Francamente!

Para o FMI, o fundamento para a transferência de competências educativas do Estado para o setor privado é o facto de os estabelecimentos privados apresentarem melhores resultados. Saberá o FMI do que está a falar? Conhecerá a origem social dos alunos do privado e as possibilidades gerais de seleção de que os privados dispõem? É esta gente que nos vem dar recomendações para a “reforma do Estado”? São estas as informações que os nossos governantes lhe transmitem? Já chega, não?

«O Fundo Monetário Internacional (FMI) não poupa críticas ao sistema de educação português e lança o mote ao Governo: é preciso “fazer mais com menos”. Para isso, o Estado deve reduzir o seu papel de prestador de serviços de educação e delegar mais nos privados.
E porquê? Os resultados estão à vista, dizem os peritos do FMI. No “ranking” das 50 melhores escolas apenas duas são públicas – um resultado que, segundo muitos especialistas, estará fortemente relacionado …
» (a notícia disponível para não assinantes é cortada aqui, mas penso que diz o suficiente para percebermos)

24 thoughts on “Francamente!”

  1. Cara Penélope,
    Não sei porque se admira com mais este dislate dos FuMInhas! O FMI ao que parece faz concorrência à Lusófona em certificação da ignorância. Estes funcionários não passam de meros contabilistas graduados em economistas para nossa tristeza. O pior é que, ao falar com o Pedro ou com o Relvas, ficam convencidos de que são o supra sumo da batata e que os Portugueses têm todos o nível intelectual do gajo que elegeram para PM. Daí esta chuva de disparates. Como diria o povo “Nem as pensam!”

  2. Acreditar que esta forma de fazer política é, apenas, burrice, é um equívoco. Estamos a ssistir a uma estratégia clara, segundo um modelo que já foi expermentado em diversos países e que tem como objectivo último mudar o modelo social e económico vigente. Pensava que a Penélope já tinha percebido isso…

  3. já falei disto uma vez mas repito.um colegio no porto está muito bem colocado no ranking,mas filho de pobre lá não entra. os meus filhos têm um amigo que foram para lá com cunhas da igreja.rolava tudo bem em termos reintegraçao ate ao dia em que souberam o que faziam os pais.um era empregado de comercio,o outro era bancario.foi uma martirio para o miudo foi tão grande que no ano seguinte regressou à escola publica.não podemos embarcar na conversa do fmi,por varia razoes,mas uma delas´cito já: mesmo que filho de pobre ande nesse colegio sem precisar de pagar quando os ricos pagam, o tratamento na maioria dos casos não há igualdade de tratamento.parece que nos deram um sonorifico,pois estamos a ficar adormecidos perante tanta tormenta que estamos a viver e mais a que se avizinha.se não houvesse os blogues,a desgraça ainda era maior,por termos um imprensa controlada.vamos para a praia nas eleiçoes para o parlamento europeu e depois dá isto.uma comissaõ europeia de direita,graças a um parlamento de direita,mais uma maioria de governos igualmente de direita.estou enganado? agradeço que mo digam.se fosse da esquerda democratica quem era o comissario era o antonio vitorino em vez do moço de recados de durão barroso.Nota: até neste quadro catastrofico o s comunistas têm culpas no cartorio,quando empurrarram para a direita o seu povo a leste,depois de tantos anos de prazer comunista.

  4. Penélope, infelizmente este tipo de golpe cheira demasiado mal e já foi usado várias vezes por este mesmo governo.
    Primeiro mandam a notícia para apalpar o terreno, depois, conforme os protestos, ou aparece uma medida mais suave ou abandona-se a ideia e atira-se com outra para cima da mesa alegando que já se abandonou a anterior.
    A TSU é um bom exemplo. A troco do seu abandono veio uma nova tabela de IRS, não foi?

  5. está tudo a correr como previsto. está toda a gente, como aqui se vê, a atirar-se ao fmi e a pouparem o governo. esta tem sido um estratégia ganhadora e continua a ser. até que alguém pergunte ao passos porque é que portugal tem de andar com reformulações violentas do seu memorando quando a irlanda não tem cumprido o memorando original (na energia, por exemplo). e aí será impossivel esconder a incompetência destes artolas!

