sem alma. O seu pomposo “líder” (?) tem apenas uma preocupação: impedir que a quadrilha do pote caia do cavalo abaixo e lhe deixe a criança nos braços, já que o garboso mancebo não faz a mínima do que há-de fazer com ela. A única coisa que parece saber, aliás, é arrotar para a plateia umas ocasionais postas de pescada de violenta oposição plastificada, principalmente quando se apercebe de uma câmara de televisão por perto.

    Quanto ao diácono Louçã, limita-se a reeditar a táctica Cavácuo. Finge que se afasta do partido de que continua dono, e que continuará a devotar-lhe fidelidade canina, e, num pseudodistanciamento laboriosamente cultivado, prepara pacientemente uma futura candidatura à Presidência da República. O simples facto de julgar possível tal prodígio atesta a desmesura do inchaço que lhe afecta o ego, apenas equiparável à próstata de um elefante em adiantado estado de neoplasia. A coisa bicéfala é assim a modos que um Fernando Nogueira dois-em-um, cordeiro bissacrificial, borrego com duas tolas, uma coisa para se ir desfazendo, putrefazendo, como aquelas larvas em que alguns insectos põem os ovos e que servem apenas para alimentar os bicharocos recém-nascidos até à fase de mariposa. No caso em apreço, a “braboleta” em gestação sonha com o dia em que voará graciosamente para os jardins de Belém, ao som de hossanas entoadas por massas estasiadas de felicidade. Cumprida a sua missão, a coisa bicéfala que se foda, sobrarão uns candidatos a assessores com a missão de manter vivas as cores e o brilho das asas da mariposa magnífica e o resto pode ir para a da tia.

    Allahu Akbar!, entusiasmar-se-ão os crentes. Alá vai acabar!, e o mundo com ele, garantirão os incréus como eu.

  9. Ze´uns trocam tudo até de camisa! o bloco pela ambiçao desmedida de poder,traiu os trabalhadores que nele confiaram para irem ao pote eleitoral buscar mais deputados,lixaram-se!foram às urnas de autocarro regressaram em dois taxis! pior, puseram o povo que votou e não votou Be às ordens do reacionario e servil passos coelho.o drama,do Pcp e Bloco,é que ainda não enxergaram que mesmo que o ps não fosse a votos nas legislativas o povo não votava neles.Não é o ps que os impede de subirem na vida,mas a irresponsabilidade das suas politicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.