Freitas: onde está a decência?

Freitas ontem à noite

Depois de várias reviravoltas políticas, que passaram pela criação do CDS após o 25 de Abril, pelo abandono do partido mais tarde, o que lhe grangeou o estatuto de persona non grata no Largo do Caldas e levou à cena caricata da retirada da sua fotografia das paredes, por uma candidatura à Presidência da República, uma passagem pela AG da ONU e pela participação em governos de diferentes cores, nomeadamente no primeiro de José Sócrates, do qual saiu, não em conflito (embora quem pudesse ter razões de queixa (políticas) fosse Sócrates), mas devido a problemas graves de saúde, Freitas do Amaral decidiu atacar o antigo primeiro-ministro com a mais descarada das ligeirezas e o mais descarado dos populismos e, direi eu, oportunismos. Este ataque já data de há uns meses, bem antes das últimas eleições. O tempo suficiente para que a cambada que agora nos governa o considere digno do lugar de presidente do conselho de administração da Galp. Pois é.

Freitas, como a direita rasca que nos calhou em sorte, tem proferido afirmações verdadeiramente incompreensíveis para quem deveria ter mais, muito mais do que dois dedos de testa. Freitas faz completa tábua rasa das circunstâncias em que Sócrates foi forçado a governar desde 2009, após uma campanha sem paralelo de ataques pessoais, da crise internacional do subprime, cujas consequências já então se sentiam fortemente aqui na Europa, da gravidade de uma eventual recusa de formar governo nessa altura crucial e da abertura de uma crise política, das directrizes da União Europeia no sentido de se incentivar a economia, da inversão brusca dessas mesmas directrizes mal a Alemanha resolveu o seu problema e mal começou a especulação em torno do euro, do comportamento velhaco das oposições.

Crespo, que não perde uma que alimente o ódio contra o ex-primeiro-ministro, convidou-o para o Jornal das 9. Claro que o pretexto foi o lançamento de um livro (estamos no Natal, afinal!).
Imagino que Portas não ache muita piada à nomeação de Freitas para a Galp, sendo por isso conveniente carregar os tons das acusações ao anterior governo. No balcão do Crespo, Freitas aproveitou o vídeo da palestra de Sócrates em Poitiers para desferir mais um golpe completamente oportunista, baseado numa deturpação propositada das afirmações de Sócrates, e ridículo, pois qualquer pessoa percebeu que o problema de que falava o conferencista era o do pagamento das dívidas de alguns países a um ritmo de mata-cavalos. Era o problema da necessidade de desenvolvimento dos países. Era o da diabolização das meras dívidas!
Freitas não é burro ao ponto de não o perceber. O problema dele, como resulta claro, é o que o move. E aí, não se vislumbra nunca nada de muito edificante. Um distinto catedrático que perdeu mais uma boa oportunidade de se distinguir da podridão.

30 thoughts on “Freitas: onde está a decência?”

  1. Freitas, um dos «centristas», «homens livres» e «reformistas» que o Valupetas já nos confessou ser um dos políticos que mais admira e com quem mais se identifica. O convite que o Pinto de Sousa lhe fez para ser seu ministro foi então elogiado como um sinal da abertura daquele aos «independentes» e àqueles que estão para além do «sectarismo» ideológico, como o Valupetas defende que deve ser. Do «sectarismo» ideológico de esquerda, entenda-se…
    Pois agora o Freitas virou-se contra o seu «camarada» de governo (como outros ex-apoiantes «independentes» o fizeram, como é o caso do Júdice ou do Proença de Carvalho, que por acaso até é advogado do Pinto e também pertence à administração da GALP). Freitas aparenta assim ter deixado de ser «livre», «centrista» e «reformista», sendo apenas um oportunista (o mesmo oportunista que já era no tempo em que era o menino querido do Marcelo Caetano).
    Mas a verdade é como diz o ditado «diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és». A atracção do Pinto de Sousa e do Valupetas pela figura do Freitas fez deles, no passado recente, personagens «livres», «reformistas» e «centristas». Mas agora que ficamos a saber que o Freitas não passa de um oportunista, podemos dizer também que o Valupetas e o Pinto de Sousa são exactamente o mesmo (como eu sempre disse, aliás).
    O que move o Freitas, assim como o que move o Pinto de Sousa e o Valupetas, nunca foi qualquer projecto politico de esquerda, e disto até não vem nenhum mal ao mundo. O problema são mesmo os socretinos que foram e são constantemente aldrabados com o paleio vazio de substância «centrista» e «reformista», e que depois ficam desiludidos por o seu ídolo não ter o apoio dos seus ex-«camaradas». E depois é natural que caiam no ridículo, como o Valupetas, quando pretendem (cinicamente) responsabilizar a «esquerda imbecil» por termos actualmente um governo de direita no poder. Não contem isso é ao Freitas que o gajo é capaz de morrer a rir…

  2. Vi até o minuto 5 e poucos segundos.

    Abstraindo da pica lançada a Socrates no inicio – que não me interessa e que julgo não deveria ser o que centro exclusivo das nossas atenções, a menos que queiramos aderir de forma pacovia ao espirito luterano de que Freitas fala a seguir – percebo o que ele diz, subscrevo, acho razoavel e claro.

