Ilumina-nos, ó Dâmaso

O Dâmaso do Correio da Manhã diz hoje que:

(Sócrates quis)[…] Contar pela televisão a sua raquítica verdade com uma encenação de contraditório jornalístico e criar a dúvida na opinião pública.

[…]A pantomima dos últimos dois dias foi boa para as audiências, mas deixou o gato escondido com o rabo de fora. Amanhã o CM desmontará as suas contradições.”

Enquanto Sócrates “cria dúvida”, o Correio da Manhã cria certezas. Não com investigação própria, porém. Antes com as dicas dos amigos da investigação, cuja ausência se nota nos últimos tempos. Amanhã, portanto, como já era tradição – e acabar com as tradições é mau, ponto, o Correio da Manhã vai vender-nos o serviço dos esclarecimentos, tão cruelmente interrompido por um tribunal. Não irá, claro, iluminar nada. Será mais um debitar de suspeitas, insinuações, enredos policiais e ódio. Mas registo este momento de ciúme em relação à TVI (“pantomima […] boa para as audiências”). Apesar de sabermos que o “artista” em causa foi disputado por, pelo menos, duas estações de televisão e, sendo um cidadão livre, tratou de se defender da campanha dos média, libérrima e descontrolada durante os longos meses da sua clausura, o Dâmaso acha que foi uma representação, insinua que foi Sócrates que se impôs ao público e intitula a sua coluna de «Mentiras». Dâmaso considera que tem o monopólio da verdade. Tem tido, é verdade, praticamente o monopólio do show e deixar de o ter é chato. Segue-se que a vingança é sempre o que lhe resta e hoje lá foram desenterrar o diploma da Indenpendente. E hão de vir outros assuntos, que, apesar de mortos e enterrados, ressuscitarão sempre ao terceiro dia.

De modos que esta guerra não tem fim à vista. Quanto mais tempo o MP demorar a resolver o sarilho em que se meteu desde que embarcou em agendas – acusando ou arquivando – mais tempo a guerra se prolongará. Há quem comece a ficar farto deste tandem entre o MP e certa comunicação social. A corrente de favores e pressões ora corre de um lado ora do outro. O MP devia esquecer de vez estes métodos.

Por mim, só posso perguntar como José Sócrates: se, de acordo com a tese do Ministério Público, o dinheiro do Santos Silva afinal era dele (e quanto? Todo? Algum? E o Santos Silva não tinha afinal fortuna?!), como, quando e em que negócio lhe foram pagas luvas? E luvas de que preço? Luvas mais caras do que o valor de alguns empreendimentos em que houve «corrupção», como às vezes nos querem fazer crer? Quais os intermediários?

Quem pretende acusar tem que ter factos. Se não tem, não acusa. Nem prende. Se Sócrates diz que o dinheiro não lhe pertence, que estabeleceu um entendimento informal com o amigo de longa data, que aceitar dinheiro emprestado de um amigo não é crime (e não é), que os negócios das empresas do amigo com o Estado no tempo em que era primeiro-ministro não foram beneficiados (e disso há provas), que o PROTAL é um tiro inteiramente ao lado, como facilmente se demonstra, vão acusá-lo de quê?

Gostava de saber. O que eu não gosto é desta interminável guerra. O Grupo Cofina não desiste, já pôs o comboio em marcha há demasiado tempo, e o MP acha que tem que prender o homem, coisa que já fez, e prendê-lo ainda mais, porque, caso contrário, não está a fazer a justiça que o povo que lê o Correio da Manhã exige. Isto é o Estado de Direito totalmente na lama. Uma vergonha. O que se segue talvez seja deixar o Dâmaso e o Octávio acusar e condenar. Processo sumário e já está. O julgamento, para todos os efeitos, já foi feito. Aí é que o povinho rejubilava, ó Senhora Procuradora-Geral. Pense nisso.

9 thoughts on “Ilumina-nos, ó Dâmaso”

  1. A procuradora nem ao correio da mãnha interessa.
    Nem duas frases seguidas com sentido ou possibilidade de serem descodificadas por gente normal é capaz de construir.

    A procuradora inspira dó.
    É uma figura vinda do crepúsculo dos deuses sem sala de maquilhagem.

    José Sócrates que vá continuando a fazer a sua defesa que cada vez mais gente perceberá esta perseguição ABRACADABRANTE, que esta associação mãnha/mp, organiza em força, há mais de 2 anos.

    Estes justiceiros manhosos metem medo!
    O dâmaso está bem é naquela mesa de conferência (não sei de quê) muito feliz ao lado do do senhor procurador geral interrogador de José Sócrates.
    Afinal parecem muito próximos!