  6. Rui Mota, Teófilo M, assis: Claro que todos já sabemos o modelo político e económico deste governo e as suas técnicas para o fazer passar, mas não deixa de ser importante confrontar o FMI, que, convém não esquecer, subscreve todas aquelas medidas de que o Negócios fala, com as declarações recentes de pessoas influentes da sua hierarquia. São contradições que devem ser denunciadas. Além da figura triste que fazem os seus representantes ao basearem-se nos dados que estas inteligências que nos governam lhes fornecem.

  7. Perdoem a ignorância, mas com tantos ilustres economistas a opinar ainda não percebi bem o que se passa:
    Estamos constantemente a ser avaliados pela Troika e temos que cumprir os seus ditames para que nos façam o favor de nos conceder mais uma tranchezinha, não é?
    Será que alguém me explica que raio de juros estamos a pagar? Do total, ou do que nos emprestaram até agora? No último caso, não devíamos ter a guita nas mão sem mais merdas?
    Ou então estamos a emprestar dinheiro a nós próprios, é isso?

  8. A qualidade do sistema de educação privado português está à vista em múltiplos casos escandalosos, como sendo o diploma de José Relvas, os escândalos de gestão danosa das universidades Moderna e Independente, os cursos de ensino em Matemática onde não há uma única disciplina científica de matemática, os cursos de professor do ensino primário de onde saem diplomados que nem aritmética sabem, a gestão dos colégios do grupo GPS, etc, etc. etc. Os rankings valem o que valem; há umas poucas escolas, no topo, que seleccionam criteriosamente os alunos, mas que nem sequer são representativas da mediocridade genérica em que se tornou o ensino básico e secundário em Portugal, privado e público, após Maria de Lurdes Rodrigues ter seguido à risca as instruções que recebeu de fora. O privado ainda consegue ser genericamente pior, pois acrescenta corrupção à falta de qualidade científica. Quanto aos rankings, tudo isso constitui uma fraude, aliás já integralmente desmontada por muitos estudos especializados. Ainda iremos ver, infelizmente, muitos pais a descobrir da pior maneira que foram burlados por certas escolas onde impera a gestão danosa e mesmo a corrupção; em alguns casos, os seus filhos estão a ser treinados a papaguear respostas de exame, em vez de aprenderem a pensar.

    Além do mais, o FMI não tem competência técnica em matéria de educação. A sua opinião sobre o assunto baseia-se em indícios indirectos — rankings — cuja qualidade e relevância o FMI não tem competência científica para se debruçar. Estas afirmações do FMI são opinativas, não são matéria de facto.

  9. PS- As perguntas que vos deixei há pouco não são retóricas, gostava mesmo que alguém me informasse, se souber.
    Já agora, transcrevo um texto que o (muito assertivo, na minha modesta opinião) maluco Max Keiser publicou em Novembro de 2010, que pode ser útil para debater acerca da bondade e competência destes senhores que estão a decidir o destino do nosso quintalzinho de betão e eucaliptos à beira-mar plantado:

    “The IMF is a consortium made up of bankrupt banks, mostly in the U.S. The IMF was close to bankruptcy a few back – but the ‘global financial crisis’ that they caused – gave them a chance to swoop into countries with weak politicians and grab some easy cash. Ireland, as reports have said, has plenty of cash for two years of operations – but the IMF needs that money now. So Ireland must lose its sovereignty. It’s tragic, but it’s history. Next week it’ll be Portugal and Spain. The naked bond sellers have already softened up those countries and the rating agencies stand by to downgrade their debts. By the time the IMF shows up to steal what’s left these countries will be paralyzed with fear and the pickings easy”.

  10. Desculpem, há pouco enganei-me. O que queria dizer era:
    Se estamos a pagar juros do total do empréstimo, devíamos receber o guito todo sem mais condicionamentos, …parece-me.

