Isto é que vai um sucesso

Aos olhos dos chamados mercados, os programas de ajustamento foram de tal maneira fantásticos que os juros da dívida pública sofreram um trambolhão monumental num curtíssimo espaço de tempo. Quase os ouvimos a guinchar e bater palmas enquanto caem. E não só em Portugal: também na Grécia, na Irlanda, na Espanha, na Itália e em Chipre. Estes acontecimentos deixam o impotente e assaltado cidadão comum (que assiste a isto como quem assiste a um jogo com regras desconhecidas) e, o que é mais interessante, os respetivos governos algo banzados. Não me espantaria que alguns se saíssem com um tão espontâneo quanto disparatado “I’m innocent!”. Ou seja, a surpresa é total, apesar do que se diz em tom bruscamente vitorioso e a bem da propaganda. A real situação económica do país e a sua dívida – ambas muitíssimo piores do que há três anos – e, convém não esquecer, as notações das agências de rating, que não se alteraram, deixaram de ter qualquer importância ou peso na decisão dos investidores. O que dizem agora aqueles que estabeleceram uma ligação direta inegável, incontestável, indiscutível entre as duas e automaticamente extraíram do facto a necessidade de punição? Dizem que era preciso? Pois não era. E com esta dose ainda menos, seus aldrabões, vendedores de banha da cobra.

Isto só prova o quão errada e infeliz foi a entrega do poder a uns direitolas experimentalistas e impreparados, que provocaram e depois abusaram desde a primeira hora de uma situação de contingência e de desnorte e preconceito europeus, e o quão acertado teria sido aguentar os sucessivos PECs até Mario Draghi decidir fazer “whatever it takes” para salvar o euro, decisão que, mais tarde ou mais cedo, teria de ser tomada, dadas as perdas incomportáveis para os grandes países que o fim do euro representaria.

Para além do que perdeu, o que ganha com tudo isto a maioria da população portuguesa? Um futuro melhor? Melhor do que quando? Com base em quê? E em que geração? A verdade é que esse futuro é impossível de descortinar, para quem fica. Agora regressamos aos PECs, mas exangues, com as famílias desmembradas e com o acesso à educação limitado. Uma população jovem qualificada passará a ser coisa do passado. Não é preciso ter um QI superior para perceber quem ganhou com a chegada ao poder destas pessoas e com a gestão que fizeram e continuam a fazer do resgate.

17 thoughts on “Isto é que vai um sucesso”

  1. foi mario dragi que salvou a europa,com a sua intervençao,aconselhado por vitor constancio.isto é de fonte segura.

  2. Ainda hoje, na A.R. grandes congratulações com
    a “missa” do fim de semana em Oliveira do Bairro,
    a lengalenga ou narrativa desta gentalha é do mais
    ignóbil que pode haver, estão bem uns para os outros!
    Desde outubro que andam em campanha eleitoral, a
    convenção serviu para lançar o “grande” princípio que,
    será a base para as europeias a saber; – o PS trouxe a
    troika que deu cabo do País e, nós temos o elevado mé-
    rito de libertar a Pátria da “ocupação” externa, retoman-
    do a nossa soberania!
    Pois, como disse, hoje na A.R. lá estavam o montenegro
    mais o compincha magalhães a ensaiar a música que
    iremos ouvir nos próximos meses … espera-se de quem
    de direito uma reposição da verdade histórica, onde se-
    ja lembrado o comportamento anti- patriótico da genta-
    lha que recusou o PEC IV, se calhar temos que esperar
    sentados!!!

  3. Isto é um mea culpa a prestações, que já vem tarde demais. Isto não há-de ser fácil de resolver, só com empréstimos…

  4. Não sei o que é mais incrível e absurdo, roçando mesmo a náusea e o vómito: se uma longa Missa Laudatória de Requiem pelo morto, pútrido e enterrado PEC IV, cujas qualidades milagrosas continuam a animar as liturgias por estes lados e a excitar as vulvas ressequidas destas beatas socráticas; se a constatação angustiada e delirante de que após o PEC IV, eminência de bancarrota, pedido de regaste e a assinatura do memorando por parte do PS, eleição do governo de direitolas e da Troika, já foi perdida, e nem nunca será, possível mais nenhum futuro e nenhuma esperança, menos ainda alegria e amanhãs que cantam.

    Vocês não são TRISTES, PATÉTICOS e DEPRIMENTES – vocês são apenas CARPIDEIRAS AMESTRADAS.