    Por falar em espirito luterano, espero que ele tenha referido a seguir que também ha coisas positivas nele, que não lhe são proprias mas que foram infelizmente corridas da nossa penisula com as timidas tentativas erasmistas de nos aproximar da modernidade.

    Uma dessas coisas positivas é a crença de que, com esforço e rigor, e mercê de um trabalho salutar de educação politica e civica, saibamos adquirir o reflexo de comentar o que o locutor diz em substância, em vez de contar pontos para saber se ele disse mal do José, do Pedro ou da Maria.

    Se ao menos pudéssemos beneficiar desse luteranismo, digo eu, não estariamos menos mal.

    Boas !

  3. Corrijo :

    Uma dessas coisas positivas é a crença de que, com esforço e rigor, e mercê de um trabalho salutar de educação politica e civica, acabaremos por adquirir o reflexo de comentar o que o locutor diz em substância, em vez de contar pontos para saber se ele disse mal do José, do Pedro ou da Maria.

    Desculpem outras gralhas

  4. Ui… Temos aqui um socretino que é um PIDE em potência. Já estou cheio de medo!
    Mas é a tal coisa: primeiro idolatraram os Freitas «independentes» e «centristas», e agora já os querem matar.

  5. Ds: Ninguém idolatrou Freitas, eu nunca tal fiz e o Sócrates não o fez de certeza. Convidou-o para o seu primeiro governo com um espírito de abertura e de aproveitar o que cada um, independentemente do seu passado, tenha de melhor para dar. O mesmo espírito conciliador o levou a atribuir cargos importantes a Faria de Oliveira, Carlos Tavares, Carlos Costa, Mexia e muitos outros. Foi talvez ingénuo.
    Nem Júdice nem Proença de Carvalho dizem de Sócrates nada de parecido com o que este senhor tem dito.

  6. «Foi talvez ingénuo» ahahahahhahahahha
    A ingenuidade e inocência está em quem acredita em coisas como esta, como eu já expliquei no meu comentário anterior.
    Ah.. E tanto o Júdice como o Proença (mais o primeiro que o segundo, pois afinal o segundo é advogado do Pinto de Sousa) já se demarcaram há muito da governação do Pinto de Sousa, defendendo ambos que o «reformismo» deste precisava de continuar… mas com um novo governo. Palavras para quê?

  7. Pois é, o poleiro no conselho de administração da Galp explica tudo. Já o papá desse gajo abifou o mesmo tacho, nomeado em representação do Estado pelo Salazar, quando a empresa se chamava Sacor. Está tudo conforme.

  8. Interessante, Cicero, pelo menos os 8 primeiros minutos do video.

    Quanto ao Freitas, vi o resto. Resvala la para o fim. Curiosamente, a “solução” que ele propõe (a mesma que tem servido ha séculos) não é senão aquela que o Mario Soares encontrou em 1979 e 1980. Apenas se pode dizer que não ha esperança razoavel de que essa solução milagrosa nos dê de bandeja, vindo de Angola ou do Brasil, um décimo do que a integração trouxe, em termos de capitais… Nada de novo, continuamos sem querer ver o problema, à espera de Nossa senhora de Fatima.

    Portanto tenho pena mas a solução não deve ser procurada nesse sentido, mas antes aqui dentro. Provavelmente na direcção apontada pela rapariga do video do Cicero.

    A menos que o Brasil e Angola nos possa exportar uns Marios Crespos de jeito, que façam perguntas inteligentes, mesmo que inconvenientes, em vez de se babarem servilmente em frente de um poderoso, dando assim o pior dos exemplos aos telespectadores.

    Por sinal, dentro das soluções internas, eu começaria por uma muito simples : recambiar todas as televisões do pais para a Alemanha como primeira prestação em pagamento da divida.

    Quanto ao resto, portanto quanto aos 20 primeiros minutos da entrevista, tenho muita pena de insistir mas, apesar de eu não ir à bola com o Freitas do Amaral, e abstraindo da pica dos primeiros minutos contra o Socrates, que acho lateral, parva e sem grande interesse, não vejo nada de fundamentalmente errado naquilo que ele diz.