  11. o joaopft foi treinado em papaguear frases do tipo “em que se tornou o ensino básico e secundário em Portugal, privado e público, após Maria de Lurdes Rodrigues ter seguido à risca as instruções que recebeu de fora”

  12. Tem piada que no outro dia José Maria Ricciardi, o 19º homem mais poderoso de Portugal, presidente do BES Investimento e membro da actual e catastrófica direcção do Sporting, também veio pôr as culpas do desastre do futebol do Sporting nos jogadores, afirmando que havia que cortar no orçamento do futebol profissional e “fazer mais com menos”. Interessante é ver como o próprio futebol, de veículo típico de alienação do povo se transformou em metáfora dos males do país.

    Talvez os sócios do Sporting devessem perguntar como é possível estar o principal credor do clube tão bem representado na direcção do mesmo. É assim como ter o Vítor Gaspar nas finanças, no governo português. Será que os sócios do Sporting elegeram o principal credor do clube para a direcção?! (Também os portugueses não elegeram a troika para o governo). E como é possível que um homem — Godinho Lopes — que serve apenas de testa-de-ferro de Ricciardi, presida ao clube? O único currículo de Godinho Lopes é ter sido o principal arguido do caso de corrupção dos paquetes da Expo 98, onde se burlou o Estado Português em dezenas de milhões de euros. Isso não o impediu de se candidatar e ganhar as eleições para a presidência do SCP, mas após fraude eleitoral, segundo confessam agora outros cúmplices desse ilícito.

    Agora, pasme-se… o objectivo de tal fraude foi do de impedir que a máfia russa conquistasse a direcção do clube aos credores tugas! Mama mia!…

  13. ora, caro assis, a minha memória não é curta. Vai agora negar que a OCDE andou por aí em missão, no tempo de Maria de Lurdes Rodrigues? Vai negar que a OCDE dizia que era preciso “fazer mais com menos”? Depois de o orçamento para a educação ter atingido o máximo no tempo de Guterres (6% do PIB), desde essa altura tem-se executado a política do “fazer mais com menos”. Já vamos em 3,8% do PIB (2013), e cairá para menos de 3% se o FMI levar a sua vontade avante.

    Mas, ao contrário do FMI, a OCDE (e também o Banco Mundial), são muito mais perigosos nesta matéria, pois têm staff qualificado para estudar questões educativas. Parece que, no entretanto, a OCDE já chegou à conclusão que as coisas não estão a correr como deviam. O castigo — do mercado de trabalho qualificado — há-de ser terrível para os países ocidentais; e isso é história cujo desfecho final nos será revelado, já na corrente década.

  14. pois joãopft, bem me parecia que a “mediocridade genérica em que se tornou o ensino básico e secundário em Portugal, privado e público, após Maria de Lurdes Rodrigues” é mais um ‘acho que’ com que deliciamos a nossa pausa de café.

  15. Mas se o professorado foi destruído como classe, na década de 2000-2010, também os alunos saem hoje do secundário num estado lastimável, nomeadamente no que diz respeito à formação científica.

    O ministro da economia quer que os jovens vão todos cursar engenharia; mas o que Álvaro Santos Pereira não suspeita é que nem ele, nem o seu governo, nem a própria toika têm capacidade para inverter facilmente a situação. Hoje há muito poucos alunos, à saída do secundário, com os conhecimentos matemáticos necessários para cursar engenharia. Reformas positivas, nesta área, irão demorar bastante tempo a produzir efeitos generalizados; hoje a inércia — ao contrário de que aconteceu até meados de 2001 — move o sistema no sentido da degradação.

  16. joaopft, concretiza lá pá! em que é que o professorado foi destruído e porque é que há poucos alunos capazes de cursar engenharia. e concretizar é meter números, factos e deixar-se de retóricas balofas mentirosas aprendidas nos corredores dos liceus!