    Quanto ao dinheiro emprestado a José Sócrates por um amigo abastado não sai dos bolsos dos portugueses.
    Preocupam-me sim os biliões que os contribuintes portugueses continuam a enfiar em bancos falidos e bolsos dos especuladores da dívida soberana.

    Ninguém tem nada que ver com a vida privada do Homem.
    Nem se ele paga ou não paga o que lhe emprestam.
    Nem como lhe emprestaram.
    Se foi em mão, em pé, por correio ou estafeta.

    Fico constrangida ao ver um Político que muito admiro e muito fez por este país a ter que falar de onde veio este ou aquele dinheiro que a Senhora sua Mãe decidiu dar-lhe, ou em que casa ficou em Paris.
    Mais ainda me incomodou ouvi-lo a falar do já profanado pelo correio da mãnha funeral de seu irmão.
    Isto já é loucura.

    Não me parece que o Ex. PM José Sócrates deva fazer a vontade a esta armadilha do :
    – responde lá a todas as insinuações e canalhadas que o mãnhas escreve nas suas imundas páginas.

    Essa gente do mp que parece que não saber por onde lhe pegar que diga de uma vez se o Homem recebeu ilicitamente ou beneficiou de favores em negócios do Estado Português quando Primeiro Ministro.

    Isto já é um caso de revolta que qualquer dia, meio país é Socrático e outro meio é pidesco.

    Acusem ou peçam desculpa ao Homem.

  2. Os prazos foram passados, acusação não surge como seria espectável mas,
    há mais de três anos a investigar, pela papelada e gigabytes produzidos não
    houve falta de meios isto, sem contar com os milhões que o sr Paulo Silva
    tem para analisar … dá para ver que existe um enorme desperdício de meios
    que, se espera não venham dizer que lhes falta!
    O pasquim nada irá publicar que seja novidade os portugueses já percebe-
    ram o logro que tem sido as “verdades” que os seus “investigadores” privados
    descobrem na garagem do DCIAP onde parte da “pescaria” está amontoada
    logo, alguém vai ter que responder, se à operação Marquês acontecer o mes-
    mo do que aos submarinos que mergulharam e não mais voltaram!!!

  3. Ó Pé no Lopes, não é assim como escreveu ” quem acusa tem que ter factos ” . Quem acusa, tem é que ter provas, assim é que é correcto .

    Podem existir factos e não haverem provas .

    Exemplo : Matias mais ou menos Precário, empregado de calle o centro, com um ordenado líquido de 400 euros, vive numa mansão apalhacetada do Chi Aido, transporta-se num Maserrato Pinin Farinha, exibe relógio Rolé e passeia como escravo sexual conduzido na rua pela trela, Ignatz, a quatro patas, com um capuz preto na tola e um pau enfiado no traseiro do qual pende uma bandeira dizendo : Sócrates é inocente e um santo homem, em suma, um genial político .

    Factos

    1) – estilo de vida desfazado com o nivel de rendimentos .
    2) – Possivel pratica de esclavagismo sexual .

    Quanto aos factos, é preciso alguém se queixar, ou acusar. Depois há que investigar . Ou se reunem provas ou não. Caso não hajam provas, não pode haver acusação.

    Prontes, fica assim : foi o engenheiro Neca Lecas que disponibilizou o dinheiro para a vida faustosa. A titulo gracioso. Pas de probleme .
    Quanto à, ” prima facies “, bizarra situação do Ignatz, afinal é consentida . Ele gosta, portanto foi ele que voluntariamente se sujeitou, nada a opor . Nem sequer acusação de atentado contra o pudor público se lhe pode fazer porque isso seria uma odiosa e diabólica mão-de-obra política da procuradora Bi-dual . Ora, isto não é da Joana .

    É dos chicos-espertos .

  4. agora os perús embebedam-se em outubro e a ressaca dura uns anitos até que um neto do sacana lópes ressuscite o kardecismo à sá corneiro.

    *https://www.youtube.com/watch?v=5-CS9DEC1_E

  5. O cego estava ocupado a destruir documentos para a Caterine e a mudar-lhe o escritório.
    Saiu do gabinete ali ao lado do jardim zoologico, apanhou o tuktuk do panasca da lambreta e regressou à base dos pedófilos ali no Parque Eduardo XII de onde tecla a partir de um Samsung Galaxy quando o movimento está fraco.

  6. Olha o cabrão do cegueta……..!!!!!
    Não me digam que eu tenho que intervalar outra vez com o Aspirina até correrem de novo com esse merdas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.