    Mas pode ser que o problema seja meu.

    Boas

  9. João Viegas: O mais escandaloso em Freitas, nesta entrevista, é ele ter depois, passados esses minutos iniciais de ataque completamente infundado e disparatado a Sócrates (como se ele tivesse alguma vez dito que não pagaria a dívida!, ou que as dívidas não são para pagar!), passado um quarto de hora a dar-lhe inteira razão, ou seja, que não se pode exigir que todos os países sejam a Alemanha, não se pode estar na Europa com o espírito da punição, não se pode, em suma, exigir que as dívidas desapareçam depois de nos terem incentivado a contraí-las e que se paguem de repente e sem protestos. Sócrates não diria melhor, believe me! Portanto, aquela primeira intervenção foi um serviço prestado, sabemos bem a quem.

  10. Por acaso vi os primeiros minutos da dita entrevista se é que assim se pode chamar e rapidamente mudei de canal, e do pouco que ouvi desde logo me assaltou a duvida, será que já começaram as primarias para a Presidência da Republica?, tudo o resto é nojo, puro nojo nada mais.
    Mas o que mais me incomoda nem são estes sebosos mentirosos e manipuladores, o que me incomoda verdadeiramente é não existir ninguém do PS que contra ponha este continuar de mentiras que ouço todos os dias, enfim, continuo no que já afirmei, o Seguro que não conte comigo para manter a sua “zona de conforto” porque com ele e o Zorro o meu voto nunca mais, prefiro mil vezes votar no PNR.

  11. Subscrevo o artigo na íntegra, só tenho pena que não tenha sido escrito pela Isabel Moreira com a mesma “paixão”com que escreveu sobre o Bastonário.

  12. Lindo, simplesmente avassalador, arrepiante até, a denúncia cristalina de uma das maiores fraudes políticas e ideológicas, chamada JOSÉ SÓCRATES, feita por um dos seus pares do clube do oportunismo gelatinoso. Tão responsável e tão descaradamente cínico, como o Pinto de Sousa.

    Isto é de ir às lágrimas, olhar para o espectáculo de apoptose final deste “esquerdismo” socrático, cheio de figuras obesas e hipócritas, vigaristas políticos e de facto, que chafurdam continuamente na mesma mistificação e branqueamento do passado, com laivos de comiseração patética. Vítimas da sua própria cobardia e falta de vergonha. Miseráveis e patéticos.

    Vocês aspirínicos Bajuladores e co-responsáveis por esta colossal mistificação, merecem todo estes dejectos putrefactos e deviam ser obrigados a comê-los crús a todas as refeições.

    Sobretudo o PIDE de serviço que por ai anda a ameaçar como um cão raivoso, o fdp

  13. Os portugueses que sejam jovens e que estão a emigrar para o Brasil, Angola e mesmo para o centro da Europa deviam criar um tribunal.

    Esse tribunal julgaria por crimes contra a humanidade todos os políticos da geração de Amaral, vivos ou mortos, que apareceram no dia 26 de Abril.

    Sócrates que já é vítima daquela geração de ignorantes, babosos, pavões, balões vazios, Sócrates seria o representante nº 1 dessa juventude que formaria esse tribunal.

    Eu disse, os bluf´s que apareceream no dia 26, que no dia 25 foram os nossos herois.

  14. Ouvindo atentamente o “paleio” deste cata-vento, tanto que até a sua foto se tornou, ela a sua imagem, pela mão do seu sucessor cata-pulgas o “paulinho”, também em símbolo do seu ser de desavergonhado cata-vento oportunista, ora dizia eu, ouvindo atento este palrador-mor constata-se que ataca Sócrates pela desgraça de Portugal mas, depois de ouvir a sua tonta charla, não faz outra coisa que não seja culpar a semhora merkel pelos nossos males. Em que ficamos don charlatão: a cuçpa é do Socrates ou é dos alemães que nos deram dinheiro barato para comprar à la bruta produtos alemães?
    Decida-se homem, arranje culpados à farta à volta de sí já que nunca por cá andou, como parece segundo ele próprio.
    E, como todos oportunistas de todas as ocasiões, atira para a Merkel a culpa da nossa desgraça com o fito de os alemães continuarem ricos e poderosos enquanto os nossos pobrezinhos sofrem(quando fala disto quase que tenta fingir chorar), fingindo ignorar que a nossa desgraça actual e situação desesperada para muitos, serve às maravilhas para ele, ele próprio don Amaral, se alcandorar a chairman da Galp com vencimento milionário.
    A diferença entre Sócrates e pedantes como este, e como crespo, camilos, passos, portas, relvas, macedos, cavacos e tuti-quanti, é que enquanto Sócrates numa frase explica liminar e claramente como se gere uma dívida num país pequeno, estes idiotas palavrosos levam horas para tentar rebater ou contradizer e depois de dadas suas embrulhosas explicações, se repararmos bem acabam por dizer às arrecuas e contradições o que Sócrates disse numa frase, às claras e de frente.
    Porque se verem bem o esforço que o traste faz para desdizer Sócrates depois, e durante vários minutos de explicações acaba por, querendo dizer o contrário, dizer por outrs palavras, ou seja palavrosamente, o que Sócrates diz com total clateza e limpidez.