  17. Além do mais, o governo laranja derivou para a total irresponsabilidade. Passos Coelho é responsável pelos MAIORES CORTES NA EDUCAÇÂO de toda a história de Portugal. Tem as mais GRAVES responsabilidades em tudo o que de mal irá agora acontecer a Portugal, em matéria de educação. Em enorme desgraça cairão os laranjas, quando os empresários portugueses forem forçados a desembolsar salários de engenheiros próprios dos países sub-desenvolvidos. Dessa culpa o PSD não se vai poder escapar facilmente.

  18. Caro assis,

    Eu não mereço nada disto, pois não votei neles, ao contrário de muitos outros que o fizeram apenas pela vontade de protestar contra o governo Sócrates. Bem lhes disse que se iam arrepender, mas nada feito. A culpa foi do governo Sócrates, que perdeu o eleitorado que necessitava para poder vencer o sufrágio de 2011.

    Decerto que será exagero da minha parte fazer de Mª de Lurdes Rodrigues o bode expiatório de todos os males do ensino em Portugal, mas também é certo que ela desmembrou a força corporativa do professorado, que radicava não nos sindicatos mas na gestão democrática das escolas. Mas o professorado esteve sob pressão em todo o mundo ocidental, durante a década de 2000-2010; houve marcha atrás naquilo que podemos designar por iluminismo (ou esclarecimento), no sentido do texto de Kant:

    http://www.lusosofia.net/textos/kant_o_iluminismo_1784.pdf

    (que vale a pena ler). Em países mais desenvolvidos há outra tradição cultural, que torna mais indefensável atacar o iluminismo da forma desabrida como aqui se faz. Esse enfraquecimento dos ideais do iluminismo prejudica gravemente toda a actividade educativa, em geral, mutilando a audácia de docentes e discentes relativamente à aprendizagem. Esse enfraquecimento terá menos impacto na qualidade da investigação, domínio que é tradicionalmente mais bem defendido que o ensino.

    As minhas opiniões sobre o estado do ensino pré-universitário baseiam-se, precisamente, na minha experiência profissional como professor universitário. A opinião que expressei é hoje partilhada por muitos dos meus colegas. Há uma redução da qualidade da formação e do empenho dos alunos, à entrada da universidade; esse processo acentuou-se notoriamente nos últimos três anos. Preocupante também é o estado em que hoje nos chegam alguns alunos com classificações elevadas. Estes problemas não são visíveis nas estatísticas pois as universidades, a braços com cortes sucessivos no financiamento da sua actividade docente, não têm dinheiro para reprovar mais alunos.

    Quanto aos motivos, certamente que as deficiências do secundário e a falta dos valores do iluminismo são um dos factores; mas haverá também que acrescentar o estado de depressão e de incerteza quanto ao futuro em que se encontra o país, e que também poderá afectar o desempenho dos alunos.

  19. eh pá, oh joaopft! que raio, pá! peço que me mostres que os alunos made in maria de lurdes rodrigues são piores que os anteriores e vens-me com conversa da treta. mostra-me que os alunos de 2010 estão pior preparados que os de 2000 (naqueles tempos das médias negativas). mostra-me que em 2010 há menos alunos bons (quialquer que seja o critério para bom) do que em 1973. vá lá, um esforço! uma última nota para dizer que, pela prosa, a tua faculdade deixou de atrair bons alunos. isso talvez tenha a ver com a prosa que aqui nos deixaste. e ainda para frisar que prosas dessas bem merecem o presente passos&companhia.

  20. “… é certo que ela desmembrou a força corporativa do professorado, que radicava não nos sindicatos mas na gestão democrática das escolas.”

    pois foi, a sinistra ministra desmascarou a cambada de irresponsáveis que vivem à custa do ensino e não gostam de trabalhar, vai daí a reacção corporativa e sindical aliou-se à oposição, santa aliança psd/cds/be/pcp, para derrubar o governo infame que ousara pedir contas do desempenho profissional da classe. agora dizem que não votaram neles e o governo caiu com os votos do espírito santo. aproveitem o pleno desemprego que aí vem para continuar a discutir a degradação da qualidade do ensino, coisa que não param de fazer desde 1974, pode ser que regressemos à outra senhora. vão coçar a sarna pró sindicato e corram com o nogueira, não resolve, mas alivia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.