  5. E nem um comentário à Viragem ‘social-democrata’ do Presidente francês, com aplausos do Patronato … parece que o o salvador das esquerdas”, vergou à dura realidade!

    Mais um socialista que vai meter o socialismo na gaveta, coisa que soares fez há muito tempo. Acabou-se o dinheiro dos outros e o “socialismo” deles tem que levar esse caminho. Agora é que se lembrou que para criar empregos é preciso não carregar as empresas de impostos. Estes ditos “socialistas” cada vez me desiludem mais. Já pouco mais, porque a desilusão já bateu no fundo. Se calhar o que ele agora precisa fazer é prescindir das altas mordomias que tem, como deveriam fazer muitos falsos socialistas em Portugal.

  6. Se dúvidas existissem elas estão desfeitas. Os socialistas franceses, tal como os portugueses, são assim uma espécie de coiso gelatinoso…”não são carne nem são peixe”. Uma vezes estão à esquerda e outras à direita, é uma questão de jeito! Vá-se lá confiar num partido destes!

  7. Quando Hollande foi eleito, Seguro não poupou nos elogios e disse ter chegado uma lufada de ar fresco à Europa e um novo ciclo de esperança. Se este é o caminho de Seguro para Portugal, é melhor esquecer. Hoje 75% dos franceses estão contra Hollande. Até os seus senadores votaram contra a lei das reformas que queria implementar. Caso inédito. Foi rejeitada por unanimidade. Crescimento e emprego onde param? Por último, na sua conferência de ontem, tal como no passado Mário Soares, que lá fora era Social Democrata e cá dentro era Marxista, também Hollande virou Social Democrata e as reformas que anunciou só agradaram aos patrões. Se este é o caminho de Seguro, então que arranje um GPS para encontrar outro porque os portugueses estão fartos de sacrifícios e não suportam mais aventuras. Esperemos ao menos que os sacrifícios violentos e intoleráveis que estamos a suportar, tenham frutos para os nossos filhos e netos.

  8. Esta geração de políticos que hoje estão entre os 46/65 anos, que nos governam são aqueles antigos alunos, de “professores saneados”.

    O menino não passa, prof, fascista, rua!!!

    Estamos lixados para recuperar, agora só com merklerianos!

  9. eu quando tinha emprego,em casa era um verdadeiro socialista na opinião dos meus filhos.Hoje no desemprego,como não posso dar-lhes o habitual passei,a ser uma especie de social fascista, com a loja vazia por nada ter para vender,ou de um psd/cds com a austeridade alem da troika. Os rapazes só são justos num aspecto.Depois de muito pensarem acham que e´preferivel eu ter metido o “socialismo na gaveta”,do que o meter na merda como o fizeram e continuam os partidos comunistas e afins. Eu antes de votar, vou ao canal memoria revisitar o passado.depois desse exercicio de inteligencia,tenho forçosamente que votar no mesmo,por amor à liberdade à democracia e tambem como reconhecimento do contributo largamente maioritario do ps do que de bom se fez neste pais.

  10. pelas mentiras europeias,torna-se cada vez mais evidente,que o pec 4 (podiam vir mais) era o remedio adequado para o pais e para a europa,não ser forçada a tanto mentir para esconder tanta austeridade e resultados tão negativosfruto dessa politica.não se esqueçam: com o pec,não havia resgate e se ele viesse a politica do governo ps ,era forçosamente diferente da do actual governo em muito das suas opçoes.os partidos da” esquerda marchar” que digam o que faziam no poder,para nós nos divertirmos só um bocadinho!

  11. Muito bem Penélope. Não se deixe impressionar pelos “profissionais do breefing” que, pagos a 28€ à hora, aqui veem destilar veneno contra tudo o que mexe à sua esquerda (não sei até se não será já o caso do CDS). Esses acabarão inevitavelmente por “trair o dono” e morrer vitimas da sua própria excreção.

  12. corvo negro,”tudo que mexe a nossa esquerda” qual esquerda? onde está essa esquerda? é a dos “gatos pingados” que derruba governos do ps,para depois haver campo para “lavrar” um descontentamento maior com os governos de direita!corvo,larga o ópio pseudo comunista enquanto é tempo!

  13. Ao NUNO CM das 14:03. Antes de me chamar comunista aconselho-o que leia bem o meu “post” e depois, se tiver dúvidas, leia o meu Blogue (basta clicar em Corvo Negro). Estou habituado neste espaço a comentários seus bem mais construtivos, objetivos e esclarecidos do que este de me vir acusar daquilo que não sou, nem nunca fui, nem espero ter que vir a ser. Julgava-o mais atento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.