  15. Este senhor (!), aproveitou o convite de Sócrates para o Governo com a convicção de que seria, por este, escolhido como candidato à PR. como isso não aconteceu, abandonou o barco a dizer cobras e lagartos, sem qualquer pudor ou coerência. Enfim, são feitios! Está a ser coerente com todo o seu passado.

  16. O José é que conta a história como ela é.

    PS: Ó DS porque é que a tua argumentação inclui sempre comentários gozões acerca dos nomes dos outros? Já percebemos que tipo de gajo eras na escola! Antes sócretino do que absoluto cretino como o DS.

  17. O José é que conta a história como ela é.

    PS: Ó DS porque é que a tua argumentação inclui sempre comentários gozões acerca dos nomes dos outros? Já percebemos que tipo de gajo eras na escola!

  18. Dois ex-directores do banco islanes Kaupthing, nacionalizado de urgência em 2008, foram presos. Mas a lista de possiveis detidos envolve mais de 125 personalidades, segundo a imprensa.

    Os directores de bancos islandeses que arrastaram o país para a bancarrota em finais de 2009 foram presos por ordem das autoridades, sob a acusação de conduta bancaria criminosa e cumplicidade na bancarrota da Islandia.

    Os dois arriscam-se a uma pena de pelo menos oito anos de cadeia, bem como confiscado de todos os bens a favor do Estado e ao pagamento de grandes indemnizações.

    A imprensa islandesa avança que estas são as primeiras de uma longa lista de detenções de responsaveis pela rutura do país na sequência do colapso bancário e financeiro da Islandia.

    Na lista de possiveis detenções nos próximos dias e semanas estão mais de 125 personalidades da antiga elite politica, bancária e financeira, com destaque para o ex-ministro da Banca, o ex-ministro das Finanças, dois antigos primeiros-ministros e o ex-governador do banco central.

    A hipotese de cadeia e confiscação de bens paira também sobre uma dezena de antigos deputados, cerca de 40 gestores e administradores bancários, o antigo director da Banca, os responsáveis pela direcão-geral de Credito e vários gestores de empresas que facilitaram a fuga de fortunas para o estrangeiro nos dias que antecederam a declaração da bancarrota.

    Em Outubro de 2008, o sistema bancário islandês, cujos activos representavam o equivalente a dez vezes o Produto Interno Bruto do país, implodiu, provocando a desvalorização acentuada da moeda e uma crise económica inaudita.

    E em Portugal como é? Como que vai ser …………………. ????????????????

    E AS FIGURAS AINDA SE ESTÃO A RIR DE TODOS NÓS. NÃO viram a festança que foi, há o casamento de um dos filhos do JARDIM GONÇALVES? Estava lá boa parte da elite económica e financeira deste país a prestar as devidas homenagens ao CHEFE.

    E, o Constâncio até foi promovido a vice-presidente do BCE …….

    E, A “RAPAZIADA” QUE ALEGADAMENTE ROUBOU O BPN. Estão podres de ricos, vivem que nem uns nababos, e, ESTÃO A RIR-SE DE NÓS. O Oliveira e Costa (que anda com a pulseira “Cartier”), e que está a servir de “BODE EXPIATÓRIO” mas também é tudo “fogo de vista”- não vai acontecer nada (talvez uma pena supensa de 2 ou 3 anos).

    E o “RENDEIRO E COMP.LDA” (BPP)— ESTE CASO É DE MORRER A RIR OU A CHORAR………
    E o SÓCRATES anda a passear por Paris e o TEIXEIRA DOS SANTOS
    a comer tripas pelo Porto ………..e o Cavaco a fingir que e sábio a dar bitates mas a vizinha na Coelha!

    JUIZEs de Portugal onde andam?….

  19. Infelizmente, os juizes de Portugal fazem parde do bando , por isso bem podes gritar por eles que “no pasa nada”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.